05 dez08:46

Estiagem se alastra em Santa Catarina

Darci Debona* | darci.debona@diario.com.br

Vem chegando o verão e os 17 mil moradores de Seara novamente estão sofrendo com a falta de água. O município é um dos oito em Santa Catarina que decretou situação de emergência em virtude da estiagem. Desde o início da semana três caminhões-pipa estão transportando cerca de um milhão de litros por dia, que são captados no Rio Uvá, em Itá, distante 18 quilômetros da cidade. Cada caminhão, com capacidade para 35 mil litros, faz entre oito e dez viagens por dia. Eles foram contratados pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) a um custo de R$ 8 mil por dia.

Eles despejam a água na barragem de captação no rio Caçador, que está com apenas 20 a 25% da vazão normal. Os moradores da área urbana estão recebendo água somente 12 horas por dia, em forma de rodízio entre centro e bairros. Mesmo assim cerca de 50 famílias das partes mais altas precisam receber água por um caminhão-pipa do município, que entrega 80 mil litros de água por dia. Mais dois caminhões da Prefeitura e dois tratores levam 150 mil a 170 mil litros para 20 propriedades do interior.

De acordo com o diretor de urbanismo e membro da Defesa Civil de Seara, Fábio Stocco, a cidade tem um problema histórico de falta de água que era para ser resolvido com a construção de um poço profundo, inaugurado em 2009.

No entanto o poço enfrentou vários problemas desde a sua construção, com substituição da empresa vencedora da licitação e, após a inauguração, uma bomba que ficou emperrada dentro do poço. No início do ano a cidade teve que ser abastecida por caminhões pipa durante 45 dias. A bomba foi retirada e consertada mas, há duas semanas, voltou a apresentar problemas.

O chefe da agência da Casan no município, Carlos Pressoni Filho, disse que na quarta-feira técnicos da estatal estarão no município para fazer uma avaliação e providenciar a troca do equipamento.

Seara consome diariamente 1,6 milhão de litros de água, subindo para dois milhões nos finais de semana. Isso representa 15 horas de vazão do poço por dia.

A estiagem está concentrada principalmente no Meio Oeste, e Alto Uruguai Catarinense. A previsão para os próximos três meses para Santa Catarina é de chuvas próximo do normal ou abaixo do normal. Não há registros de fenômenos como o La Niña, resfriamento das águas do Oceano Pacífico, que contribuiu com a estiagem do verão passado.


Oito cidades decretaram emergência:

Peritiba

Presidente Castello Branco

Piratuba

Ipira

Jaborá

Irani

Herval d’Oeste

Seara



*Colaborou Juliano Zanotelli




Por

Comentários