Acesso

16 jan15:08

Imprudência é a principal causa de acidente no acesso da BR 282

DARCI DEBONA

Foto: Sirli Freitas

Mesmo com o asfalto ruim, desvios e estreitamento de pista a imprudência é a principal causa dos acidentes ocorridos na BR 480, conhecido como acesso Plínio Arlindo De Nês, que liga Chapecó à BR 282, onde três pessoas morreram no sábado passado.

-Em mais de 80% a causa é a imprudência- afirmou o Chefe de Policiamento e Fiscalização da Delegacia da Polícia Rodoviária Federal em Chapecó, Eugênio Lorenzon. Ele citou que, dos 258 acidentes registrados nos 7,6 quilômetros que estão em obra em 2012, apenas dois foram causados por defeito na via e cinco por defeitos mecânicos. Os 251 demais foram por imprudência dos motoristas.

Lorenzon aponta como os principais fatores a desobediência à sinalização e a falta de atenção. O policial rodoviário reconheceu que a pista ruim mas que a sinalização é boa, com indicação dos desvios a até 1,5 quilômetro antes. Ele afirmou que a velocidade máxima permitida é de 40 quilômetros por hora. No entanto é perceptível que a maioria dos veículos anda em velocidade que ultrapassa o dobro disso. Além disso muitos motoristas não mantém uma distância segura em relação ao veículo da frente, o que causa acidentes nos pontos de estreitamento de pista.

Os motoristas que transitam pelo acesso concordam com a avaliação da polícia rodoviária. –O pessoal não liga o pisca alerta quando pára bruscamente- afirmou o empresário Dirceu Dalla Riva, que tem uma revenda de  automóveis ao lado da rodovia. Ele disse que todos os dias acontecem acidentes. Ele considera que a presença de policiais na rodovia poderia inibir os imprudentes.

O comerciante Renato Hunhoff, de Pinhalzinho, também reclama dos motoristas. –O pessoal fecha os outros e anda até na contramão- contou. Hunhoff considera que o ritmo da obra poderia ser mais rápido.

Para o motociclista Márcio Gomes Ferreira o trecho da rodovia é perigoso, pois muitos não obedecem a sinalização. Além disso ele reclamou do pavimento, que é ruim.

A duplicação da BR 282 conta com recursos do Governo Federal e contrapartida do Governo do Estado, que está gerindo a obra. De acordo com o Secretário de Desenvolvimento Regional em exercício, Gilberto Tomasi, já foram investidos R$ 25 milhões e mais de 30% do projeto já foi concluído. A obra iniciou em 2010 e tem prazo de conclusão em julho de 2014. Mas, segundo Tomasi, a expectativa é de finalizar os trabalhos ainda em 2013. Ele afirmou que a fase mais difícil, de desapropriações e escavações, já está em fase de finalização. Além disso já estão prontos os pré-moldados dos retornos e boa parte das pistas laterais. Tomasi também considera que cabe aos motoristas maior cuidado até a finalização da obra.


Comente aqui
16 ago12:03

Obras do acesso à UFFS em Chapecó são iniciadas

Iniciaram nesta semana os trabalhos de terraplanagem no traçado do acesso à Universidade Federal Fronteira Sul. Essa é a primeira fase prevista no Projeto Executivo de implantação da via de acesso à instituição que será executada em três etapas.

Na primeira etapa será implantado um trevo no acesso, junto à SC 459 no acesso à Guatambu. A segunda etapa compreende a uma seção transversal composta de duas faixas de rolamento de 3,5 metros cada, faixa de segurança externa de 1m e faixa de segurança interna com 30 cm, uma em cada sentido. Além disso, canteiro central com 4,5 metros de largura, faixa central de 1,5 metros de largura, grama e passeios laterais de 1,5 metro de cada lado.

Para a última etapa, o projeto prevê alargamento de 5,70 metros de cada lado da seção, mais duas faixas de rolamento de 3,5 metros cada, uma em cada sentido, e estacionamentos com 2,50 metros de largura nos dois lados. A seção final conterá quatro faixas de rolamento de 3,5 metros cada uma, duas de cada lado, canteiro central com 4,5 metros, mais estacionamentos internos com largura de 2,5 metros de cada lado.

As obras estão orçadas em R$ 7,2 milhões, R$ 1,1 milhão na primeira etapa, R$ 4,9 milhões na segunda, e o restante, R$ 1,1 milhão, na etapa final. Os serviços incluem além do trevo, terraplenagem, pavimentação, drenagem, sinalização e iluminação, entre outros. Para a primeira etapa, os recursos estão garantidos e disponíveis na Caixa Econômica Federal.

