Brasileira

08 out15:26

Atleta do Basquete de Chapecó está na Seleção Brasileira sub-15

Isabela Fellini Hazin, 15 anos, é uma das duas catarinenses convocadas pela Confederação Brasileira de Basquete para disputar a 19ª edição do campeonato sul-americano da modalidade para atletas até 15 anos de idade. A atleta integra a equipe do Clube de Basquete de Chapecó.

Com 1,70m a ala/armadora deve se apresentar ao grupo da seleção no dia 30 de outubro, na cidade mineira de São Sebastião do Paraíso. Ela e as demais convocadas treinam até o dia 16 de novembro.

O campeonato sul-americano da categoria será disputado na Venezuela a partir do dia 17 de novembro.


1 comentário
27 ago16:16

Brasil vence Portugal e confirma 100% no tricampeonato mundial universitário

Fechando com chave de ouro. No sábado, dia 25 de agosto, o Brasil venceu o sediante Portugal por 5 a 1 na rodada final do Mundial Universitário de futsal feminino. O jogo ocorreu no Ginásio da UMinho em Braga, e confirmou os 100% de aproveitamento das canarinhas na conquista do tricampeonato.

E não foi só isso. A nossa Seleção ficou com a artilharia: a capitã Taty, que corria por fora na disputa, fez uma grande partida e chegou aos sete gols, empatando com a espanhola Sara Iturriaga. Ainda nos prêmios individuais, as brasileiras Vanessa e Ariane foram escolhidas entre as cinco melhores do campeonato. A lista contou ainda com as portuguesas Daniela Ribeiro (goleira) e Melissa Antunes e a própria Iturriaga – que foi eleita a melhor do Mundial.

Para completar, o Brasil provou que time campeão pode e deve jogar limpo, ao levar o Troféu Fair Play como a seleção mais disciplinada. A próxima edição do Mundial Universitário será em 2014, na cidade de Málaga (Espanha).

As tricampeãs embarcam na segunda-feira pela manhã retornando ao Brasil. O elenco fará escalas no Rio de Janeiro e em São Paulo. As atletas e membros de comissão cedidos pela Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora só desembarcam em Chapecó por volta de 00h30 já da terça-feira.


Comente aqui
21 ago14:11

Seleção feminina de futsal brasileira aplica goleada na França e é líder isolado

Segundo jogo, segunda vitória. Goleando e liderando sozinha. A Seleção Brasileira Universitária de futsal feminino marcou 13 a 2 na França na segunda-feira, dia 20. A partida, válida pelo Mundial da categoria, aconteceu no Ginásio da UMinho, em Braga (Portugal).

O Brasil tem seis pontos ganhos, seguido de Portugal, com quatro. As sediantes estrearam vencendo a França no domingo por 11 a 0, mas empataram com a Espanha na segunda rodada por 1 a 1. As espanholas estão em terceiro, com um. As francesas dividem a lanterna com a Rússia, sem pontuar.

A terça-feira terá a rodada de folga das canarinhas.

Os jogos serão Portugal x Rússia e Espanha x França. O Brasil só volta à quadra na quinta-feira, dia 23 de agosto, às 12h45, contra a Espanha.

Vencendo, dependerá apenas de um empate na última jornada, quando enfrenta Portugal. E, se caso as donas da casa empatar com as russas, uma vitória brazuca pode dar o tricampeonato antecipado.


Comente aqui
14 ago14:39

Seleção Brasileira Universitária de futsal feminino treinou em Chapecó

Todas por um objetivo: representar o Brasil. A Seleção Brasileira Universitária de futsal feminino começou os trabalhos visando o Campeonato Mundial, a ser disputado em Braga, Portugal. O técnico Éder Popiolski treinou a equipe em dois períodos na segunda-feira, dia 13, em Chapecó.

O treinador já conta com dez das doze atletas convocadas, além da preparadora física Paca Marques. Faltam ainda as jogadoras da Unifor/Nacional Gás, que se juntarão ao grupo antes de ir à Europa. O Brasil tenta o tri na competição, que será de 19 a 25 de agosto.

