Notícias

23 ago09:23

Ônibus invade calçada no terminal urbano de Chapecó

O acidente foi na manhã desta terça-feira, por volta das 8h30.

Segundo informações do motorista, o ônibus que estava em ponto morto e com o motor desligado andou e invadiu a calçada do terminal urbano, no centro de Chapecó. Ninguém se feriu. Uma senhora que estava sentada em um dos bancos do terminal , por pouco, não foi atropelada. O banco em que ela estava sentada foi destruído.

Comente aqui
22 ago15:27

Duas oestinas participam do Parlamento Jovem

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br 

Duas estudantes da Escola de Educação Básica Osni Paulino da Silva, de Anchieta, serão as representantes de Santa Catarina no Parlamento Jovem 2011, projeto que pretende estimular o debate e a conscientização política entre os jovens brasileiros.

Alexandra Pereira da Silva e Gabriela Perin, ambas com 17 anos e cursando o último ano do Ensino Médio, estão entre os 77 selecionados em todo o país.

Entre os dias 26 e 30 de setembro elas vão participar de uma simulação da rotina dos parlamentares, participando de sessões e defendendo seus projetos perante os demais selecionados. Os projetos aprovados poderão até virar lei, se forem adotados por algum deputado.

Gabriela vai sair do Oeste pela primeira vez

A viagem mais longa que Gabriela Perin fez em seus 17 anos de vida foi até Caibi, que deve dar pouco mais de 100 quilômetros de Anchieta. Nem São Miguel do Oeste ela conhece direito. Mas agora, graças ao projeto aprovado no Parlamento Jovem, vai andar pela primeira vez de avião, conhecer Chapecó e, pela primeira vez, sair de Santa Catarina.

-Quando soube que tinha sido escolhida fiquei assustada- disse. Ela está pegando dicas de como arrumar a mala para a viagem. –Não sei se a gente vai dar entrevista para a televisão- imagina.

Ela acompanha o noticiário e faz pesquisas para defender seu projeto, que é de garantir vaga nas universidades públicas para estudantes com boas notas no Ensino Médio. Ela não considera justo avaliar em apenas algumas provas, em um ou dois dias, o conhecimento acumulado ao longo dos anos. Segundo ela isso privilegia quem pode pagar cursinhos pré-vestibular.

-Tem muita gente que não tem condições de pagar e fica desestimulado- disse. Ela própria vai tentar vestibular para Biologia, na Universidade Estadual de Londrina e na Unoesc de São Miguel do Oeste, pois considera difícil passar para Odontologia numa universidade pública. Além disso, pelo custo do curso, não conseguiria pagar uma universidade particular. Seus pais são agricultores no interior de Anchieta e, seu pai, enfrenta problemas de saúde.

Pelo menos ela vai ter uma nova experiência, que pode enriquecer seu conhecimento. –Acho que vai ser muito bom para o currículo- diz.

Também avalia que o projeto do Parlamento Jovem é uma oportunidade da população mostrar suas idéias. Ela tem uma imagem negativa dos políticos. –O que é bom para o povo demora e o que é bom pra eles aprovam rápido- explicou.

Ela citou o exemplo do aumento do salário dos deputados, em que eles são rápidos e generosos com eles mesmos.

Ela não pretende seguir carreira política. Mas considera necessário acompanhar o trabalho dos políticos. –São nossos governantes- avalia. Só fiscalizando e cobrando para melhorar a atuação deles.

Alexandra quer seguir carreira política

Depois de ser selecionada para o Parlamento Jovem 2011, Alexandra Pereira da Silva começou a cogitar a participação na vida política. –Me passou pela cabeça pois agora sei que posso conseguir- afirmou.

Ela já é participativa na escola, ajudando nas gincanas e promoções, além de ter sido líder de turma.

Até este ano ela não acompanhava a política. –Não gostava muito- confessou. Mas agora está ligada no que acontece. Um dos motivos é a argumentação para defender seu projeto. Alexandra quer que o ensino e língua estrangeira inicie já no primeiro ano do ensino fundamental e não mais a partir da quinta série, como é atualmente. –Nesse mundo capitalista e globalizado é fundamental saber uma segunda língua- argumenta. Ela lembrou que há estudos confirmando que quanto mais cedo é melhor para aprender outra língua. –As crianças aprendem mais rápido- explica.

Ela lembrou que, quando recebeu a notícia de que seu projeto tinha sido selecionado, ficou paralisada.