De acordo com o projeto, a implantação da via de acesso à UFFS tem extensão total de 2.045,04 metros a partir da rodovia SC-459 no acesso a Guatambu.


1 comentário
08 ago17:57

Acesso à BR 282 em Chapecó recebe sinalização

Foi realizada nesta quarta-feira, dia 8 de agosto, a pintura das faixas na pista do acesso à BR 282 em Chapecó. A ação visa levar mais segurança aos motoristas que circulam pela rodovia que está sendo duplicada. Sete quilômetros de pista foram pintados. De acordo com os números da Polícia Rodoviária Federal, o acesso Plínio Arlindo de Nes, (BR 480) tem um fluxo de 30 mil veículos por dia.

Para prevenir acidentes, principalmente à noite ou em dias de nevoeiro, a pista recebeu pintura nas laterais e na faixa central. Para prevenir acidentes no trecho, a SDR autorizou a sinalização do trecho.

- Pedimos aos motoristas que respeitem a sinalização e o limite de velocidade. Estamos em obras e por isso é preciso muito cuidado – lembrou o secretário regional Eldimar Jagnow.

>> Obras do acesso à BR 282 serão reiniciadas

A obra no acesso Plínio Arlindo de Nes recebe investimento de R$ 76 milhões. O projeto executivo entregue ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), prevê duplicação, implantação de iluminação, construção de dois viadutos no acesso, passeio para pedestres, além de três passarelas e três passagens inferiores.


Comente aqui
01 ago11:44

Obras do acesso à BR 282 serão reiniciadas

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O secretário de Infraestrutura de SC, Valdir Cobalchini, anunciou nesta manhã em Chapecó o reinício das obras de duplicação da BR 480, conhecido como Acesso Plínio Arlindo de Nes, que faz ligação com a BR 282. A obra ficou parada uma semana para alguns reajustes como readequação de redes de água, telefonia e energia, além das desapropriações.

– Como não podemos interromper o fluxo de veículos para resolver essas questões tivemos que fazer alguns ajustes – disse.

Nesta quarta-feira funcionários da empresa vencedora do edital devem voltar ao trabalho no viaduto, localizado no trevo da BR 282. Já as obras na duplicação iniciam na próxima semana. Cobalchini disse ainda que o pagamento, por parte do Governo do Estado,da empresa vencedora do edital está em dia e que as obras devem ser concluídas em 2013.



O secretário de Infraestrutura de SC, Valdir Cobalchini e o secretário da SDR de Chapecó Eldimar Jagnow.



- Não estamos com nenhum atraso – disse o secretário.

Na coletiva de imprensa o secretário falou também sobre o Pacto por SC que irá revitalizar duas rodovias do Oeste. Na SC 283, que liga Chapecó à Águas de Chapecó, devem ser investidos R$ 6 milhões na revitalização de 40 quilômetros, já na SC 480, rodovia que liga Chapecó com o Rio Grande do Sul, vão ser investidos R$ 29 milhões na restauração completa da pista de 20 quilômetros.

- As obras devem iniciar ainda neste ano após o edital apontar a empresa vencedora da licitação – disse o secretário. Cobalchini disse que a revitalização na SC 480 deve ser concluída em 2014, já as obras na SC 283, ainda em 2013.


Comente aqui
13 jun16:51

Cronograma de obras do acesso à BR 282 é apresentado

O acesso Plínio Arlindo de Nes, via de acesso à BR 282, está com 90% da terraplenagem, 53% da drenagem e 17,5% da pavimentação das obras concluída. A apresentação do cronograma da obra foi realizada na tarde desta quarta-feira em Chapecó durante reunião entre a Secretaria de Desenvolvimento Regional, Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) e empresas que trabalham na construção. Após a federalização o trechou passou a se chamar BR-480.

Segundo o secretário da SDR Chapecó, Eldimar Jagnow, o governo de Santa Catarina está cumprindo todos os contratos para acelerar a obra.

O engenheiro Alexandre Simone, da empresa Sul Catarinense, que executa a obra, acredita que a obra possa ser entregue até junho de 2013.

- Para isso é preciso regularizar algumas áreas que estão na faixa de domínio e fora dela – disse Alexandre.

O engenheiro da SDR Chapecó, Roberto Barbosa, explicou que no início da obra havia mais de 35 impasses com proprietários de terras ao longo do percurso e agora são apenas cinco.

O investimento total na obra, com recursos do governo federal e estadual, é de R$ 76.789.960,34. Participaram do encontro também o vice-presidente da ACIC Flávio Pasquali e o diretor geral da SDR Chapecó Gilberto Ari Tomazzi.