Na manhã desta terça-feira a equipe embarcou no Aeroporto Municipal Serafim Bertaso rumo a São Paulo. As atletas embarcam para Portugal na manhã desta quarta-feira.


Renovando para o Mundial

Na segunda vez em que comanda a Seleção Universitária, Éder renovou um terço do elenco, se comparado com o bi mundial de 2010. Das atuais convocadas, oito estiveram com o treinador na Sérvia: Giga, Valéria, Vanessa, Jéssika (Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora), Taty, Gaby, Ariane (Unesc) e Cilene (Uniarp/Kindermann). As novidades ficaram por conta de Renata (Chapecó), Nega (Uniasselvi/Brusque), Kessany e a goleira Júlia (ambas da Unifor/Nacional Gás). Na comissão, duas novidades, com a própria Paca Marques, da Female, e Wilson Saboia, da Unifor.

O Mundial contará com cinco seleções. Brasil, Portugal, Espanha, Rússia e França jogarão entre si, em turno único. Quem fizer mais pontos será a campeã. As canarinhas estreiam no dia 19 contra a Rússia, às 10h30. No dia seguinte, pegam a França no mesmo horário. A penúltima partida será contra Portugal, às 12h45 do dia 23. A rodada final colocará as brasileiras de frente contra as portuguesas, donas da casa, às 12h15 do dia 25.


Comente aqui
10 ago15:19

Abertas inscrições para o curso sobre Língua Brasileira de Sinais em Chapecó

O curso de Letras da Unochapecó realizará uma nova licenciatura, em Língua Brasileira de Sinais Letras (Libras). Direcionado para egressos e professores não graduados em serviço na rede pública de educação, o curso tem como objetivo a formação acadêmica para atuação no ensino fundamental e médio, além de segmentos culturais.

Segundo a coordenadora do curso, professora Marcia Ione Surdi, a proposta é oferecer mais uma possibilidade de formação na área, para atender uma necessidade ainda não contemplada pelos cursos ofertados pela Unochapecó e por outras instituições da região. A coordenadora diz que o curso atende a uma demanda motivada pela Secretaria de Educação do Estado de acordo com as políticas de inclusão social.

A Unochapecó oferta 40 vagas, com bolsas de estudo integrais durante todo o curso. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas até o próximo dia 22, na Central de Soluções Unochapecó (SOL) ou nas secretarias acadêmicas das extensões de Xaxim e de São Lourenço do Oeste. O início das aulas está previsto para o próximo dia 30, com aulas programadas para ocorrer nas quintas-feiras à noite, nas sextas-feiras à tarde e noite e aos sábados pela manhã e à tarde.

A seleção dos candidatos será realizada por sorteio, no dia 23, às 17h, no plenário do bloco M. Na ordem de classificação, será dada prioridade para surdos, conforme o decreto lei 5.626/2005. A lista dos classificados será divulgada no dia 21, pelo site www.unochapeco.edu.br/seletivo. Já as matrículas poderão ser efetuadas nos dias 27 a 29, de agosto. Informações complementares podem ser obtidas pelo telefone (49)3321-8000.


Sobre o curso

Com duração de oito semestres, a graduação em Letras – Libras têm como proposta formar docentes conscientes de sua atuação social, assumindo o compromisso com os diferentes saberes da literatura. O curso pretende formar profissionais destacados pela qualificação profissional, capazes de articular o conhecimento, garantindo o exercício da atuação em Língua Brasileira de Sinais.



Comente aqui
17 jul16:57

Chapecó passa por vistoria da CBV

De olho numa sede para a fase final da Liga Nacional 2012, representantes da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e da Federação Catarinense de Voleibol (FCV) deve estar em Chapecó nesta quarta-feira, dia 18.

A partir das 14h, a comitiva deve ser recebida na Secretaria de Esporte e Lazer de Chapecó e depois farão visitas a possíveis locais de competição, hospedagem e alimentação na cidade, além de discutir como poderia ser feito o translado interno das equipes participantes da competição.