A ansiedade para a viagem é muito grande. –Vai ser a primeira vez que vou andar de avião- comentou. Depois que seu projeto foi escolhido, recebe os parabéns todos os dias. Recentemente ela passou do turno da manhã para estudar à noite, pois sua mãe começou a trabalhar e ela precisa ajudar a cuidar da irmã pequena.

Ela está se preparando para o vestibular, que pretende prestar para Enfermagem, na Unoesc de São Miguel do Oeste. Além disso, está convencida de que o jovem tem um papel na comunidade. –Nós temos como mudar- declara. Ela quer aproveitar a experiência de Brasília para um dia, quem sabe, aplicar em sua cidade o que irá aprender.

Comente aqui
22 ago15:08

Via Campesina fecha acesso ao Banco do Brasil

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br 

Depois de passar a noite no salão paroquial do bairro São Cristovão, os militantes estiveram na manhã desta terça-feira no INSS, fizeram uma  caminhada pela avenida principal da cidade e fecharam a entrada do Banco Brasil. Eles reinvindicam uma isenção de 12 mil reais nas dívidas dos pequenos agricultores.

A sede do Incra de Chapecó foi ocupada na manhã de segunda-feira por militantes da Via Campesina. No início da manifestação havia cerca de 50 pessoas. A expectativa dos organizadores é reunir 700 manifestantes. Além de ocupar a sede do Incra haverá caminhada pelas principais ruas da cidade.

A mobilização faz parte da Jornada Nacional de Lutas da Via Campesina, que prevê atos em todos os Estados e em Brasília. Álvaro Santin, da coordenação estadual do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), disse que um dos objetivos é pressionar pelas desapropriações.

 –A Reforma Agrária está paralisada-disse. Em todo o país são 60 mil famílias acampadas e, em Santa Catarina, 700 famílias. Outra reivindicação é a renegociação de dívidas dos pequenos agricultores, com repactuação de prazo até 15 anos.

O MST também quer a implantação de incentivos para os seis mil assentados em Santa Catarina. Entre as reivindicações para o governo do estado estão o fomento à atividade leiteira, programas de sementes e calcário e investimento em agroindústrias, cursos e escolas técnicas.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que também integra a Via Campesina, pede investimentos em energias alternativas, como biogás, e cancelamento dos estudos da hidrelétrica de Itapiranga.

De acordo com um dos coordenadores do MAB, Evanclei Farias, a hidrelétrica iria desalojar pelo menos 2,4 mil famílias.

O gerente regional do Incra, Sérgio Aosani, recebeu as lideranças no início da tarde e disse que iria encaminhar a pauta de reivindicações para instâncias superiores, em Florianópolis e Brasília.

Comente aqui
22 ago14:04

Homem agride mulher com facão e é preso em flagrante em Chapecó

Daisy Trombetta | daisy.trombetta@diario.com.br

Vítima teve várias lesões, mas não corre risco de morte

Um homem de 30 anos foi detido em flagrante na noite deste sábado porque teria agredido a mulher com um facão no bairro Efapi, em Chapecó, no Oeste do Estado.

A vítima, de 26 anos, teve várias lesões pelo corpo, mas não corre risco de morte. Ela contou à polícia que o marido foi o autor da agressão.

Com o suspeito, foi apreendida a arma do crime, um facão com 35 centímetros de lâmina. Ele foi preso em flagrante e encaminhado ao Presídio Regional de Chapecó.

Comente aqui
22 ago11:55

Clima segue frio e nublado

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O clima continua frio nesta segunda-feira (não deve passar dos 14 graus) e com possibilidade de chuva em todo o estado. Em Chapecó não houve formação de geada. A temperatura pela manhã oscilava entre 4 e 6 graus.

 

Gertrudes Santos de Oliveira, de 57 anos, colocou várias blusas e um xale para sair de casa. –É minha capinha para me proteger- explicou. Mas não reclama do frio.

Já a aposentada Leonilda Seben, de 60 anos, já está enjoando das baixas temperaturas. –Já chega de frio- disse. Ela usou um casaco pesado e touca para ir buscar remédios na Secretaria de Saúde. Depois, voltou logo para casa para ficar próximo ao fogão à lenha.

E tem aqueles que gostam de baixas temperaturas. É o caso de Noeli da Silva, de 45 anos, que trabalha como gari. Ela estava bem agasalhada e com touca, varrendo a rua desde cedo.

