Região

25 out13:28

Capacitação de jovens rurais terá R$ 1,68 milhão

 

Jardel Tolotti é um dos beneficiados pelo curso e pede melhora no seguro rural


O Ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, assinou na quarta-feira, em Chapecó, onde assinou um convênio de R$ R$ 1,68 milhão para a capacitação de jovens rurais. O Curso de Capacitação de Jovens em Agricultura Sustentável, Gestão e Inovação Tecnológica deve beneficiar 4.920 jovens dos três estados do Sul. Inicialmente serão capacitados 120 jovens, sendo 40 por estado. Depois, cada um deles vai capacitar outros 40.

Os cursos serão ministrados pela Universidade Federal da Fronteira Sul. São 200 horas, em 18 meses, que compreendem disciplinas de agroecologia, associativismo, gestão da propriedade, desenvolvimento sustentável e informática, entre outras.

O Ministro Pepe Vargas, que fez a aula magna do curso, onde palestrou sobre “Pronaf Jovem e Sucessão Familiar” disse que esta é uma das iniciativas para fortalecer a agricultura familiar. Afirmou que foram liberados R$ 18 bilhões para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar e que, se for necessário, serão liberados mais recursos. Citou que existe um programa específico para a juventude, o Pronaf Jovem, com financiamento de R$ 15 mil, com juros de 1% ao ano, três anos de carência e 10 anos para pagar.

O coordenador estadual da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar da Região Sul, Fetraf-Sul, Alexandre Bergamin, disse que desde 2002 apenas 10 mil jovens acessaram o programa em todo o país e espera que agora esse número seja de R$ 10 mil em Santa Catarina. Bergamin disse que o curso vai atender uma exigência que é a capacitação para liberação dos recursos.

O reitor da UFFS, Jaime Giolo, disse que a agricultura familiar precisa também de uma produção sofisticada e imagina que num futuro próximo as propriedades serão administradas por agrônomos e veterinários entre outros. Isso aliado à necessidade de redes de proteção de comercialização.

Os jovens agricultores gaúchos Samira Letícia Schwade, de Humaitá, Jardel Tolotti, de Tenente Portela, e Adriana Herrmann, de Sede Nova, são alguns dos estudantes do curso. Eles afirmam que um dos problemas para o jovem ficar no campo é a falta de uma atividade que garanta uma boa renda.

-Não adianta pegar financiamento e depois não poder pagar- afirmou Samira. Jardel citou que outro problema é que o seguro agrícola não garante renda, sendo que , na maioria dos casos, cobre só o financiamento. Questionado sobre isso o ministro disse que já houve uma evolução no Proagro e que isso deve ser aperfeiçoado.

Comente aqui
23 out19:17

Temporais causaram estragos em pelo menos 26 municípios

Pelo menos 26 municípios catarinenses tiveram prejuízos com os temporais ocorridos entre segunda e terça-feira. Três deles já decretaram situação de emergência: Ilhota, Matos Costa e São João do Itaperiú.

Em Matos Costa cerca de 200 casas foram danificadas segundo o representante da Defesa Civil local, Anderson Luiz Carneiro.  Já foi distribuída lona para 40 residências e a Defesa Civil do Estado encaminhou mais sete rolos com 800 metros quadrados. Carneiro disse que o município vai solicitar telhas de cimento amianto para auxiliar as famílias carentes.

Em Ilhota o telhado de cerca de 50 casas foi danificado pelo granizo.  Em São João do Itaperiú foram atingidas 70 casas e uma escola. O coordenador regional da Defesa Civil, Antonio Edval Pereira, disse que as famílias foram atendidas com lonas e o município também deve solicitar telhas ao Estado. A escola Catulino Onofre Rosa, que tem 80 alunos, teve as aulas suspensas.

Outra cidade que teve grande número de casas atingidas foi Chapecó. Cerca de 200 pessoas, de 60 residências, foram afetadas, todas residentes no distrito de Marechal Bormann. Ontem elas tentavam arrumar o estrago. A maioria das famílias é de baixa renda e enfrenta dificuldade para comprar as telhas. A Defesa Civil do município distribuiu lona e fez um levantamento para buscar auxílio do Estado.

Em Joaçaba uma família ficou desalojada em virtude de deslizamento, no bairro Santa Tereza. De acordo com a Celesc cerca de 40 mil pessoas chegaram a ficar sem energia elétrica por causa dos temporais.


