29 jun12:02

Sabores do Oeste: Lombinho a Porto Alegre

Desmistificar e quebrar tabus. Isso é o grande desafio da carne suína. O consumo dessa carne ainda é considerado baixo no Brasil, principalmente, por causa dos mitos.

Antigamente os suínos eram criados em chiqueiros, com pouca higiene e cuidados na alimentação. Mas nos últimos 40 anos, foram realizadas inúmeras melhorias genéticas e tecnológicas, que deixaram a carne suína com 53% menos gordura. Hoje toda a produção passa por controle sanitário, os locais de criação dos animais são limpos e inspecionados e a alimentação dos animais é todo com ração própria para eles. Essas informações são da nutricionista e gerente do Restaurante Superalfa de Chapecó, Patrícia Rewell Garcia.

Segundo ela, no Brasil a carne suína é pouco consumida mas em países da Europa, o consumo é grande. Com relação ao custo, a nutricionista comenta que o preço é considerado mais barato em comparações com as carnes de frango e gado. A nutricionista destaca que é preciso sair do tradicional, não consumir somente o torresmo e os embutidos, tem inúmeras outras formas de preparo.

- A carne suína pode ser assada e cozida, usada até mesmo para recheio e em carne ao molho – explicou.

Patrícia destaca que 70% da gordura na carne suína fica embaixo da pele e é bem fácil para ser retirada. – Só para citar um exemplo, a carne suína, quando a gordura é retirada e a carne é bem preparada ela fica com menos gordura e colesterol até mesmo em comparação com o peito de frango e a coxa sem pele – destacou.

A nutricionista comenta ainda sobre os benefícios da carne suína. Segundo ela, a carne tem proteínas de alto valor biológico, facilmente absorvidas pelo organismo; potássio, selênio, vitaminas do complexo B e ferro.

- A carne suína é muito importante para as crianças, na fase de crescimento, inclusive ela está sendo incorporada a merenda escolar – destacou.

A dica da nutricionista é incluir mais a carne de suíno na alimentação diária. – A única orientação é usar cortes mais magros, retirar a camada de gordura que fica sobre a carne e utilizar temperos naturais para o preparado da carne – enfatizou.


Dicas de temperos para carne suína:

Alecrim, Manjericão, Osmarim, Cebola, Alho.

A orientação é usar pouco sal. Além de não fazer bem à saúde, o sal pode deixar a carne pouco suculenta.

Acompanhamentos para carne suína:

Salada, farofa e frutas diversas.



Receita: Lombinho a Porto Alegre

Ingredientes:

• Uma peça de lombo suíno de aproximadamente 2kg;

• Alho, alecrim, sal à gosto;

• Vinho branco seco – 1 copo (300ml);

• 1 lata de abacaxi em calda;

• Palmito picado 300gr;

• Cereja 200gr;

• Amido de milho- uma colher de sopa


Modo de Fazer:

Tempere o lombo suíno com uma mistura de alho, alecrim e sal (à gosto) e um copo de vinho branco (300ml).

Deixe repousar por aproximadamente 3 horas.

Após devidamente temperado, coloque para assar por aprox. 40 minutos (até atingir um tom dourado).

Fatiar o lombo, colocar em um recipiente e reservar.


Molho:

Coloque a calda do abacaxi em uma panela e deixe ferver por aprox. 10 minutos e então misture o abacaxi, palmito e cereja picados.

Engrosse este molho com uma colher de sopa de amido de milho.

Derrame o molho sobre as fatias do lombo suíno.


Fonte: Relatec Comunicação


Por

Comentários