09 jun08:09

Arena Condá sem jogos e sem cobertura

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A melancolia toma conta do estádio Índio Condá, que desde o dia 29 de abril não sedia um jogo, em virtude do impasse jurídico na Série “C” do Campeonato Brasileiro. Para completar o clima “estranho”, a cobertura da ala Oeste foi retirada para reforma.

A Chapecoense até tinha planejado fazer um amistoso no local neste domingo, contra o Concórdia. Mas, como o confronto foi confirmado apenas na quarta-feira e, devido ao feriadão, não foi possível obter os laudos e o policiamento necessário, houve o cancelamento.

O diretor de futebol do clube, Cadu Gaúcho, disse que a intenção é realizar um amistoso em casa na terça ou quarta-feira, para apresentar o novo time à torcida.

– Ainda não jogamos aqui- argumentou.

Para a Série C a Chapecoense contratou nove reforços. E um décimo reforço, o meia Dudu, do Coritiba, depende da confirmação do início da Série C. Os clubes vão processar a Confederação Brasileira de Futebol caso o campeonato não inicie na próxima semana. O presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, também confirmou essa intenção (veja entrevista abaixo).

Cadu Gaúcho participou de uma reunião entre os 20 clubes da Série C, incluindo o Rio Branco e o Santo André. Os clubes encaminharam um pedido à CBF para que inicie a competição e depois resolva judicialmente as pendências como Brasil-RS e o Treze-PB, que buscam as vagas de Santo André e Rio Branco.

Os clubes ameaçam até entrar com liminares paralisando as Séries A e B, por entenderem que a competição é interligada, devido aos acessos e rebaixamentos.

Enquanto isso a prefeitura licitou a obra de reforma da cobertura das sociais, conforme recomendação do Ministério Público. No Campeonato Catarinense o setor chegou a ser interditado por dois jogos, por falta de segurança. Ela só foi liberada depois da colocação de 16 hastes metálicas como reforço. Agora o telhado foi retirado e está sendo consertado pela metalúrgica Modelo, de Modelo-RS. Os trabalhos iniciaram no dia 3 de maio e a conclusão deve ser em 20 de agosto. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura a recolocação da estrutura não vai prejudicar os jogos em casa da Chapecoense pois será feita no intervalo em que o time jogar fora.

A Prefeitura também autorizou a licitação para a troca do gramado do Índio Condá, após a Série C do Campeonato Brasileiro, que termina no dia 4 de novembro. A obra deve demorar 120 dias. O investimento será de R$ 500 mil. Além da grama o projeto prevê sistema de drenagem e irrigação automática.


Pallaoro ameaça: “Se não começar na próxima semana entraremos na justiça”


Diário Catarinense: Como fica a situação da Chapecoense com mais um final de semana sem jogos

Sandro Pallaoro: Estamos só no prejuízo. Nossa perda já está entre R$ 300 mil e R$ 400 mil. Temos as despesas com salários e alimentação, entre outros, e não está entrando nada. Já poderíamos ter sediado dois jogos. Além disso havia a possibilidade de um patrocínio de uma multinacional para a Série C, que pode não se concretizar.


DC: Qual é a posição da Chapecoense em relação a este impasse?

Pallaoro: Vamos esperar até segunda ou terça-feira e se a CBF não tiver uma definição de que o campeonato iniciará no próximo final de semana vamos entrar com uma ação na justiça pedindo indenização por danos morais. Todos os clubes da Série C devem fazer isso e também os da Série D.


DC:Vocês perderam sócios ou patrocinadores?

Pallaoro: Já temos cerca de 800 dos 5,2 mil sócios inadimplentes e esse número deve aumentar, pois não há jogos. Temos 12 placas para serem comercializadas e as empresas pedem para esperar. Outros que já patrocinam estão pressionando. Eu também iria pressionar se estivesse no lugar deles. Além disso temos mais espaço na camisa e não conseguimos fechar.


DC: A troca do gramado prevista para o final do ano pode ser prejudicada?

Pallaoro: Penso que não, pois as rodadas atrasadas seriam feitas no final de semana.

Por

Comentários