Alimentação

29 ago16:53

Dez dicas para se ter bons hábitos alimentares

A equipe de nutrição da marca Nutrella elaborou 10 dicas para uma alimentação mais saudável.

Confira:


1) Beba mais água: seis a oito copos por dia contribuem para o funcionamento do organismo. Além disso, a hidratação adequada traz consequências positivas para intestino, cabelos, pele e unhas. Mantenha uma garrafinha de água sempre por perto. Tire um intervalo da água no trabalho. Crie uma regra com seu copo d’água: estando vazio, encha-o. Coloque seu celular para despertar ou crie alertas no seu e-mail para lembrá-lo de beber água.


2) Evite pular refeições: o ideal é fazer pelo menos três refeições por dia (café da manhã, almoço e jantar), intercaladas por pequenos lanches, com intervalo de três a quatro horas entre as refeições.


3) Inclua alimentos integrais na dieta: alimentos na versão integral, como os pães feitos com farinha 100% integral, contribuem com mais fibras na dieta, ajudando na manutenção das taxas de açúcar no sangue em níveis normais. Além disso, eles são uma ferramenta importante para controle da saciedade e do peso.


4) Fique atento ao sal: o excesso aumenta o risco para hipertensão arterial e doenças cardiovasculares, além de provocar retenção de líquidos e aquela sensação de inchaço. Utilize pouco sal no preparo dos alimentos, investindo nos temperos naturais (como alho, cebola e ervas frescas e secas). Evite o consumo frequente de alimentos embutidos como salsichas, salames, linguiça e presunto.


5) Atenção com as bebidas alcóolicas: contém 7 kcal por grama, quase tanto quanto a gordura, e não tem nenhum benefício nutricional. Além de ser fonte de calorias vazias, o álcool pode conduzir à hipoglicemia, seguida por picos de fome. O excesso ainda prejudica o funcionamento do fígado.


6) Mantenha o prazer de comer: evite comer rápido, pois o contato mecânico dos alimentos com a mucosa do estômago estimula a produção de substâncias que têm efeito sobre a saciedade. Se uma refeição é feita em 10 minutos, não há tempo de informar o cérebro sobre a satisfação. Logo, comer devagar é necessário para que o organismo perceba a ingestão do alimento e, consequentemente, controle o apetite e a sensação de saciedade.


7) Consuma de três a cinco frutas por dia: além de excelentes opções para os lanches intermediários, contribuem com o fornecimento de vitaminas e minerais, assim como de fibras, que ajudam a manter a glicemia estável e a controlar o peso.


8) Evite grandes restrições: restringir demais a quantidade de alimentos ingeridos faz com que deixe de consumir nutrientes importantes ao organismo. Além disso, excluir algum nutriente (carboidrato, proteína, gordura) por muito tempo prejudica o bom funcionamento do organismo e dificulta manutenção do peso, favorecendo o efeito sanfona.


9) Moderação no consumo de cafeína: alimentos como café, chocolate, refrigerantes a base de cola e chá mate são ricos em cafeína, que em excesso aumenta a liberação de adrenalina. Esse hormônio aumenta a pressão arterial, sobrecarregando o coração. O ideal é ficar com até três xícaras por dia.


10) Mais gorduras boas: óleos vegetais (azeite extra virgem, canola, soja etc.), castanhas, abacate, peixes e creme vegetal contribuem para redução dos riscos de doenças do coração.


VIDA E SAÚDE



Comente aqui
29 ago09:23

Brasileiros ingerem cada vez menos fibras, alerta especialista

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda à população adulta o consumo de 27 a 40 gramas de fibras por dia, mas os brasileiros não só ingerem menos do que o sugerido, como também estão incluindo nas refeições cada vez mais alimentos industrializados pobres em fibras, alerta o gastroenterologista Vladimir Schraibman, do hospital Albert Einstein, de São Paulo.

— A ingestão média de fibras dos brasileiros é insuficiente. Com o aumento do poder aquisitivo das classes C e D, o consumo de alimentos industrializados pobres em fibras é cada vez maior — diz.

O problema atinge inclusive as criançasdo país, afirma Schraibman, que explica como é feito o cálculo de ingestão de fibras para os pequenos:

— A recomendação da American Health Foundation (Fundação Americana da Saúde) para crianças e adolescentes de 3 a 20 anos é a quantidade correspondente à idade acrescida de 5 a 10 gramas. Por exemplo, uma criança de 10 anos deveria ingerir de 15 a 20 gramas de fibras diariamente.

