13 set18:21

Zilli o pêssego catarinense

A história iniciou há 12 anos, quando a Família de Agenor Zilli, que vive em Linha Pratinha, interior de Descanso, percebeu na propriedade, o desenvolvimento de um pé de pêssego distinto. Em uma plantação surgiu um ramo diferente. Mas a família não dava importância, tanto que com o tempo os frutos até apodreciam.

Certo dia despertou a curiosidade em Zilli. Ao colher os frutos, percebeu que se tratava de uma fruta amarela, com o filete branco, bonita e saborosa. Iniciou então o investimento na nova variedade.

O pesquisador da Epagri de Videira, Marco Antônio Dal’bó, um dos primeiros a acompanhar o desenvolvimento da planta, conta que até o momento não existia registros desta variedade de pêssego, em nenhum outro lugar do mundo, porém a poucos dias, a variedade foi registrada como Pêssego Zilli. Quanto às questões mercadológicas e à aceitação do produto, o pesquisador é cauteloso, contudo demonstra certo otimismo em função da qualidade.

- Em termos de mercado não sabemos ao certo o que isso pode gerar. Se será aceito ou não pelo consumidor – disse Marco.

Segundo o pesquisador o que ocorreu na propriedade de Zilli, foi uma mutação genética, algo considerado raro na natureza. Em geral, as mutações podem ser causadas por erros de cópia do material genético durante a divisão celular, ou ainda podem se dar em outras circunstâncias.

São cerca de 1,1 mil pés do pêssego na propriedade da família. O início da safra está prevista para o início de novembro.


Por

Comentários