No encontro foi discutido também o aumento na sinalização no trecho de 7,6 quilômetros. Apesar do consenso que a grande parte dos acidentes ocorrem por imprudência e excesso de velocidade, foi pedido às empresas que realizam as obras que aumentem o número de placas de sinalização de velocidade e de cuidados ao longo do acesso.

Na segunda-feira, dia 18, a ACIC pretende entregar um documento ao ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, que estará em Chapecó, solicitando agilidade no repasse de recursos do governo federal.


Curva da morte

Um dos trechos mais críticos da rodovia, a chamada curva da morte, terá mudanças até o final do mês de julho. Segundo o engenheiro Alexandre Simone, o trânsito será desviado para as vias marginais para que sejam realizadas as obras na pista central.


Comente aqui
23 mai14:28

Trevo de acesso à Chapecó é liberado

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Chapecó foi liberada às 13h50 desta quarta-feira o trevo de acesso à Chapecó, cruzamento da BR 282 com a BR 480. Cerca de mil agricultores familiares trancavam o local desde as 10h da manhã. As filas chegaram a 5 km de extensão. A PRF permanece no local, monitorando a situação.

Segundo o coordenador Estadual da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul do Brasil (Fetraf-SUL/) em Santa Catarina, Alexandre Bergamin, a mais de 50 dias os agricultores familiares esperam por respostas do governo em relação à estiagem.

As principais reivindicações são a melhoria do Seguro Agrícola, criação de um programa de irrigação e reabertura da negociação do endividamento agrícola.

Na terça-feira os agricultores haviam realizado outro movimento em Chapecó. Eles se concentraram na Praça Coronel Bertaso e partiram em caminhada até a Cidasc, onde entregaram uma pauta de reivindicações.


Comente aqui
23 mai10:28

Agricultores familiares fecham trevo de acesso à Chapecó

[Atualizada às 10h40]

Mais de mil agricultores familiares fecharam o trevo de acesso à Chapecó, na BR 282, na manhã desta quarta-feira. Eles pedem o cumprimento da pauta apresentada ao Governo Federal há quase dois meses.  De acordo com o Inspetor Ivo Silveira da Polícia Rodoviária Federal, que está monitorando o local, a previsão é que a rodovia fique interditada até as 14 horas.

Segundo o coordenador Estadual da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul do Brasil (Fetraf-SUL/CUT) em Santa Catarina, Alexandre Bergamin, a mais de 50 dias os agricultores familiares esperam por respostas do governo em relação à estiagem.

As principais reivindicações são a melhoria do Seguro Agrícola, criação de um programa de irrigação e reabertura da negociação do endividamento agrícola.

Nesta terça-feira eles também realizaram um movimento, só que desta vez, com foco no Governo do Estado. Os agricultores se concentraram na Praça Coronel Bertaso em Chapecó e partiram em caminhada até a Cidasc, onde entregaram uma pauta de reivindicações.

Os agricultores familiares reclamam que a Cidasc terceirizou a inspeção sanitária, que antes era gratuita e agora é feita por profissionais contratados de empresas ou cooperativas, que cobram pelo serviço.

A Fetraf-Sul também cobra uma redução na alíquota do ICMS nos produtos da agricultura familiar, que é de 17%.

Segundo a Cidasc, em relação à cobrança das inspeções, a companhia não tem como dar conta das 800 empresas que tinha para fiscalizar e por isso adotou o modelo de credenciar empresas, que é utilizado em países desenvolvidos.


* colaborou Silvia Nowalski


Comente aqui
16 mai17:16

Acic de Chapecó pede sinalização no acesso à BR 282

Para avaliar o desenvolvimento das obras de duplicação do acesso à rodovia federal BR 282, diretores da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) se reuniram com o secretário de Desenvolvimento Regional Eldimar Jagnow, nesta semana. Na ocasião, o presidente Maurício Zolet e o vice-presidente Flávio Pasquali formalizaram dois pedidos: a urgente melhoria da sinalização e a abreviação de quatro para três anos do prazo contratual para finalização dos serviços.


Empresários da ACIC foram recebidos pelo secretário de Desenvolvimento Regional.


Zolet expôs que a falta de sinalização das obras de duplicação do acesso de Chapecó à BR 282 preocupa as entidades empresariais porque esse trecho é o segundo mais movimentado do sistema viário catarinense – por ali passam 30 mil veículos/dia – e a obra foi uma das mais reivindicadas no grande oeste catarinense.

A complexidade da obra e a grande movimentação de máquinas, equipamentos e veículos tornam o trânsito, nesse trajeto, extremamente perigoso e sujeito a acidentes. Apesar dessas condições, o local encontra-se com sinalização insuficiente.