Segundo ele, além de fornecer nutrientes, as fibras servem como matéria-prima para fermentação de bactérias da flora intestinal, que produzem vitaminas essenciais para o bom funcionamento do organismo e podem evitar doenças do coração, câncer, diabetes e prisão de ventre.

Outra função importante das fibras é que elas regulam o hábito intestinal por meio do aumento do bolo fecal, graças à sua capacidade de reter água associada à fermentação pela flora bacteriana. As fibras beneficiam também os processos de emagrecimento.

— Além de ser um alimento de baixa caloria, as fibras fazem com que estômago demore mais tempo para se esvaziar entre as refeições, causando uma sensação de saciedade precoce e, consequentemente, diminuindo o apetite. Também no intestino, as fibras ligam-se aos sais biliares e, dessa maneira, reduzem a absorção de gorduras — conta o médico.

Mas para ter o efeito correto a ingestão de fibras deve ser acompanhada de consumo de líquidos, pois algumas delas, como as encontradas na maçã, alho, cebola e folhas verdes, só agem no intestino por meio da absorção de água.

— Com pouca oferta de líquidos, as fibras alimentares, principalmente as solúveis, tornam-se ineficientes. Por isso, recomenda-se a ingestão de pelo menos dois litros de água e sucos todo dia.

Substituir o consumo de fibras encontradas nos alimentos naturais por vários suplementos e laxantes à base de fibras não é o ideal, defende Schraibman, que aconselha obtê-las por meio de uma alimentação saudável.

— O consumo de sementes e grãos, assim como chia, amaranto, quinua e linhaça, ajudam a potencializar a concentração de fibras e proteínas no organismo — conclui.


::: Exemplos de mais alimentos ricos em fibras

:: Cereais integrais: aveia,cevada, arroz, pão integral, linhaça e centeio.

:: Frutas: maçã, laranja, abacate e limão.

:: Legumes: batata, beterraba e mandioca.

:: Vegetais: couve, repolho, brócolis e agrião.

:: Grãos: feijão, lentilha, soja, ervilha, milho e grão-de-bico.


VIDA E SAÚDE



Comente aqui
28 ago14:43

Projeto Alimentação Saudável tem continuidade em Colégio de Xaxim

Alunos do 1º ano do ensino fundamental do Colégio Geração Construtiva, de Xaxim, realizaram na última semana mais uma etapa do projeto sobre alimentação, que tem por objetivo estimular o consumo de alimentos saudáveis, principalmente frutas e verduras. Para isso, a turma vem participando de uma série de atividade para que este objetivo possa ser alcançado, como por exemplo, a participação das avós na escola, trazendo os pratos preferidos dos netos, a preparação de alimentos pela turma e o estudo das vitaminas e benefícios de cada alimento para o corpo.

Desta vez, os alunos aprofundaram os estudos sobre a origem dos alimentos e terminaram a construção do conhecimento com uma atividade prática, a professora propôs que os alunos trouxessem massinha de modelar e preparassem um prato que lhes chamasse a atenção por algum motivo, seja pelos benefícios, estética, vitaminas ou sabor.

Segundo a professora, Maura Brandalise, os alunos se empenharam muito em lembrar as características dos alimentos e replicá-los com todos os detalhes.


Comente aqui
07 ago18:07

Assaltar a geladeira à noite pode ser sintoma de distúrbio alimentar

Especialistas da Associação Brasileiro para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica alertam que episódios frequentes de excessiva fome noturna podem ser sintoma de um transtorno alimentar: a Síndrome Alimentar Noturna (SAN). Segundo a entidade, a síndrome afeta cerca de 3 milhões de brasileiros.

A SAN caracteriza-se por maior ingestão calórica no período noturno, sobretudo após as 19 horas, despertares durante a noite para comer e falta de apetite durante as manhãs. Além de afetar a qualidade do sono, a Síndrome Alimentar Noturna é um fator de pré-disposição à diabetes e obesidade.

