Associação

17 ago14:17

ACHAP presta homenagem aos 95 anos de Chapecó

Chapecó recebe uma homenagem neste mês, em comemoração aos 95 anos de fundação, através da arte estampada em dez outdoors espalhados pela cidade. Essa é uma ação inédita que resultou de iniciativa da Associação dos Artistas Plásticos de Chapecó (ACHAP) em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC). A entidade empresarial patrocinou os outdoors e os artistas demonstraram seu talento nos respectivos painéis, compondo uma criativa homenagem a Chapecó através do olhar de cada artista e sua respectiva técnica.

Embelezando o cenário urbano da cidade-polo do grande oeste de Santa Catarina, as criações dos artistas Eduardo Dutra, Elisa Iop, Janaina Cora, Lenice Weiss, Mariel Moro, Marlowa Pompermayer Marin, Neocy Fin, Newton Reis e Sandra Abello são únicas e exclusivas, surpreendentes e belas.

Os painéis podem ser apreciados e fotografados nos seguintes endereços: avenida Fernando Machado, próximo ao Shopping Pátio Chapecó; avenida senador Atílio Fontana, atrás da concha acústica do Parque da Efapi; avenida Getúlio Vargas ao lado do Posto Marcon; avenida Nereu Ramos em frente a Loja Tumeleiro; avenida Irineu Bornhausen próximo a Cervejaria Kilsen; avenida General Osório nas proximidades do Colégio Druziana Sartori; rua Fernando machado em frente a Laborsan; rua Rui Barbosa ao lado da Wizard, rua Rui Barbosa, proximidades da Codecal e da Agência dos Correios e rua Marechal Bormann em frente a Caixa Econômica Federal.

Um dos outdoors expressa a homenagem póstuma a três membros fundadores da ACHAP e reúne, numa composição, obras dos artistas Vicky Lecuona, Agostinho Duarte e Cyro Sosnoski.

O presidente da ACIC, Maurício Zolet, destacou que o apoio à classe artística e a valorização das iniciativas culturais locais marcam a atuação da atual administração da entidade. Frisou que a parceria com a ACHAP de forma institucional, ou com os artistas plásticos de forma personalizada, será mantida no plano de trabalho porque representa uma notável demonstração de integração entre a arte e a economia.


Criatividade

Nesta linha de atuação está prevista outra atividade para o mês de setembro: a publicação de um conjunto gráfico composto de um envelope-caixa reunindo dez peças no formato de cartão postal. Cada cartão reproduz em uma face a imagem criada por cada artista (a mesma do outdoor) e, na outra face, um breve histórico sobre o artista e sua obra e a assinatura/logomarca do patrocinador.

Criada em 22 de novembro de 2002, a Associação dos Artistas Plásticos de Chapecó foi fundada por Agostinho Duarte, Lenice Weiss, Xiko Bracht, Eduardo Dutra,Vicky Lecuona, Newton Reis, Marlowa Pompermayer Marin, Sandra Abello, Neocy Fin, Cyro Sosnoski e Mariel Moro. A ACHAP defende o interesse da classe e busca o reconhecimento da categoria junto à sociedade.


Comente aqui
15 ago11:16

Palestra “Angústia Juvenil” será apresentada em Chapecó

A Associação Cultural Nova Acrópole – Filial Chapecó promove nesta quarta-feira, 15 de agosto, a palestra “Angústia Juvenil”.

A Filosofia entende a juventude como mais que um tempo cronológico e sim um estado interno que se manifesta fora de nós. É quando nos sentimos invencíveis e que nada ou ninguém poderá nos afastar de nossos sonhos e utopias. Uma espécie de novo nascimento; mas tudo o que nasce, encontra-se, todavia, rodeado de desafios, provas e angústias.

A atividade gratuita inicia às 20h na sede da escola. Informações (49) 3328-8903.


Comente aqui
08 ago14:20

Grande encontro da imprensa catarinense será neste sábado em Chapecó

Considerada a maior festa da comunicação barriga-verde, o 5o Encontro da Imprensa Catarinense será realizado no sábado dia 11 de agosto, na sede campestre da CDL, em Chapecó, a partir das 11 horas. Todas as entidades de organização e representação da comunicação do Estado engajaram-se formalmente na promoção do evento. A festa reunirá 450 profissionais de comunicação de todas as regiões do Estado e marcará os 80 anos da Associação Catarinense de Imprensa (ACI).

