bossa

17 nov13:56

Santa Catarina Jam Festival


Depois do sucesso em Florianópolis e Blumenau, é a vez de Chapecó receber o Santa Catarina Jam Festival, que reúne nomes com reconhecimento nacional e internacional em três gêneros musicais cultuados no mundo todo: blues, jazz e bossa. Os shows acontecem no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes.

No dia 18, às 21 horas, o genial Renato Borghethi com sua Gaita Ponto divide a noite com Ana Paula da Silva, uma catarinense considerada por críticos europeus e brasileiros como uma de nossas melhores intérpretes. No dia 19, um de nossos melhores guitarristas de blues, Cristiano Ferreira, abre a apresentação do pianista Donny Nichilo (EUA), fera do blues de Chicago que já tocou com Santana, Buddy Guy e Stevie Ray Vaughn.


Conheça mais as atrações do Santa Catarina Jam Festival


Renato Borghethi

A Gaita Ponto, como é chamada nessa região, confere ao folclore do RS, grande força e intensidade. Com sua música, Borghetti obteve desde o início da sua carreira, um êxito popular surpreendente para um músico que permanece fiel as suas raízes folclóricas. Não que a música do RS seja rotulada de hermética ou purista. Ao contrário, Borghetti tem revisitado, adaptado e modernizado diversas e importantes “standarts” no folclore do RS. Demonstra não se intimidar com influências de outras formas e estilos brasileiros e do mundo em seu trabalho, como o pop, samba, jazz, tango e outros, os quais adapta e agrega ao seu estilo único de tocar acordeon. Não apenas o jeito europeu de tocar gaita prevalece no Brasil. Esta diferença materializada na obra diferenciada de Renato Borghetti, faz dele um mestre popular na medida em que renova a sonoridade folclórica de seu estado natal – um sucesso mais surpreendente para um musico que ao invés de um trabalho vocal optou por um trabalho instrumental.

Seu primeiro álbum gravado em 1984, com recursos próprios e nas madrugadas ociosas de um estúdio em Porto Alegre, foi um sucesso instantâneo, alcançando a marca de 100.000 copias em poucos meses e tornando-se o 1º disco de ouro de toda a historia da musica instrumental brasileira. Hoje é referencia nacional em seu estilo, e já conta com 23 discos gravados e 02 DVDs. (Texto elaborado a partir do comentário do critico britânico William Hogeland)


Ana Paula da Silva

Considerada por críticos brasileiros e europeus umas das melhores intérpretes da atualidade, Ana Paula da Silva, catarinense, com 32 anos, em 2011 completou 16 anos de carreira, iniciou sua arte com a dança e na trajetória musical com 16 anos, evoluindo de intérprete, a instrumentista e compositora.

Ana Paula compartilhou o palco e realizou inúmeros concertos dentro e fora do Brasil com grandes músicos. Viveu na Áustria por dois anos, lá trabalhou com vários instrumentistas na linha do jazz. Neste período lançou seu disco em parceria com o compositor, arranjador e guitarrista Alegre Corrêa. Gravou no disco de Martin Reiter – Alma, CD que ganhou Prêmio de melhor disco de jazz em 2008 – Áustria. Realizou ao lado do conceituado músico de jazz Joe Zawinul uma turnê de cinco semanas em 2006, valorizando e conhecendo o uso da voz não somente em canções.

Realizadora de seus projetos, CDs e shows desde o primeiro disco de cinco já lançados Ana Paula da Silva lançou em 2006 Canto Negro e Por causa do Samba (Brasil e Europa), em 2008 o Livro CD Contos em Cantos, em 2009 selecionada pelo Prêmio Pixinguinha onde foram escolhidos dois artistas por estado lançou o álbum Aos de Casa (Brasil-Europa-Argentina) valorizando os músicos e a cultura catarinense conhecida por poucos. Em dezembro de 2010 produziu o quinto trabalho Pé de Crioula, disco inteiramente dedicado ao samba com arranjos e direção musical do ícone carioca Claudio Jorge e com grandes músicos como Mauro Diniz, Carlinhos 7 cordas, Ricardo Silveira, Mário Sève, participação especial de Gabriel Grossi, Robertinho Silva entre outros músicos, mantendo a proposta de apresentar e valorizar novos compositores.


Cristiano Ferreira

Cristiano Ferreira é um dos grandes expoentes do blues nacional. Iniciou sua carreira em Porto Alegre em meados de 1995, tocando com bandas locais. Não demorou muito para que passasse a integrar a banda de músicos importantes do cenário do bules gaúcho, como a cantora Flora Almeida e o gaitista Andy Boy, com quemgravou o disco Blue Mind (2001), vencedor do prêmio Açorianos como melhor disco de bules do ano no Rio Grande do Sul. Cristiano também integrou a banda do gaitista catarinense Alex Rossi até a sua ida para a Europa. Com ele gravou algumas faixas do seu disco Let Me in (2006). Radicado atualmente em Florianópolis, Cristiano integra a banda do gaitista catarinenese Carlos May. Sua grande experiência como músico de apoio o faz figurar entre um dos guitarristas mais requisitados para acompanhar artistas de bules internacionais em suas turnês pela região sul. Nomes como Holland K. Smith, Phil Guy, John Primer, Willie Big Eyes Smith, Bob Stroger, Gonzalo Araya e Nicolás Smoljan figuram entre alguns destes artistas. Cristiano transita pelo swing do jazz, o rhythm and blues alegre e dançante, o som profundo do bules de Chicago e o som potente do blues texano.


Donny Nichilo

Nascido e criado em Chicago, Donny é um respeitado músico e mesmo com seus estudos na Universidade de Illinois, ele acredita que seu conhecimento, tenha vindo mais fortemente das lições que aprendeu observando e tocando em bandas com os velhos mestres do Blues e Jazz que viveram e atuaram em Chicago.

Sua perícia no Chicago Blues o levou a tocar 3 anos com um dos mais famosos guitarristas de Blues, Buddy Guy e mais recentemente, com outros grandesnomescomo olegendárioFloydMcDaniel e a Banda Swingers. Donny foi um dos membros criadores da maior banda de Swing em Chicago, The Mighty Blue Kings.

Como pianista e cantor, conhecido por seu rico tom e limpas frases melódicas, o que o faz ser particularmente único é sua rara versatilidade, movendo-se facilmente, mas com muita autenticidade, entre os diferentes estilos de Blues, Jazz, Swing e clássicos americanos. Autenticidade, sensitividade e riqueza de influências do verdadeiro Blues de Chicago, são características vivas em seu piano e voz. Como resultado de tanto talento já dividiu palco com músicos famosos como Carlos Santana, Ron Wood do Rolling Stones, Stevie Ray Vaughn entre outros.


Santa Catarina Jam Festival | www.jamfestival.com.br


Serviço:

Chapecó

Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes – 21 horas

18/11

- Renato Borghethi – Jazz

- Ana Paula da Silva – Bossa

19/11

- Donny Nichilo (USA) – Blues

- Cristiano Ferreira – Blues


O Santa Catarina Jam Festival é uma realização do Museu do Rock, com coordenação da Propague Promo, coordenação artística da Orth Produções, patrocínio da TIM, apoio institucional do Funcultura (Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte – Governo de Santa Catarina) e promoção da RBS.

Mais informações e músicas dos artistas em www.jamfestival.com.br. Ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15,00 (meia) estão à venda na bilheteria do Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes, site Blueticket e na loja da TIM Oestecell – Av. Marechal José Bormann, 125E.

1 comentário