A alimentação predominantemente noturna cria um desbalanço no metabolismo, tornando-o mais lento durante o dia e levando o organismo a estocar os nutrientes nos períodos de maior consumo e menor gasto energético, o período noturno. Cerca de 10% dos obesos e 27% dos obesos mórbidos possuem a síndrome. Além disso, a síndrome predispõe quadros de obesidade.

De causa exata ainda desconhecida, o problema tem o estresse e a má distribuição do volume de alimentos e calorias ingeridos como dois fatores ligados a seu surgimento. Soma-se a eles a insônia e má alimentação durante o dia.

— Os portadores relatam um aumento do consumo alimentar, usualmente após o jantar, ou apresentam despertares noturnos para comer ou beber — explica o psiquiatra Alexandre Pinto de Azevedo, autor de um estudo sobre a síndrome.

Um quadro de SAN começa a se consolidar quando a fome ou vontade de comer do indivíduo diminui durante o dia e surge fortemente a noite, após as 19h. A dieta deixa de ser normal quando 55% ou mais da ingestão calórica diária ocorre após esse horário. Habitualmente, nesse período ingere-se cerca de 15% das calorias diárias.

— O paciente precisa comer bastante para conseguir se sentir satisfeito e dormir. Durante o dia, ele nem se lembra de comer — explica a endocrinologista e diretora da Abeso, Claudia Cozer.

Segundo ela, os alimentos mais procurados em episódios de compulsão possuem maiores valores calóricos, ricos em gordura e carboidratos finos (açúcares, pães, doces) — aqueles que, geralmente, estimulam a liberação de endorfinas, os neurotransmissores ligados à sensação de prazer e bem-estar.


Reeducação

O tratamento se dá por meio de reeducação alimentar, terapia cognitiva comportamental e medicamentos anticompulsivos, em casos mais extremos. A sertralina é a medicação mais indicada, pois regula o padrão alimentar noturno com redução dos despertares. A trazodona e o topiramato também controlam o impulso alimentar e regularizam o padrão de sono.


VIDA E SAÚDE

Comente aqui
04 ago15:30

Tomate eleva o valor da Cesta Básica em Chapecó

O aumento de 3,13% no custo do cesto de 57 produtos básicos alimentares, não alimentares e serviços tarifados foi registrado em Chapecó no mês de julho. Esse índice é uma das informações que está em pesquisa realizada pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó. Entretanto, o dado mais expressivo levantado pelo curso refere-se à variação no custo da cesta básica de 13 produtos alimentares, exclusivamente, que chegou a 10,9%.

Em julho o preço da cesta básica foi de R$ 241,22, ante R$ 217,51 do mês anterior, o que representa um acréscimo de R$ 23,71. Dos 13 itens, 11 apresentaram aumentos no mês passado e dois tiveram redução no custo. As principais altas ocorreram no tomate, em 47,28%, no açúcar, em 27,54%, e no café moído, em 16,32%.

Quanto ao cesto de 57 produtos, 35 deles sofreram aumento no mês passado e 22 apresentaram diminuição no custo. O valor identificado em julho foi de R$ 867,18, enquanto no mês de junho havia sido de R$ 840,84, o que significa R$ 26,34 a mais. Em 12 meses, o valor teve alta acumulada de 14,48%, ou seja, R$ 109,65 sobre o custo de R$ 757,53, pesquisado em julho de 2011.

Em termos de grupos de produtos, os alimentos, que têm a representatividade de aproximadamente 72% no total do cesto, apresentaram em julho aumento de 3,32% e neste ano a elevação chega a 16,51%. No grupo dos produtos não alimentares, a alta de junho para julho foi de 8,35%, enquanto os serviços tarifados foram elevados em 0,82%.


Comente aqui
30 jul16:39

Verdadeiro ou falso: descubra os mitos sobre a alimentação

Existem muitas crenças em torno dos alimentos, mas nem todas são verdadeiras.

Embora algumas acabem até sendo úteis – como a do refrigerante que dá mais celulite do que qualquer outra coisa, sendo o açúcar do refrigerante que dá celulite e não o gás – é preciso que estejamos sempre bem informados sobre o que colocar no prato e quais as opções mais saudáveis.


Confira alguns mitos derrubados com a ajuda do Centro de Recuperação e Estudo da Obesidade.


