Região

24 ago16:14

São Miguel do Oeste pode ter linha aérea regular

Secretários Regionais e entidades empresariais estudam a regionalização do aeroporto.

Durante encontro, realizado na segunda-feira, 22, o secretário regional, Wilson Trevisan e o prefeito de São Miguel do Oeste, Nelson Foss da Silva, conversaram sobre a possível regionalização do Aeroporto Municipal Hélio Wassun.

Para Trevisan com a regionalização será possível atender a demanda regional e facilitar o alcance do número de passageiros diários exigidos pela empresa aérea. O secretário Regional mencionou o interesse das SDRs da região.

- Em termos de logística a proposta é interessante. Regionalmente é mais fácil alcançarmos a meta de passagens que empresas aéreas estabelecem ao aeroporto – declara.

Linha aérea regular em São Miguel do Oeste

Na reunião, o prefeito declarou que o município pode receber uma linha aérea regular ainda este ano. Representantes da companhia aérea NHT, devem participar de uma reunião com os secretários regionais de São Miguel do Oeste, Maravilha, Dionísio Cerqueira e Itapiranga, Governo Municipal e entidades empresariais.

A reunião de trabalho será realizada em São Miguel do Oeste e definirá a questão da linha aérea na região. A data do encontro ainda não foi definida.

1 comentário
24 ago14:48

Shopping Pátio Chapecó terá sala 3D

Quatro salas de cinema fazem parte da estrutura de entrenimento.

Cinema é um ambiente representativo, que proporciona momentos de lazer, entretenimento e interatividade, além de ser um instrumento cultural para a população. De acordo com a Extra Comunicação, as quatro salas do Shopping Pátio Chapecó terão capacidade total para mil lugares.

Diante do perfil da população e da capacidade de consumo, o shopping terá uma sala de cinema 3D, a primeira em toda a região Oeste de Santa Catarina, para exibição de imagens em três dimensões. As outras três salas são para projeção em 35 milímetros.

A operação será conduzida pela Arcoíris Cinemas, através da rede Arcoplex, que desempenha atividades em seis estados do país. Segundo Michele Barreto, assistente da área de Marketing da Arcoíris Cinemas, no shopping os consumidores terão instalações que receberão com maior antecedência e com mais freqüência os grandes sucessos do cinema nacional e internacional. Assim, o público poderá assistir no Shopping Pátio Chapecó, que tem a administração da AD Shopping, simultaneamente, os lançamentos feitos nos grandes centros do país.

Shopping Pátio Chapecó

A inauguração do empreendimento está marcada para o dia cinco de outubro.

Comente aqui
24 ago09:35

Concordienses participam dos Jogos Mundiais de Policiais e Bombeiros

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Dois policiais militares de Concórdia vão representar Santa Catarina no Jogos Mundiais de Policiais e Bombeiros, que iniciam na sexta-feira, em Nova Iorque. Marcos Rodrigo Sartori e Gesiel Lorenzetti viajaram terça-feira, de ônibus, para São Paulo.  Nesta quarta eles embarcam para os Estados Unidos.

Lorenzetti vai participar nas provas de 110 metros com barreira, 400 metros com barreira e os revezamentos 4 x 100 e 4 x 400. Sartori vai participar das mesmas provas mais o salto triplo. No entanto eles competem em categorias diferentes. Lorenzetti, que tem 26 anos, é da Categoria Open, que reúne atletas de 18 a 29 anos. Sartori, que tem 34 anos, está na Categoria Senior A, com idade entre 30 e 35 anos.

Eles se credenciaram para a competição após os bons resultados nos Jogos Iberoamericanos de Policiais e Bombeiros, disputado no ano passado, em Manaus-AM. Sartori foi medalha de ouro no salto triplo, no salto em distância, nos 110 metros com barreira e nos 400 com barreira. Lorenzetti ganhou os 110 metros com barreira, os 400 metros rasos e o salto triplo.