-Pra mim está ótimo pois despacha mais o serviço- opinou.

Como o dia amanheceu nublado, alguns já saíram de casa prevenidos. O auxiliar administrativo Gilmar Guimarães saiu de casa e voltou para buscar o guardachuva. –A gente que trabalha na rua tem que estar prevenido- explicou. Por isso não dispensou nem a touca. Ele afirmou que já está acostumado com o frio. Mas está mesmo é com saudade do verão. –A gente fica mais à vontade- lembrou.

Comente aqui
22 ago11:40

Militares retornam de operação no Complexo do Alemão

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

 

Um esquadrão com 116 militares que estiveram atuando na Força Pacificadora no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, retornou na sexta-feira ao quartel do 14 Regimento de Cavalaria Mecanizada (RCMec), em São Miguel do Oeste.

Houve uma formatura de recepção para os militares que ficaram três meses fora. Eles trabalharam para garantir a segurança no complexo de favelas que no ano passado foi tomado pela polícia, com auxílio do exército, para desmantelar quadrilhas de roubo e tráfico que atuavam de forma ostensiva na região. A ação foi numa área de quatro quilômetros quadrados com uma população de 400 mil pessoas.

Para o comandante do 14 RCMec, tenente-coronel Amaro Soares de Oliveira Neto, a atuação do Exército no Rio de Janeiro está entre as atribuições legais, para manter o ordenamento jurídico numa área onde havia a ausência do Estado.

- Houve o resgate de cidadania para uma população que estava sob o jugo do crime- declarou.

O comandante prevê que essas missões de paz ficarão mais freqüentes pelo crescimento da importância do Brasil no cenário mundial. Ela afirmou que a ação também qualifica os militares para outras missões. A expectativa é que em abril do ano que vem mais militares de São Miguel do Oeste estarão numa missão no Haiti, onde o Exército Brasileiro já está presente.

Tumultos em baile funk

O choque cultural foi inevitável para o cabo Sérgio Veit, natural de Itapiranga, quando chegou ao Rio de Janeiro. –Eles são um povo mais individualista- comparou. –Lá todo mundo vive um em cima do outro- lembrou, sobre as construções das casas emendadas uma na outra.

Cabo Sérgio Veit.

Ele afirmou que os momentos de maior tensão foram nas horas em que tinham que encerrar as festas, como baile funk, pois tinham horário determinado para encerrar. –Havia tumulto pois a população reagia contra a atitude da tropa- explicou.

Veit disse que não sentia medo de entrar na favela pois estava preparado para enfrentar o que viesse. Mas os familiares ficaram preocupados. Agora ele estão aliviados pelo retorno do filho.

Veit disse que aprendeu muita coisa nesses três meses. Uma delas é valorizar o lugar onde mora. –Aqui é um paraíso- comparou.

 

 

Tráfico ostensivo foi reprimido

A ação da Força Pacificadora teve como resultado positivo a eliminação do tráfico ostensivo, na avaliação do capitão Diego Morais Duarte. Ele comandou o esquadrão no Rio de Janeiro, em ações de controle de vias urbanas, cercos e escoltas. Os militares receberam treinamento específico para atuar na área urbana, entre eles a utilização de arma não letal.

Capitão Diego Morais Duarte.

Duarte lembrou que um dos momentos mais tensos foi uma abordagem na Praça São Lucas, na Vila Cruzeiro. –Já na chegada um militar levou uma pedrada- lembrou. Em outra ação, houve um disparo de arma de fogo de longa distância, de um ponto do morro, que, por sorte, não atingiu ninguém.

Em algumas ações, os militares tiveram que utilizar gás lacrimogêneo e disparos com arma de borracha. Ele lembrou que, no início, havia um receio da população em relação à atuação da Força Pacificadora. Mas aos poucos foram ficando mais receptivos. –A população passou a ter confiança no nosso trabalho- disse.

Duarte afirmou que a ação do Exército e das outras forças policias permitiu a chegada de serviços essenciais numa área antes dominada pelo tráfico. – Agora chega a empresa de recolhimento de lixo, correio e até postes de iluminação pública- explicou.

O capitão afirmou que o tráfico não foi exterminado completamente, mas já não é quem domina o território, pois a força do Estado se faz presente.

