Fotos

17 set09:02

Chapecó recebe Escola da Construção Civil do Senai

O Sistema FIESC inaugura nesta terça-feira, dia 18, a Escola da Construção Civil do SENAI em Chapecó. Em 296 metros quadrados, a Escola tem capacidade de atendimento de cerca de 90 alunos por dia, sendo 30 por turno. A solenidade será realizada às 14h30, no SENAI (em Chapecó, rua Frei Bruno, 201 E – Bairro Jardim América).

Esta é a nona unidade da instituição focada no atendimento ao setor da construção civil em Santa Catarina. Existem mais quatro unidades fixas, localizadas em Balneário Camboriú, Blumenau, Joinville e Criciúma, e quatro móveis, que entraram em operação no início do ano. Outras duas unidades fixas (em Itajaí e Palhoça) estão com obras em andamento.

As atividades na escola de Chapecó já se iniciaram ainda antes da inauguração oficial. Estão em andamento três turmas do curso de mestre de obras (área de gestão), com cerca de 25 alunos cada; duas turmas do curso de eletricista predial, com cerca de 15 alunos cada, e uma turma do curso de Aprendizagem Industrial em Oficial da Construção Civil, com 30 alunos.

Para o ano que vem, já estão programados cursos de qualificação e aperfeiçoamento, como mestre de obras, pedreiro, instalador hidráulico, eletricista predial, desenhista da construção civil e mais duas turmas do curso de aprendizagem em oficial da construção civil. O SENAI em Chapecó também está trabalhando no projeto do curso técnico em edificações. Além das novas instalações, os cursos voltados à construção civil ocupam os demais laboratórios da unidade, como os de eletricidade e de informática.

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção e de Artefatos de Concreto Armado do Oeste de Santa Catarina (Sinduscon), Lenoir Broch, a escola civil beneficiará diretamente 5,5 mil trabalhadores, além daqueles que atuam na informalidade. A partir de conversas com funcionários de sua própria construtora, o empresário observa uma mudança no comportamento dos profissionais que realizam algum curso profissionalizante.

- Eles debatem os temas relacionados ao trabalho com mais propriedade, adquirem segurança, inclusive para conversar – explica.

Broch constata ainda uma mudança na visão dos funcionários no que diz respeito ao emprego.

- Eles percebem que a relação de trabalho não apenas uma questão de tempo trabalhado versus salário, mas também de tarefas bem executadas, de entrega de produtos bem acabados. O profissional formado nos cursos valoriza mais o resultado do trabalho que faz – salienta o presidente do Sinduscon Oeste, cuja base alcança 20 municípios entre Xaxim, Pinhalzinho, Palmitos e São Lourenço do Oeste e incluindo Chapecó, região que, segundo Broch, totaliza cerca de 500 construtoras.


Comente aqui
17 set08:54

ACI comunica o falecimento do jornalista Luiz Perroni Pereira

A Associação Catarinense de Imprensa (ACI) cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento do jornalista Luiz Perroni Pereira, ocorrido às 2 horas da madrugada desta segunda-feira no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó (SC), em razão de parada cardiorrespiratória.

O corpo está sendo velado na capela da Funerária Wolff, e o sepultamento ocorrerá às 16 horas, da segunda-feira, no Cemitério-parque Jardim do Éden.

Luiz Perroni Pereira tinha 78 anos de idade, nasceu em 13 de abril de 1934 em Santiago (RS) e foi criado em Uruguaiana (RS). Era casado com dona Dilma e tinha quatro filhos e cinco netos. Graduou-se em Direito pela FURG de Rio Grande (RS) e durante sua vida exerceu as profissões de jornalista, funcionário público federal e advogado.

Iniciou sua longa atuação na comunicação social em 1o de março de 1953, na Rádio Charrua de Uruguaiana. Nessa emissora, até o ano de 1964, exerceu as funções de repórter esportivo, narrador esportivo, chefe da equipe esportiva, redator e apresentador de rádio-jornalismo. Simultaneamente, neste mesmo período, manteve colunas esportivas nos jornais A Vanguarda e A Fronteira de Uruguaiana, e A Platéia de Livramento. De 1964 a 1965 teve a passagem de um ano na Rádio Nereu Ramos de Blumenau, como repórter e narrador esportivo.