Lorenzetti fará sua estreia em mundiais mas seu colega já disputou a competição em 2009, em Vancouver, onde foi medalha de ouro nos 400 metros com barreiras e no Salto Triplo. Também levou a prata nos 110 com barreira e bronze nos 4 x 400.

Por isso está confiante também num bom resultado em Nova Iorque. -Como vou disputar 15 medalhas alguma pretendo trazer para casa- afirmou. Lorenzetti também pretende conquistar algum prêmio. Afinal ele já tem três medalhas de ouro nos Jogos Abertos de Santa Catarina, em 2004, 2006 e 2010, nos 110 metros com barreira. Ele começou a competir em 2002, representando a Fundação Municipal de Desporto de Concórdia em competições de base. Há três anos entrou na Polícia Militar e seguiu treinando nas horas de folga.

Sartori começou a competir depois que entrou na Polícia Militar, há 15 anos. -Procurava manter a forma para desempenhar bem meu trabalho- lembrou. E já tem medalhas nos Jasc, uma de ouro em 2003, no revezamento de 4 x 100, e uma de prata em 2005, na mesma prova. Os dois policiais de Concórdia querem incentivar a participação dos colegas em competições. Tanto que estão criando a Federação Catarinense de Esportes de Policiais em Bombeiros, que está em fase de legalização. Bom para a comunidade que terá profissionais bem preparados.

O que é a competição

Os Jogos Mundiais de Policiais e Bombeiros (World Police & Fire Games) são disputados de dois em dois anos e reúne profissionais que trabalham nas áreas de segurança pública, como policiais militares, civis, federais, rodoviários, bombeiros, guardas municipais e agentes prisionais. A competição iniciou em 1967, na Califórnia.

Neste ano, em Nova Iorque, será disputado de 26 de agosto a 5 de setembro. São cerca de 15 mil atletas que vão competir em 65 modalidades. Além das modalidades olímpicas, como atletismo, há provas específicas para policiais e bombeiros, como adestramento de cães, tiro policial, bombeiro mais resistente e até paintball.

Comente aqui
22 ago15:27

Duas oestinas participam do Parlamento Jovem

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br 

Duas estudantes da Escola de Educação Básica Osni Paulino da Silva, de Anchieta, serão as representantes de Santa Catarina no Parlamento Jovem 2011, projeto que pretende estimular o debate e a conscientização política entre os jovens brasileiros.

Alexandra Pereira da Silva e Gabriela Perin, ambas com 17 anos e cursando o último ano do Ensino Médio, estão entre os 77 selecionados em todo o país.

Entre os dias 26 e 30 de setembro elas vão participar de uma simulação da rotina dos parlamentares, participando de sessões e defendendo seus projetos perante os demais selecionados. Os projetos aprovados poderão até virar lei, se forem adotados por algum deputado.

Gabriela vai sair do Oeste pela primeira vez

A viagem mais longa que Gabriela Perin fez em seus 17 anos de vida foi até Caibi, que deve dar pouco mais de 100 quilômetros de Anchieta. Nem São Miguel do Oeste ela conhece direito. Mas agora, graças ao projeto aprovado no Parlamento Jovem, vai andar pela primeira vez de avião, conhecer Chapecó e, pela primeira vez, sair de Santa Catarina.

-Quando soube que tinha sido escolhida fiquei assustada- disse. Ela está pegando dicas de como arrumar a mala para a viagem. –Não sei se a gente vai dar entrevista para a televisão- imagina.

Ela acompanha o noticiário e faz pesquisas para defender seu projeto, que é de garantir vaga nas universidades públicas para estudantes com boas notas no Ensino Médio. Ela não considera justo avaliar em apenas algumas provas, em um ou dois dias, o conhecimento acumulado ao longo dos anos. Segundo ela isso privilegia quem pode pagar cursinhos pré-vestibular.

