28 mai10:17

A bela de Seara

Cristina Vieira* | cristina.vieira@diario.com.br

Seara fica no Oeste de Santa Catarina. É um lugar com pouco mais de 17 mil habitantes, caracterizado por gente da terra e pelo desenvolvimento junto ao frigorífico homônimo ao município.

Há 10 anos, um olheiro de agência de modelos baixou lá. Ciente de que Seara tinha origem alemã e italiana, o faro do agente mirou na pequena cidade, em busca de loiras altas, magras e belas. Parou no mercadinho de Hilário Weber e, atrás do balcão, achou um pequeno tesouro. Aline Weber tinha 13 anos. Já media 1m79cm e era tão magra, tão loira e tão linda, que o olheiro nem pensou duas vezes. É ela.

Era mesmo. Hoje, aos 23, ela continua magra, linda, só que mais loira. Os cabelos platinados _ descoloridos há um ano e meio a pedido do estilista da Balenciaga, Nicolas Ghesquière, para que a catarinense pudesse abrir o desfile da poderosa grife internacional _ são um triunfo fashion , elogiado por editoras da moda e por grandes grifes, o que fez com que ela abortasse, pelo menos por hora, a vontade de mudar o visual novamente.

_ Neste mundo, qualquer coisa que você faça, até cortar as pontas do cabelo, você tem que conversar com a sua agência. A gente avaliou que esse visual está com uma super aceitação. Então vou esperar um pouco para mudar _ comenta.

Aline está com a bola toda. No Fashion Rio, que terminou sábado, a catarinense fez oito desfiles. Só de moda praia, pegou quatro de seis _ o que é um golaço para uma modelo _ afinal tem que estar com o corpo em cima para entrar na passarela de biquíni. Ainda foi a top escolhida para fechar o desfile da tradicional grife carioca Lenny, puxando a fila de modelos num maiô preto que a deixou ainda mais estonteante.

Em março, a catarinense foi capa e recheio da Elle Brasil. Em maio, estava na capa da Vogue Turquia. No ranking da models.com, principal radar do mercado, ela aparece em 36º lugar entre todas as modelos do mundo

_ A Aline é naturalmente moderna e chique. É muito profissional. Estou trabalhando com ela há dois meses, e eu estou adorando _ elogia Laura Vieira, booker de Aline.

A modelo mora com o namorado, também modelo, há cinco anos em Nova York. Recentemente assinou contrato com a Ford Models e tem como meta ficar mais conhecida no Brasil e realizar mais trabalhos por aqui. Assim ela promete que Seara receberá com mais frequência a visita de sua filha ilustre. A seguir, confira trechos da entrevista feito com a modelo, no intervalo entre um desfile e outro no Fashion Rio.


O começo difícil

Eu nem pensava em ser modelo. Achei estranho o convite, mas pensei na oportunidade e aceitei. Meu pai foi comigo para São Paulo. Minha mãe é mais reservada, meu pai é quem sempre me acompanhou. Eu tinha 13 anos. Com 14, já me mandaram para Miami, porque eu tinha que falar inglês, mas me colocaram numa casa só com modelos brasileiras. Daí, não aprendi. Depois fui para Nova York e aprendi. Meus primeiros quatro anos de carreira foram muito difíceis. Não fiz nenhuma capa, não tinha muitos trabalhos. Recebi muitos nãos. Muitos mesmo. Até os meus 18 anos.


A virada

Tudo mudou quando eu conheci o Nicolas Ghesquière, da Balenciaga. Eu era modelo de prova para ele, aquela que veste a roupa para o estilista tirar a medida. Ele gostou muito de mim e me colocou para abrir o desfile. Imagina o que é isso? Abrir um desfile da Balenciaga. Meninas do mundo inteiro querem isso. O mundo da moda espera para ver a modelo que vai abrir o desfile dele. E ele não me avisou que seria eu. Só no dia, quando fomos formar a fila para entrar, ele falou: “Quem abre é você, Aline. Não te avisei antes para você não ficar nervosa”. Isso foi há quatro anos. Depois disso, fiz editoriais, campanhas, capas de revistas. Há um ano e meio, ele me chamou de novo. Só que dessa vez me avisou e me pediu para descolorir o cabelo. De novo, minha carreira teve um boom.


Seara e Florianópolis

Toda a minha família mora em Seara, inclusive minha irmã. Eu sempre vou no Natal; em agosto; quando tenho duas semanas de férias na agência; e também quando tenho trabalho no Brasil. Sinto muitas saudades da cidade, da minha família, da minha cachorra Lily, que já está com 16 anos, da comida da minha mãe. Amo a lasanha de frango desfiado que ela faz e o bolo de chocolate. Também sou apaixonada por Florianópolis e é lá que vou morar quando minha carreira estiver mais tranquila. Hoje ainda não dá. Minha praia preferida é a praia do Matadeiro, no Sul da Ilha.


Estilo Aline

Eu gosto dos looks inspirados nos anos 1970, aquela coisa hippie chic, e gosto de conforto. Uso muito sapato baixo, mas ponho um salto quando saio para tomar um drinque.


Beleza

Eu tenho uma genética boa. Meu pai é super alto e magro. Eu não tenho tendência para engordar. Mas eu cuido. Me alimento de maneira saudável e malho três vezes por semana.


Viagens

As viagens de trabalho são uma loucura. Recentemente eu sai de Nova York, fui fazer fotos em Los Angeles. De lá fui para Tóquio, onde fiquei uma semana. Depois, para Califórnia, voltei para Nova York para refazer minha mala e vim para o Brasil. Tudo isso em 15 dias. Eu namoro há seis anos e meio e queremos ter filhos. Vamos ter. Mas, desse jeito, não dá. Eu sou muito apegada. Não ia conseguir viajar e deixar meu filho.


Confira um vídeo com Aline Weber falando de sua cidade natal e de Florianópolis


* A repórter viajou a convite do Fashion Rio.

DIÁRIO CATARINENSE


Por

Comentários