No período de 1966 a 1968 foi narrador esportivo, redator e apresentador de notícias na Rádio São Miguel de Uruguaiana. De 1971 a 1976, dedicou-se com tempo integral ao INPS, onde era funcionário do quadro desde 1960. E, com isto, galgou os postos de Agente do INPS em São Sebastião do Caí (RS) e na maior agência da previdência social do interior, em Rio Grande (RS). Nesta cidade, recebeu no ano de 1975, o título de cidadão honorário da Câmara de Vereadores.

Em 1976, quando concluiu o curso de Direito na FURG, recebeu e aceitou convite para trabalhar no grupo RBS. É que, como funcionário público, não poderia advogar nem voltar à comunicação, suas duas paixões. Inicialmente pediu licença por dois anos e, após, pediu demissão do serviço público. Curiosidade: nestes dois anos bem que tentou, mas não conseguiu tempo suficiente para advogar. Dedicou-se à televisão com tempo integral.

Permaneceu na RBS de 1976 a 1986, período em que selecionou pessoal, instalou, dirigiu e foi apresentador da TV Rio Grande e TV Umbu, de Passo Fundo. Em 1983 assumiu a direção da RBSTV de Chapecó, recém-adquirida do grupo Petrelli. Em 1986 aceitou o último desafio: auxiliar na consolidação de outra rede de TV – a Rede Cultura Eldorado. Em 1987 passou a dedicar-se exclusivamente à coluna de análises políticas em jornal diário. Inicialmente no Jornal Sul Brasil e, após dois anos, transferiu-se para o Diário do Iguaçu, onde permaneceu até esta data.

Nesse cenário e sempre superando o impulso do sensacionalismo, o colunista Luiz Perroni Pereira vai além da pauta político-partidária e dá abrigo aos atos de cooperação e solidariedade, aos serviços à comunidade e todos os exemplos notáveis que o espírito humano protagonizou, com o mesmo empenho com que empunhou a principal arma do jornalismo sério e independente – a denúncia contra tudo o que era atentatório à dignidade humana, à justiça, às liberdades civis e democráticas e aos superiores interesses da coletividade. Neste terreno tão escorregadio e frequentemente maculado por interesses escusos, Luiz Perroni Pereira trilhou um caminho escoimado das infrações éticas e da venalidade promocional, construindo uma reputação de probidade e comprometimento sobre a qual se assenta sua credibilidade.

Luiz Perroni Pereira participou de todas as fases evolutivas da imprensa, assim entendido o conjunto dos meios de comunicação de massa. Foi dirigente de grandes empresas de comunicação e colunista de veículos essenciais da mídia sul-rio-grandense e catarinense.


Comente aqui
16 set22:52

Homenagem aos veterinários

O Núcleo Oeste dos Médicos Veterinários e Zootecnistas (Nucleovet) realizou neste domingo um almoço de confraternização para comemorar a passagem do Dia do Médico Veterinário, ocorrido no dia 9 de setembro. O almoço foi na sede do núcleo, na linha Vitório Rosa, em Chapecó. Estiveram presentes 120 convidados. A região conta com cerca de 300 profissionais da área.

