21 ago09:19

Televisão vira principal palanque eleitoral a partir desta terça-feira

Natália Viana | natalia.viana@diario.com.br

A campanha só esquenta com o início do horário eleitoral no rádio e na televisão. A frase é repetida por candidatos, presidentes de partidos e especialistas para explicar o tom morno da disputa até agora. Por isso, partir de hoje, as atenções se voltam para os programas que irão apresentar os candidatos e suas propostas. Por maior que tenha sido o crescimento da internet nos últimos anos, é inegável o alcance que o rádio e a TV ainda mantêm.

Segundo o Censo 2010 do IBGE, em quase 98% das casas catarinenses existe pelo menos um aparelho de TV. O número de rádios é um pouco menor, mas não menos expressivo:está presente em quase 89% das residências. Para o professor de Marketing, Planejamento e Pesquisa de Mercado da Estácio de Sá, Paulo Pedroso, a propaganda na TV tem muita força porque atinge todas as camadas.

Com o objetivo de conquistar os eleitores, as candidaturas apostam em programas com impacto visual, com muita trilha sonora e imagens externas. Segundo Pedroso, não existe mais espaço para amadorismo na propaganda política. Mas ele ressalva que não basta investir somente na embalagem: é preciso valorizar, principalmente, o conteúdo.

— Acredito que o eleitor está querendo ver propostas concretas, que possam ser realizadas. Está cansado de promessas e quer projetos que interfiram na sua vida, desde o atendimento básico na saúde, até planos mais macros, de desenvolvimento municipal.

Os programas vão ao ar até 4 de outubro, de segunda a sábado, alternando candidatos a prefeito e a vereador. Hoje, estreiam os concorrentes às câmaras. Nesta quarta-feira, os candidatos a prefeito começam a aparecer na telinha.

DIÁRIO CATARINENSE



Por

Comentários