25 mai09:45

Confira a entrevista: Will Smith fala sobre sua volta em "Homens de Preto 3"

Will Smith visitou o país no final de fevereiro para divulgar o filme Homens de Preto 3. O americano já havia estado no Rio antes com os longas Hitch – Conselheiro Amoroso (em 2005) e Eu Sou a Lenda (2008).

>> “Homens de Preto 3″ estreia nesta sexta-feira em Chapecó

Depois da divertida coletiva de imprensa ao lado do colega de elenco Josh Brolin, o ator, produtor e rapper de 43 anos conversou com alguns jornalistas. O astro gente fina falou sobre a comédia de ficção científica, as escolhas de sua carreira, o papel do Brasil na indústria cinematográfica e, para ZH, respondeu se acredita em vida inteligente fora da Terra:

– Seria arrogante da nossa parte acreditar que somos os únicos, principalmente porque não somos tão inteligentes assim. Obviamente, há alguma coisa mais inteligente do que a gente no universo, né?


Confira a entrevista:

Pergunta – O Brasil virou um lugar importante para Hollywood fazer seu marketing?

Will Smith – O Brasil e a Rússia são dois dos mercados de cinema que crescem mais rapidamente hoje. O Brasil logo vai ser o quinto maior mercado cinematográfico mundial, o que é realmente enorme do ponto de vista do sucesso internacional de um filme. Eu estive no país no Carnaval, então, para mim, qualquer desculpa para vir aqui serve. Fazer sucesso com música, por exemplo, sempre foi algo internacional. Eu amo viajar, e trabalhar com entretenimento foi perfeito para mim. Essa é a parte divertida do cinema: fazer filmes é muito menos divertido do que viajar divulgando filmes.


Pergunta – Como você escolhe seus papéis?

Smith – Boa parte disso tem a ver com escolhas da minha vida, onde quero estar, em que cidades trabalhar. No caso de Homens de Preto 3, o conceito era fantástico, a ideia de dar um salto no tempo para salvar meu parceiro que foi morto no passado, acrescentando alienígenas e Josh Brolin como o jovem Tommy Lee Jones. Todos esses elementos foram muito empolgantes e criativos para mim. Fazia uns quatro anos que eu não trabalhava atuando, então queria voltar com algo de muita energia, e a nostalgia era importante para lembrar as pessoas de quem é “Big Willy”.


Pergunta – Você e Josh Brolin parecem divertir-se muito juntos. Foi “amor à primeira vista”?

Smith – Você não pode fingir química. Você vê duas pessoas juntas e vê a aura e a explosão. Isso você tem ou não. O incrível para mim é que, desde o primeiro dia com Josh Brolin, foi quase que a mesma química que rola entre mim e Tommy Lee Jones! Ele compreendeu tanto o clima e o ritmo… Eu posso fazer uma cena com você, com as mesmas falas e tudo, e não funcionar. Com ele, a cena ia além, avançava com a troca entre a gente. Você sabe, é como fazer amor… (risos)


Pergunta – Qual papel você ainda gostaria de interpretar?

Smith – Nelson Mandela, acho que é o único. Acho que estou bem na idade de fazer ele mais novo. A história da África do Sul e do apartheid já foi contada, mas não da forma como tenho em mente. É uma perfeita história humana.


Pergunta – Você acredita na possibilidade de Barack Obama ser reeleito?

Smith – Eu fui um grande apoiador de Barack, como homem e como presidente. De tudo o que ele já fez fora da política, ele quebrou para o mundo a ideia de que seria impossível ter um negro como presidente. Se a gente fizesse um filme com um negro vencendo a eleição norte-americana para presidente seria uma droga! “Ah, não, mais uma porcaria de Hollywood, com o negro ganhando a eleição!”

Por

Comentários