O presidente do Nucleovet, João Batista Lancini, elaborou um artigo para marcar a passagem:


O papel sócio econômico do médico veterinário

João Batista Lancini

A primeira escola de medicina veterinária começou há 250 anos, fundada pelo médico francês Claude Bourgelat. No início, o maior interesse era a cura das doenças equinas, de crucial importância para o poder do exército; outro objetivo era tentar dizimar a peste bovina que arruinava a economia rural européia daquela época.  Desde então, a medicina veterinária tem evoluído em diversos aspectos. As áreas de atuação são inúmeras. Os médicos veterinários, atuam não somente na preservação da saúde e bem estar dos animais, mas também  na saúde pública garantindo a segurança dos alimentos que ingerimos, no controle de inúmeras doenças que podem ser transmitidas dos animais para os homens, as chamadas zoonoses, nas pesquisas biomédicas, no melhoramento genético dos plantéis, e também participam de programas de proteção e preservação ambiental. A maioria dos medicamentos usados na medicina é desenvolvida a partir da experimentação em animais, garantindo a sua eficácia e segurança para os humanos. Muitas vezes, as pessoas pensam que a função de um veterinário limita-se a medicar ou fazer cirurgias em cães e gatos, ou a assegurar a produção de carnes e derivados lácteos. Entretanto, a área de atuação e o papel do médico veterinário são muito maiores e, não raro, desconhecidas pela maioria da população. A preservação da saúde pública, por exemplo, requer a interação de diversas áreas profissionais, tanto as que atuam nas ciências biológicas, como fora delas. O médico veterinário participa, principalmente, na prevenção das doenças, garantindo a produção de animais e alimentos saudáveis.  Na maioria das vezes, passa despercebido pelas pessoas que por trás de um alimento existem inúmeras etapas de produção, que englobam desde o crescimento do animal na propriedade rural, o abate e processamento adequado às rígidas normas de higiene e respeito aos animais, o transporte em condições adequadas até o mercado consumidor, o acondicionamento e a preservação dos produtos nas prateleiras dos supermercados, até a sua chegada na mesa do consumidor. Todas estas etapas, exigem a atuação de um médico veterinário. Os sistemas de prevenção e controle sanitário juntamente com um sistema governamental de inspeção animal, respeitado internacionalmente, foram fundamentais para colocar o Brasil na posição em que se encontra atualmente, ou seja, como um dos principais produtores de proteína animal do planeta em quantidade e qualidade, reafirmando o título de “Celeiro do Mundo”. Este respeito foi construído não somente pela capacidade e determinação de empresários comprometidos com o desenvolvimento econômico e social do Brasil, através do agronegócio, mas também com a participação vital dos técnicos envolvidos na produção, sejam médicos veterinários, zootecnistas, agrônomos, biólogos ou técnicos agropecuários, que além de ensinarem novas técnicas aos nossos produtores rurais, colaboram no desenvolvimento de novos medicamentos, vacinas e práticas de manejo que permitem a produção de alimentos cada vez melhores, mais saudáveis e com preços acessíveis ao consumidor.  O mesmo frango, suíno ou bovino que é consumido pelos brasileiros, está presente hoje nas mesas de exigentes consumidores de todos continentes, em países da Europa, Ásia e Oriente Médio, entre outros. Isto é um atestado da qualidade do produto de origem animal feito no Brasil, e os médicos veterinários são parte importante deste resultado.

Outra área importante de atuação é nos cuidados dos animais de companhia. O Brasil é o segundo maior mercado de animais de estimação do mundo; só atrás dos Estados Unidos. Hoje, pessoas de todas as idades e classes sociais, convivem diariamente com animais de estimação, como cães, gatos, pássaros, entre outros. Para que isto não se transforme em problemas, tanto para as pessoas como para os animais, é importante seguir normas básicas de convivência, entre as quais a garantia de uma condição sanitária adequada para evitar que aquilo que é buscado como um relacionamento saudável,  possa causar qualquer risco para as pessoas. Nesta área, o médico veterinário tem sido um elo e uma garantia desta boa convivência.

Merece menção a importância da medicina veterinária no desenvolvimento científico. Muitos avanços tecnológicos na área humana, tiveram sua base em estudos feitos pela medicina veterinária, como por exemplo, no desenvolvimento de vacinas, medicamentos,  novas técnicas de  reprodução humana em laboratórios, uso de células tronco para o controle e tratamento de inúmeras doenças.

Ser médico veterinário significa fazer parte de um segmento que gera muitas realizações pessoais e profissionais, porque colabora para uma vida humana melhor e mais saudável, respeitando a Criação, através da responsabilidade social e ambiental.