Zolet lembra que a duplicação da rodovia tornou-se uma prioridade regional. – Essa é a principal via de escoamento do município aos portos e aos grandes centros brasileiros de consumo, mas ostenta infraestrutura incapaz de comportar o número de veículos que por ali trafega diariamente – disse.

O secretário da SDR informou que 25% da obra está executada e que ela acaba de ser incluída no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ele disse que manterá reunião com a Construtora Sul Catarinense para solicitar reforço na sinalização das obras e, inclusive, a atuação da Polícia Rodoviária Federal naquele trecho.

Confirmou que está em fase adiantada o processo para antecipação em um ano do prazo para conclusão. Para isso, o Ministério dos Transportes fará três repasses de 10 milhões de reais, no total de 30 milhões de reais, permitindo aumentar o aporte de homens e máquinas.

O acesso de Chapecó à BR 282 tem nove quilômetros de extensão. O projeto de duplicação está orçado em 76 milhões de reais e prevê viadutos, rótulas e trevos. A União federal participa com 66 milhões de reais, o Estado e o Município com o restante.



Comente aqui
16 mai09:24

Lei de Acesso à Informação entra em vigor com cobranças de dados públicos

Mayara Rinaldi | mayara.rinaldi@diario.com.br

Abrir a caixa-preta das informações públicas. Com um ato simbólico e teatral, a Federação das Entidades Ecologistas Catarinenses (Feec) quer ser a primeira do Estado a protocolar pedidos de informação à prefeitura de Florianópolis, ao governo de Santa Catarina e à Superintendência do Patrimônio da União. Isso porque começa a vigorar hoje, a Lei Geral de Acesso à Informação.

A nova lei foi assinada pela presidente Dilma Rousseff (PT) em novembro do ano passado e deu prazo de seis meses para que os órgãos pudessem se adequar. A partir de agora, qualquer pessoa, sem precisar dar justificativa, pode pedir dados públicos de toda natureza.

O presidente da Feec, Gert Schinke, diz que a ação da entidade tem o objetivo de evitar que a lei permaneça no papel e destaca a importância de as solicitações serem feitas já no primeiro dia.

— Simbolicamente, queremos marcar esse dia, marcar essa cobrança — diz ele.

Na prefeitura, a federação fará um pedido do mapa de condicionantes legais e ambientais, que identifica as áreas de preservação permanente do município. Segundo Schinke, o núcleo gestor que discute o plano diretor da cidade já tentou acessar o material há cinco anos, mas nunca obteve resposta.

Assim como esse exemplo, o presidente conta que a Feec diversas vezes fez solicitações a diferentes órgãos e raramente foi atendida:

— Recebemos desculpas de toda ordem para não receber as informações justamente porque não havia um mecanismo legal para que as autoridades fornecessem as respostas. Agora, todas as desculpas caem por terra.

Ao governo do Estado, a Feec fará três pedidos, todos relacionados ao movimento ecológico. Schinke não quis detalhá-los antes do protocolo. À Superintendência do Patrimônio da União, a federação quer a lista de imóveis pertencentes ao governo federal em Santa Catarina.

Para especialista, nova lei vai “pegar” O advogado Alfredo Koerich, morador do Bairro Ingleses, em Florianópolis, também pretende já no primeiro dia fazer valer a nova lei. Koerich vai pedir informações ao governo do Estado sobre projetos para a duplicação da rodovia SC-403. Ele reclama do perigo às margens da estrada e da falta de atenção das autoridades para o problema.

Para o advogado Manoel Joaquim dos Reis Filho, especialista em Direito Público que trabalha com consultoria para administração municipal, a nova legislação é muito importante tanto para que as pessoas tenham acesso às informações quanto para que os administradores do dinheiro público tenham mais cuidado.

O especialista acredita que a nova lei será do tipo daquelas “que pega”. Segundo ele, a transparência no poder público é uma tendência mundial e as pessoas estão cada vez mais cobrando por isso.

— É como a Lei de Responsabilidade Fiscal, quando foi editada havia uma certa descrença e hoje ela orienta a administração pública. Os órgãos estaduais consideram que já cumprem as exigências. As prefeituras menores deverão ter mais dificuldades para adaptação.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
15 mai19:17

Homem morre atropelado no acesso à BR 282 em Chapecó

Um homem com idade aparente de 30 anos e que não havia sido identificado até o início da noite morreu atropelado por volta das 18 horas de hoje, no acesso Plínio Arlindo De Nes, em Chapecó.

Uma van com trabalhadores que saía de Chapecó acabou atropelando o homem que tentou atravessar a pista, segundo informações do SAMU.

O acidente gerou engarrafamento no acesso.


1 comentário