MUNICÍPIOS ATINGIDOS: 26

São João do Itaperiú (decretou emergência devido ao granizo, 60 casas e uma escola municipal  danificados)

Ilhota (Decretou emergência em virtude do granizo, mais de 50 casas atingidas)

Matos Costa (decretou emergência devido ao granizo e vendaval, 200 casas danificadas)

Blumenau (granizo e alagamento. Muro de um supermercado caiu e atingiu um ônibus)

Gaspar (granizo)

Lages (granizo e alagamento)

Santo Amaro da Imperatriz (alagamento)

Correia Pinto (vendaval)

Guaramirim (granizo e vendaval, 30 atendimentos)

Caçador (granizo e vendaval)

Calmon (granizo e vendaval)

Pirabeiraba (alagamento)

Ituporanga (Registrou ventos de 115 quilômetros por hora. Foram 71 casas e 650 pessoas atingidas, uma delas levemente ferida)

Chapecó (vendaval e alagamento que atingiu 60 casas no Distrito de Marechal Bormann)

Rio do Sul (granizo)

Itaiópolis (vendaval e granizo)

São Francisco do Sul

Jaraguá do Sul (vendaval destelhou 24 casas)

Joinville (granizo com alguns estragos na produção de hortifrutigranjeiros)

Barra Velha (granizo)

Araquari (granizo 3 casas destelhadas)

Garuva  (vendaval derrubou uma árvore sobre um caminhão na SC 415)

Concórdia (53 chamadas de vendaval e alagamentos nos bombeiros)

Balneário Camboriú (ruas alagadas, um carro caiu num buraco)

Joaçaba (desabamento parcial de casa)

Itajaí (deslizamento de terra)

Comente aqui
23 out19:08

Prefeito de Xaxim é afastado

O prefeito de Xaxim, Gilson Vicenzi, está afastado do cargo desde a tarde de segunda-feira por decisão liminar do juiz Christian Dalla Rosa, da 2ª Vara da Comarca de Xaxim. O motivo teria sido a suspensão de alguns serviços públicos após a eleição de 7 de outubro, onde Vicenzi era candidato à reeleição e foi derrotado pelo candidato da oposição, Idacir Orso (PMDB).

Na semana passada o juiz já havia determinado a retomada de serviços que estavam prejudicados após a eleição, em que o magistrado entendeu ocorrer retaliação política do administrador pelo resultado negativo do pleito. O juiz comparou a ação à postura de monarcas medievais.

Na oportunidade o juiz determinou o reestabelecimento do atendimento às condições anteriores à eleição, sob pena de multa diária de R$ 5 mil.

As decisões partiram de ação civil pública encaminhada pelas promotoras da comarca de Xaxim, Fabiana Mara Silva Wagner e Diana da Costa Chierighini. Elas argumentaram que houve denúncias de interrupção no transporte escolar, no Pronto Atendimento de Saúde, exames médicos, fisioterapia domiciliar e no convênio com o Hospital Frei Bruno, situado no município.

Como a situação não foi normalizada a promotoria encaminhou uma Ação de Improbidade Administrativa, por entender que o prefeito dava mostras de desprezo pelos poderes instituídos. –O objetivo foi garantir o bom andamento dos serviços e reestabelecer a ordem pública- explicou a promotora Diana da Costa Chierighini. Ela afirmou que os atos de Vicenzi volavam os princípios que regem a administração pública.

E afirmou que o vice, Adacir Araldi, que assumiu o executivo, pode ser responsabilizado judicialmente se não retomar a normalidade dos serviços. Araldi informou através de assessoria de imprensa de que não iria se pronunciar até se interar melhor da situação.


COTRAPONTO


O prefeito afastado de Xaxim, Gilson Vicenzi, disse que está recorrendo da decisão judicial e está confiante em voltar ao cargo. –Houve uma falta de entendimento- argumentou. Vicenzi reconheceu que houve redução dos cargos comissionados, embora não lembre quantos, e de convênios.

Mas nega que tenha ocorrido paralisação de atendimento em represália ao resultado negativo nas urnas. Ele afirmou que as medidas foram tomadas para se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal, que não permite aos administradores deixarem dívidas para seus sucessores.

