17 set09:02

Chapecó recebe Escola da Construção Civil do Senai

O Sistema FIESC inaugura nesta terça-feira, dia 18, a Escola da Construção Civil do SENAI em Chapecó. Em 296 metros quadrados, a Escola tem capacidade de atendimento de cerca de 90 alunos por dia, sendo 30 por turno. A solenidade será realizada às 14h30, no SENAI (em Chapecó, rua Frei Bruno, 201 E – Bairro Jardim América).

Esta é a nona unidade da instituição focada no atendimento ao setor da construção civil em Santa Catarina. Existem mais quatro unidades fixas, localizadas em Balneário Camboriú, Blumenau, Joinville e Criciúma, e quatro móveis, que entraram em operação no início do ano. Outras duas unidades fixas (em Itajaí e Palhoça) estão com obras em andamento.

As atividades na escola de Chapecó já se iniciaram ainda antes da inauguração oficial. Estão em andamento três turmas do curso de mestre de obras (área de gestão), com cerca de 25 alunos cada; duas turmas do curso de eletricista predial, com cerca de 15 alunos cada, e uma turma do curso de Aprendizagem Industrial em Oficial da Construção Civil, com 30 alunos.

Para o ano que vem, já estão programados cursos de qualificação e aperfeiçoamento, como mestre de obras, pedreiro, instalador hidráulico, eletricista predial, desenhista da construção civil e mais duas turmas do curso de aprendizagem em oficial da construção civil. O SENAI em Chapecó também está trabalhando no projeto do curso técnico em edificações. Além das novas instalações, os cursos voltados à construção civil ocupam os demais laboratórios da unidade, como os de eletricidade e de informática.

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção e de Artefatos de Concreto Armado do Oeste de Santa Catarina (Sinduscon), Lenoir Broch, a escola civil beneficiará diretamente 5,5 mil trabalhadores, além daqueles que atuam na informalidade. A partir de conversas com funcionários de sua própria construtora, o empresário observa uma mudança no comportamento dos profissionais que realizam algum curso profissionalizante.

- Eles debatem os temas relacionados ao trabalho com mais propriedade, adquirem segurança, inclusive para conversar – explica.

Broch constata ainda uma mudança na visão dos funcionários no que diz respeito ao emprego.

- Eles percebem que a relação de trabalho não apenas uma questão de tempo trabalhado versus salário, mas também de tarefas bem executadas, de entrega de produtos bem acabados. O profissional formado nos cursos valoriza mais o resultado do trabalho que faz – salienta o presidente do Sinduscon Oeste, cuja base alcança 20 municípios entre Xaxim, Pinhalzinho, Palmitos e São Lourenço do Oeste e incluindo Chapecó, região que, segundo Broch, totaliza cerca de 500 construtoras.


Por

Comentários