Comente aqui
16 set17:39

Washington acompanhou vitória

darci.debona@diario.com.br

Um dos novos reforços da Chapecoense, o atacante Washington, que veio do ABC, acompanhou a vitória do time sobre o Caxias, por 4 a 0, no sábado, no Índio Condá. Ele ficou animado com o desempenho da equipe.

-Foi uma vitória bacana, importante para a classificação- disse o jogador de 34 anos.

Ele já tem vários títulos estaduais como o Pernambucano de 2007, pelo Sport, o Baiano de 2009, pelo Vitória, e o Cearense de 2011, pelo Ceará. Disputou a Copa Libertadores de 2006, pelo Palmeiras.

Ele será apresentado nesta segunda-feira. Outra novidade, confirmada pelo diretor de futebol Mauro Stumpf, é o lateral esquerdo Gilton, 23 anos, que vem do Joinville.

Ele repõe a vaga de Esquerdinha, que vai para o ABC e fez sua última partida pel a Chapecoense no sábado

Comente aqui
16 set17:13

Pais e filhos brincam com carrinhos de rolimã

O Colégio Logosófico de Chapecó realizou no sábado a Tarde do Carrinho de Rolimã, envolvendo pais e alunos. -O objetivo era uma tarde diferente, onde pais e filhos brincassem com um brinquedo da época em que os pais eram crianças- afirmou a diretora do colégio, Luciana Paludo.

O resultado? Diversão, alegria, sorrisos, manobras diferentes e, claro, algumas pernas roxas.

-Nossa ideia era fazer com que as crianças se movimentassem, conhecessem um brinquedo diferente que oportunizasse movimento, desafio e integração entre pais e filhos- ressaltou o professor de Educação Física, André Valentini, coordenador do evento.

Muitos pais construíram o carrinho com os filhos. Outros deram apenas  o “toque final”.

Participaram carrinhos de diferentes estilos, desde os mais simples até um carro mais sofisticado, com banco regulável e com apoio para as costas. -Desde julho eles estavam construindo-, revelou a mãe Daniela Farias.

Cerca de 150 pessoas passaram pelo evento e muitos se aventurando a descer pelo terreno. Uma tarde que promoveu a união de diferentes gerações.

1 comentário
15 set11:37

Psiquiatra desvenda mitos da loucura

Louco é aquele sujeito que perdeu a razão, que tem pensamentos e ações sem sentido, tem comportamentos distorcidos que fogem à regra: é a “alienação mental” de Philippe Pinel, o pai da psiquiatria moderna — cujo sobrenome virou sinônimo de loucura —, que atuou na França entre o final do século XVIII e o começo do século XIX.

— Hoje em dia, podemos dizer que os sintomas psicóticos são o equivalente à loucura empregada nos meios psiquiátricos no passado. Os sintomas psicóticos ocorrem na esquizofrenia e também costumam ocorrem no transtorno bipolar — afirma o psiquiatra Deyvis Rocha.

Muitas pessoas deixam de ir ao psiquiatra porque isso seria o mesmo que declarar-se louco ou obter um atestado de loucura. O indivíduo que já passou por essa fase crítica e vai ao psiquiatra por algum problema qualquer, como sintomas depressivos ou ansiosos, teme que o seu quadro clínico possa evoluir para um quadro de loucura.

— As pessoas têm medo de perder a razão, o controle sobre si mesmas, sobre os seus pensamentos e os seus atos e de se ver obrigadas a tomar um remédio para ficarem bem — explica o médico.

Em psiquiatria, há um velho ditado utilizado para tranquilizar os pacientes que diz que a pessoa que está ficando louca não sabe que está ficando louca, o que significa que a capacidade de alguém se preocupar com o fato de poder ficar louco é uma segurança de que isso não vai acontecer.

Sendo assim, um transtorno de pânico ou outro transtorno ansioso, como a ansiedade generalizada, as fobias, uma depressão, não vão evoluir para um estado de loucura e de perda da razão, mesmo que seja essa a sensação que se tem quando ocorre uma crise de pânico.

