22 jun20:02

Ato pede mais segurança na BR 282

DARCI DEBONA*

Sirli Freitas/ Agencia RBS

 A foto de Adriana Rodrigues de Oliveira, de 17 anos, estava estampada em vários cartazes no ato público realizado ontem nas margens da BR 282, em Xanxerê. Ela foi uma das três vítimas de dois acidentes ocorridos no domingo, no trecho que da BR 282 que está sendo duplicado. O problema é que as obras estão paradas há oito meses e a sinalização é precária.

Adriana tinha 17 anos e, no domingo pela manhã, acordou às 6h30 de domingo para ir trabalhar. Ela morava no bairro Vista Alegre, um dos cinco bairros que são separados do centro de Xanxerê pela BR 282. Por volta das sete horas de domingo ela foi atravessar a rodovia para ir trabalhar na padaria onde conseguiu seu primeiro emprego, quando foi atingida por uma Santana Quantun placas de Gaspar.

Adriana trabalhava na padaria há oito meses. Era a mais velha de três irmãos. –Eu quero justiça, é uma covardia o que fizeram com ela- disse a mãe, Roseli Rodrigues. –Muita gente está perdendo a vida aqui e ninguém está fazendo nada- completou a irmã.

Além dos familiares, participaram do ato de ontem alunos, professores e funcionários da escola Iracy Tonello, onde Adriana cursava o primeiro ano do Ensino Médio. Eles cobraram melhorias na sinalização e obras de segurança, como a instalação de uma rotatória.

-A comunidade quer mais segurança- disse a diretora da escola, Daiana Dall Bello.

No local há apenas uma passarela. Outras duas passarelas estão sendo construídas, mas não ficaram prontas devido à paralisação da obra.

A dificuldade dos moradores em atravessar a rodovia é visível. Os carros passam em alta velocidade e as pessoas ainda tem que pular uma mureta no meio da pista. Autoridades de Xanxerê já cobaram a conclusão da obra, onde já foram investidos R$ 41 milhões. O Departamento de Infra-estrutura do Transporte (DNIT), garante que estão disponíveis mais R$ 20 milhões para concluir os trabalhos.

O superintendente do DNIT em Santa Catarina, João Santos, informou que empresa responsável pela obra, que é de Curitiba, tem até o dia 12 de julho para reiniciar os trabalhos. Ele afirmou que nas próximas duas semanas o DNIT vai providenciar melhorias na sinalização nos 14 quilômetros da obra.

*Colaborou Sirli Freitas

Por

Comentários