02 mai19:08

Polícia Federal vai atuar no Caso Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Polícia Federal vai atuar nas investigações da morte do vereador Marcelino Chiarello, ocorrida no dia 28 de novembro do ano passado. A informação foi confirmada hoje pelo delegado da Polícia Federal de Chapecó, Oscar Biffi.

Ele afirmou que um despacho do Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, foi publicado no dia 18 de abril, determinando que a Polícia Federal apure as circunstâncias e causas da morte do vereador.

A delegacia de Chapecó já solicitou os laudos para a Justiça e aguarda o recebimento dos documentos para fazer análise.

De acordo com o deputado federal Pedro Uczai (PT), a decisão do ministro partiu de uma solicitação do Ministério Público, que está dando continuidade ao inquérito da Polícia Civil, que foi inconclusivo.


Instituto Médico Legal de São Paulo entrará nas investigações

O juiz de Direito Jefferson Zanini, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Chapecó, na qual tramita o inquérito policial que apura a morte do vereador Marcelino Chiarello, decidiu buscar uma “terceira opinião” em relação a causa mortis do político e determinou que o Instituto Médico Legal de São Paulo examine as provas e emita seu parecer técnico sobre o caso.

Na decisão, o magistrado esclarece que existem divergências entre o médico legista de Chapecó e seus colegas de Florianópolis, com indicações conflitantes sobre as causas da morte de Marcelino.

A direção do IML paulista havia se colocado à disposição para auxiliar no desfecho do caso. O juiz Zanini, por outro lado, acolheu proposição do Ministério Público para indeferir pleito feito pelo advogado de familiares da vítima no sentido de desconsiderar os pareceres elaborados por peritos do IML catarinense. Segundo o magistrado, os documentos são de interesse da Justiça Criminal.


>> Ato marca cinco meses da morte de Marcelino Chiarello

Por

Comentários