-Não houve nenhuma paralisação na saúde, educação, transporte escolar ou no atendimento no hospital de Xaxim- argumentou.

1 comentário
23 out17:25

Palco Giratório apresenta a dança do Cavalo Marinho


A última etapa do Palco Giratório em Santa Catarina traz ao Estado o espetáculo de dança de rua A Barca, do Grupo Grial de Dança de Pernambuco. Os artistas encenam a tradicional dança pernambucana cavalo marinho, que mistura dança e teatro com personagens que interagem com o público. O Sesc apresenta a montagem em ruas, praças e auditórios de onze cidades catarinenses com apresentações gratuitas, de 10 a 25 de outubro.


A Barca conta histórias populares e eruditas das mais diversas maneiras, em um espetáculo festivo, lúdico, poético, vigoroso e musical. Tudo na sua construção cênica permeia o universo do Cavalo Marinho para construir contações de histórias universais como Dom Quixote, Joana D’arc, Medusa, Romeu e Julieta, Iara e outras. Aqui, a tradição entra em cena de forma pungente, contundente, inteira e criativa para questionar o lugar das Tradições no Brasil de hoje.


O Cavalo Marinho é um teatro de rua tradicional da Zona da Mata Norte de Pernambuco. Conduzido por música e dança, possui dezenas de figuras que podem estar pintadas, vestindo máscaras, paletós, chapéus, penas, golas ou armações de bichos, que podem surgir em pernas de pau ou cuspir fogo. Figuras que dançam e compõe coreografias, dançarinos que encenam, figuras que improvisam, dialogam e interagem com o público. O que faz do Cavalo Marinho uma das tradições mais peculiares é o fato de ter se formatado como teatro. Embora a música e a dança sejam elementos imprescindíveis, o funcionamento da brincadeira como um todo está voltado para o teatro.


Serviço

O que: Palco Giratório – A Barca

Quando: 24/10/2012

Horário: 21h

Onde: Praça Coronel Ernesto Bertaso*

Quanto: Gratuito

Informações: *Em caso de chuva a apresentação será no Ginásio do SESC

Comente aqui
23 out17:18

Uno conquista medalha inédita na natação do JUBs

A Unochapecó foi muito bem representada na Olimpíada Universitária Brasileira na modalidade de natação. O acadêmico de odontologia Davi Cadore foi medalha de bronze nas provas realizadas em Foz do Iguaçu. A universidade já havia conquistado diversas medalhas em nível estadual, mas na etapa nacional foi a primeira obtida dentro das piscinas.

 A competição no Paraná reúne mais de três mil atletas matriculados em universidades de todos os estados brasileiros e Distrito Federal. Cadore representou a Unochapecó e integrou a seleção catarinense universitária de natação que foi comandada pelo técnico chapecoense Vitor Goulart. A chapecoense Evelin Conte também integrou a seleção catarinense.













Comente aqui
23 out17:11

Chapecó é tricampeão do Circuito Oeste

O maior município do oeste confirmou no fim de semana porque é um dos principais polos de tênis de mesa em Santa Catarina. A equipe da Prefeitura de Chapecó/Unoesc/Nord Eletric/Aurora conquistou a quarta e última etapa do Circuito Oeste de Tênis de Mesa 2012, disputada em Pinhalzinho, e de quebra garantiu o título geral da temporada.

 “Vencemos as quatro etapas do ano e confirmamos boas colocações em praticamente todas as categorias. E é esse trabalho, em todas as classes de idade, que faz a diferença”, explica um dos técnicos da PMC/Unoesc/Nord Eletric/Aurora, Giancarlo Valentini.

O resultado deu aos chapecoenses o tricampeonato do Circuito Oeste – 2010, 2011 e 2012. Chapecó somou no Troféu Eficiência do ano 464 pontos contra os 326 pontos do segundo colocado, Abelardo Luz. Em terceiro ficou Pinhalzinho com 283 pontos.

Etapa final

A etapa decisiva reuniu 168 atletas de oito cidades do oeste: Abelardo Luz, Chapecó, Descanso, Guaraciaba, São Miguel do Oeste, Maravilha, São Domingos e Pinhalzinho; e outras duas do Rio Grande do Sul: Palmeiras das Missões e Erechim. A delegação de Chapecó confirmou o título da etapa com 03 medalhas de ouro, 01 de prata e 08 de bronze e somou 73 pontos.

