Bebê

23 jul10:52

Criança morreu após acidente na BR 282 em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O pequeno Caio Alves Vidor, dois anos, que morreu a caminho do Hospital Regional do Oeste em Chapecó, está sendo velado na Igreja da Linha Espuma, interior de Nova Itaberaba. O enterro está marcado para as 16 horas no cemitério da comunidade. Ele não resistiu ao impacto da colisão frontal entre dois veículos na noite do domingo, dia 22 de julho, na BR 282, próximo a Linha Colônia Bacia em Chapecó.

A mãe do menino, Jucélia Belle Alves, 20 anos, está internada em estado grave na UTI do Hospital. O pai, Dirso Antonio de Costa, 49 anos, que também teve lesões graves, segue internado em um quarto do Hospital Regional do Oeste.

O Corpo de Bombeiros de Chapecó foi chamado para ajudar na retirada das vítimas. O motorista do Palio, placas de Nova Itaberaba, Dirso Antonio de Costa, pai do pequeno Caio, estava preso as ferragens.

O motorista Valdecir Rech, 29 anos e o passageiro, Silvinho Lucas, 27 anos, que estavam no Astra, placas de Chapecó, tiveram apenas lesões leves.

A Polícia Rodoviária Federal de Xanxerê fez o atendimento da ocorrência.


Comente aqui
21 jul13:30

Veja três dicas para fotografar o seu bebê

Bebês são imprevisíveis e se mexem e fazem mais birra do que os pais gostariam na hora de tirar fotos. Para ajudar na tarefa de fazer imagens dos adoráveis pequenos, o site Exposure Guide elencou três dicas preciosas.


1. Não espere pela imagem perfeita: ao invés de ficar esperando que o bebê se acalme e faça uma pose perfeita, dispare a câmera várias vezes enquanto ele se move. Um destes cliques certamente ficará bacana. Se a sua câmera tiver o modo continuous shooting, que clica sozinha várias vezes, não hesite em usá-lo.


2. Use luz natural: a luz natural dá um efeito lindo na pele do bebê. Tente clicar a criança na rua, mas não direto no sol, o que pode criar sombras. Se for fotografar dentro de casa, aproxime-se de uma janela ou porta por onde entre bastante luz.


3. Não sobrecarregue no cenário: os fundos mais simples são os mais bonitos. Fotos com dezenas de brinquedos ou móveis de fundo distraem a atenção do foco principal, que é o bebê. Uma forma de conseguir um resultado profissional é esticar um lençol branco ou de cor bem clarinha entre duas cadeiras e sentar o bebê com seus brinquedos em frente a ele.


DONNA ZH



Comente aqui
08 jul12:56

Testes que devem ser realizados logo após o nascimento do bebê

Todo mundo sabe que os recém-nascidos são frágeis e necessitam de cuidados, principalmente nas primeiras horas de vida. Nesse período, devem ser feitos testes importantes para avaliar a saúde do bebê. A enfermeira Fabiana dos Reis, coordenadora da maternidade do hospital San Paolo, em São Paulo, explica que existem quatros exames primordiais:


Tipagem sanguínea: realizado para identificar o tipo sanguíneo do recém-nascido, o sangue é colhido do cordão umbilical no ato do nascimento.


Teste do pezinho: conhecido também como triagem neonatal, esse teste rastreia alterações no metabolismo e pode detectar patologias como fenilcetonúria, fibrose cística e hipotireoidismo congênito.


Teste do olhinho: é um exame muito importante, pois com ele é possível descartar a hipótese de catarata e tumores na retina do bebê.


Teste da orelhinha: feito normalmente pela equipe de fonoaudiologia, esse teste é obrigatório e constata precocemente a ausência de audição juntamente com exames complementares. A detecção precoce é fundamental para que seja realizado um tratamento eficaz, aumentando as chances de reabilitação da fala e audição.


Segundo Fabiana, estes exames devem ser realizados nas primeiras 48 horas de vida, mas há exceções.

— Há alguns casos específicos como os bebês prematuros que necessitam de internação em UTI. Para estes, os exames devem ser feitos posteriormente — afirma.


VIDA E SAÚDE



Comente aqui
22 jun13:06

João Pedro teve alta do Hospital em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O bebê encontrado em Chapecó recebeu alta nesta sexta-feira. João Pedro estava internado no Hospital da Criança, desde o dia 19 de junho, quando foi encontrado dentro de uma sacola de papel, no bairro São Cristovão.

O médico Ani Werlang que atendeu o menino disse que ele está bem de saúde e mamando. – Os resultados dos exames das doenças infectocontagiosas só saem na segunda-feira – disse o médico.

Agora, João Pedro, que está com 3,8 quilos e 52 centímetros, ficará sob o cuidado do Abrigo Municipal até a decisão da justiça.

A Polícia Civil, que investiga o caso, vai encaminhar uma solicitação para a Secretaria Municipal de Saúde para levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período.


