BR 282

22 set09:58

Recebe alta motorista da van de funerária envolvida em acidente na BR 282

O motorista da van de funerária recebeu alta na manhã desta quinta-feira. Ele ficou internado durante a noite no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso em São Miguel do Oeste.

O corpo que estava no veículo foi encaminhado, ainda na noite de quarta, por uma funerária de São Miguel do Oeste para o velório em Dionísio Cerqueira.

O acidente entre a van de uma funerária de Brusque e um caminhão foi na noite de quarta no Km 632, próximo ao Rio das Antas, na BR 282 em Descanso.




Comente aqui
22 set09:10

Caminhão bate em van de funerária que transportava corpo na BR 282

A van de uma funerária de Brusque que transportava um corpo se envolveu em acidente no Km 632, próximo ao Rio das Antas, na BR 282 em Descanso, na noite de quarta-feira. O veículo bateu de frente num caminhão de São Paulo.

Segundo relato de testemunhas para a guarnição dos bombeiros que atendeu à ocorrência, um caminhão bateu na traseira de outro e invadiu a pista contrária, por volta das 19h30min. Na manobra, acabou atingido a van, que levava um corpo para Dionísio Cerqueira.

O motorista da van sofreu ferimentos leves no rosto e foi encaminhado ao Hospital Regional de São Miguel do Oeste. Os ocupantes dos caminhões não se feriram. A equipe de funerária de Dionísio Cerqueira dirigiu-se para a BR 282 para buscar o corpo que estava sendo transportado.

A ocorrência  foi próxima ao local do acidente que vitimou 26 pessoas em março deste ano. O acidente foi entre uma carreta e um ônibus com placas gaúchas no Km 639.

No Km 630 da rodovia foi registrado no dia 9 de outubro de 2007, uma das maiores tragédias nas estradas catarinenses, com 27 mortos e 90 feridos.


DIÁRIO CATARINENSE


Comente aqui
15 set13:47

Fiesc apresenta estudo da BR 282

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br


A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) apresentou na noite de quarta-feira, em Chapecó, um estudo com proposições de obras para reduzir o número de acidentes na BR 282.


Participaram do encontro, na sede regional da Fiesc, lideranças políticas e empresariais da região. No estudo, apresentado pelo engenheiro Ricardo Saporiti, foram sugeridas melhorias nos acessos a municípios, implantação de terceira faixa e melhoria na pavimentação, totalizando R$ 320 milhões em investimentos.

Nos 1664 dias pesquisados, entre janeiro de 2007 e julho de 2011, ocorreram 569 mortes, ou seja, uma a cada três dias.

O presidente da Fiesc, Glauco Côrte, disse que o estudo será encaminhado para lideranças políticas e órgãos governamentais. A assessoria de imprensa do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNIT) disse que o órgão só poderá se manifestar sobre o estudo após fazer uma análise técnica.

A BR 282 tem 665 quilômetros de Palhoça a Paraíso. Ela corta o estado de Leste a Oeste, do litoral até a fronteira com a Argentina. Ela serve para o escoamento da produção do Oeste, principalmente das agroindústrias e indústrias de papel e madeira.

No ano passado foi concluída a ligação com a fronteira com a Argentina, pavimentando os 29 quilômetros entre São Miguel do Oeste até a ponte internacional no rio Peperi Guaçu, em Paraíso.

De acordo com o supervisor do DNIT de São José, João José Vieira, o único trecho duplicado da rodovia é a Via Expressa, em Florianópolis. E está sendo feito o projeto de aumento do fluxo da via, com quatro pistas em cada sentido, mais duas vias laterais, nos 5,5 quilômetros da ponte Colombo Sales até a BR 101. No entanto esse trecho não foi incluído no estudo da Fiesc.

Dois trechos estão em fase de duplicação, um na travessia urbana de Xanxerê e outro na travessia urbana de Lages. Vieira disse que há um estudo preliminar para duplicar 29 quilômetros entre Palhoça e Águas Mornas. Mas esse estudo ainda dependeria de licitação do projeto.

No Oeste, há previsão de recuperação de 200 quilômetros da rodovia entre Ponte Serrada e São Miguel do Oeste, com reforço da pavimentação. Recentemente foi concluída a melhoria no trevo de acesso a Modelo. O acesso a Chapecó está em fase de duplicação, com previsão de um elevado na BR 282. Até o final do ano será licitada a construção de vias laterais na travessia urbana de Maravilha. O DNIT também tem intenção de construir um acesso à Udesc de Pinhalzinho, um dos pontos críticos apontados pelo estudo da Fiesc.


Comente aqui
14 set09:57

BR 282 registra uma morte a cada três dias

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br


A cada três dias uma pessoa morre na BR 282. Este é o resultado de um estudo da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, que será apresentado a partir das 19 horas desta quarta, na sede regional da entidade em Chapecó, na rua Mascarenhas de Moraes 444-E.

O estudo apontou que foram 569 mortes de janeiro de 2007 a julho de 2011. A análise e proposição de obras para redução dos acidentes será apresentada pelo consultor da Fiesc, o engenheiro Ricardo Saporiti.

De acordo com o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, o estudo aponta melhorias nos acessos, recuperação de pavimentação e construção de faixas adicionais num total de R$ 320 milhões de investimentos.

Côrte disse que as obras são urgentes pois a situação da rodovia está se agravando com o aumento do fluxo. A médio e longo prazo o ideal é duplicar a rodovia.

