17 mai12:26

Homens também podem precisar de reposição hormonal

Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Urologia revelou que 20% dos homens pesquisados têm índices de testosterona abaixo da normalidade. O estudo avaliou 1623 homens saudáveis, com idade entre 24 e 87 anos.

Estima-se que o declínio da testosterona começa a partir dos 40 anos, a uma taxa média de 1% por ano de vida, por isso é importante que o homem acompanhe a queda deste hormônio ao longo do tempo em check-ups regulares. A baixa acentuada do hormônio a partir dessa faixa etária é chamada de Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino, popularmente conhecido como andropausa.

— A queda da testosterona leva à diminuição da libido, disfunção erétil, irritabilidade, sonolência, perda da memória, osteoporose e fadiga — ressalta o urologista Archimedes Nardozza Junior, um dos autores do estudo e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Como sinais da queda de testosterona, podem ser consideradas alterações dos pelos pubianos, da barba e a pele seca. O homem também fica mais irritado e com perda de memória, segundo o especialista.

Homens acima dos 70 anos têm uma redução de 50% nos níveis de testosterona, em comparação ao valor médio observado para homens mais jovens, até os 40 anos.


Reposição hormonal

Entre os 40 e os 50 anos, os homens não sofrem apenas com a diminuição da testosterona, mas também com o aumento de outro hormônio, o sexual-globulina (SHBG), que também interfere nos níveis de testosterona. Essas alterações caracterizam uma mudança considerável para o organismo como um todo.

Com o avanço da idade, também é possível observar alguns fenômenos como diminuição da força e massa muscular, acúmulo de adiposidade (gordura) na região central do abdômen e no corpo como um todo, diminuição da densidade mineral óssea, da virilidade e da atividade sexual.

— Homens com diabetes, dislipidemia, hipertensão e obesidade devem ficar mais atentos, pois estes fatores potencializam a queda da testosterona — alerta Archimedes.

Para regular os níveis hormonais, o médico pontua que os homens podem recorrer à reposição hormonal. Uma alternativa é o uso de undecilato de testosterona. O medicamento é administrado por injeções intramusculares trimestrais (a cada três meses) que mantêm a estabilidade dos níveis hormonais por todo o intervalo entre as aplicações.

Conforme o urologista, manter uma rotina de exercícios físicos e uma alimentação que prioriza o consumo de vegetais e frutas, facilita o tratamento.


BEM-ESTAR


Por

Comentários