- Em relação ao local de competição, a nossa solicitação é de que os jogos possam acontecer no Ginásio Ivo Silveira, que é a casa do voleibol de Chapecó – ressalta o técnico da Aprov/Unoesc/Chapecó, Nilson Rex.

A etapa final, que reúne os campeões de cinco regiões do país, está marcada para acontecer de 20 a 25 de agosto. Somente o campeão da Liga Nacional garantirá vaga na Superliga B, em 2013. A equipe da Aprov é patrocinada pela Prefeitura de Chapecó, Unoesc, Casa Imóveis, Frutas Real, BRF e Restaurante Estrela azul.


Comente aqui
18 jun15:06

Santa Catarina é campeã brasileira feminina de futsal da Seleções Sub 15

Santa Catarina tem mais um motivo para se orgulhar do futsal feminino. A Seleção Catarinense Sub 15 sagrou-se campeã do 1º Brasileiro de Seleções da categoria, em Manaus/AM. Contando com nove atletas, técnico e auxiliar de Chapecó, a conquista foi sacramentada com um 2 a 0 sobre o Paraná na manhã deste domingo, dia 17.

O título veio com aproveitamento total: cinco vitórias nos cinco jogos. De quebra, teve o melhor ataque (28 gols) e a melhor defesa (3 gols). Chapecó contribuiu muito nesta conquista com as atletas do Colégio Lourdes Lago: Amanda, Juba (goleiras), Luiza, Paula, Talia, Jaque, Isabela Vitorino, Sílvia e Tainara. Além disso, o técnico Léo Schroeder atuou como auxiliar. O treinador foi Sílvio Faccin, auxiliar da multicampeã Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora. Lembrando que os dois clubes estão em parceria neste 2012.


Goleadas no começo e dureza nas finais

Na fase de grupos, as pequenas catarinenses estavam no Grupo A e não deram chances, goleando em todos os jogos. A estreia foi na quarta (13), marcando 9 a 2 em Alagoas. No dia seguinte, 8 a 0 sobre o Acre. A liderança e a classificação foram confirmadas com 7 a 0 sobre Rondônia, na sexta.

Na semifinal, contra Distrito Federal no sábado, a facilidade foi convertida em dureza. Talia abriu o placar no segundo tempo, mas o empate veio a 12 segundos do fim. Quis o destino que a vitória catarinense viesse da mesma maneira na prorrogação, também a 12 segundos de zerar o cronõmetro, em outro tento de Talia – 2 a 1.

Após a partida, Talia, vice-artilheira da competição, declarou ao site da Confederação Brasileira: – Foi muito duro! Estávamos tentando segurar, o treinador falou que ‘azar é de quem tem pressa’ e com calma conseguimos. Agora é esperar a final – disse.

Eis que veio a decisão contra um forte Paraná, que marcara 6 a 1 no Pará na semi. Quase aos quatro de jogo, Isabela Vitorino abriu o placar em rápido contra-ataque. Ainda no primeiro tempo, os vizinhos de Santa Catarina responderam com duas perigosas chances.

Para evitar as oportunidades adversárias, as catarinenses passaram a administrar a posse de bola no segundo tempo. Criaram outra chance de perigo até que, aos nove, Talia bateu a gol, a goleira deu rebote e Jessiquinha mandou para as redes. 2 a 0 e festa barriga-verde na Amazônia!


Comente aqui
30 mai09:30

Classe média é 54% da população

O governo federal fatiou a classe média brasileira em três subclasses definidas pela renda familiar mensal per capita. Agora, a categoria classe média é formada por baixa classe média, com renda entre R$ 292 e R$ 441, média classe média, com renda per capita de R$ 442 a R$ 641, e alta classe média, entre R$ 642 e R$ 1.019. Com a nova configuração, o governo estima que a chamada classe média é representada por 54% da população brasileira neste ano. Em 2001, essa parcela era de 37% do total.

De acordo com a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), a classe alta também foi subdividida em duas categorias, a baixa classe alta, com renda entre R$ 1.020 e R$ 2.480, e a alta classe alta, com proventos superiores a esse valor. Na classe pobre, os limites também mudaram. São considerados extremamente pobres aqueles com renda de até R$ 81. Os pobres, mas não extremamente, ficam situados entre R$ 82 e R$ 162. Na categoria denominada vulnerável, entram as pessoas que ganham entre R$ 163 e R$ 291.


