12 ago14:55

Chapa única mas sem consenso

Em Caibi apesar de ter uma chapa única para prefeito e vice, não houve consenso. O atual vice-prefeito, Dilair Menin (PT), desta vez vai concorrer na cabeça de chapa. E o PMDB, do atual prefeito Adilar Carlesso, indicou o vice, Elói Líbano (PMDB).

A chapa tem ainda o apoio do PSD. No entanto o PP, não lançou candidato, mas também não apoiou Menin. –

-Eles não nos procuraram e nós não procuramos eles- afirmou o presidente do PMDB, Sidinei Bellé.

A coligação terá 13 candidatos, sendo oito do PMDB, quatro do PT e um do PSD. Já o PP terá cinco candidatos ao legislativo. Eles disputam os 4.845 votos.

Comente aqui
12 ago14:53

Consenso pelo segundo ano- Houve apenas inversão de partidos na majoritária

Emancipado há apenas 20 anos, pela segunda eleição municipal consecutiva Jardinópolis terá apenas um candidato a prefeito.  A cidade é uma das oito em Santa Catarina com apenas um postulante ao executivo.

O agricultor Sadi Gomes Ferreira (PMDB), 36 anos, vai disputar sozinho os 1469 votos. Quer dizer, ele e seu vice, Alderi Nadaletti, que é do PP.  A diferença em relação à eleição passada é que o PP, deixa a cabeça de chapa para ser vice e, o PMDB, que era vice, vira cabeça de chapa. Os dois partidos já foram coligados há três eleições, quando Sadi foi eleito prefeito, para o mandato de 2005 e 2008. Em 2008 houve o consenso e agora, novamente, com o apoio do PT, PSD e PSDB.

Ferreira disse que  não foi difícil manter o consenso. –Foi tranquilo pois o PP já era prefeito e abriu mão para o PMDB- explicou. Na avaliação do candidato, a união dos partidos, dá menos brigas e gastos. Além disso fica mais fácil buscar recursos estaduais e federais.

Nadaletti lembrou que na primeira eleição em Jardinópolis houve uma disputa acirrada que refletiu negativamente na comunidade. –Quem era de um partido não ia compra no comércio- lembrou.

Para ele, num município pequeno, o consenso é  o melhor. Mas não é porque eles não têm adversários que deixam de fazer campanha. A dupla pretende visitar todos os moradores e tem até material de campanha.

Mesmo que seja necessário apenas um voto para ser eleito, a meta é superar os 70% de aprovação. A maioria da população aprova a chapa única. –É mais calmo- dizem algumas moradoras.  O aposentado Generino Picoli, de 74 anos, também aprova o consenso. –Dá menos gasto e menos bagunça, é 100%- aprovou. Mas ele admite que algumas pessoas na cidade são contra. –Era só o que faltava- contou, sobre a reação contrária de um morador.

Para o diarista Norberto Klasmann, com a chapa única dá menos briga na cidade. –Não gera conflito, é bem melhor- afirmou a servidora Marli Bez. O professor de Educação Física Christian Marmentini, disse que o consenso é melhor para o crescimento da cidade.

Sadi Ferreira disse que a cidade já é quase toda pavimentada. Sua meta para o próximo mandato é atrair indústrias e incentivar a agricultura, que ainda é base da economia local.

Além da chapa única para prefeito, há apenas uma chapa para vereador, com 18 candidatos, para nove vagas. O PMDB tem sete candidatos, PP, com seis candidatos, PT, com três candidatos, PSDB e PSD com um candidato cada.


Comente aqui
12 ago14:42

Eliomar comemora recuperação de Sophia

Um dos pais mais felizes neste domingo certamente é o jogador Eliomar, da Chapecoense. Ao entrar em campo contra o Oeste, a partir das 15h30, no Índio Condá, ele vai dedicar toda a sua energia para fazer um gol e homenagear a filha,  Sophia Loren dos Santos Silva, que completa um mês e 17 dias.

Pela primeira vez ele está vivendo a emoção de ser pai. –É uma felicidade enorme, estou adorando- disse o jogador, em entrevista ao Diário Catarinense, em seu apartamento, enquanto segurava a filha.

A felicidade de Eliomar é mais intensa pelo drama familiar que viveu. Sua filha nasceu prematura, com 35 semanas e passou 27 dias internada o hospital. O parto foi às pressas. Andressa, mulher de Eliomar, teve uma complicação na gravidez que provoca pressão alta e convulsões, entre outros sintomas. O parto foi de risco. Sophia nasceu com 1,950 quilo.

