Notícias

11 nov08:42

Chapecoense conhece adversário na semifinal

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Neste domingo a Chapecoense vai conhecer seu adversário na semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro. A definição sai do confronto entre Fortaleza e Oeste, que jogam a partir das 17 horas, em Fortaleza/CE.

O time cearense teoricamente está em vantagem pois empatou o primeiro jogo por 1 a 1, em Itápolis-SP. Com isso classifica mesmo com um empate por 0 a 0, jogando em casa. Novo 1 a 1 dá pênaltis. Empate a partir de dois gols classifica o Oeste.

Os confrontos da semifinal serão nos dias 17 e 23 de novembro. Classificando o Fortaleza, o primeiro jogo será em Chapecó, pois o time cearense tem melhor campanha. Se o Oeste classificar com vitória, o primeiro jogo também seria em Chapecó. Se o Oeste classificar com empate, o primeiro jogo será em São Paulo.


Comente aqui
10 nov16:18

Troca do gramado da Arena Condá já tem data

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Arena Condá teve duas alas, Norte e Sul, construídas nos últimos seis anos. Falta agora reformar as alas leste e norte. Para isso a Prefeitura deve buscar recursos dos governos estadual e federal para licitar primeiro a construção da ala Leste.

A troca do gramado já tem data e deve iniciar assim que a Chapecoense terminar sua participação na Série C. A empresa que vai realizar a troca do gramado, considerado um dos piores do país, já foi licitada. A Prumo Construtora e Incorporadora, de Chapecó, irá fazer o trabalho.

O campo terá que ser nivelado e a grama, do tipo Bermuda, a mesma de estádios como o Olímpico e Beira Rio, será colocada em rolos. O projeto de R$ 639 mil prevê sistema de drenagem e irrigação automática.

A previsão é de que a troca leve 90 dias. Por isso a Chapecoense terá que jogar o início do Catarinense em cidades vizinhas.

1 comentário
10 nov16:10

Chapecoense para 2013

Athos (meia): Apesar de oscilar em alguns momentos, é o jogador de muita qualidade técnica e cresceu na fase final. Candidato a craque do time.

Rodrigo Gral (atacante): Jogador que já passou por grandes times como Grêmio, Flamengo e Seleção Sub-20, é um jogador diferenciado. Mas, devido a constante lesões, pode antecipar a aposentadoria.

Há risco de saída por outras propostas

Jô (atacante): Está emprestado pelo Cruzeiro/RS

Fabiano (zagueiro): As boas atuações e a idade de apenas 21 anos o credenciam ser assediado por outros clubes, como ocorreu com Groli, que foi para o Grêmio/RS.

Eliomar (meia-atacante): Chegou a ter propostas do Atlético Goianiense durante o campeonato e também pode receber propostas.

Henrique (atacante): Destaque no final do campeonato, com cinco gols, está emprestado pelo Cianorte que pretende contar com o jogador no Paranaense

Leonardo (zagueiro): Foi bem mas perdeu espaço com Gilmar Dal Pozzo

Dema (zagueiro): É um bom zagueiro mas não vem jogando

Foram bem e devem permanecer

Neném (meia), Wanderson (volante), Paulinho Dias (volante), Rafael Lima (zagueiro), Gilton (lateral), André Paulino (zagueiro), Nivaldo (goleiro), Souza (zagueiro).

Podem ficar

Dudu Lima (volante), Dudu Figueiredo (atacante), Cristiano (atacante) Chicão (volante), Rodolpho (goleiro), Juliano (goleiro), Mateus Paraná (atacante).

Não tiveram bom aproveitamento e podem sair

Lê (atacante), Thuram (atacante), Vanderlei (goleiro), Marcos Alexandre (volante), Rafael Mineiro (lateral), Galiardo (lateral), William (lateral).

Comente aqui
10 nov15:57

Chapecoense quer manter grupo do acesso para 2013

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um dia após conquistar a vaga para a Série B do Campeonato Brasileiro, ainda na viagem de volta do Mato Grosso para Chapecó, a Chapecoense já começa a pensar em 2013. A intenção é manter o grupo que está na semifinal da Série C.

