27 nov20:09

Morte de Chiarello completa um ano

Darci Debona|darci.debona@diario.com.br

A morte do vereador Marcelino Chiarello completa um ano nesta quarta-feira e ainda não foi esclarecido se houve suicídio ou homicídio. Para marcar a data acontece uma celebração, às 10h30, na Escola Pedro Maciel, em Chapecó, onde o vereador dava aulas de Filosofia. Às 17h30 acontece outro ato, em frente à Câmara Municipal de Vereadores.

Depois de três meses de investigação a Polícia Civil de Chapecó encerrou o inquérito de forma inconclusiva, principalmente devido a laudos contraditórios do Instituto Geral de Perícias.  Em virtude da comoção que o caso causou na cidade, o Ministério Público decidiu dar prosseguimento às investigações. Para isso pediu auxílio para a Polícia Federal. Em julho o corpo foi exumado e mandado para nova perícia no Centro Médico Legal da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto-SP.

O delegado da Polícia Federal, Oscar Biffi, disse que solicitou uma prorrogação por 30 dias para a conclusão dos exames, que vence na próxima semana. Ele deve pedir nova prorrogação.

O Ministério Público informou que não vai se manifestar enquanto não receber as informações da Polícia Federal.

A viúva de Chiarello, Dione Chiarello, afirmou que vai participar dos atos desta quarta  mas prefere não dar entrevista. Mesmo assim, durante a conversa, desabafou:

- É um ano de indignação, perdi um marido, um pai de família, a gente quer justiça – declarou.

Para o advogado da família, Sérgio Martins de Quadros, o caso é de homicídio.

Por

Comentários