02 jul12:56

Abraça SC: “O dia em que o Brasil for parecido com Concórdia será um país mais equilibrado, adiantado e justo”

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um dos concordienses mais ilustres, Luiz Fernando Furlan, ex-ministro da Indústria e Comércio do Governo Lula, ex-presidente do Conselho de Administração da Sadia conselheiro da Telefonica, deu uma entrevista para o Diário Catarinense para falar de sua cidade natal.

Diário Catarinense: Quando o senhor era Ministro da Indústria e Comércio declarou que gostaria que o Brasil fosse como Concórdia, gostaria que comentasse sobre essa frase?

Furlan: Santa Catarina está acima da média nacional em muitos indicadores sociais e econômicos e Concórdia também está acima da média em indicadores como emprego e envolvimento da comunidade. Mesmo no interior é possível ter uma boa qualidade de vida. As pessoas que se aposentam tem uma vida digna. Os serviços funcionam. O dia em que o Brasil for parecido com Concórdia será um país mais equilibrado, adiantado e justo.


Diário Catarinense: É perceptível que o senhor tem um carinho especial por Concórdia, que lembranças que a cidade lhe traz?

Furlan: Eu nasci em Concórdia, tem a casa que foi do meu avô e da minha avó, tenho um carinho pela cidade pois ela me traz boas lembranças. Sempre é prazeroso visitá-la. Relembro meus tempos de juventude. A gente vê os efeitos da prosperidade nas pessoas. Tem universidade regional, pessoas preparadas para os empregos, possibilidade de estudar idiomas e inclusão digital. Nossa realidade do Oeste de Santa Catarina é muito boa. Tem seus problemas mas é muito melhor que outras regiões do país.


Diário Catarinense: Seu avô, Attilio Fontana, teve grande influência nesse desenvolvimento, com a criação da Sadia.

Furlan: Ele era um visionário e enxergava muito mais longe que a maioria das pessoas. Ele foi em busca de tecnologia. Seu tripé era o Homem, a Terra e a Técnica. Ele juntou tudo isso e transformou uma pequena empresa numa líder nacional.


DC: O que você espera da cidade, o que gostaria que ela tivesse?

Furlan: Imagino Concórdia cada vez mais parecida com o interior da Europa, com o asfalto chegando até o interior. Espero que as pessoas vão aumentando a qualidade de vida e investindo em produtividade e produtos de mais valor agregado. No mundo inteiro está crescendo o consumo de produtos com certificação de origem, como vinhos, presuntos, produtos orgânicos. Em Concórdia poderiam ser desenvolvidos esses produtos artesanais com denominação de origem.


DC: Voltaria a morar em Concórdia?

Furlan: Meu coração está em Concórdia. Mas passo a maior parte do meu tempo viajando e, por questão de logística, São Paulo é melhor. Além disso é o centro da economia do país. Pretendo passar algum tempo em Concórdia mas quero ficar próximo de onde moram meus pais e meus filhos. Meu pai fará 90 anos no próximo mês e minha mãe tem 88.



Por

Comentários