-Eu não tinha ânimo pra nada, saía do treino e ia direto para o hospital- lembrou Eliomar, sobe os primeiros dias. Depois de 15 dias, quando tudo parecia bem, Sophia teve uma crise de apnéia, que é a suspensão da respiração durante o sono, e teve que ser levada para a UTI.

-Quando me ligaram eu entrei em desespero mas não podia transparecer isso para a mãe- explicou Eliomar. Ele ficou oito dias sem treinar e dois jogos fora.

O grupo da Chapecoense e familiares do jogador deram apoio ao atleta, inclusive com orações antes dos treinos. –A gente sofreu bastante- disse Eliomar.

No primeiro dia em que a filha saiu do hospital, o pai finalmente pôde pegá-la nos braços. Ele passou a noite sem dormir. E mesmo depois, ele continuou acordando a cada suspiro da filha. Ela consultou nesta semana e está bem de saúde. Já está com 2,950 quilos conta o pai, orgulhoso e aliviado. A melhora na saúde de Sophia refletiu em gols pela Chapecoense. Eliomar já fez três e o bom desempenho lhe rendeu até uma proposta do Altético Goianiense, que foi recusada.

Neste domingo, se Eliomar marcar um gol, vai pedir que seu pai seja compreensivo. –Antes os gols eram pra ele mas, como hoje eu sou pai, a homenagem é para Sophia.

Comente aqui
11 ago14:39

Schulle deve repetir time neste domingo

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Pela primeira vez em 2012 o técnico Itamar Schulle vai poder repetir o time em duas partidas seguidas, neste domingo, às 15h30, contra o Oeste, no Ìndio Condá. A equipe que sai jogando deve ser a mesma que começou  o confronto contra o Brasiliense, no sábado passado.

Para o volante Paulinho Dias isso é muito importante para um bom desempenho da equipe. A Chapecoense está em quarto no grupo, com nove pontos, e pode ultrapassar o Oeste, que tem 10.

-É o jogo da confirmação- disse Dias.

Para o meia Athos a vitória ajuda o time a buscar uma pontuação boa no primeiro turno, o que daria mais tranquilidade na busca por uma das quatro vaga para a segunda-fase. Para este jogo ele vai ter um reforço importante na arquibancada. É o filho Mateus, de seis anos, que pela primeira vez vai assistir o pai nessa Série C. –Ele é pé quente- adiantou o pai.


FICHA TÉCNICA


CHAPECOENSE


Nivaldo


Fabiano

Souza

André Paulino

Eliomar


Paulinho Dias

Wanderson

Athos

Willian



Técnico: Itamar Schulle


OESTE

Jaílson


Dedê

Eduardo Luiz

Dezinho

Dênis


Hudson

Ricardo Oliveira

Paulo Vitor

Samuel


Wanderson

Serginho


Técnico: Renan Freitas


Horário: 15h30

Arbitragem: Wagner Reway, auxiliado por Alexandre Kleiniche e João Monteiro de Souza Jr

Local: Estário Índio Condá, em Chapecó

Ingressos: R$ 15 (estudantes, aposentados e crianças entre 8 e 12 anos) R$ 30 (Geral). R$ 40 (Social) e R$ 50 (Cadeiras). Venda antecipada no Palácio dos Esportes, Maidana Esportes, Posto de Marco e Sensação do Mate no Shopping Pátio Chapecó.

Comente aqui
02 ago20:56

Chapecoense anuncia Rodrigo Gral para Série C

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Ele já vestiu as camisas de Grêmio, Flamengo, Juventude, Bahia, Seleção Brasileira Sub-20, Sport, Jubilo Iwata, Yokohama Marinos e, ontem, pela primeira vez usou a camisa da Chapecoense. Rodrigo Gral, 35 anos, atacante, natural de Chapecó, campeão Brasileiro de 1996 e da Copa do Brasil em 1997 pelo Grêmio, pela primeira vez vai defender um time catarinense.

-É um momento histórico – disse o presidente da Chapecoense, sobre o novo reforço do clube.

O desejo do jogador em voltar a atuar pelo time de sua terra natal (ele nasceu em Chapecó, morou dez anos em Caxambu do Sul e depois voltou a morar em Chapecó antes de ir para Porto Alegre), contribuiu para o acerto.