Comente aqui
22 jun10:56

João Pedro deve receber alta nesta sexta-feira

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O bebê encontrado em Chapecó deve receber alta nesta sexta-feira. João Pedro segue internado no Hospital da Criança, desde o dia 19 de junho, quando foi encontrado em uma sacola de papel. O médico Ani Werlang que atende o menino disse que aguarda o resultado de alguns exames necessários para que ele possa ir para adoção.

- São exames para comprovar que ele não está com nenhuma doença infectocontagiosa – disse.

João Pedro, com 3,8 quilos e 52 centímetros foi encontrado por Junior Everton Menegildo, de 14 anos quando ia para o Centro comprar roupas. O estudante disse que ouviu uma espécie de miado e quando abriu a sacola viu que era um bebê.

Assim que receber alta o menino será encaminhado para o Abrigo Municipal. De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, 21 crianças, de 0 a 11 anos estão no Abrigo. Outras 64 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 18 famílias acolhedoras da cidade.

Segundo a coordenadora, estão inscritas e aptas para adoção no Fórum de Chapecó 112 famílias.


Polícia Civil investiga o caso

Uma solicitação, para levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período, deve ser encaminhada para a Secretaria Municipal de Saúde.

A delegada Isabel Fauth, disse que com a ajuda desses dados, e se a mãe fez o pré-natal, existe a possibilidade de encontrar a mãe do menino.

- É um caso difícil e vamos fazer de tudo para encontrar a mãe do menino – disse a delegada.


Comente aqui
20 jun17:49

Bebê abandonado em Chapecó está bem

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

O pequeno João Pedro, como é chamado pela equipe do Abrigo de Chapecó e pelas enfermeiras do Hospital da Criança, está bem e segue internado em observação. O bebê de cinco dias, 3,8 quilos e 52 centímetros o menino não corre risco e deve receber alta nesta quinta-feira. Ele foi encontrado em uma sacola de papel na tarde da terça-feira por um garoto de 14 anos.

– Ele está bem nutrido e fora de risco – disse o médico Ani Werlang, que atendeu o bebê.

João estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola de papel jogada num terreno baldio, na rua Eurico Gaspar Dutra, no bairro São Cristovão. No local é comum os moradores depositarem lixo.

Quem encontrou o menino foi Junior Everton Menegildo que faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho eles ouviram uma espécie de miado.

– Pensei que era um gato – disse Junior.


Junior mostra a sacola onde encontrou o pequeno João Pedro.


Curioso ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Num primeiro momento achei que era uma boneca, mas quando vi que era um bebê de verdade peguei no colo e ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ de João, disse que a família duvidou da história. A mãe dele, Rosane Sales, só se convenceu quando viu o menino no colo do filho.

- Tinha passado pelo local minutos antes e não havia nenhuma sacola ali – disse Rosane, mãe de quatro filhos e que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros chegou e levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou a chegada do bebê no final da tarde desta terça-feira no Hospital, foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM).

A delegada Isabel Fauth, disse que as investigações da Polícia Civil estão em andamento e que devido ao tamanho da cidade, pode ser complicado levantar o número de mulheres grávidas e que poderiam dar a luz neste período.

- Vamos aguardar os dados da secretaria municipal de saúde e se a mãe fez o pré-natal vamos encontrá-la – disse a delegada. Ela disse ainda que podem ser feitas denúncias anônimas sobre o caso.

- É um caso difícil e vamos fazer de tudo para encontrar a mãe do menino – disse

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê, assim que receber alta, será encaminhado para o abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

Junior, que encontrou o bebê e a mãe Rosane, tem vontade e visitar o menino.

– Se der eu quero muito ver ele – disse Rosane que até pensou na hipótese de tentar adotar o bebê.

- Os meus estão grandes já e ficaria feliz em ter mais um – disse.



Números em Chapecó

No Abrigo Municipal estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. Outras 64 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 18 famílias acolhedoras da cidade.

Segundo a coordenadora do Abrigo, estão inscritas e aptas para adoção no Fórum de Chapecó 112 famílias.


Sobrevivência

Para o médico Jorge Hazin, no geral, o tempo de sobrevivência de um recém-nascido é variável.

– Depende de diversos fatores como a gestação, condições do parto, idade gestacional e grau de nutrição. Além das condições de exposição a fatores ambientais, como temperatura e umidade – disse o médico.


1 comentário
20 jun12:28

Bebê abandonado em Chapecó está bem nutrido e fora de risco

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Segue internado no Hospital da Criança em Chapecó, o bebê de aproximadamente cinco dias, encontrado no final da tarde desta terça-feira no bairro São Cristovão. Ele estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola jogada num terreno baldio, na rua Licínio Córdova.

Quem encontrou o menino foi um garoto de 14 anos. Junior Everton Menegildo faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho ele e os amigos ouviram uma espécie de miado. Ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Ele estava chorando e quando peguei no colo ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ disse que a família duvidou da história. Rosana Sales, mãe de Junior, só se convenceu quando viu a criança no colo do filho.

– Tinha passado pelo local minutos antes e não vi nada de estranho – contou Rosana que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

O bebê deu entrada no Hospital no final da tarde desta terça-feira, passa bem e segue internado em observação.