Jogadores durante carreata na Avenida Getúlio Vargas.

Na próxima semana a direção vai tratar da renovação com o técnico Gilmar Dal Pozzo.

- Nossa intenção é manter a comissão técnica – afirmou o presidente do clube, Sandro Pallaoro.

Além do treinador, o preparador físico Anderson Paixão vem tendo seu trabalho elogiado. Dal Pozzo disse na manhã do sábado, durante a comemoração da conquista da vaga na B, que tem vontade d permanecer na equipe, porém tudo depende do planejamento da diretoria para 2013.

A intenção é manter a base do atual grupo.

– A direção vai conversar com todos eles – afirmou o diretor de futebol Mauro Stumpf.

Mesmo assim alguma mudança no time é natural, porque alguns, como o atacante Henrique, estão valorizados pela conquista. Por outro lado há jogadores que não corresponderam à expectativa e devem ser dispensados.

>> Acompanhe mais informações do Verdão no Blog da Chapecoense

Há também fatores de lesão que podem influenciar. O atacante Rodrigo Gral, uma das peças importantes na conquista do acesso, disse que vai avaliar com os médicos, treinador e familiares se vai continuar. Ele ficou de fora do segundo jogo contra o Luverdense em virtude de uma lesão na coxa esquerda.

Mas entrou no clima de comemoração e ontem pintou o cabelo de verde.

– Foi uma promessa que fiz quando cheguei caso a Chapecoense conquistasse o acesso – afirmou.

Atualmente a Chapecoense tem uma folha de R$ 257 mil mensais e um custo total de R$ 400 mil por mês. A intenção é não elevar muito os custos para 2013. –Não vamos fazer loucura- disse Pallaoro. A política de tentar montar time bom e barato, com um teto salarial para evitar disparidades, vai continuar

Mas em meio à comemoração o clube está passando por um processo eleitoral. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Gilson Vivian, pela primeira vez em 39 anos a Chapecoense terá duas chapas. A situação lançou Sandro Pallaoro à reeleição. Já a oposição, vai de Moacir Tiecher, que tem o apoio do empresário Izair Gambatto.

Isso refltete o bom momento do clube, que em alguns anos não tinha ninguém querendo assumir. A eleição está marcada para o dia 28 de novembro, das 18 horas às 20 horas, na Associação Comercial e Industrial de Chapecó.

No entanto o presidente do conselho, Gilson Vivian, ainda trabalha para compor uma chapa de consenso. Para Vivian, o momento da Chapecoense seria para união de forças.


Comente aqui
10 nov15:08

Mercoláctea terá leilão da raça Holandesa e de gado geral

A quarta edição da Mercoláctea – feira que reúne a cadeia produtiva do setor do leite, em Chapecó, reserva grandes inovações para o este fim de semana, como o I Leilão de Elite com gado leiteiro da raça holandesa e o leilão de gado geral. A Mercoláctea é promovida pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó (Acic), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) e Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc).

- Esperamos no final de semana um grande público para a visitação da feira e participação nos leilões, também em função da época de plantio esses dias são mais propícios para produtores e agricultores – explica o coordenador geral da Mercoláctea 2012, Auro Pinto.

O leilão de elite é organizado pela empresa paulistana WVMais Leilões e ocorrerá neste sábado à tarde, no Parque de Exposições da Efapi, paralelamente à feira. O plantel disponibilizado pertence à Fazenda Rialex, de Chapecó, e é formado por 190 animais – 100 fêmeas em lactação, 50 novilhas e 40 bezerras. A Rialex produz há 52 anos, utilizando o método de inseminação artificial desde o período de fundação da cabanha. A produção média do plantel é de 30 litros por animal/dia, mas há animais com produção diária de mais de 50 litros de leite.

- O leilão representa um momento único no Estado, em que são colocados à disposição do produtor, sem qualquer reserva, animais com um patrimônio genético fantástico, possibilitando o incremento de todo o plantel catarinense – explica o proprietário do plantel, Ricardo Lunardi.