A segunda colocação da etapa ficou com Abelardo Luz que somou 68 pontos e conquistou 05 medalhas de ouro, 01 de prata e 02 de bronze. Pinhalzinho terminou em terceiro com 01 de ouro, 03 de prata e 03 de bronze e 48 pontos. Em quarto lugar ficou Maravilha com 32 pontos e 03 medalhas de prata e 02 de bronze. A ATMEX, que reúnes atletas de Descanso, Guaraciaba e São Miguel do Oeste, somou 19 pontos e ganhou 01 medalha de prata e 02 de bronze. Os gaúchos de Palmeiras das Missões ficaram com 01 ouro e 01 bronze na sexta colocação.

Segundo o vice-presidente da Federação Catarinense de Tênis de Mesa (FCTM), Cleberson Silva, o Circuito Oeste provou mais uma vez que é uma das competições mais organizadas do estado e a cada ano se fortalece com novos clubes. “Temos um evento com mais de 160 atletas de média por etapa e com um nível técnico subindo ano a ano. E é desse evento que já surgiram campeões estaduais e atletas de seleção catarinense. Tenho certeza que novos talentos aparecerão”, comemora o vice-presidente da FCTM.

Comente aqui
23 out14:31

Dezesseis municípios já comunicaram a Defesa Civil Estadual

A Defesa Civil do Estado já recebeu comunicado extraoficial de 16 municípios que tiveram prejuízos com os temporais registrados entre segunda e terça-feira. Uma frente fria chegou ao estado na segunda-feira e causou instabilidade no clima. De acordo com a assessoria de imprensa da Defesa Civil, até o início da tarde não houve nenhum comunicado oficial.

Os municípios atingidos são: Ilhota (granizo), Blumenau (granizo e alagamento), Gaspar (granizo), Lages (granizo e alagamento), Santo Amaro da Imperatriz (alagamento), Correia Pinto (vendaval), Guaramirim (granizo e vendaval), Caçador (granizo e vendaval), Matos Costa (granizo e vendaval), Calmon (granizo e vendaval), São João do Itaperiu (granizo), Pirabeiraba (alagamento), Ituporanga (alagamento), Chapecó (vendaval e alagamento), Rio do Sul (granizo), Itaiópolis (vendaval e granizo).

O município de Concórdia também teve vendaval e alagamento mas não tinha comunicado a Defesa Civil até o início da tarde.

Comente aqui
23 out13:55

Dia de reconstruir os telhados e limpar a casa

Darci Debona|darci.debona@diario.com.br


A segunda-feira foi dia de limpeza e reconstrução para as famílias atingidas por um temporal, ocorrido no final da tarde de segunda-feira, no distrito Marechal Bormann, em Chapecó.

Cerca de 200 pessoas, de 60 residências, foram afetadas na maior cidade do Oeste. Ontem elas tentavam arrumar o estrago. A maioria das famílias é de baixa renda e enfrenta dificuldade para comprar as telhas. A Defesa Civil do município fez um levantamento e vai tentar auxílio do órgão estadual.

Janete Teixeira está desempregada e não tem dinheiro para cobrir a casa, que ficou completamente destelhada. –Vou pedir ajuda das pessoas pois não tenho condições- declarou. Ela mora sozinha com o filho, de 10 anos. Na hora do temporal, estava sozinha em casa. –Só me ajoelhei e pedi proteção de Deus- lembrou.

As marcas do temporal ainda estavam presentes no final da manhã desta segunda-feira. O chão molhado, água no fogão, roupa molhada no sofá e lonas cobrindo o pouco que restou seco. Janete dormiu numa vizinha. Ela calcula em R$ 6 mil o prejuízo. –Para nós que somos pobres é bastante- afirmou.

Artimiro Rodrigues também aguarda um auxílio da Defesa Civil. Na sua casa foram 42 telhas de cimento amianto danificadas. Só sobrou um quarto seco, onde a família dormiu à noite. A exemplo de Janete, ele não tem seguro. –O seguro é trabalhar- afirmou.

Sua mulher, Lena, passou o dia varrendo os cacos das telhas e tentando limpar o barro e a água que ficaram acumulados no piso. Eles só ligaram a energia elétrica na manhã de hoje. E ontem nem jantaram.