Pode até ser que a pessoa tenha mais de um diagnóstico, como depressão e esquizofrenia, ansiedade e transtorno bipolar, mas não é que uma doença levou a pessoa a ter a outra, mas é que são quadros diversos que, por genética ou por coisas da vida, atingem a mesma pessoa.

Além do tratamento com os remédios chamados antipsicóticos, a psicoterapia pode auxiliar o paciente a lidar com as dificuldades de realizar atividades do dia a dia impostas pelos sintomas.


Conheça os principais transtornos psicóticos que podem levar um indivíduo a loucura:


:: Esquizofrenia

É uma doença mental que afeta a zona central do “eu” e altera a estrutura vivencial. O portador de esquizofrenia, quando em surto, costuma agir em função dos seus delírios e alucinações, perdendo a liberdade de escapar a essas vivências fantásticas. Cerca de 1% da população é acometida pela doença, geralmente iniciada antes dos 25 anos de idade.

— A esquizofrenia se caracteriza por distorções do pensamento, da percepção e por inadequação dos afetos. Usualmente o paciente com esquizofrenia mantém clara sua consciência — explica o psiquiatra Deyvis Rocha.


:: Transtorno delirante

É caracterizada pela ocorrência de ideias delirantes, em geral paranoide (de estar sendo perseguido, de estar sendo alvo de críticas, de as pessoas quererem prejudicá-lo intencionalmente). O delírio tende a ser persistente e algumas vezes crônico. Pode haver alucinações auditivas (ouve vozes que não existem na realidade) e visuais (vê imagens que não existem na realidade), embora alucinações sejam incomuns. O afeto tende a ser inexpressivo.


:: Transtorno esquizoafetivo

Manifesta-se pela ocorrência de episódios de humor intercalados por episódios psicóticos sem sintomas de humor. É importante salientar que dentro dos episódios de humor, quando graves, podem também ocorrer sintomas psicóticos. Existem dois tipos principais: depressivo, onde os episódios de humor são sempre depressivos, e misto, onde ocorrem episódios depressivos, maníacos, hipomaníacos e mistos.


:: Transtornos psicóticos agudos

Têm frequentemente um início repentino, desenvolvendo-se em geral rapidamente no espaço de poucos dias e desaparecendo também em geral rapidamente, sem recidivas. Quando os sintomas persistem, o diagnóstico deve ser modificado para esquizofrenia ou transtorno delirante persistente.


:: Transtorno Bipolar

É uma doença mental em que o paciente alterna estados de euforia e depressão, além de fases de “normalidade” intercaladas. A pessoa pode apresentar alguns sintomas de euforia e de depressão ao mesmo tempo, que são os estados mistos. A causa exata é desconhecida, mas os cientistas acreditam que esteja ligada à genética.


BEM-ESTAR



Comente aqui
15 set08:43

Chapecó no ritmo da dança

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Chapecó entrou no ritmo da dança. Durante quatro dias mais de mil bailarinos, de 28 cidades de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, participaram das apresentações competitivas do 7º Dança Chapecó. Os melhores serão premiados neste sábado a partir das 19 horas, no Teatro Municipal do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes.

Nesta noite serão escolhidos o melhor bailarino, melhor bailarina, melhor escola ou grupo, melhor coreografia e bailarino ou bailarina destaque no infantil e infanto-juvenil. Além da premiação, que chega a R$ 8 mil em dinheiro, todos vão receber certificado.

Durante o sábado os bailarinos participam de oficinas e cursos. A entrada na feira do Dança e no palco alternativo são gratuitos. Para a mostra competitiva os ingressos custam entre R$ 8 e R$ 15 e podem ser comprados na Escola de Artes de Chapecó e no Centro de Cultura e Eventos.

De acordo com a Diretora da Escola de Artes, Neyla Caramori, a edição deste ano foi um sucesso e setembro de 2013 a cidade será palco novamente do festival.



