24 set19:19

A felicidade que nos visita todos os dias

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

É final de tarde e da minha mesa vejo o céu, normalmente azul, adotar tons avermelhados. É uma bola de fogo que mesmo estando a 150 milhões de quilômetros consegue colorir a paisagem que vejo da sala onde trabalho.


Entardecer em Chapecó, pelas lentes de Sirli Freitas


Paro alguns segundos de escrever e de conferir emails para apreciar o espetáculo que a natureza nos oferece, todos os dias. Mesmo assim nenhum final de tarde é igual ao outro. Alguns são mais amarelados, outros mais avermelhados. As nuvens estão em posições diferentes dando novos traços que são pintados no céu. Mas essa pintura é efêmera. Dura apenas alguns minutos, alguns segundos.

Mas o suficiente para trazer uma alegria interna, de perceber que o mundo que nos cerca é maravilhoso. É prova da perfeição da natureza que todos os dias cumpre seu ciclo.

No horizonte, nem parece que o Sol é 333 mil vezes maior do que a massa da Terra. Ele vai desaparecendo lentamente, como se estivesse sendo engolido pela terra, no primeiro morro que fica atrás da cidade.

Dá a impressão que, se pegarmos um carro, em 20 a 30 quilômetros poderemos observar onde ele desceu. É uma ilusão causada pelos nossos olhos e nossa mente. Assim como às vezes eles nos iludem, fazendo-nos imaginar que a felicidade está em coisas distantes. A felicidade geralmente está na nossa casa, no nosso quintal. Ela nos visita na nossa janela. Só que, às vezes não a vemos, como um por do sol que não é visto quando o tempo está nublado.

Por

Comentários