17 ago13:34

Novo "Vingador do Futuro", que estreia nesta sexta, tem Jessica Biel em destaque

Embora não seja uma total viciada em adrenalina, a atriz Jessica Biel gosta de um pouco de ação na sua vida. Paralelamente a filmes dramáticos como O Ilusionista (The Illusionist) e Bons Costumes (Easy Virtue), a filmografia de Biel é recheada de papéis de ação, da refilmagem de O Massacre da Serra Elétrica (The Texas Chainsaw Massacre) e Blade: Trinity e Ameaça Invisível (Stealth) à sua recente participação em Esquadrão Classe A (The A-Team). E agora ela volta à ativa com um papel fisicamente exigente em O Vingador do Futuro (Total Recall), um drama de ação futurista de alta intensidade a ser lançado neste verão norte-americano.

O novo filme é baseado no conto de Philip K. Dick, We Can Remember It For You Wholesale, que também inspirou o filme O Vingador do Futuro (Total Recall) de 1990, dirigido pelo cineasta holandês Paul Verhoeven, com Arnold Schwarzenegger no papel principal.

>> Confira a programação completa do Cinema Arcoplex Shopping Pátio Chapecó

Você tem algumas cenas de ação no filme, incluindo uma grande cena de luta com a personagem de Kate Beckinsale. Houve algum contratempo durante essas cenas?

Jessica Biel – Houve alguns contratempos. Acho que a Kate e eu não tivemos nenhum, felizmente. E eu também não tive nenhum contratempo com o Colin, porque nós nunca lutamos um contra o outro. Com relação às cenas arriscadas, eu fiz tudo o que o Len me deixava fazer, e eu ficava pronta, equipada com todos os arreios, cercando a câmera e dizendo: “Eu estou pronta! Estou aqui!” Eu fiz quase tudo o que eu podia nas cenas arriscadas, com exceção de algumas poucas coisas. Eles contrataram uma dublê incrível e ela me ensinou tudo e me ajudou a aprender. O nome dela é Janene Carleton e é simplesmente a melhor. Eu nunca me machuquei. Eles são muito cuidadosos e fico grata por isso porque eu acho que você pode facilmente perder o controle e se atirar naquilo, dando socos e pontapés para todo lado. E você pode machucar alguém seriamente.


Você, evidentemente, gosta de papéis físicos…

Jessica – Eu me sinto muito à vontade. É raro uma mulher ter a oportunidade de usar o corpo do modo como podemos usá-lo nesses tipos de filme. Não é todo dia que eu faço esse tipo de coisa, mas eu acho realmente gratificante. É incrível; a gente aprende muito sobre diversas artes marciais, ou pugilismo, ou seja o que for. É ótimo.


Há algum elemento futurista do filme que você gostaria de ter na sua vida atualmente?

Jessica – Eu não me importaria de ter um carro voador. Tem também uma arma muito legal que o Colin usa que dispara umas pernas loucas com as quais prendemos as pessoas!


Você segue um programa de fitness e alguma dieta especial, ou modifica isso de acordo com cada filme diferente?

Jessica – Eu estou constantemente modificando e mudando tudo isso para cada filme que faço e paro quando não estou trabalhando. É muito intenso quando estamos trabalhando, não só nos mantermos em boa forma física, mas sermos capazes de manter a nossa energia durante 15 horas requer um tipo de dieta particular. Se você experimenta picos nos níveis de açúcar e ingere pães demais, isso cria uma sobrecarga e você se sente exausta. Isso é o que mais me preocupa. Eu modifico constantemente a minha dieta quando não estou trabalhando. Eu posso não frequentar a academia regularmente. Posso ir a uma aula de ioga todos os dias, ou dar uma corrida, ou fazer uma aula de balé. Você sabe, é bom simplesmente variar para que não vire um tédio.


Você se lembra de algum momento revelador que deflagrou o seu interesse pela carreira artística?

Jessica – Começou desde que eu era pequena, mas eu me lembro de dizer à minha mãe que eu queria fazer aulas de voz quando eu a acompanhava às aulas de voz que ela fazia. Eu dizia: “Eu quero fazer isso”. Então, ela me deu aulas de voz, e depois vieram colônias de férias de teatro, e depois cursos de teatro e daí vieram as produções de televisão e depois, os filmes. Eu continuei e nunca mais parei desde então. Aquele momento talvez tenha sido uma revelação divina, só que para a carreira errada!


DIÁRIO CATARINENSE



Por

Comentários