O 5º Encontro da Imprensa de Santa Catarina em Chapecó está sendo organizado pela Associação Catarinense de Imprensa (ACI), MB Comunicação e Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL). O evento conta com o apoio institucional da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), Associação dos Jornais do Interior do Estado de SC (ADJORI), Associação dos Jornais Diário de SC (ADI), Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Estado de Santa Catarina (SINDEJOR) e Sindicato dos Jornalistas Profissionais de SC.


Profissionais homenageados

Nessa quinta edição da festa serão homenageados os profissionais com 50 anos de atividade nos meios de comunicação e que ainda atuam na área. Para prestar essa homenagem, as empresas de comunicação informaram quais os profissionais de seus quadros funcionais com meio século de atuação em qualquer uma das áreas da comunicação social – jornalistas, radialistas, publicitários, relações públicas, mídias, docentes, empresários e proprietários de meios de comunicação etc.

Quatro profissionais serão homenageados neste ano no Encontro da Imprensa Catarinense em Chapecó: o radialista Paulo Raimundo de Chapecó; o radialista Roberto Cardoso Azevedo de Joaçaba; o jornalista Névio Santana Fernandes e o técnico de radio José de Souza Machado, ambos de Lages.


Comente aqui
01 ago07:43

80 anos da Associação Catarinense de Imprensa serão festejados em Chapecó

Considerada a maior festa da comunicação barriga-verde, o 5O Encontro da Imprensa Catarinense acontece no sábado, 11 de agosto, na sede campestre da CDL, em Chapecó. Nesta ocasião será comemorado os 80 anos da Associação Catarinense de Imprensa (ACI). A festividade está sendo coordenada pelo presidente Ademir Arnon e pelo diretor regional da ACI, Marcos A. Bedin.

O evento consistirá de solenidade festiva, homenagens e almoço festivo reunindo cerca de 450 profissionais de comunicação de todo Estado. A iniciativa é da Associação Catarinense de Imprensa (ACI), MB Comunicação e Câmara dos Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL).

Profissionais de todas as áreas da comunicação participarão da festa – jornalistas, radialistas, publicitários, relações públicas, mídias, docentes, empresários e proprietários de meios de comunicação – representando o caráter multiprofissional da ACI.

Também serão homenageados quatro profissionais com 50 anos de atividade na área de comunicação que ainda exercem a profissão: Roberto Cardoso Azevedo, Paulo Raimundo, José de Souza Machado e Névio Santana Fernandes.

A diretoria regional oeste da Associação Catarinense de Imprensa já prestou homenagens aos seguintes profissionais catarinenses: Amilton Martins Lisboa, Alfredo Lang, Dino Pattussi, Luiz Perroni Pereira, Arlindo Sander, Rogério de Oliveira, José Francisco Müller Bohner, Plínio Ritter, Arnaldo Carlos Lanz, Ernani Edison Horvath, Antônio Vicente Schmitz, Manoel Corrêa, Roberto Rogério do Amaral, Casemiro Roberto, Romeu Roque Hartmann e Geraldo Nilson de Azevedo

Durante o almoço serão sorteados prêmios para uso de profissionais de comunicação. Entre os itens sorteados estão tablets, ferramentas de essencial valor inclusivo nesta era de incrementos tecnológicos.


Comente aqui
24 jul15:14

Realizado em Maravilha 2º Café Empresarial

A segunda edição do Café Empresarial foi promovida pela diretoria da CDL/Associação Empresarial de Maravilha nesta terça-feira, dia 24, no auditório da entidade. Foram convidados cinco empresários de destaque no município para falar sobre seus negócios e dificuldades enfrentadas pelo setor: Márcio Adelir Lüdke, da Rudély Confecções; Marcelo Engelmann, da MM Bebidas; Juleide Inês D’Agostini, do Grupo Tucano; e Marli e Ildo Simon, da Rotoplast Climatizadores Evaporativos.

Conforme ressaltado pelo presidente CDL/Associação Empresarial, Jonas Dall’Agnol, o primeiro propósito do Café Empresarial é promover uma integração entre a entidade e os associados.