O médico Ani Werlang, que atendeu o bebê disse na manhã desta quarta-feira, que o quadro de saúde do menino é bom.

– Ele está bem nutrido e fora de risco – disse o médico. Porém, deve ficar internado em observação até a esta quinta-feira.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou o caso, assim que o bebê receber alta ele será encaminhado para o Abrigo de Chapecó. A conselheira disse ainda que foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM). A Polícia Civil vai investigar o caso.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê está sob tutela do Abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

No Abrigo de Chapecó estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. outras 90 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 17 famílias acolhedoras da cidade.


Sobrevivência

Para o médico Jorge Hazin, no geral, o tempo de sobrevivência de um recém-nascido é variável.

– Depende de diversos fatores como a gestação, condições do parto, idade gestacional e grau de nutrição. Além das condições de exposição a fatores ambientais, como temperatura e umidade – disse o médico.


Comente aqui
20 jun11:39

Segue internado no Hospital o bebê abandonado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Segue internado no Hospital da Criança em Chapecó, o bebê de aproximadamente dois dias, encontrado no final da tarde desta terça-feira no bairro São Cristovão. Ele estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola jogada num terreno baldio, na rua Licínio Córdova.

Quem encontrou o menino foi um garoto de 14 anos. Junior Everton Menegildo faltou a aula para ir ao centro comprar roupas com alguns amigos. No caminho ele e os amigos ouviram uma espécie de miado. Ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

– Ele estava chorando e quando peguei no colo ele parou de chorar – contou o menino emocionado.

O jovem ‘anjo da guarda’ disse que a família duvidou da história. Rosana Sales, mãe de Junior, só se convenceu quando viu a criança no colo do filho.

– Tinha passado pelo local minutos antes e não vi nada de estranho – contou Rosana que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

- O cordão umbilical estava com início de cicatrização – disse a soldado do Corpo de Bombeiros de Chapecó, Daliane Daleaste.

O bebê, que deu entrada no Hospital no final da tarde desta terça-feira, passa bem e segue internado em observação.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanhou o caso, assim que o bebê receber alta ele será encaminhado para o Abrigo de Chapecó. A conselheira disse ainda que foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM). A Polícia Civil vai investigar o caso.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Acolhimento, Lilian Guntzel, o bebê está sob tutela do Abrigo.

– Recebemos na noite da terça uma comunicação sobre o caso. E ele ficará conosco até a decisão da justiça – disse Lilian.

No Abrigo de Chapecó estão acolhidas 21 crianças, de 0 a 11 anos. outras 90 crianças e adolescentes, de 12 a 18 anos, estão em quatro casas lares e 17 famílias acolhedoras da cidade.


Comente aqui
19 jun17:53

Bebê com dois dias de vida foi encontrado abandonado em Chapecó

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Um bebê, de aproximadamente dois dias, foi encontrado abandonado em Chapecó. Um adolescente  viu o menino na Rua Licínio Córdova, no Bairro São Cristovão e chamou o Corpo de Bombeiros de Chapecó. Ele recebeu os primeiros socorros e foi encaminhado para o Hospital da Criança de Chapecó.

Segundo a conselheira tutelar, Terezinha Lunelli, que acompanha o caso, o bebê passa bem, porém deve ficar internado em observação até que saiam os resultados dos exames.

– Assim que ele sair do Hospital será encaminhado para o Abrigo Municipal – disse Terezinha.

A conselheira disse ainda que foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAM). A Polícia Civil vai investigar o caso.


Comente aqui
07 jun09:53

Entre dor e felicidade, avó reúne forças para cuidar do neto

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Os avós maternos de Marcos Felipe Menezes da Rocha devem ficar com a guarda da criança, já que os pais faleceram no acidente. Eles moram em Naviraí-MS. Ao sair da Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital São Francisco, a avó, Fátima Menezes, deu algumas declarações para os órgãos de imprensa que estavam lá, entre eles o Diário Catarinense.

>> Bebê que sobreviveu nos braços da mãe deixa o Hospital em Concórdia

O que a senhora tem a dizer sobre essa tragédia?

Fátima Menezes: “Estou arrasada, não tenho o que falar. É uma dor tremenda e ao mesmo tempo estou feliz por estar levando meu netinho para casa”


Graças à sua filha que conseguiu protegê-lo entre os braços?

Fátima: “Minha filha conseguiu salvar o bebê, o meu guerreiro. Ela deu a vida para salvá-lo.”


A que a senhora atribui ele ter sobrevivido a um acidente tão grave?

Fátima: “É um milagre de Deus, a prova de que Deus existe”


Sua filha costumava viajar com o marido?

Fátima: “Ela sempre viajava junto”


Há quanto tempo ela estava junto com Syllas?

Fátima: Há três anos


Qual era o sonho deles?

Fátima: “O sonho deles está ali na frente, que é o filho deles”


Ele vai ficar com a senhora a partir de agora?

Fátima: “A partir de agora as minhas forças serão todas para o meu neto”


Eles disseram alguma coisa antes da viagem?

Fátima: “Meu genro estavam com um pressentimento ruim, ele pediu orações antes da viagem deles”



Comente aqui