-Tem muita gente que não tem condições de pagar e fica desestimulado- disse. Ela própria vai tentar vestibular para Biologia, na Universidade Estadual de Londrina e na Unoesc de São Miguel do Oeste, pois considera difícil passar para Odontologia numa universidade pública. Além disso, pelo custo do curso, não conseguiria pagar uma universidade particular. Seus pais são agricultores no interior de Anchieta e, seu pai, enfrenta problemas de saúde.

Pelo menos ela vai ter uma nova experiência, que pode enriquecer seu conhecimento. –Acho que vai ser muito bom para o currículo- diz.

Também avalia que o projeto do Parlamento Jovem é uma oportunidade da população mostrar suas idéias. Ela tem uma imagem negativa dos políticos. –O que é bom para o povo demora e o que é bom pra eles aprovam rápido- explicou.

Ela citou o exemplo do aumento do salário dos deputados, em que eles são rápidos e generosos com eles mesmos.

Ela não pretende seguir carreira política. Mas considera necessário acompanhar o trabalho dos políticos. –São nossos governantes- avalia. Só fiscalizando e cobrando para melhorar a atuação deles.

Alexandra quer seguir carreira política

Depois de ser selecionada para o Parlamento Jovem 2011, Alexandra Pereira da Silva começou a cogitar a participação na vida política. –Me passou pela cabeça pois agora sei que posso conseguir- afirmou.

Ela já é participativa na escola, ajudando nas gincanas e promoções, além de ter sido líder de turma.

Até este ano ela não acompanhava a política. –Não gostava muito- confessou. Mas agora está ligada no que acontece. Um dos motivos é a argumentação para defender seu projeto. Alexandra quer que o ensino e língua estrangeira inicie já no primeiro ano do ensino fundamental e não mais a partir da quinta série, como é atualmente. –Nesse mundo capitalista e globalizado é fundamental saber uma segunda língua- argumenta. Ela lembrou que há estudos confirmando que quanto mais cedo é melhor para aprender outra língua. –As crianças aprendem mais rápido- explica.

Ela lembrou que, quando recebeu a notícia de que seu projeto tinha sido selecionado, ficou paralisada.

A ansiedade para a viagem é muito grande. –Vai ser a primeira vez que vou andar de avião- comentou. Depois que seu projeto foi escolhido, recebe os parabéns todos os dias. Recentemente ela passou do turno da manhã para estudar à noite, pois sua mãe começou a trabalhar e ela precisa ajudar a cuidar da irmã pequena.

Ela está se preparando para o vestibular, que pretende prestar para Enfermagem, na Unoesc de São Miguel do Oeste. Além disso, está convencida de que o jovem tem um papel na comunidade. –Nós temos como mudar- declara. Ela quer aproveitar a experiência de Brasília para um dia, quem sabe, aplicar em sua cidade o que irá aprender.

Comente aqui
22 ago11:40

Militares retornam de operação no Complexo do Alemão

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

 

Um esquadrão com 116 militares que estiveram atuando na Força Pacificadora no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, retornou na sexta-feira ao quartel do 14 Regimento de Cavalaria Mecanizada (RCMec), em São Miguel do Oeste.

Houve uma formatura de recepção para os militares que ficaram três meses fora. Eles trabalharam para garantir a segurança no complexo de favelas que no ano passado foi tomado pela polícia, com auxílio do exército, para desmantelar quadrilhas de roubo e tráfico que atuavam de forma ostensiva na região. A ação foi numa área de quatro quilômetros quadrados com uma população de 400 mil pessoas.

Para o comandante do 14 RCMec, tenente-coronel Amaro Soares de Oliveira Neto, a atuação do Exército no Rio de Janeiro está entre as atribuições legais, para manter o ordenamento jurídico numa área onde havia a ausência do Estado.

- Houve o resgate de cidadania para uma população que estava sob o jugo do crime- declarou.

O comandante prevê que essas missões de paz ficarão mais freqüentes pelo crescimento da importância do Brasil no cenário mundial. Ela afirmou que a ação também qualifica os militares para outras missões. A expectativa é que em abril do ano que vem mais militares de São Miguel do Oeste estarão numa missão no Haiti, onde o Exército Brasileiro já está presente.

