12 set14:43

Adolescente é apreendido pela nona vez só este ano em Chapecó

Guilherme Lira | guilherme.lira@diario.com.br

Pela nona vez, só este ano, um adolescente foi apreendido em Chapecó. O número impressiona, principalmente quando observadas as datas: só em maio, no dia 23 com maconha e dinheiro e no dia 24 pelo mesmo motivo. Ao todo, o adolescente tem 13 passagens pela polícia.

Nesta terça-feira, o rapaz de 15 anos, foi detido por homicídio. Ele e um outro adolescente, de 14 anos, que também já tem passagem—oito ao todo— teriam sido responsáveis pela morte de Gilmar Júnior Stanichuk, 20 anos, na noite desta terça-feira, no bairro Passo dos Fortes. Este ano, os dois chegaram a ser pegos juntos, no dia 23 de julho, com um carro furtado.

Stanichuk também já tinha passagem pela polícia, inclusive, por tráfico de drogas. A polícia acredita que o homicídio tenha sido um acerto de contas entre a vítima e os adolescentes. Os dois foram encaminhados para a 2ª Delegacia de Polícia, onde passaram a noite. Nesta manhã, eles foram encaminhados para o Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep), onde irão aguardar a decisão do juiz.

De acordo com a Polícia Militar de Chapecó, este crime retrata uma realidade da região. Primeiro, pela situação desses adolescentes que são apreendidos após alguma infração, mas acabam voltando para as ruas e, segundo, pelas circunstâncias do homicídio. Segundo a PM, muitas das mortes são causadas por brigas ou acertos de conta.

Sobre os adolescente que, mesmo com tantas passagens, seguem nas ruas, a PM explica que tem feito o seu trabalho de pegar esses criminosos e que a partir daí, não tem mais o que fazer. Os policiais acreditam que o judiciário também cumpre a sua função, mas por uma série de burocracias que vão desde a falta de vagas até a própria legislação, não há o que fazer além de liberar os infratores.

Acerto de contas

A PM foi acionada por volta das 22h desta terça-feira, por uma mulher que disse ter ouvido disparos de arma de fogo. Quando chegaram, os policiais encontraram Stanichuk caído no chão. Ele chegou a ser socorrido e levado para o hospital regional do Oeste, mas não resistiu.

Em rondas pelo bairro, a PM encontrou o adolescente de 15 anos, que confessou ter atirado na vítima, além de indicar a casa do outro adolescente, de 14 anos, onde os policiais encontraram a arma usada no crime, um revolver Taurus, calibre 38. Ele estava na casinha do cachorro. Na delegacia, os adolescentes alegaram que vinham sendo ameaçados pela vítima.

DIÁRIO CATARINENSE

Por

Um Comentário »

  • Gilmar disse:

    Sou a favor da maioridade penal a partir dos 12 anos…. com 12 anos já sabe muito bem o que é certo ou errado. Acredito que deva existir estatuto para proteger as crianças e adolecentes de abusos, mas dão devemos deixar que este estatuto seja a “proteção” destes jovens para cometer delitos. Já ouvi muitas histórias de adolecentes que aprontam feio para os pais e quando os pais tentam corrigir os filhos já vem com a alegação: “sou de menor…”, “vou chamar o conselho tutelar…”….

Comentários