02 jun10:55

Movimento “Eu sou a Paz” será realizado em Chapecó

Em conexão com o movimento do Festival Mundial da Paz, que acontece de 6 a 9 de setembro de 2012, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Ruah – Instituto de Desenvolvimento Humano, de Chapecó, desenvolveu um projeto para atuar em sintonia com o movimento de sensibilização das pessoas para o festival, que acontece em todas as cidades do Brasil e em países como Argentina, França e Alemanha, em benefício da Paz Mundial.

Neste sábado, dia 2, a atividade acontece no Ecoparque de Chapecó, a partir das 15h30, com uma dança circular orientada por Adriane Cavalli. O Movimento ‘Eu sou a Paz’ é realizado de forma solidária e voluntária por pessoas de diversas áreas de atuação profissional, crenças e raças variadas. O objetivo é mobilizar a comunidade de Chapecó e de municípios vizinhos através de ações que proporcionem o sentimento e a vivência da Paz, disseminando a ideia e o pensamento da Paz, oportunizando a vivência da sua energia curativa e construtiva em diversas dimensões de consciência, expressão e espaços.

Durante o período de maio até setembro de 2012 serão desenvolvidas, em espaços públicos de Chapecó, atividades divididas em quatro focos de atuação. As atividades irão trabalhar os principais aspectos da consciência humana que necessitam estar em equilíbrio para a manifestação da Paz: Física, Mental, Emocional e Espiritual.

Serão desenvolvidas para a busca do equilíbrio físico, psíquico e energético, integrando o corpo e a mente, a respiração e o movimento: atividades de yoga, tai chi chuan e danças circulares. Para a busca da expressão das ideias e da criatividade, trabalhando o aspecto mental em conexão com o espiritual serão realizados workshop de pintura de mandalas em espaços públicos como escolas e praças, uma maratona fotográfica que irá acompanhar as atividades realizadas resultando em uma exposição fotográfica e workshop de tsurus nas escolas, práticas de meditação, entre outras atividades.


O que é uma dança circular?

Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode dançar em uma Roda. Não é preciso ter experiência anterior em dança, basta ter vontade, querer entrar em contato com a alegria e com a possibilidade da comunhão entre os seres humanos. Dançando, nosso corpo se expressa através do movimento e aquieta a mente. A alegria brota naturalmente e o movimento simples e repetido aproxima as pessoas, promovendo uma integração física, mental, emocional e espiritual. As Danças Circulares promovem uma rápida integração de grupos, reflexões sobre o trabalho em equipe, compreensão sobre conflitos, o despertar da criatividade, a integração dos hemisférios cerebrais, além da ativação corporal.


Por

Comentários