23 jul08:03

Macaé estraga a festa de Neném

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A tarde que começou com festa no Ìndio Condá, com os 150 jogos de Neném e a estreia do atacante Jô, terminou com decepção e xingamentos pelo empate por 1 a 1 com o Macaé. Com o resultado a Chapecoense caiu para a sétima posição no Grupo B da Série C do Campeonato Brasileiro, com cinco pontos.

Depois de um primeiro tempo pouco inspirado, a Chapecoense conseguiu abrir o placar aos quatro minutos da etapa final, com Eliomar. Mas o lateral Elton estragou a festa numa cobrança de falta, aos 21 minutos, que passou pela zaga e pelo goleiro Rodolpho, igualando o marcador.

Com o resultado tanto o técnico Itamar Schulle balançou pois recebeu críticas da torcida e até de alguns torcedores. Na próxima rodada a Chapecoense enfrenta o Duque de Caxias, no Rio De Janeiro, no sábado.


Entrevista com Neném

“A Chapecoense é parte da minha vida”

O número 150 nas costas foi uma homenagem que a Chapecoense fez a Neném, no jogo de ontem, indicando o número de jogos pelo clube, incluindo 25 amistosos. Neném chegou em Chapecó no final de 2009 e, no ano seguinte, já foi vice-campeão catarinense e conquistou o acesso para a Série C. No ano seguinte ficou um semestre no Joinville mas depois voltou para Chapecó e conquistou o Campeonato Catarinense de 2011. Um pouco abatido após o jogo, onde chegou a ser substituído no segundo tempo, ele concedeu a seguinte entrevista:


Diário Catarinense: Neném, a festa dos teus 150 jogos acabou sendo incompleta?

Neném: Não foi o que nós queríamos. Esperava comemorar com uma vitória.Até conseguimos fazer o gol mas eles empataram de bola parada. O negócio agora é trabalhar.


Diário Catarinense: O que está faltando no time?

Neném: Nosso time sempre teve uma postura de marcação forte e acho que precisamos acertar isso novamente. Precisamos conversar. Tem que dar uma chacoalhada pois viemos de dois resultados negativos.


DC: O que representa esses 150 jogos pela Chapecoense?

Neném: É uma história. Uma parte da minha vida está na Chapecoense, onde estou há três anos e pouco. Me motiva defender essa camisa. Às vezes o resultado não sai como a gente espera mas fico feliz pelas conquistas que tive aqui.

Por

Comentários