Dentre as principais necessidades para o crescimento dos negócios, os empresários citaram a qualificação de mão de obra, de maneira geral, em todos os setores; aspectos ligados à infraestrutura e logística; planejamento estratégico para guiar os investimentos públicos; e definição de áreas industriais para incentivar o empreendedorismo no município.

Todas as sugestões levantadas serão discutidas pela diretoria visando auxiliar a classe empresarial e fomentar seu desenvolvimento. A partir dessas ideias, a entidade também irá elaborar a carta de reivindicações a ser entregue aos candidatos do Poder Executivo nestas eleições.

O Café Empresarial deve ser realizado novamente nos próximos meses com a participação de outro grupo de associados.


Comente aqui
24 jul11:03

Associação dos Artistas Visuais da Região Oeste de Santa Catarina traz curador de Florianópolis

A Associação dos Artistas Visuais da Região Oeste de Santa Catarina (Adentro) mais uma vez inova e traz para Chapecó o renomado curador e historiador Fernando Boppré.

Em 2011 o coletivo convidou o artista plástico de Florianópolis, Fernando Lindote, o único artista do sul que participou da última Bienal realizada em São Paulo. O resultado foi a exposição Uma Cor Atravessada que foi apresentada no Museu de Artes de Blumenau.

Para este ano a Adentro convidou outro Fernando. Ele chega de Florianópolis nesta sexta-feira, dia 27 de julho, e passará três dias com os 13 integrantes da Associação. Essa será a primeira etapa da curadoria. A segunda está marcada para o mês de novembro. O resultado dos encontros será uma nova exposição que deve ser apresentada em 2013.

A Adentro é composta por Cristina Luviza Battiston, Gina Zanini, Janaina Picolli, Juçara Baldissera, Juliano Zanotelli, Leonice Araldi, Luciano Guralski, Marcia Moreno, Nícia Costella, Sid Geremia, Sonia Loren, Tania Stempkowski e Viviane Becker.


Comente aqui
01 jun19:08

Governo anuncia isenção do ICMS Interestadual na venda de leitões até 30 quilos

O governo do estado anunciou nesta sexta-feira, dia 1º de junho, que vai isentar o ICMS Interestadual para venda de leitões de até 30 quilos. A isenção do imposto foi um pedido da Associação Catarinense de Suinocultores que agora também cobra linhas especiais de crédito para que os produtores possam renegociar as dívidas diante da crise que o setor enfrenta.

Claudio Rovani é dono de uma granja com 140 matrizes. São mais de 500 leitões alojados na propriedade. De regra, os leitões são vendidos para a engorda com 60 dias de vida pesando 22 quilos. Mas não foi isso que aconteceu com o último lote que ele vendeu.

Como há excesso de oferta no mercado, Claudio foi obrigado a segurar os leitões na propriedade por um prazo bem maior até conseguir quem comprasse os animais.

- O que a gente consegue vender é com 15 dias de atraso e com R$ 15 abaixo do custo – disse Rovani.

Para amenizar esta situação, o governo do estado decidiu conceder a isenção de ICMS interestadual para suínos de até 30 quilos. Quem vende leitões para os outros estados vai deixar de pagar 17% de imposto sobre o valor do animal. A medida passa a valer a partir do dia 11 de junho e terá a duração de 30 dias.

O vice-presidente da ACCS, a Associação Catarinense de Criadores de Suínos, Vilson Spessatto é mais otimista em relação aos efeitos da isenção do imposto.

- Vai facilitar a saída de leitões do estado e a maioria deve ir para a Bahia. E estes leitões que vão lá por norte não retornam para o mercado de São Paulo. Então deve melhorar para todos aqui no estado – disse.

O foco da ACCS agora é seguir pressionando os governos estadual e federal para conquistar os demais itens da pauta de reivindicações. Entre eles: a implantação de políticas que garantam o preço mínimo para o produtor e também a renegociação das dívidas dos suinocultores.

As manifestações para que as reivindicações sejam atendidas já começaram. Na Feira Agropecuária de Braço do Norte, no sul do estado, que começou nesta quinta-feira, o espaço reservado para a exposição de suínos foi substituído por cruzes.