Tumultos em baile funk

O choque cultural foi inevitável para o cabo Sérgio Veit, natural de Itapiranga, quando chegou ao Rio de Janeiro. –Eles são um povo mais individualista- comparou. –Lá todo mundo vive um em cima do outro- lembrou, sobre as construções das casas emendadas uma na outra.

Cabo Sérgio Veit.

Ele afirmou que os momentos de maior tensão foram nas horas em que tinham que encerrar as festas, como baile funk, pois tinham horário determinado para encerrar. –Havia tumulto pois a população reagia contra a atitude da tropa- explicou.

Veit disse que não sentia medo de entrar na favela pois estava preparado para enfrentar o que viesse. Mas os familiares ficaram preocupados. Agora ele estão aliviados pelo retorno do filho.

Veit disse que aprendeu muita coisa nesses três meses. Uma delas é valorizar o lugar onde mora. –Aqui é um paraíso- comparou.

 

 

Tráfico ostensivo foi reprimido

A ação da Força Pacificadora teve como resultado positivo a eliminação do tráfico ostensivo, na avaliação do capitão Diego Morais Duarte. Ele comandou o esquadrão no Rio de Janeiro, em ações de controle de vias urbanas, cercos e escoltas. Os militares receberam treinamento específico para atuar na área urbana, entre eles a utilização de arma não letal.

Capitão Diego Morais Duarte.

Duarte lembrou que um dos momentos mais tensos foi uma abordagem na Praça São Lucas, na Vila Cruzeiro. –Já na chegada um militar levou uma pedrada- lembrou. Em outra ação, houve um disparo de arma de fogo de longa distância, de um ponto do morro, que, por sorte, não atingiu ninguém.

Em algumas ações, os militares tiveram que utilizar gás lacrimogêneo e disparos com arma de borracha. Ele lembrou que, no início, havia um receio da população em relação à atuação da Força Pacificadora. Mas aos poucos foram ficando mais receptivos. –A população passou a ter confiança no nosso trabalho- disse.

Duarte afirmou que a ação do Exército e das outras forças policias permitiu a chegada de serviços essenciais numa área antes dominada pelo tráfico. – Agora chega a empresa de recolhimento de lixo, correio e até postes de iluminação pública- explicou.

O capitão afirmou que o tráfico não foi exterminado completamente, mas já não é quem domina o território, pois a força do Estado se faz presente.

 

 

Ovos e tentativa de atropelamento

Uma das coisas que mais chamou a atenção do tenente Rafael Silva Romani no Rio de Janeiro foi que a população protegia os traficantes. –Eles estão tão acostumados com isso e têm medo- afirmou.

Romani lembrou que os traficantes conhecem a população e por isso muitos temem o que vai acontecer após a saída do exército.

Tenente Rafael Silva Romani.

Romani disse que o Complexo do Alemão era uma área onde não havia regras. Houve apreensões de drogas e produtos roubados. O transporte coletivo era feito por motoristas sem habilitação. Quando o exército chegava numa área, todo mundo sumia. –Os becos ficavam vazios de repente- disse.

As situações mais complicadas eram nas prisões. –Tinha que ser rápido senão acabava formando tumultos- disse.

Numa festa os militares estavam fazendo revista e alguém jogou ovos nos soldados. Os militares prenderam quem jogou os ovos e houve tumulto pois os moradores queriam defender quem foi preso.

-Tínhamos que agir rapidamente para evitar confusão- explicou. Houve até uma tentativa de atropelamento numa blitz. Segundo Romani, um Policial Militar à paisana não quis parar e quase atropelou um soldado. Ele foi parado com um tiro de borracha.

O tenente defende a permanência da Força de Pacificação no local. –Se o Estado tiver vontade acaba com o tráfico- opinou.