Serviço

Premiação 7º Dança Chapecó

Horário: 19h

Local: Teatro Municipal do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes – Chapecó/SC

Ingressos: R$ 8 e R$ 15

Pontos de venda: Escola de Artes de Chapecó (até às 18h) e no Centro de Cultura e Eventos.


Comente aqui
14 set17:33

Gasolina terá 32% de desconto na carga tributária em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Três postos de combustíveis e oito supermercados de Chapecó participam neste sábado da 6ª edição do Feirão do Imposto. Os consumidores vão poder comprar alguns produtos com desconto na carga tributária. A gasolina que custa em média R$ 2,79 o litro vai ter um desconto de 32% e vai ser vendida por R$ 1,88.

Segundo o coordenador do Feirão do Imposto 2012, Jaderson Zuanazzi, serão oferecidos cerca de 1,5 mil litros de combustível, pão francês, óleo de cozinha, biscoito, sabonete, entre outros produtos.

- Vamos mostrar para o consumidor final qual é a carga tributária paga em alguns produtos – explica.

Zuanazzi disse ainda que o imposto não deixará de ser pago, mas será assumido pelo empresário parceiro do Feirão. Além disso, a quantidade vendida a cada consumidor será limitada, conforme um regulamento que poderá ser observado nos locais de venda.

Além das três lojas dos Supermercados Celeiro e Supermercados Brasão, estão confirmados ainda o Supermercado Alberti Efapi e Mercado Da Casa, Posto Sangalli, Posto Via Oeste e Auto Posto Volpato.

Neste ano mais de 200 municípios brasileiros participam da ação. Em Santa Catarina são 37 municípios. Destes, além de Chapecó, sete ficam na região Oeste Pinhalzinho, Xaxim, Xanxerê, São Miguel do Oeste, São Lourenço do Oeste, Maravilha e Palmitos.


Produtos com desconto

Gasolina (litro)

Preço normal: R$ 2,79 | desconto: 32% | Preço no Feirão: R$ 1,88


Óleo de soja (500 ml)

Preço normal: R$ 3,65 | desconto: 26% | Preço no Feirão: R$ 2,70


Pão Francês (quilo)

Preço normal: R$ 5,99 | desconto: 17% | Preço no Feirão: R$ 4,97


Vinho tinto seco (750 ml)

Preço normal: R$ 5,99 | desconto: 35% | Preço no Feirão: R$ 3,88


Sabonete (90 g)

Preço normal: R$ 1,75 | desconto: 31% | Preço no Feirão: R$ 1,19


Comente aqui
14 set14:07

"Resident Evil 5" estreia com muitos sustos

Milla Jovovich sai exausta após um dia de filmagens de Resident Evil 5: Retribution. A estrela da saga que veio do videogame se aborrece com o marido, o diretor Paul W.S. Anderson. Para ela, acostumada aos machucados, às pancadas, a ser erguida por cabos, a executar dezenas de zumbis munida apenas de uma corrente de bicicleta, a chateação é outra. Em cena, Alice, a heroína, surge irreconhecível. Roupas normais, cabelo arrumado, é uma dona de casa amedrontada, agarrada à filha.

– Milla não gostou de ser vítima, de fugir e gritar – diverte-se o diretor.

Esse lado suave da personagem é uma surpresa do mais novo filme da franquia de ação, que chega nesta sexta-feira aos cinemas. Uma faceta que desmonta quando uma invasão de mortos-vivos irrompe o plácido cenário de subúrbio. Então, Alice volta a ser a guerreira programada pela corporação Umbrella, modificada biologicamente, incansável, durona, irrefreável. Presa em um submarino bunker, ela precisa atravessar ambientes e sobreviver aos perigos em cada um deles – em uma viagem que, à primeira vista, remete ao avanço de fases em um videogame, mas se revela uma ilusão tecnológica de um giro pelo mundo – o centro luminoso de Nova York, a histórica Praça Vermelha de Moscou. Ambientes complexos, de mentirinha. Infectados por vírus mortais.