* com informações RBS TV Concórdia

Comente aqui
27 mai14:42

ACIC: 65 anos em defesa de quem produz e desenvolve Chapecó

A infraestruturação do oeste catarinense, o fortalecimento das classes empresariais e o desenvolvimento harmônico da comunidade compõe o quadro de prioridades da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) no seu 65o aniversário de fundação, festejado neste mês de maio. Presidida por Maurício Zolet, a entidade atinge plena maturidade institucional e com prestígio e reconhecimento em todo o sul do Brasil.

Zolet nasceu em Chapecó em 16 de janeiro de 1966, tem 46 anos, é pai de dois filhos (Débora e Eduardo) e casado com Rosangela Huk Amarante. Graduou-se engenheiro agrônomo, pós-graduou-se pela Fundação Getúlio Vagas em Gestão Empresarial e, pela Unochapecó em Desenvolvimento Gerencial. É diretor da Zolet Fotografias e sócio da Zolet Imóveis. Teve ampla atuação na ACIC, foi diretor administrativo nas gestões 2000/2001, 2008/2009 e vice-presidente na gestão 2010/2011. Integra o Conselho de Desenvolvimento Econômico e o Conselho de Desenvolvimento Territorial de Chapecó.


Em que condições institucionais e organizacionais a ACIC chega aos 65o ano de fundação?

Maurício Zolet – A ACIC completa 65 anos como uma das mais respeitadas entidades empresariais de Santa Catarina, reconhecida por sua atuação independente e apartidária, orientada pelos interesses da comunidade e motivada pela defesa da liberdade econômica, pela igualdade de oportunidades e pela representação dinâmica dos empresários e demais classes produtoras de Chapecó. Dispomos de estrutura própria, uma diligente equipe de colaboradores, um quadro diretivo de alta representatividade, incluindo a Diretoria Executiva, o Conselho Deliberativo e o Conselho Consultivo, além de um quadro social com empresários e empreendedores de todas as áreas da atividade econômica que representam 85% do PIB chapecoense.


O que mudou na atuação da ACIC nessas seis décadas e meia?

Zolet – Na essência, os ideais e os compromissos são os mesmos. Quando o pioneiro Serafim Enoss Bertaso fundou e presidiu a ACIC nos idos de 1947, as questões que envolviam a economia local e regional eram de relativa complexidade e as ações se voltavam para a integração do “Velho Chapecó” ao território catarinense, eis que era uma região abandonada, distante da capital, cujos habitantes nutriam forte vinculação ao Rio Grande do Sul e quase nenhuma a Santa Catarina. Hoje essa situação mudou: o oeste está integrado ao território, à cultura, à comunicação social e à política catarinense. Agora, a atuação da ACIC se volta para a defesa técnica e política do empresariado e para a sustentação de importantes bandeiras de interesse regional, como a infraestruturação do oeste.


Ao contrário do que muitos pensam, a ação da ACIC tem forte conteúdo social, comunitário e político, porém não partidário!

Zolet – Exatamente, cumprimos um papel político – que não é e jamais será partidário – mas que convoca o cidadão que há por trás de cada empresário para exercer seus direitos, participar e dar sua cota de contribuição, exigir maior diligência dos órgãos públicos, maior eficiência do administrador público e justiça fiscal do Estado. Atuando nesta direção, contribuímos para erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades regionais.


Quais são as metas de alta prioridade da ACIC para este biênio?

Zolet – Do setor privado queremos a conscientização e a participação cada vez maior dos empresários nas ações e mobilizações que promovemos. Do setor público queremos mais investimentos no grande oeste de SC. Sustentaremos importantes bandeiras, entre elas, a recuperação da rodovia BR-282 com a duplicação ou construção da terceira pista, duplicação do acesso rodoviário norte, construção das ferrovias leste-oeste e norte-sul, modernização do aeroporto Serafim Bertaso que se encontra em fase de obras e criação de um novo parque de exposições multiuso.


O parque multiuso é um projeto arrojado e totalmente novo na esfera de atuação da entidade?

Zolet – Em face das demandas das feiras técnicas e das feiras de massa surgiu, ainda na gestão do presidente João Carlos Stakonski, a necessidade de um novo parque de exposições. Com a assessoria da arquiteta Márcia Damo elaboramos estudos e projeto para um moderno e infraestruturado parque multieventos, contemplando pista de automobilismo, kart, arrancada, rodeios, motociclismo e arena multiuso, entre outros equipamentos.