A Chapecoense está com o orçamento apertado e vai buscar mais parceiros para bancar o reforço. Gral aceitou jogar pela moradia e um salário mais baixo do que a média do clube e ainda vai doá-lo a uma instituição de caridade.

Pallaoro disse que há a intenção até de manter o jogador para o Catarinense de 2013. A estreia de Rodrigo Gral deve demorar cerca de três semanas.

O médico do clube, Carlos Mendonça, disse que ainda há sinais da lesão num dos joelhos do jogador, que foi o estiramento de um dos ligamentos. Mendonça fez um tratamento de Plasma Rico em Plaquetas, que é a retirada das plaquetas do sangue e aplicação concentrada na lesão para acelerar a recuperação.

Ele calcula que em três semanas o atleta estará em condições médicas e físicas de estrear. –Estamos preparando ele para o returno da Série C- afirmou Mendonça.

A Chapecoense está desde ontem à noite em Porto Alegre, onde treina hoje no campo suplementar do Olímpico e, no final da tarde, embarca para Brasília. No sábado o time enfrenta o Brasiliense, às 16 horas, em Taguatinga.


Diário Catarinense: Por que você decidiu jogar na Chapecoense?

Rodrigo Gral: É um sonho que se tornou realidade. Vinha assistir aos jogos com meu pai quando era pequeno. Em 2010 tive um convite do Nei (Maidana, ex-presidente do clube) quando retornei ao Brasil mas já tinha acertado com o Bahia. Agora tinha mais uma no de contrato com o DPMM, de Brunei, para disputar a liga de Singapura. Estava bem lá, fomos campeões do primeiro turno, mas tive uma lesão no joelho há dois meses e eles não têm boa estrutura, não tinha fisioterapeuta. Além disso tinha dificuldades de adaptação fora de campo pois lá é um país muçulmano e não tem cinema e o acesso à internet é restrito.

DC: O que você sentiu ao vestir a camisa da Chapecoense?

Gral: O pessoal disse que ficou um pouco apertada mas eu estou me sentindo muito bem. Pra mim está muito boa. É o nosso time.

DC: Você está com um projeto para encerrar a carreira aqui?

Gral: Eu pretendo jogar em alto nível mais dois anos, se não tiver lesão.

DC: Você tem investimentos em Chapecó?

Gral: Meu pai e meu irmão tem investimentos aqui. Eu tenho investimentos em Porto Alegre e Rio de Janeiro, em imóveis e outros negócios.

DC: Você pretende se estabelecer em Chapecó?

Gral: Eu poderia me estabelecer em Porto Alegre mas sou do interior e não tem como fugir. Aqui tenho meus amigos de infância, meus familiares. Quem sabe posso ajudar a Chapecoense a buscar investidores. Eu saí daqui com um sonho e fui além do que esperava, jogando em grandes clubes e na seleção.

Comente aqui
02 ago19:18

Uczai faz caminhada pelos bairros

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O candidato a prefeito pelo PT em Chapecó, Pedro Uczai, realizou hoje uma caminhada pelo bairro Esplanada, acompanhado da candidata a vice, Elza Fortes (PDT, e candidatos a vereador. Este já foi o décimo bairro visitado, segundo a assessoria de imprensa.

Carregando uma garrafa de água na mão Uczai entrou no pátio de casas para cumprimentar os moradores e até numa construção. A caminhada durou cerca de 1h30. Agora à noite ele faz uma reunião com os moradores. Há duas semanas ele está cumprindo um roteiro de caminhada e reuniões pelos bairros para ter o contato com a população e retirar demandas para o plano de Governo.

-Aqui no bairro sentimos a falta de um posto de Saúde- disse Uczai. No próximo sábado a coligação inaugura o comitê central na rua Aquiles Tomazelli, com adesivagem de carros.

O jingle de campanha ainda não está finalizado. A coligação “Aliança pela Vida” é composta pelo PT, PDT,PC do B, PTC, PTN, PRTB, PHS, PV e PPL .

Comente aqui
01 ago18:57

Situação de Rodrigo Gral ainda depende de resultado médico e físico

A situação sobre a contratação do atacante Rodrigo Gral não tinha sido definida até o final da tarde de hoje. De acordo com o presidente do clube, Sandro Pallaoro, a decisão depende do resultado da avaliação médica e de testes físicos, para saber se o jogador tem condições de atuar em pouco tempo.