>> Confira a Programação completa do CINEMA

A ideia de mundos falsos, de universos paralelos, dá o tom do novo capítulo de Resident Evil – o penúltimo – e possibilita a volta de Michelle Rodriguez à franquia. É que sua personagem, Rain, foi morta ainda no primeiro filme.

–Eu amo esse casal. Liguei para o Paul e disse: ‘quero estar nesse filme, arruma um papel pra mim?’. Fiquei muito feliz em voltar dos mortos – diz Michelle, sorridente, sob o olhar desaprovador de Milla Jovovich, durante conversa com a imprensa, em Cancún.

– Ei, não estou estragando nenhuma surpresa. Eu morri com um tiro na cabeça, todo mundo lembra – defende-se Michelle. Milla a repreende:

– Shhh, não estrague o mistério!

Em Resident Evil 5, a inspiração do game ganha vazão, mais uma vez, em sequências de luta impressionantes e cenas grandiosas com explosões avivadas pelo efeito 3D.

– Com exceção da equipe de James Cameron, tenho os mais experientes em 3D no mundo. Para esse filme, o diretor de fotografia (Glen MacPherson) construiu uma câmera específica, depois de tanto me ouvir pedir coisas impossíveis de fazer – diz o diretor.

Os zumbis, então, não são mais moribundos ensanguentados comuns; vêm em versões mais fortes, militarizados e aliens.

– Tenho sorte, porque a franquia vem de um videogame que não se estagnou, então a inspiração também não. Não fui eu quem inventou tudo isso – diz Anderson.

– Posso fazer um filme cada vez maior.

Foi durante o primeiro filme, oito anos atrás, que Milla Jovovich e Anderson se conheceram e deram início à franquia que permeou o casamento.

– Hoje, tentamos não falar de zumbis na mesa do café da manhã, mas falar de levar nossa filha Ever, de 4 anos à escola, o que é bem mais difícil do que fazer filmes – diz Anderson. A franquia já rendeu US$ 700 milhões em todo o mundo.

– O filme foi o que nos uniu. Temos um afeto especial por ele, interfere o tempo todo nas nossas vidas. É quase como viajar com a família.

Com o último Resident Evil: Afterlife (quarto da série, de 2010), Anderson deu início a uma despedida.

– Foi o início de uma trilogia final. Muitos personagens morrem nesse quinto filme, é o começo do fim. O próximo filme será o capítulo final.

Milla Jovovich, atlética e apaixonada por artes marciais, dispensa dublê e tira de letra o esforço físico que Alice exige. Ela já rompeu ligamento. São incontáveis os machucados.

– Havia uma crença em Hollywood de que mulher não servia para isso. Hoje as heroínas de ação estão engatinhando. Sei que muitas atrizes não fariam isso, mas o que é um pouco de dor se você tem a chance de fazer isso? – diz ela.

A seu lado, Paul Anderson baixa o olhar, sentido.

– Tomamos muitos cuidados, mas as cenas são brutais. Milla vai para casa coberta de marcas roxas. O que posso fazer é preparar um bom banho com sais e mimá-la um pouco.

AGÊNCIA ESTADO



Comente aqui
14 set10:53

Dois novos quiosques no Shopping Pátio Chapecó

O Shopping Pátio Chapecó recebe entre os meses de setembro e outubro novas lojas. Dois quiosques já estão em operação. O Home Cell na venda de acessórios para celulares, e o Cia da Leitura, dedicado ao público infantil. Neste são ofertados livros para a crianças de até 12 anos.

Segundo o gerente José Maila, as novidades no empreendimento complementam o mix e proporcionam uma maior diversidade para os consumidores da cidade e região.

Além da recém inaugurada Rabush, que atua com moda feminina e acessórios, outras três lojas serão abertas. A Iódice, grife nacional que também atua com vestuário feminino, a Croasonho, especializada em croissants com recheios doces e salgados, e uma loja da Tevah Premium, marca tradicional de moda masculina que atua no Sul do país.


Comente aqui