01 out14:47

Gral comanda a vitória da Chapecoense

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Em sua segunda partida pela Chapecoense Rodrigo Gral foi o comandante do time na vitória por 3 a 1 sobre o Duque de Caxias, no domingo, dia 30, no Índio Condá. Com o resultado o time do Oeste chegou à vice-liderança do Grupo B, com 23 pontos, ultrapassando o time carioca, que tem 22.

Com Rodrigo Gral em campo a Chapecoense parece ganhar uma força extra. Se no primeiro jogo contra o Caxias ele participou dos dois primeiros gols, ontem ele fez o primeiro gol num jogo oficial com a camisa verde e branca. Logo aos seis minutos, Neném recebeu na direita e cruzou para a área. Gral apareceu no meio dos zagueiros grandalhões e cabeceou forte para dentro do gol. Ele saiu batendo no peito e gritando para os torcedores atrás do gol da Ala Sul: -Eu sou chapecoense- em referência à terra onde nasceu, antes de fazer sucesso em clubes como Grêmio e Flamengo.

A torcida respondeu: – Uh,terror, o Rodrigo é matador.

Gral pegou uma bandeira com o símbolo do clube que tinha escondido na caneleira e comemorou com os companheiros. O atacante ainda passou pela frente das sociais e cadeiras, vibrando muito. Afinal, ele estava realizando o sonho de marcar um gol pelo time do coração, onde há mais de 20 anos estava do outro lado da cerca, na arquibancada, torcendo.

Foi por isso que Gral decidiu voltar para Chapecó, depois de uma temporada no futebol asiático do Barein. Mesmo sem a faixa de capitão, Gral virou o comandante do ataque. Ele orientava Jô como fazer a melhor jogada, tabelava com Athos e Neném. Voltava para marcar e dar combate. E movimentava-se para livrar-se dos zagueiros. Num cruzamento de Rafael Lima que Athos deixou passar, Gral quase marcou o segundo, mas a bola subiu uns 30 centímetros a mais do que o esperado.

Aos 42 minutos, na cobrança de escanteio de Athos, Gral atrapalhou o goleiro. André Paulino aproveitou e fez o segundo, de cabeça.

O Duque de Caxias ainda voltou melhor no segundo tempo e descontou, aos cinco minutos. Rodrigo Gral já estava sem a mesma condição física. Por isso, aos oito minutos do segundo tempo, ele foi substituído, como tinha ocorrido no jogo contra o Caxias. A partir daí a Chapecoense virou um time com menos brilho. Mesmo assim, seu substituto, Henrique, que fazia sua estreia, conseguiu fazer um gol, aos 33 minutos do segundo tempo.

Nos dois jogos em que Rodrigo Gral atuou, a Chapecoense fez sete gols. Um a menos dos que os gols marcados nas outras 12 partidas. Gral sabe fazer gols, orienta o time, e faz a Chapecoense ser mais perigosa no ataque. Como a defesa já era boa, a Chapecoense dá mostras que tem força para buscar uma vaga na Série B de 2013.


Como é fazer o primeiro gol pelo time da sua terra natal?

Gral: Bom demais, ainda não caiu a ficha.


E o símbolo da Chapecoense que você pegou na comemoração?

Gral: É uma bandeira da Chapecoense. Todo mundo sabe que sou chapecoense. Vou levar ela comigo até o acesso à Série B.


Em apenas dois jogos você este bem entrosado e o time tem rendido bem?

Gral: Pena que ainda não consegui completar um jogo, mas estou feliz. O gol é consequência do trabalho de todo o grupo, criamos bastante, a torcida está comparecendo e a cidade está vivendo esse clima de Série C.


Por

Comentários