O Projeto Chapecó MultiParque resulta do fato da ACIC ser protagonista de grandes eventos e da importância econômica das feiras para a região?

Zolet – A ACIC promove ou apoia importantes eventos e grandes feiras e exposições, como a Expen, Ercoex, Mercoagro, Mercoláctea, Efapi etc. As feiras dinamizam a econômica, geram empregos, oportunizam negócios e fortalecem a posição de Chapecó e do oeste na contextura nacional e internacional. O aumento da complexidade desses eventos requer um novo e estruturado espaço, o que pretendemos conquistar mediante parceria público-privada nos próximos anos.


A segurança pública em Chapecó tem sido uma questão de permanente atenção da ACIC. Ela continua na pauta de reivindicações?

Zolet – Tivemos melhorias parciais que se constituem em avanços, mas não solucionam a problemática. Obtivemos progresso de relativa importância, com aumento do efetivo e de equipamento. A ACIC intensificará a defesa pela ampliação de investimentos na segurança pública porque nós queremos o fortalecimento do aparelho de segurança pública de Chapecó com recursos materiais e humanos para neutralizar o crescimento da criminalidade e da violência no município. Na área da Polícia Militar, reivindicamos a formação de novas turmas de policiais militares e sua lotação em Chapecó para preencher as vagas existentes na corporação local, entre outros itens. Na esfera da Polícia Civil, os pedidos são, basicamente, de reforço no efetivo na forma de delegados, investigadores e escrivões.


Por que a campanha por ferrovias se tornou uma questão de vida ou morte para o grande oeste catarinense?

Zolet – Porque se trata, realmente, de uma questão de vida ou morte: a permanência das agroindústrias no oeste catarinense dependerá da construção da ferrovia intraterritorial leste-oeste (ligando a região produtora aos portos catarinenses) e ferrovia interestadual norte-sul (ligando Chapecó ao Mato Grosso do Sul). A região importa mais de 2 milhões de toneladas desse grão por ano e necessita de uma ferrovia para unir os dois pólos (oeste de SC e Brasil central) – levando o alimento industrializado para as grandes cidades e trazendo, principalmente, milho e soja. A ausência de ferrovia está retirando a competitividade regional e fazendo empresas catarinenses migrarem para o centro do país. O custo de transporte, caso mantenha-se a atual matriz, deverá inviabilizar grandes empreendimentos do agronegócio catarinense. O transporte rodoviário para longas distâncias e grandes volumes não se sustenta no longo prazo pelo seu componente de custos.

Também é de vital importância para a cadeia produtiva da avicultura a ferrovia leste-oeste, também chamada de “Ferrovia do Frango”, ligando a região produtora com os portos catarinenses. Todo transporte está baseado em rodovias, as quais são gargalos em SC pelo subdimensionamento, congestionamento, morosidade, etc, que propiciam consumo excessivo de combustíveis, muitos acidentes, custos altos e um impacto ambiental desnecessário.



Comente aqui
24 mai10:22

Associação Catarinense de Imprensa lamenta falecimento de Jorge Mattos

A Associação Catarinense de Imprensa (ACI) comunica e lamenta profundamente o falecimento, em Chapecó, do radialista Jorge Roberto da Silva Mattos.

O comunicador faleceu por volta das 22 horas desta quarta-feira, dia 24 no Hospital Regional de Chapecó, vítima de falência múltipla de órgãos. O velório acontece na Capela “A” da Funerária Stürmer e será sepultado às 15 horas no Cemitério Jardim do Éden em Chapecó.

Jorginho foi homenageado pela Associação Catarinense de Imprensa em agosto de 2011.

Jorge Mattos faria 59 anos em agosto, era comunicador de grande responsabilidade social, teve forte atuação nos meios de comunicação de Chapecó. Graduado em educação física, foi radialista por 34 anos com passagens inesquecíveis pelas emissoras gaúchas, paranaenses e catarinenses.

Uma seqüela de Mielite Transversa afetou seus membros inferiores que o impediu de caminhar nos últimos anos.