 

 

Ovos e tentativa de atropelamento

Uma das coisas que mais chamou a atenção do tenente Rafael Silva Romani no Rio de Janeiro foi que a população protegia os traficantes. –Eles estão tão acostumados com isso e têm medo- afirmou.

Romani lembrou que os traficantes conhecem a população e por isso muitos temem o que vai acontecer após a saída do exército.

Tenente Rafael Silva Romani.

Romani disse que o Complexo do Alemão era uma área onde não havia regras. Houve apreensões de drogas e produtos roubados. O transporte coletivo era feito por motoristas sem habilitação. Quando o exército chegava numa área, todo mundo sumia. –Os becos ficavam vazios de repente- disse.

As situações mais complicadas eram nas prisões. –Tinha que ser rápido senão acabava formando tumultos- disse.

Numa festa os militares estavam fazendo revista e alguém jogou ovos nos soldados. Os militares prenderam quem jogou os ovos e houve tumulto pois os moradores queriam defender quem foi preso.

-Tínhamos que agir rapidamente para evitar confusão- explicou. Houve até uma tentativa de atropelamento numa blitz. Segundo Romani, um Policial Militar à paisana não quis parar e quase atropelou um soldado. Ele foi parado com um tiro de borracha.

O tenente defende a permanência da Força de Pacificação no local. –Se o Estado tiver vontade acaba com o tráfico- opinou.

Comente aqui
21 ago15:43

Apae de Chapecó promove Semana da Pessoa com Deficiência Intelectual

No período de 22 a 28 de agosto estão programadas diversas atividades, como a feira de conhecimentos

Desde 1964, a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla é promovida anualmente, e neste ano aborda o tema “A pessoa com deficiência quebra a cultura da indiferença. Tenha coragem de ser diferente”.

De acordo com a Extra Comunica, o objetivo é de promover a  sensibilização e conscientização da população e dos governos em favor da busca pela garantia de direitos da pessoa com deficiência e de sua inserção efetiva nos contextos social, cultural, educacional e político do cenário nacional.

A Apae de Chapecó promove uma programação especial no período de 22 a 28 de agosto.

Programação:

Segunda-feira, 22, abertura das atividades e início da feira do conhecimento. A mostra vai até dia 26 e apresenta trabalhos de alunos e apresentações musicais. Escolas interessadas podem agendar visitas pelo fone (49) 3322-1543.

Na terça-feira, dia 23, o tema “O paralisado cerebral e suas potencialidades” será desenvolvido por fisioterapeuta, fonoaudióloga e terapeuta ocupacional em dois períodos, na manhã e tarde. Essa palestra é direcionada para professores das redes de ensino estadual e municipal que trabalham com alunos que frequentam a Apae.

Dia 24, quarta-feira, palestra “Responsabilidades e comprometimentos com meu filho”, às 8h30 e às 14h30.

No dia do município, 25, os alunos participam do desfile cívico e de uma explanação sobre “A pessoa com deficiência quebra a cultura da indiferença. Tenha coragem de ser diferente”. As atividades iniciam às 8h30.

Já no sábado, 27, às 15h30, na Apae, tem chá beneficente, organizado pelo Grupo de Mães e Voluntárias, com ingresso no valor de R$ 15.00. Apresentações dos alunos, bingo e sorteio de prêmios encerram a programação.

Outras atividades como gincana, baile de máscaras e lanches fazem parte das ações desempenhadas para os alunos, com o apoio dos profissionais que atuam na instituição. A palestra“Quem é atendido na Apae?, avaliação, diagnóstico e encaminhamentos”, para médicos do Programa da Saúde da Família (PSF), neurologistas, pediatras e agentes de saúde, no auditório da prefeitura, também faz parte da programação especial.

A Apae

Presente há 56 anos no Brasil, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) é uma associação civil, com foco de atuação na prestação de serviços e na defesa de direitos das pessoas com deficiência, prioritariamente a deficiência intelectual. É constituída por 2.097 Apaes, 23 federações estaduais e uma federação nacional. Em Chapecó, a Apae foi criada em novembro de 1970.