Mito 1

Manteiga engorda mais que azeite de oliva

O azeite pode ser até mais saudável, pois trata-se de gordura vegetal, e possui diversos componentes que fazem bem para a saúde. Mas o número de calorias é o mesmo, cerca de 40kcal em uma colher de chá. Achou muito? Então, se você está de dieta, é preciso ter cuidado não só com a manteiga, mas também com a quantidade de azeite.


Mito 2

Vitaminas são energéticas

A função das vitaminas é a de oferecer ao corpo substâncias que ajudam em suas defesas. O que dá energia ao organismo são as calorias presentes nas gorduras, nas proteínas e nos carboidratos. Não adianta, portanto, tomar suplementos vitamínicos com esse objetivo.


O mito de que as vitaminas são energéticas provém da ação das vitaminas do complexo B, que desempenham um papel importante nas reações químicas e fazem com que os alimentos liberem energia.


Mito 3

O jejum elimina impurezas e toxinas

Não existe evidência que justifique esta ideia. O corpo humano está desenhado para processar os alimentos, e isto inclui a remoção de toxinas naturais, através dos rins, como a amônia, que é gerada a partir da ruptura das proteínas.

Para a maioria das pessoas, um dia de jejum não é perigoso, mas também não representa um hábito saudável. Mas jejuns prolongados são muito perigosos: produzem desidratação, diminuição da pressão arterial, desintegração dos músculos e órgãos, irregularidade nos batimentos cardíacos. Aliás, pessoas com doenças cardíacas, diabéticas ou com problemas renais jamais devem fazer jejum.


Mito 4

Só se emagrece comendo menos

O emagrecimento é um balanço energético negativo, ou seja, comer menos calorias do que se gasta no dia. Mas não necessariamente comer menos quantidade de comida ou passar fome. Muitas vezes, uma grande restrição, sem orientação, acaba fazendo o efeito contrário.


Mito 5

Algumas pessoas nasceram para ser gordas

É verdade que a herança genética influencia o tamanho e a forma do nosso corpo. Mas isto não significa que a pessoa que herda o gene da obesidade deva ser, necessariamente, gorda. A obesidade não é definitiva como a cor dos olhos ou da pele.


HORA DE SANTA CATARINA



Comente aqui
19 jul11:16

Refluxo pode provocar, nos piores cenários, infarto e câncer

Você come muito rápido? Dorme logo após a janta? Toma muito líquido durante as refeições? Ingere bebidas com gás e cafeína? Tem azia com frequência? Isso tudo é muito comum em quem sofre de refluxo, uma doença provocada pela passagem do suco gástrico do estômago para o esôfago, podendo alcançar outros órgãos dos aparelhos digestivo e respiratório. Nos piores cenários, o contato constante do líquido gástrico, altamente ácido, com o esôfago pode causar até mesmo enfarto e câncer.

— Os sintomas mais comuns são tosse crônica e crise de asma, mas o refluxo também pode causar faringite, laringite, pigarro, voz rouca, problemas dentários e até enfarto. Sem tratamento adequado, no longo prazo pode se transformar em uma esofagite (inflamação) ou até mesmo em câncer de esôfago — alerta o cirurgião Ricardo Minas, do Hospital São Luiz, de São Paulo.

Segundo ele, o tratamento pode ser clínico, mas muitos pacientes têm optado pela laparoscopia, uma técnica cirúrgica que estrangula a passagem do esôfago para o estômago, impedindo que o líquido estomacal retorne.

— É uma cirurgia muito tranquila, de cerca de uma hora, que faz com que o refluxo desapareça já no dia seguinte em 95% dos casos, livrando o indivíduo dos medicamentos — afirma o especialista.

O paciente passa apenas uma noite no hospital e o pós-cirúrgico consiste em dieta líquida por uma semana e pastosa por um mês. Além disso, a cirurgia também ajuda a emagrecer.

— Geralmente, quem tem refluxo está acima do peso. A cirurgia faz com que a pessoa perca de 5 a 10 kg e também a obriga a reeducar sua alimentação.

Comente aqui
14 jul12:08

Férias com os pequenos: veja cuidados com a alimentação

A presença da criançada em casa durante as férias de inverno pede algumas alterações no cardápio da família. Se para os pequenos o descanso da escola combina com chocolate no café da manhã e doces ao longo de todo o dia, para os pais significa uma alimentação regrada e saudável para garantir energia para brincar até a noite.

Confira algumas dicas.