A raça holandesa é considerada a mais produtiva e de maior trabalho de melhoramento genético entre todas as raças bovinas do mundo.

- Para o produtor é uma grande oportunidade de adquirir animais com ótima genética e sanidade. O plantel leiloado é um dos melhores da região -avalia o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Chapecó e vice-presidente regional da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Américo do Nascimento.

As condições de pagamento do leilão serão diferenciadas. O comprador poderá parcelar o valor em 24 parcelas, sem juros, com frete gratuito para carga cheia à distância de até 500 km, ou para meia carga à distância de até 250 km. O valor dos animais será baseado na tabela comercial utilizada na região. O leilão será transmitido ao vivo no Novo Canal, freqüência 1100 Mhz.

O cadastro para participação no leilão poderá ser efetuado no site www.wvleiloes.com.br ou durante o evento.

Neste domingo, às 14 horas, haverá um leilão de gado geral com mais de 400 animais. Serão comercializadas raças de corte, reprodutores e vacas de descarte, selecionados dos melhores criadores da região. A empresa leiloeira é a ZT Leilões, de Chapecó. O gado bovino de corte a venda é composto por novilhos precoces, provenientes de cruzamento industrial.

O valor do quilo vivo do animal deve variar, entre fêmeas e machos, de R$ 3,30 até R$ 4. O frete será de responsabilidade do comprador e o pagamento poderá ser feito em até 30 dias após o leilão.


Comente aqui
10 nov15:00

Female Futsal enfrenta Unesc neste sábado em Criciúma

Lugar na final do Catarinense Adulto de futsal feminino em disputa. Neste sábado, dia 10, a Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora joga a volta da semifinal contra a Unesc, em Criciúma. A partida será às 17 horas, no Ginásio da Unesc.

As chapecoenses se classificam com um empate. Na ida, realizada em Xaxim, a Female Futsal ganhou por 5 a 2 na última quarta-feira. Se a Unesc vencer, haverá prorrogação. Em caso de igualdade no tempo extra, a vaga será decidida nos pênaltis.

Quem passar pega o vencedor da série entre Kindermann/Caçador e Barateiro/Brusque. Na primeira partida em Brusque, vitória do Barateiro por 4 a 2 na quinta. A volta será em Caçador no domingo.


* com informações da Assessoria da Female Futsal.


Comente aqui
10 nov11:53

Família Zilli faz a primeira colheita do pêssego catarinense

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um pêssego genuinamente catarinense está sendo colhido no Extremo Oeste e promete render 15 toneladas à família Zilli, que deu nome à variedade.

Agenor Zilli descobriu a nova variedade e investiu na reprodução dela em sua propriedade na cidade de Descanso.

Esta é a primeira safra após o registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, feito após sete anos de acompanhamento de técnicos da Epagri e Embrapa.

— É uma variedade única no mundo — orgulha-se Agenor Zilli, que, há 12 anos, notou algo diferente no seu pomar, em Descanso.

Um ramo do pessegueiro de variedade chimarrita, que é branco, produziu pêssegos de cor amarela e com um filete branco. Ele contou o fato para o engenheiro agrônomo Loenir Loro, que recomendou que Zilli reproduzisse a planta. O produtor “enxertou” três ramos na base de outras plantas e só uma delas sobreviveu.

— Quase perdi a variedade — lembra o fruticultor.

Aos poucos ele foi multiplicando o novo pêssego, que passou a ter boa aceitação no mercado. Há três anos ele produziu a primeira safra para venda comercial, com quatro toneladas. No ano passado, foram oito toneladas. Neste ano, a produção chegará a 15 toneladas, com 1,1 mil pés. E a expectativa é de aumentar a produção, pois, a partir da sexta safra, o potencial é de 50 quilos por pé.


Registro recente vai propiciar venda de mudas

A família produz também outros tipos de pêssego e outras frutas. Mas o sucesso maior é o pêssego com o filete branco. A comercialização é feita a R$ 2 por quilo, contra R$ 1,20 a R$ 1,40 de outras variedades da fruta.