Pallaoro acredita que a definição ocorra nesta quinta-feira. Rodrigo Gral tem 35 anos, já atuou no Grêmio, Juventude, Flamengo e estava em Brunei. O atleta revelou intenção de encerrar a carreira na Chapecoense, pois é natural da região, do município de Caxambu do Sul.

Comente aqui
28 jul18:45

Caxias pode passar a Chapecoense

darci.debona@diario.com.br


Após a vitória deste sábado contra o Duque de Caxias, por 1 a 0, a Chapecoense foi a oito pontos e ficou na quarta posição do Grupo B. O Macaé e o Vila Nova também tem oito, mas ganham da Chapecoense nos critérios de desempate. A Chapecoense pode ser ultrapassada pelo Caxias, que tem sete pontos, e neste domingo enfrenta o líder Madureira, que tem 10, em Caxias do Sul. Na sexta posição estão Oeste e Santo André, com sete. O Brasiliense é o oitavo, com quatro. O Duque de Caxias é o vice lanterna, com três. O Tupi é o último do grupo, com apenas dois pontos.

Comente aqui
28 jul18:38

Jogadores destacam recuperação da confiança

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Após a vitória sobre o Duque de Caxias, neste sábado, por 1 a 0, em Duque de Caxias, os jogadores da Chapecoense destacaram a importância do resultado para diminuir a pressão sobre o grupo. –É uma vitória para resgatar a confiança e autoestima do grupo-disse o meia Neném.

O meia Athos destacou que não há nenhum problema de grupo, só que os resultados não foram bons nos jogos contra Caxias e Macaé.

Dandara Lima/Divulgação

O diretor de futebol Cadu Gaúcho afirmou que o grupo precisava resgatar essa confiança para seguir trabalhando.

O técnico Itamar Schulle também ficou aliviado.

– Posso dormir um pouco mais tranquilo, mais sossegado- afirmou.

Schulle lembrou  que a vitória foi importante para que a Chapecoense voltasse a brigar na ponta de cima da tabela.

O goleiro Nivaldo elogiou a raça e determinação do grupo, para buscar a vitória nos acréscimos. –Grupo a gente tem- disse Nivaldo.

Outro que elogiou o grupo e a comissão técnica foi o zagueiro Souza. Para ele alguns resultados negativos não tiram o brilho da equipe.

–A equipe da Chapecoense é boa e eu vou ser campeão da Série C aqui – prometeu.



FICHA TÉCNICA


DUQUE DE CAXIAS-0:  Fernando, Davenilson, Paulão,  Irineu (Artur Rocha) e Edmário; Neves, Juninho, Marcos Goiano (João Carlos) e Mineiro, Tiago Souza (Carlos Alberto) e Charles Chad.

Tecnico: Amilton Oliveira

CHAPECOENSE-1: Nivaldo, Fabiano, Souza, André Paulino; Eliomar, Wanderson, Paulinho Dias, Athos (Cristiano) e Esquerdinha (Jô), Lê e Dudu (Neném)

Técnico: Itamar Schulle


Gol: Jô (C), aos 46 minutos do segundo tempo.

Arbitragem: Felipe Duarte Varejão, auxiliado por Edson Glicério dos Santos e Ramires Santos Candido.

Cartões amarelos: Fabiano, Wanderson e Esquerdinha (C); Davenilson, Edimário e Charles Chad (DC).

Local: Estádio Romário Faria (Marrentão) em Duque de Caxias-RJ

Público: 129 pagantes

Renda: R$ 1.829


Comente aqui
28 jul17:59

Chapecoense vence com gol aos 46 minutos

Darci.debona@diario.com.br


Com um gol aos 46 minutos do segundo tempo, marcado por Jô, a Chapecoense venceu o Duque de Caxias por 1 a 0, em Duque de Caxias, e subiu da sétima para a quarta posição, com oito pontos.

Depois de dois resultados negativos o técnico Itamar Schulle mudou praticamente meio time. Mas inicialmente as mudanças não deram resultado. O jogo não teve muita qualidade. Schulle, que estava pressionado no cargo, fez novas alterações. E um jogador que estava no banco, Jô, acabou salvando. Aos 46 minutos Cristiano fez boa jogada e tocou para Jô marcar.

O próximo jogo da Chapecoense é no dia 4 de julho, contra o Brasiliense, no Distrito Federal.

Comente aqui