A filha Graziela Rodrigues, que estava em casa na hora do temporal, lembrava do ocorrido. –Foi menos de cinco minutos- calculou. O vento empurrou a porta e quebrou os vidros. Graziela teve um corte leve no pé, em virtude dos cacos.

Na casa vizinha, Ivonete e Ivonei de Almeida estavam trabalhando quando receberam por telefone a notícia de que a casas deles tinha sido atingida pelo vento. –Cheguei em casa e o cachorro latia apavorado como se quisesse contar o que tinha acontecido- lembrou.

Quando abriram a casa, estava tudo molhado e objetos caídos. Ivonei dormiu no carro e Ivonete foi com a filha dormir numa vizinha.

Hoje Ivonei pegou 30 telhas de cimento amianto para pagar posteriormente e começou a recontruir o telhado. O prejuízo passa de R$ 2 mil. Ivonete tentava ajeitar o que podia mas ainda aguardava o sol para secar as roupas e objetos da casa. Hoje eles ainda devem dormir fora.

Comente aqui
23 out11:52

Concórdia teve 53 ocorrências devido ao temporal

Os Bombeiros Voluntários de Concórdia finalizaram na manhã desta terça-feira os atendimentos em virtude do temporal que caiu na cidade no final da tarde de segunda-feira.

Foram 53 chamados de ocorrência em virtude de destelhamentos, árvores caídas e alagamentos. Os bairros atingidos foram Nações, Estados, Imigrantes e Santa Cruz. De acordo com o Líder do Dia dos Bombeiros, Armindo da Silva, ontem foram entregues 15 lonas. Hoje pela manhã foi realizado o corte de uma árvore que ameaçava cair sobre uma casa na rua 29 de Julho.

Nenhuma família teve que deixar sua casa. -Agora a chuva parou e a situação está tranquila- aifrmou Silva.

A Prefeitura também trabalhou na desobstrução de bueiros que entupiram durante o temporal.

Comente aqui
22 out22:07

Chapecoense na obrigação

Uma classificação que parecia fácil, ficou complicada. A Chapecoense está na obrigação de vencer o Tupi, no próximo sábado, às 16 horas, no Índio Condá, para garantir uma das quatro vagas do Grupo B para a próxima fase da Série C.


Tudo por causa das duas derrotas consecutivas fora de casa, contra Oeste (1×0) e Madureira (2×1). Com os resultados a Chapecoense perdeu a vice-liderança e caiu para o quinto lugar, fora da zona de classificação. Os catarinenses foram ultrapassados pelo Oeste (28 pontos), Caxias (27 pontos) e Duque de Caxias (os mesmos 26 pontos da Chapecoense mas oito vitórias contra sete da Chapecoense).
Mesmo assim a Chapecoense só depende das próprias forças porque o Duque de Caxias e o Caxias se enfrentam na última rodada. Outro problema da derrota para o Madureira é que, mesmo classificando, o time de Gilmar Dal Pozzo dificilmente ficará em primeiro ou segundo lugar do grupo. Os dois primeiros garantem o segundo jogo do “mata-mata” em casa. O líder Macaé, 29 pontos, e o vice líder Oeste, com 28, jogam em casa.
O mais provável é que a Chapecoense classifique em terceiro ou quarto, decidindo a vaga na Série B fora de casa. Se ficar em quarto provavelmente pega o Fortaleza.
O técnico Gilmar Dal Pozzo reconheceu que o time jogou mal fora de casa mas está confiante, pois o time depende apenas de suas forças e joga em casa. –Temos uma chance boa, na nossa casa e com a nossa torcida- avaliou.
Ele espera um bom público para ajudar o time a garantir a vaga na segunda fase. –Temos que mobilizar a torcida para o último jogo. Para o técnico não é momento de ficar pensando na derrota para o Madureira. –Se ficarmos lamentando vai influenciar no jogo de sábado- concluiu.
O presidente do clube, Sandro Pallaoro, lamentou que o time desperdiçou as chances de classificação antecipada. –Agora é tudo ou nada- declarou. O presidente disse que é hora de dar um puxão de orelha mas também passar tranquilidade- afirmou. Afinal o time precisa apenas repetir o que vinha fazendo nos últimos jogos em casa, onde goleou Caxias (4 a 0), Duque de Caxias ( 3 a 1) e Brasiliense (3 a 0).

Comente aqui