21 ago17:58

Iogurte de beterraba com limão desenvolvido em Chapecó concorre a prêmio nacional

Ideias criativas aliadas ao conhecimento técnico necessário fizeram com que cinco projetos desenvolvidos por alunos e docentes do SENAI de Santa Catarina, entidade que integra o Sistema FIESC, fossem selecionados para participar da etapa nacional da mostra Inova SENAI. O evento vai reunir os 50 melhores projetos do país no dia 12 de novembro, em São Paulo, e tem como objetivo promover a busca de melhorias e novos negócios para a indústria. Na última edição do evento, em 2010, projetos catarinenses ficam em segundo na categoria docente-processo inovador e em terceiro na categoria alunos – processo inovador.

Dos projetos selecionados, três são do oeste de Santa Catarina e voltados para a área de alimentos. A equipe composta pelas alunas Creciana Endres, Marli Viot Fabricio e Maryelen Souza e pela professora Juliana Savio, da Chapecó, criaram um produto nutritivo e, ao mesmo tempo, que agrada ao paladar das crianças. O projeto do iogurte de beterraba com limão foi vencedora da categoria aluno da etapa catarinense da mostra Inova SENAI, realizada no ano passado.

Também vem do SENAI em Chapecó o queijo Petit Suisse, que foi elaborado a partir de proteínas do soro do leite. As alunas Débora Franc, Fernanda Andolfatto e Joana Alberti, também orientadas pela professora Juliana Savio, conseguiram aproveitar um subproduto do leite que antes era de pouca utilidade para a indústria.

Já a classificadora de frutas acoplável, projeto do docente Mauro Heimfarth, do SENAI em Luzerna, vai agregar valor e a reduzir desperdício nas lavouras de frutas. Acoplável a um trator, o equipamento ajuda a separar as frutas por tamanho, já na colheita, e com isso os agricultores poderão vender as frutas já classificadas a um valor maior. A inovação já despertou o interesse de uma empresa local, que deseja lançar o produto no mercado.

Santa Catarina também será representada na mostra Inova SENAI com projetos na área de automação e eletrônica, desenvolvidos na unidade de Florianópolis. O equipamento “espectrofotômetro portátil” chama a atenção por mesclar a praticidade e custo reduzido dos fotômetros de campo (menores) com a precisão avançada dos espectrofotômetros ópticos. A máquina é usada para medir a concentração de substâncias dissolvidas em líquidos e permite análises químicas e biológicas. Além de ser único no mercado nacional, o equipamento ainda custa menos que os semelhantes existentes. O projeto foi desenvolvido em parceria com uma empresa, que poderá explorar um novo mercado.

Outra parceria com a indústria resultou na criação da Máquina Automatizada para Inserção do “Water bag”. O equipamento permite inserir películas plásticas no interior de bombonas de água mineral. Com isso, as envasadoras vão conseguir garantir uma melhor qualidade dos produtos, uma vez que o líquido não entra em contato com possíveis bombonas contaminadas. Além disso, no futuro poderá ajudar a reduzir custos com trocas dos vasilhames, que atualmente possuem prazo de validade.


Por

Comentários