Côrte lembrou que a BR 282 foi projetada há 60 anos e nesse período não recebeu a atenção necessária para acompanhar o desenvolvimento do estado.

A BR 282 corta o estado de Santa Catarina, desde Palhoça até a fronteira com a Argentina. Ela é a principal ligação Leste/Oeste e é cortada pelas principais rodovias do Estado. Também serve de escoamento das produção das agroindústrias e setor de madeira e celulose. São 1,1 mil carretas de 30 toneladas por dia que trafegam pela via diariamente.


Más condições causam perda de competitividade

Côrte afirmou que, além da perda das famílias, as más condições da rodovia causam perda de competividade das indústria.

- Cerca de 40% do faturamento de um caminhão é gasto com manutenção- calculou.

Ele informou que o estudo será encaminhado para as lideranças políticas do Estado e do país, para que a obra seja colocada entre as prioridades do Governo Federal. As federações das indústrias dos três estados do sul já elencaram a obra como uma das mais importantes.

Para o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, Maurício Zolet, a duplicação da BR 282 é essencial para o desenvolvimento da região.

- Ela pode ser o gargalo para a nosso desenvolvimento- explicou.

Zolet disse que a entidade já vem reivindicando melhorias na rodovia para os deputados, senadores e lideranças em cada encontro que a entidade tem com representantes políticos. A meta é duplicar a rodovia, mas a entidade entende que é necessário trabalhar por partes, devido aos custos. A idéia inicial é implantar terceiras faixas nos pontos de declive e melhoria nas travessias urbanas, até chegar na duplicação total da pista.

Os motoristas também reclamam das más condições da rodovia. Rafael Gilioli, que transporta frios para o Rio de Janeiro, passa duas vezes por mês pela rodovia e reclama bastante.

- O pior são os buracos- afirmou.

A BR 282 também foi cenário de algumas das maiores tragédias do trânsito catarinense. Em 2007 dois acidentes no quilômetro 630 da rodovia, em Descanso, causaram a morte de 27 pessoas e deixaram mais de 90 feridos. Em março, outro acidente, no quilômetro 639, também em Descanso, causou a morte de mais 29 pessoas. Diante desses números, investir R$ 320 milhões não é um volume tão grande, pelo benefício que trará para Santa Catarina.


Alguns pontos críticos apontados pelo estudo

- Km 25,9: necessidade de trevo próximo a ponte rio Mathias, em Santo Amaro da Imperatriz;

- Km 41,4: readequação do acesso a São Bonifácio;

- Km 195: acostamentos estreitos, em Lages;

- Km 212: interseção do acesso a São Joaquim;

- Km289: pontes estreitas em São José do Cerrito;

- Km 337: acesso a Campos Novos;

- Km 366: readequação da interseção de acesso a Erval Velho;

- Km 378: readequação da interseção do acesso a Herval do Oeste;

- Km 387,6: readequação da interseção do acesso ao aeroporto de Joaçaba;

- Km 406: construção de viaduto em Catanduvas;

- Km 459: interseção do acesso a Passos Maia;

- Km 473: Interseção de acesso a Vargeão;

- Km 513 a 523: pavimentação precária em Xaxim;

- Km 551,3: readequação da interseção a Nova Itaberaba;

- Km 564,9: acesso a Nova Erechim;

- Km 574: acesso ao campus da Udesc em Pinhalzinho;

- Km 599,2: nova interseção do acesso à BR 158, em Maravilha;

- Km 615: readequação da interseção a Iraceminha;

Fonte: Fiesc


BR 282

Extensão: 665,1 quilômetros (Palhoça/Paraíso)

Período da pesquisa: janeiro de 2007 a julho de 2011- 1664 dias

Acidentes com danos materiais: 10.418 (média de 15,6 por quilômetro e 6,26 acidentes por dia)

Mortes: 569 (0,85 por quilômetro e uma morte a cada três dias)

Fonte: PRF




Comente aqui
08 set19:43

Jovem morre em acidente na BR 282

Um jovem morreu esta tarde vítima de um acidente na BR 282 no trevo de Vargeão.


Ivan André Bocalon, 19 anos, retornava de Xanxerê, com destino a Passos Maia quando bateu de frente com um caminhão. Ele ficou preso as ferragens. As causas do acidente vão ser investigadas.


Comente aqui
07 set11:16

Acidente na BR 282 em Nova Itaberaba

O motorista de uma van perdeu o controle do veículo, rodopiou na pista e bateu contra um paredão de pedra no trevo de Nova Itaberaba. O acidente foi registrado às 8h da manhã desta quarta-feira. O veículo transportava 11 jovens de São Miguel do Oeste que participaram de uma festa em Chapecó.


As vítimas foram socorridas pelos Bombeiros de Chapecó e Pinhalzinho e também pelo Samu. Os passageiros foram encaminhados para o Hospital Regional de Chapecó. Dois deles com ferimentos graves. Tamires Dickel, de 19 anos, com traumatismo de tórax, e Caroline Nascimento Reis, de 17 anos, com traumatismo craniano.


O Corpo de Bombeiros Militar de Chapecó divulgou a lista dos passageiros:

Tamires Dickel

Andrieli Ranzi

Rontai Monteiro Dos Santos

Bruno Vinícius Monteiro Dos Santos

Julian Cesar Severo

Samara Dal Piva

Daiane Pedroso

Caroline Nascimento

Rafael Luchine

Ana Claudia Cardoso


Segundo a Polícia Rodoviária Federal de Xanxerê a carteira do motorista de 24 anos  foi apreendida.



Comente aqui