Comente aqui
18 ago16:59

Assassinato em Itá teria sido motivado por vingança

Daisy Trombetta | daisy.trombetta@diario.com.br

Conforme a polícia, vítima teria participado da morte de irmão do suspeito

Pode ter sido motivado por vingança o assassinato de Odair Fabiano Camargo, de 18 anos, na noite da terça-feira (16) em Itá, no Oeste catarinense. Ele foi morto com pelo menos 20 facadas, nos fundos da igreja matriz.

O suspeito pelo crime, Fernando Arthur da Silva, de 25 anos, confessou a autoria do homicídio à polícia. Conforme o delegado Rogério Taques, a vítima teria participado do assassinato do irmão do suspeito, em 2010.

Silva contou em depoimento o local onde tinha abandonado o facão utilizado no crime. A polícia encontrou a arma jogada às margens da SC-466. Ele foi preso em flagrante por homicídio qualificado e já foi encaminhado ao Presídio Regional de Concórdia.

Ele foi detido no hospital de Itá, logo após o crime, quando buscou atendimento por conta de uma fratura no pé. O delegado disse que ele teria se machucado ao jogar o corpo da vítima em um barranco próximo à igreja. Ele foi preso e reconhecido pela adolescente, que era namorada do jovem morto.

No momento do assassinato, a vítima estava com a namorada, de 16 anos, nos fundos da igreja por volta das 21h. O casal foi surpreendido pelo suspeito, que amarrou e amordaçou os dois com as próprias roupas. Camargo também foi atingido por pedradas no rosto. A adolescente conseguiu fugir e pedir socorro. Ela não sofreu ferimentos.

Comente aqui
18 ago16:39

Nova ligação com o RS

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Santa Catarina conta desde segunda-feira (15) com uma nova ligação com o estado vizinho.

Às 8 horas foi liberado o tráfego pela barragem Foz do Chapecó, construída entre Águas de Chapecó e Alpestre-RS.

A rodovia, que passa por cima do barramento, liga a ACH 050 com uma estrada municipal de Alpestre. São 10 quilômetros aslfaltados no lado catarinense e 16 quilômetros sem asfalto no lado gaúcho.

A empresa alerta aos usuários para não parearem os veículos sobre a barragem. O trajeto será monitorado por câmeras.

O prefeito de Águas de Chapecó, Adilson Zeni, disse que já está ocorrendo uma mobilização para asfaltar também o lado gaúcho, pois a nova passagem reduz em oito quilômetros a ligação entre Águas de Chapecó e Alpestre, feito por barca. Em relação a cidades como Passo Fundo e Porto Alegre há uma redução de 50 a 60 quilômetros, já que os moradores de Águas de Chapecó e arredores tinham que ir até Chapecó e atravessar pela ponto do Goio-Ên, que liga Chapecó a Nonoai-RS.

- A expectativa da comunidade é que as condições para o desenvolvimento econômico da região melhorem com este novo acesso- afirmou o diretor superintendente da Foz do Chapecó Energia, Marcelo Wood Chiarello.

Comente aqui
18 ago14:48

13 pessoas são denunciadas por fraude em Palmitos

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Elas são suspeitas de um esquema na transferência de veículos

A Promotoria de Justiça de Palmitos encaminhou ao Poder Judiciário denúncia contra 13 pessoas suspeitas de participarem de um esquema de fraude em transferência de veículos. Um escritório despachante de Palmitos teria feito a transferência de propriedade e de domicílio de dezenas de veículos com declarações falsas. O objetivo era acobertar a informação de que os carros, adquiridos em leilões promovidos por seguradoras no estado de São Paulo, já tinham sofrido acidentes.

Em Santa Catarina, ao contrário do Rio Grande do Sul e em São Paulo, não é obrigatório constar no Certificado de Registro do Veículo as palavras: “sinistro/indenizado”. A omissão evitaria a perda de valor de mercado do carro. Há também denúncia de subtração de documentos confiados a funcionário público. O Ministério Público aguarda o recebimento da denúncia pelo Poder Judiciário.

