07 mai10:09

Superliga em Chapecó teve grande público

Este final de semana foi perfeito para a prática do Motocross em Chapecó. Além da presença do sol o público lotou as arquibancadas montadas no Autódromo Internacional para acompanhar a quarta etapa da Superliga Brasil de Motocross.

Cem pilotos, brasileiros e estrangeiros, participaram da competição no sábado, dia 5 e domingo, dia 6. Foram disputadas nos dois dias cinco categorias que variavam pela idade do piloto e potência das motos. A promoção foi da Romagnolli Produção e Eventos com apoio total do Moto Clube Chapecó.

A novidade da etapa chapecoense é que a maioria dos pilotos que estava mandando no campeonato não conseguiu um bom desempenho e o topo do pódio foi visitado pela primeira vez pelos adversários.

Na categoria MX-Pró, com motos até 450Cc, a principal do evento, os pilotos enfrentaram duas baterias de 30 minutos e mais duas voltas. O espanhol Carlos Campano, que está numa equipe de Florianópolis, permanece como o líder absoluto, mas pela primeira vez desde outubro do ano passado perdeu uma prova. Em Chapecó ele foi superado por outro estrangeiro. O inglês Adam Chatfield foi o melhor em Chapecó, como ocorreu no ano passado.

Outro piloto favorito e que não conseguiu vencer foi o chapecoense Arthur Todeschini (Expresso Sul/WA transportes/Cetric/Pirelli/Brasil Racing) na categoria 65Cc. Ele fez o melhor tempo e largou muito bem. Abriu vantagem sobre o segundo colocado, mas acabou caindo. Recuperou-se, abriu novamente a vantagem e sofreu uma segunda queda. Desta vez o piloto de 11 anos sentiu dores e quando voltou para a pista estava em sétimo lugar. Mesmo assim fez uma prova de recuperação e chegou em terceiro.

A liderança caiu no colo do pernambucano Leonardo Feitosa, um prêmio para quem fez quase quatro mil quilômetros para estar em Chapecó. A liderança, no entanto, segue ainda maior. Arthur Todeschini tem 22 pontos de vantagem sobre o segundo colocado. Thui depende apenas de seu desempenho para ser campeão da Superliga.

Na prova de sábado a categoria CRF 230 foi vencida pelo paulista Marcos Moraes assumiu. Na MX2 o vitorioso na soma das duas baterias foi o paulista Hector Assunção, que das oito baterias do campeonato venceu duas apenas. Na Júnior, Fábio dos Santos, também de SP, foi o vencedor.

- Sentimos orgulho de termos proporcionado pelo terceiro ano consecutivo esta festa para Chapecó e região – disse o presidente do Moto Clube Cléber Todeschini. A Superliga Motocross ainda terá etapas em Brasília/DF e Penha/SC.


Por

Comentários