— Hoje falta Zilli no mercado — comenta Agenor.

No início, o produtor achou estranho ter uma fruta com seu nome.

— Eu pensei em Prata, mas os técnicos da Epagri e Embrapa me convenceram a colocar Zilli.

Agora ele orgulha-se do nome. Com o registro conquistado recentemente, o agricultor vai comercializar mudas numa parceria com dois viveiros da região. E pretende receber os “royalties” da produção.

A fruticultura tem dado tão bom resultado que dois dos três filhos de Agenor, Fabiano e Fernando, permaneceram na propriedade.

— Se fosse para produzir grão ou fumo a gente não estava mais em casa — garante Fabiano.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Epagri de São Miguel do Oeste, Loenir José Loro, o que houve foi uma mutação da espécie chimarrita, que num galho produziu uma fruta com características diferentes.

— Essa mutação deve ter ocorrido por uma alteração nos cromossomos — acredita o engenheiro agrônomo.

A variedade Zilli tem uma polpa amarela, com filete branco. Necessita de 250 horas de frio abaixo de 7,2 graus por ano, o que é propício em Santa Catarina, exceto em regiões muito frias, como São Joaquim.

A polpa é firme, tem baixa acidez e a casca tem baixa pelosidade (incidência de pelos). Pode produzir até 50 quilos por planta, a partir de seis anos. O período de colheita vai da segunda quinzena de outubro até a primeira quinzena de novembro.




Comente aqui
10 nov11:49

Gral fala da lesão e não sabe se volta

Darci Debona|darci.debona@diario.com.br

Depois de três dias de silêncio total o atacante Rodrigo Gral voltou a falar com a imprensa nesta sexta-feira, após a Chapecoense garantir a vaga para a Série B do Campeonato Brasileiro. Feliz pela classificação do clube para a Série B, ele pintou o cabelo de verde.  Falou também da lesão e cogitou até a possibilidade de não voltar a jogar. A seguir, um pouco da conversa que Gral teve com o Diário Catarinense no cabeleireiro.

DC: Como surgiu a ideia de pintar o cabelo?

Rodrigo Gral: Fiz uma promessa que se a Chapecoense subisse eu pintaria o cabelo. Mas não falei para ninguém. Nem para meu irmão. Hoje estou muito feliz por cumprir a promessa. Em 2010 eu subi da B para a A com o Bahia e cortei o cabelo. No ano passado, no Santa Cruz, subi da D para a C. Agora resolvi pintar. Só que os outros títulos foi algo profissional. Essa conquista, por ser do time da minha cidade, do clube onde eu ia no estádio com meu pai e sonhava em ser jogador da Chapecoense, tem um significado muito maior. É a realização de um sonho como torcedor da Chapecoense. Das conquista que eu tive o que eu levo é esse acesso. A emoção de ver o estádio cheio no jogo contra o Luverdense mexeu comigo. É um momento único que quero levar na minha vida?

DC: Como foi ficar fora dessa partida?

Gral: Essa semana foi muito intensa. A lesão me deixou abatido. Fiquei chateado em não poder estar junto. Era o jogo da classificação. É que nem roer o osso e chegar na hora da carne e não poder comer. Quando deixei o hotel falei pro pessoal: eu não vou junto mas vou estar em pensamento. Voltei para Chapecó e não quis falar com ninguém.

DC: Você viu o jogo?

Gral: No final da tarde fui para o Goio-En, onde não pegava celular. Por volta das 20 horas retornei e, quando cheguei perto da cidade, estava tudo parado. Aí terminou o jogo e comecei a receber mensagens no celular dando os parabéns.

DC: Qual é a previsão de tua volta?

Gral: É uma coisa que tenho que conversar com o médico, comissão técnica e minha família. Tive muitas lesões seguidas . Uma contra o Caxias, outra contra o Duque e essa agora. Estou duas semanas praticamente sem treinar e devo ficar pelo menos mais uma parado. Mas se voltar quero disputar o Catarinense e ser campeão.