Comente aqui
16 ago10:14

Apreendidos 120 quilos de explosivo em Coronel Freitas

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Uma apreensão de 120 quilos de explosivo foi realizada na manhã desta terça-feira (16) no interior de Coronel Freitas. A dinamite estava numa propriedade rural da linha Monte Alegre. De acordo com o delegado coordenador da Divisão de Investigação Criminal de Chapecó, Augusto Melo Brandão, a suspeita é de que o material seja o mesmo furtado de uma empresa de detonações de Chapecó, no dia 2 de agosto.

A partir daquela data a Polícia Civil de Chapecó, com o auxílio da equipe de Patrulhamento da Fronteira, começou a investigação que resultou na “Operação 16”. O número é referente à posse ilegal explosivo, na Lei de Desarmamento.

O mandado de busca e apreensão foi cumprido a partir das 6 horas da manhã. Três pessoas foram presas em flagrante na propriedade onde estava a dinamite. Um deles, Ivan Bertozo, 34 anos, é suspeito de ser fornecedor do explosivo para quadrilhas. O delegado supõe que ele tenha fornecido o explosivo utilizado na tentativa frustrada de arrombar um caixa eletrônico em Nova Erechim, na semana passada.

Brandão afirmou que o material aprrendido hoje seria utilizado para outros assaltos. –É um volume muito grande que iria fazer um estrago em todo o estado- avaliou.

Berrtozo, que já tem outras passagens policiais, deve ser indiciado por posse ilegal de explosivo, segundo delegado. A pena para este crime é de reclusão de três a seis anos.

Um irmão de Ivan, Adilson Bertozo, foi preso na mesma casa mas a polícia ainda está investigando a participação dele. Já um tio, Iloí Betozo, 54 anos, foi preso por posse ilegar de arma, numa casa vizinha, com duas espingardas, um revólver e uma garrucha. Ele deve ser liberado após pagamento de fiança.

A Polícia Civil vai aprofundar a investigação para tentar identificar outras pessoas que formariam uma quadrilha de assaltantes.

Comente aqui
15 ago12:51

Ilusão de ótica?

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Gêmeas de Xaxim integram a equipe de futsal da cidade

Aquela história de um jogador seria tão rápido a ponto de bater escanteio e cabecear na área pode ser aplicado pelo time da CRE Xaxiense, de Xaxim, no Oeste do Estado. A equipe tem chamado a atenção nos campeonatos que disputa, pois parece ter jogadoras que se multiplicam em quadra. A mesma atleta que lança a bola na defesa parece estar no mesmo momento no ataque. A jogadora que é vista num lado da quadra, logo em seguida parece estar do outro lado. E às vezes o torcedor parece estar vendo dobrado, mesmo não tendo bebido. Seria ilusão de ótica. Não.

– Já somos conhecidos como o time das gêmeas- contou o técnico Andrei Sberse da Xaxiense.

A equipe de base do Xaxiense tem oito irmãs idênticas

Tudo começou com as irmãs Camila e Cândida Baccin, que tem 22 anos, e Andressa e Vanessa de Almeida Batista, ambas com 15 anos, e que desde os nove treinam no time.

O técnico Andrei Sberse gostou da experiência de ter gêmeas no plantel. No início do ano começaram a vir as gêmeas do Rio Grande do Sul fazer teste no time. Em fevereiro chegaram Jéssica e Ketruen Gritti, de Sananduva, e Ana Maria e Maria Isabel Zanatta, de Tapejara. As irmãs Zanatta indicaram as conterrâneas Karen e Kelen Bender.

– Foi um choque quando vi as meninas todas iguais- lembrou Kelen.

- Agora dá para distinguir mas no início era difícil- lembrou o técnico. Para tentar saber quem era quem, ele apelava para os números na camisa e calção. Mas, nos jogos, a confusão ainda é inevitável.