Comente aqui
21 ago15:21

Chapecó terá primeiro elevado

A obra vai ligar o Contorno Viário Oeste à Avenida Leopoldo Sander, deixando livre o trânsito entre as avenidas São Pedro e Attílio Fontana

O anúncio da construção do primeiro elevado de Chapecó foi realizado pelo prefeito José Caramori, durante a entrega do Troféu ‘O Desbravador’, na última quinta-feira (18). Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura, o elevado vai ligar o Contorno Viário Oeste à Avenida Leopoldo Sander, deixando livre o trânsito entre as avenidas São Pedro e Attílio Fontana, que liga o Centro ao Bairro Efapi. Uma passarela também será construída no local para garantir segurança aos pedestres que precisam atravessar a via. O valor máximo orçado para a obra é de R$ 10.278.000,28, com recursos próprios do município.

No ato, Caramori assinou o edital n° 316/2011 para abertura de licitação, na modalidade de concorrência internacional, destinada a contratação de empresa de engenharia para a execução dos serviços necessários à realização das obras de terraplenagem, pavimentação asfáltica, drenagem, obras de arte corrente, obras de arte especial, de proteção ambiental e complementares, sinalização, iluminação e obras de contenção na interseção das vias. As propostas devem ser entregues no setor de Compras da Prefeitura de Chapecó, na Avenida Getúlio Vargas, até às 9h do dia 08 de novembro de 2011.

Contorno Viário Oeste

Obra orçada em R$ 11.383.549,25 milhões terá 7,8 Km de extensão, ligando a SC 480, na saída para o Rio Grande do Sul, até a Avenida Leopoldo Sander e saída para a BR 282. A nova via vai desafogar o trânsito na região central da cidade, desviando os veículos pesados para o Contorno.

Comente aqui
21 ago14:14

Decorare abre em setembro

Os preparativos para a mostra seguem a todo vapor

Arquitetos, decoradores, engenheiros, artistas plásticos, marchand e designer de interiores, estão trabalhando a todo vapor para abrir a Decorare 2011 e encantar o público. Segundo a Extra Comunica a mostra, que abre dia dois de setembro  e vai até 16 de outubro,  traz o tema “World tour, uma viagem pelo mundo” e promete mostrar o que há de mais moderno em construção e decoração de ambientes através das diferentes culturas espalhadas pelo mundo.

Serão mais de 21 ambientes inspirados na cultura e vida de um determinado país. A Decorare será no Edifício Soprana, onde funcionava o Hotel Itamaraty. Construído em 1964 na esquina da Avenida Getúlio Vargas com a Benjamin Constant, a rua do Calçadão, esse prédio foi uma das primeiras obras em alvenaria erguidas em Chapecó.

Com o tema definido, indicado pelo arquiteto Evandro Pelizza, cada ambiente da mostra será trabalhado conforme a cultura e a vida do respectivo país escolhido. Em sua sexta edição, a Decorare também terá, como atração para os visitantes, o sorteio de uma viagem. Os expositores, igualmente, concorrerão a uma viagem, para Nova York, a partir da indicação do melhor ambiente, por voto pelos visitantes.

Comente aqui
18 ago16:59

Assassinato em Itá teria sido motivado por vingança

Daisy Trombetta | daisy.trombetta@diario.com.br

Conforme a polícia, vítima teria participado da morte de irmão do suspeito

Pode ter sido motivado por vingança o assassinato de Odair Fabiano Camargo, de 18 anos, na noite da terça-feira (16) em Itá, no Oeste catarinense. Ele foi morto com pelo menos 20 facadas, nos fundos da igreja matriz.

O suspeito pelo crime, Fernando Arthur da Silva, de 25 anos, confessou a autoria do homicídio à polícia. Conforme o delegado Rogério Taques, a vítima teria participado do assassinato do irmão do suspeito, em 2010.

Silva contou em depoimento o local onde tinha abandonado o facão utilizado no crime. A polícia encontrou a arma jogada às margens da SC-466. Ele foi preso em flagrante por homicídio qualificado e já foi encaminhado ao Presídio Regional de Concórdia.

Ele foi detido no hospital de Itá, logo após o crime, quando buscou atendimento por conta de uma fratura no pé. O delegado disse que ele teria se machucado ao jogar o corpo da vítima em um barranco próximo à igreja. Ele foi preso e reconhecido pela adolescente, que era namorada do jovem morto.

No momento do assassinato, a vítima estava com a namorada, de 16 anos, nos fundos da igreja por volta das 21h. O casal foi surpreendido pelo suspeito, que amarrou e amordaçou os dois com as próprias roupas. Camargo também foi atingido por pedradas no rosto. A adolescente conseguiu fugir e pedir socorro. Ela não sofreu ferimentos.

Comente aqui