DC: E a Série B?

Gral: Fico imaginando contra quem vai estrear. Pode ser contra o Avaí, Joinville, Figueirense.

DC: E o cabelo?

Gral: Quero ver a cara da minha mãe e a reação no vestiário. Vão me dar um monte de apelidos. Mas agora, se me deixarem nervoso eu fico verde.

1 comentário
10 nov11:17

Chapecoenses comemoram com carreata vaga na B

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A pé, bicicleta ou de carro, não importava o meio de transporte, afinal todos tinham o mesmo objetivo: comemorar a vaga da Chapecoense na Série B do Campeonato Brasileiro 2013. A carreata foi realizada na manhã deste sábado na Avenida Getúlio Vargas, no centro de Chapecó. A festa culminou na Arena Condá.

Os jogadores chegaram na cidade por volta das 8h e partiram em um caminhão do Corpo de Bombeiros pela principal Avenida da cidade. Ao som do hino do Verdão, fogos e músicas que homenageavam o time embalaram a festa.

Moradores, comerciantes, e torcedores prestaram sua homenagem para o time através de abanos, cumprimentos, camisetas e bandeiras verdes e brancas.

A dona de casa, Maria de Lourdes, 62 anos, deixou o almoço pronto e o serviço da casa para acompanhar a festa do Verdão.

- Moro a duas quadras do estádio e não poderia perder esse momento – disse a dona de casa.

Outro torcedor que marcou presença na Arena Condá foi Vicente Chiarello. O funcionário público e mais 25 torcedores da Torcida Guerreiros do Verdão enfrentaram mais de 5 mil quilômetros de estrada para assistir a partida em Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso.

- Foi uma luta. Agora vamos em busca de mais e do título da C – disse confiante.

Dever cumprido. Essa é a sensação do técnico Gilmar Dal Pozzo. Para ele a equipe merece essa conquista já que almeja isso desde o começo do ano.

- Após perder no catarinense, garantimos a vaga na B e agora vamos em busca do título da C – disse. Para isso a equipe precisa jogar forte e segura dentro de casa para ir bem no jogo de volta.

O Presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, não escondia a felicidade pela conquista.

- Esse é um momento histórico e de muita emoção. E ver a alegria desse povo, não há preço que pague – disse emocionado Pallaoro. O atual presidente concorre a reeleição na presidência do time. A eleição será no dia 28 de novembro.


1 comentário
09 nov17:34

Blitz de Saúde Bucal será realizada em Chapecó

Para encerrar as atividades da Semana de Saúde Bucal que aconteceu no mês de outubro em Chapecó, está programada para este sábado, dia 10, na Praça Coronel Ernesto Bertaso, a 7ª edição da “Blitz de Saúde Bucal”, com contação de história, entrega de panfletos informativos, orientações a população e com o objetivo principal de aproximar os profissionais de saúde bucal à população. Em caso de chuva, o evento será transferido.

De acordo com Luis Fernando Gelati, Gerente de Saúde Bucal de Chapecó, desde o ano de 2005 o setor de Saúde Bucal da Secretaria Municipal de Saúde, desenvolve atividades que remetem a lembrança do Dia do Dentista, 25 de outubro, com o objetivo de realizar ações de prevenção e promoção de saúde bucal.

- Queremos evitar o câncer bucal, a cárie e as doenças de gengiva e por isso as pessoas precisam procurar o dentista – destacou.

O projeto conta com 28 equipes de Saúde Bucal que atuam na Estratégia de Saúde da Família, atendendo em 27 Centros de Saúde da Família. Chapecó tem ainda um CEO – Centro de Especialidades Odontológicas – tipo III, que é referência para 76 municípios na área de próteses e para 11 municípios nas demais especialidades (endodontia, periodontoria, cirurgia e pacientes especiais).

- Nossa estrutura em hoje 55 dentistas e 50 auxiliares de consultório Dentário -finalizou.


Comente aqui