Nos festejos dos 180 anos da imprensa barriga-verde, em 27 de agosto de 2011, o profissional Jorge Mattos recebeu homenagem especial da Associação Catarinense de Imprensa pelo conjunto dos serviços prestados a radiodifusão e à comunicação social brasileira.


Trajetória profissional de Jorge Mattos

Jorge nasceu no dia 28 de dezembro de 1953, em Sapucaia do Sul/RS, era casado com Vera Regina Brum Mattos e pai de quatro filhos: Fernando, Márcio, Jorge Junior e Mateus. Graduou-se em Educação Física, com licenciatura plena pela Faculdade Integrada Católica de Palmas/PR em 1986.

Em 1972 iniciou a carreira profissional de radialista na Rádio Sideral, na cidade gaúcha de Getúlio Vargas. Nos anos seguintes trabalhou nas rádios Erechim, Difusão e TV Erechim.

Em 1976 integrou a equipe pioneira que inaugurou a Radiodifusão Índio Condá, a Super Condá AM, onde atuou até 1981. Trabalhou em outros prefixos, mas retornou em 1986, onde permaneceu por vinte anos.

Jorge Mattos também exerceu a profissão na Rádio Educadora de Laranjeiras do Sul em duas oportunidades e, também, na Rádio Chopinzinho, da cidade paranaense do mesmo nome.

Com uma exemplar folha de serviços, Jorge Mattos dedicou ininterruptamente 34 de sua vida ao Rádio. Passou por todos os setores como profissional da área, desde operador de som até a gerência de emissoras, especializando-se em redação, programação artística e apresentação de programas de radiojornalismo e de entretenimento.

Desde 1979 era conhecido pela alcunha artística de “Jorginho do Sertão” em Laranjeiras do Sul, em razão da música “Jorginho do sertão, de Inezita Barroso.

Como repórter, Jorge Mattos desde o início fez cobertura jornalística do Poder Legislativo. Foi assim em Laranjeiras do sul, Chopinzinho e Erechim.

Em Chapecó, à convite do vereador presidente da Câmara Municipal, Márcio Ernani Sander, foi assessor de imprensa por cinco anos, passando pelas administrações de Márcio Sander, Antonio Varella do Nascimento e Amarildo de Bairros.

Uma sequela de uma mielite transversa afetou seus membros inferiores que o impede de caminhar, mas como ele sempre dizia: “ruim das pernas, mas não da cabeça”. Sua última atividade profissional foi a parceria com Sérgio Doutél na editoração do jornal “Nossa Gente”.


Comente aqui
22 mai10:30

Associação Empresarial e CDL de Maravilha fez reunião nesta terça-feira

Diretores da CDL/Associação Empresarial de Maravilha foram recebidos para reunião, na manhã desta terça-feira, dia 22, na END Instalações e Comércio de Material Elétrico, empreendimento conduzido por Eldo Nerling. Os encontros da diretoria em empresas associadas, seguindo modelo adotado em 2011, visam aproximar a entidade e valorizar o trabalho desenvolvido pelos empresários.

Em pauta, foram discutidas as últimas atividades desenvolvidas pela CDL/Associação Empresarial. Entre elas, a reunião com a comissão do Manifesto pela Paz e Segurança para tratar do funcionamento do albergue e a implantação de uma delegacia regional e o encontro promovido pela entidade para repassar orientações aos revendedores de veículos usados e seminovos.

O vice-presidente, Jeovany Folle, levou a preocupação de um associado quanto ao valor excessivo das passagens de ônibus para viagens dentro do Estado. Ele sugeriu à diretoria que entre em contato com empresas e lideranças responsáveis para reivindicar a diminuição dos preços cobrados. A secretária executiva Sandra Duarte Heinz também comentou da missão empresarial da qual ela participou nos dias 16 a 18 de maio, onde foram visitadas empresas e associações em cidades paulistas.

Além dos assuntos em pauta, Nerling teve a oportunidade de contar sua trajetória profissional. Em 2003, ele iniciou como trabalhador autônomo no ramo elétrico. Dois anos depois, com outros sócios, fundou a END, voltada somente à prestação de serviços. Para ampliar a atuação da empresa, passou a comercializar materiais elétricos e hidráulicos a partir de 2009. Atualmente a empresa conta com mais de 20 colaboradores.


Comente aqui