– Às vezes chamo uma e é a outra- diz. As próprias jogadores se confundem. Uma das brincadeiras preferidas das jogadoras e testar as outras para saber se identificam quem é quem. Camila Baccin tenta identificar, mas acaba errando. –Eu só sei quem são as loiras altas- afirma Vanessa, referindo-se às irmãs Gritti. Andressa diz que só reconhece a irmã, Vanessa. –Não diferencio nenhuma – confessa. Kelen é a única que diz conhecer todas.

Mas, ao mesmo tempo que traz confusão, há vantagem em ter tantas gêmeas no time. O técnico Andrei Sbertse disse que em várias vezes utiliza duas duplas delas em quadra. –Isso confunde o adversário que não sabe quem é quem – afirmou.

As meninas são campeãs da microrregional

Jéssica disse que em alguns jogos os adversários nem percebem que fez a substituição com a irmã e falam admirados. –Nossa, como você corre! Nesse caso ela corre por duas. Ana Maria Zanatta disse que é bom jogar em time de gêmeas, pois além de confundir os adversários o entrosamento é melhor. -A gente joga junto desde pequena- completa Vanessa As irmãs Karen e Kelen Bender, de Tapejara, gostam de jogar juntas. –Eu já sei onde minha irmã vai estar para largar a bola- disse Karen (ou será que foi a Kelen?). A única diferença é que a Karen tem a franja para a frente e a Kelen tem a franja para o lado, explicam as colegas.

Fora das quadras as pessoas acham que é a mesma pessoa que estava num lugar e depois já estava em outro. –As pessoas perguntam ô, tu não tava lá dentro – disse Kelen.

Apesar do time ser formado por pessoas tão parecidas, elas têm suas peculiaridades. Tirando Ana e Bel, que são alas, as demais jogam em posições diferentes das irmãs. E nenhuma quis ser goleira. Vai ver que é porque não dá para escalar duas goleiras.

O certo é que o time é atração por onde vai disputar os campeonatos e muitos querem tirar fotos com elas. E não vão pensar que o time é formado por gêmeas só para bonito. –Todas jogam bem- argumentou o técnico. Tanto que a equipe é campeã microrregional da Olesc e dos Joguinhos. Também, com um plantel desses, o time deve jogar o dobro.

QUEM SÃO ELAS:

Ketruen Fernanda Gritti- Fixa- 16 anos, natural de Sananduva-RS, joga desde os nove anos e torce para o Inter-RS. Está na Xaxiense desde fevereiro.

Jéssica Fernanda Gritti- Pivô- 16 anos, natural de Sananduva-RS, joga desde os nove anos e torce para o Inter-RS. A única diferença da irmã é que usa uma pulseira. Está na Xaxiense desde fevereiro.

Karen Bender- Fixa- 15 anos, natural de Tapejara-RS, joga desde os oito anos, torce para o Inter-RS. Para diferenciar-se da irmã usa franja para frente. Está na Xaxiense desde março.

Kelen Bender- Pivô- 15 anos, natural de Tapejara-RS, joga desde os oito anos, torce para o Inter-RS. Para diferenciar-se da irmã usa franja para o lado. E vive provocando a irmã. Está na Xaxiense desde março.

Ana Maria Zanatta-Ala-direita- 16 anos, natural de Tapejara-RS, joga desde os sete anos, torce para o Grêmio-RS. É mais falante do que a irmã. Jogou na Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora/Female no ano passado e foi contratada pela Xaxiense em fevereiro.

Maria Isabel Zanatta (Bel)-Ala-esquerda- 16 anos, natural de Tapejara-RS, joga desde os sete anos, torce para o Grêmio-RS. Jogou na Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora/Female no ano passado e foi contratada pela Xaxiense em fevereiro.

Vanessa de Almeida Batista- Pivô- 15 anos, natural de Xaxim, joga desde os nove anos na CRE Xaxiense. Torce para o Corinthians-SP.

Andressa de Almeida Batista- Ala-direita- 15 anos, natural de Xaxim, joga desde os nove anos na CRE Xaxiense. Torce para o Corinthians-SP.

Comente aqui