18 set17:39

Vereadores instauram CPI para investigar denúncias de improbidade em São Carlos

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Foi aprovada, por unanimidade, na noite da segunda-feira, dia 17, na Câmara de Vereadores de São Carlos a instauração de uma CPI para investigar denúncias administrativas apresentadas contra o prefeito Elio Godoy. Os vereadores solicitaram também o afastamento do prefeito do cargo, que se manteve por meio de liminar.

Ainda no final da tarde da segunda o assessor jurídico da prefeitura, Valdir Ruver, encaminhou um mandado de segurança preventivo para a justiça.

No início da tarde desta terça-feira a juíza Lisandra Pinto de Souza da comarca de São Carlos, concedeu uma liminar garantindo a permanência do prefeito no cargo. Agora os vereadores têm um prazo de até 10 dias para recorrer da decisão. Dos nove vereadores, cinco votaram a favor do afastamento, três contra e o presidente da Câmara não votou.

A instauração da CPI foi aprovada por unanimidade e uma comissão de cinco vereadores vai investigar o caso. O comitê seria formado na reunião desta terça, mas foi cancelada. Os vereadores devem se reunir no dia 24 de setembro.

O prefeito será investigado após a divulgação de um vídeo gravado pelo empresário Sandro Willinghoefer, que mostraria o possível pagamento de propina. O advogado do empresário, Vilson Gerhard, disse que essa seria uma condição para que o contrato de prestação de serviços fosse mantido.

Já o assessor jurídico do prefeito, Valdir Ruver, alega que a gravação mostraria o recebimento da devolução da parcela de um empréstimo.

Segundo o promotor José Orlando Lara Dias, um procedimento foi instaurado para coletar provas, documentos e algumas pessoas ouvidas. Esse procedimento deve encerrar no dia 13 de outubro, que é o prazo máximo de 90 dias para a conclusão do procedimento.

- Pretendo concluir antes, mas não sei se será antes das eleições – disse o promotor.

Para identificar se houve crime ou não uma cópia da gravação e das documentações foram encaminhadas para o procurador geral de justiça em Florianópolis.


Por

Comentários