Não deixe os doces de lado: se você proibir drasticamente o chocolate, as balas e os biscoitos, fará com que as delícias se tornem ainda mais desejadas. Ao invés de excluir totalmente, estipule horários do dia em que ele é permitido, como após o almoço e no lanche da tarde.

Coloque todos na mesma rotina: não adianta proibir o doce no café da manhã da criança se os mais velhos seguem comendo. Para dar o exemplo, aplique a mesma determinação para todos da casa.

Estimule as brincadeiras ao ar livre: tente fazer das férias um período para brincar, correr e se exercitar ao ar livre. Criança que passa o tempo todo dentro de casa vendo tevê ou em frente ao computador, pode desenvolver problemas de peso.


DONNA ZH



Comente aqui
08 jun12:47

Queda de cabelo pode ser amenizada com a alimentação adequada

Inúmeros produtos prometem dar força e vida aos fios, porém não são suficientes quando os cuidados com a alimentação são esquecidos. Dietas restritivas para emagrecer podem levar à falta de nutrientes no organismo, ocasionando a queda dos fios.

A dermatologista e cirurgiã capilar Leila Bloch ressalta que o mais importante é ter uma alimentação saudável e balanceada. Segundo ela, uma dieta equilibrada pode atenuar a queda capilar, mas não o afinamento dos fios, uma vez que a causa para o afinamento é predominantemente genética.

— Os cabelos podem cair com velocidade acelerada por uma fase mais intensa de expressão da própria calvície, mas em geral caem mais rapidamente por outras causas, como deficiência de vitaminas, de ferro e proteínas, oleosidade excessiva, problemas de tireoide ou outras causas menos frequentes — explica a especialista.

Leila ressalta ainda que frituras, alimentos ricos em gorduras e doces podem levar ao aumento de dermatite seborreica, o que indiretamente auxilia na inflamação do bulbo e faz com que os cabelos tenham um ciclo mais curto, ou seja, eles demoram menos para cair. Pessoas com intolerância à lactose não apresentam problemas capilares em função do quadro, desde que se faça reposição de proteínas por meio de leite de soja, por exemplo, e que se consiga prover a carga proteica nutricional necessária ao organismo.

O uso de nutricosméticos é útil se interligado a uma vida saudável, no entanto a dermatologista alerta que os resultados demoram para aparecer cerca de três meses. A ingestão de nutricosméticos com o objetivo de diminuir a queda dos fios deve ser acompanhada por um especialista, que irá avaliar e orientar sobre consumo, dosagem e tempo de uso, pois a hiperdosagem pode levar ao surgimento de alergias. Além disso, alguns tipos de nutricosméticos não devem ser ingeridos por crianças, gestantes, lactantes e pacientes com problemas no funcionamento do fígado ou dos rins.

— Uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes e exercícios físicos ainda é o mais recomendado — orienta a dermatologista.


Para fortalecer os fios

:: Frutas secas, nozes, amêndoas ou castanha do Pará são importantes oligoelementos para a constituição do fio.

:: Alimentos integrais, que são ricos em complexo B, ferro, magnésio e zinco, assim como o grão de bico, são fontes proteicas e ricas em ferro.

:: Alimentos ricos em vitamina E, por sua ação antioxidante, como o gérmen de trigo, óleo de semente de girassol, por exemplo, ajudam a combater a quantidade de radicais livres gerados no dia a dia pelo estresse, poluição, entre outros fatores. A sardinha, rica em Ômega 3, também é importante pela ação antioxidante.

:: Os alimentos ricos em vitamina B, zinco, cobre, selênio, proteínas, ferro, vitamina A, auxiliam no fortalecimento da imunidade, fazendo com que a absorção dos outros nutrientes seja facilitada.

:: Para a absorção dos nutrientes, beba bastante água.


BEM-ESTAR


Comente aqui
01 jun15:28

Social: Mais uma opção na praça de alimentação do Shopping Pátio Chapecó

Foi inaugurada nesta quinta-feira, dia 31 de maio, no Shopping Pátio Chapecó, o Tojô Cozinha Oriental. A nova opção da praça de alimentação é de propriedade dos empresários Toni Faccio e João Pan.

O restaurante que serve pratos da culinária Japonesa e Chinesa foi decorado com desenhos do artista visual Rodrigo Cardoso dos Santos.


1 comentário