20 jun11:39

Segue internado no Hospital o bebê abandonado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Segue internado no Hospital da Criança em Chapecó, o bebê de aproximadamente dois dias, encontrado no final da tarde desta terça-feira no bairro São Cristovão. Ele estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola jogada num terreno baldio, na rua Licínio Córdova.

Quem encontrou o menino foi um garoto de 14 anos. Junior Everton Menegildo faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho ele e os amigos ouviram uma espécie de miado. Ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Ele estava chorando e quando peguei no colo ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ disse que a família duvidou da história. Rosana Sales, mãe de Junior, só se convenceu quando viu a criança no colo do filho.

– Tinha passado pelo local minutos antes e não vi nada de estranho – contou Rosana que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

O bebê, que deu entrada no Hospital no final da tarde desta terça-feira, passa bem e segue internado em observação.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou o caso, assim que o bebê receber alta ele será encaminhado para o Abrigo de Chapecó. A conselheira disse ainda que foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM). A Polícia Civil vai investigar o caso.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê está sob tutela do Abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

No Abrigo de Chapecó estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. outras 90 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 17 famílias acolhedoras da cidade.


Por

Comentários