AGÊNCIA ESTADO

Comente aqui
21 mai11:46

Campeã brasileira de taekwondo reforça Chapecó

O taekwondo de Chapecó, apoiado pela apoiada pela Unochapecó, conta com um novo reforço para as competições deste ano. É a atual campeã brasileira da categoria juvenil, Cristiane Busatto de Oliveira, 16 anos, natural de Seara. Ela já tem bons índices e nesta temporada busca o bicampeonato nacional em sua categoria. A partir de agora ela representará Chapecó nas competições estaduais e nacionais.

Contratada pela Associação Chapecoense de Taekwondo a jovem, que pratica taekwondo há 10 anos, chega para fortalecer o grupo. Cristiane já subiu duas vezes no lugar mais alto do pódio no campeonato estadual e vem integrando oficialmente pelo segundo ano consecutivo a seleção catarinense juvenil de taekwondo, além de conquistar o título de campeã brasileira open sub-21; campeã brasileira interclubes (oficial da CBTKD). A searaense também foi atleta reserva da seleção brasileira no ano passado.

A equipe de taekwondo de Chapecó espera bons resultados em nível nacional, pois com o reforço, terá mais chances de subir no lugar mais alto do pódio.

O próximo compromisso da atleta é o Campeonato Brasileiro em Porto Alegre/RS em junho e servirá de preparação para a busca do bicampeonato nacional que será realizado em Goiânia/GO, no dia 10 de julho.

Ela também é um bom reforço para os Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC).

- Estou aqui para buscar meu espaço e tenho certeza que posso conquistar muitos títulos e quem sabe ter a oportunidade de participar das Olimpíadas de 2016 – acredita a atleta.


Comente aqui
18 mai10:09

Canonização de Santa Paulina, a primeira santa brasileira, completa 10 anos

Ângela Bastos | angela.bastos@diario.com.br

Neste sábado, 19 de maio, a canonização da Santa Paulina, a primeira santa que viveu no Brasil, faz 10 anos. Vinda criança da Itália, ela é venerada em Nova Trento, no Vale do Rio Tijucas, onde foi erguido um santuário em sua homenagem, e onde viveu parte de sua vida.

No lugar, existem ainda muitos descendentes. Alguns jovens como Amábile Visintainer, 13 anos, e outros mais idosos, como Alexandre Visintainer, 95 anos, que ainda lembra do dia em que foi com os pais despedir-se da religiosa quando ela partia para São Paulo.

Amábile Visintainer, 13 anos, e Alexandre Visintainer, 95 anos, são dois dos familiares de Santa Paulina.

A grafia pode ter mudado, a admiração não

Se o “V” de Visentainer deu lugar ao “W”, o respeito por Paulina continua o mesmo dos tempos de menino. Assim passa o tempo para Alexandre Atílio, 95 anos, sobrinho de Santa Madre Paulina, agricultor aposentado que mora no Bairro de Vígolo, vizinho ao Santuário, em Nova Trento.

Por volta dos 10 anos, recorda, ele, o pai e a mãe foram se despedir da jovem religiosa que partia para fortalecer a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. Acredita que ela estivesse indo para São Paulo. Hoje, a obra de Madre Paulina está presente na Itália, países da América e da África através de um trabalho integrado de saúde, educação, promoção social e em diversas pastorais da Igreja Católica.

— Naquela época, os religiosos ficavam longe do povo. Tinha uma meia porta, e ela ficava de um lado e nós do outro. Mas acho que conseguimos dar um abraço nela — conta Alexandre Atílio.

Na casa onde vive, construída por ele inspirado no carpinteiro São José, o aposentado tem um cantinho onde todos os dias reza para a Santa Madre Paulina. No cantinho da sala e sobre um altar improvisado, acende velas em agradecimento pela saúde e bem estar com a família.

Desde que começou o processo de canonização, Alexandre tem dado muitas entrevistas. Mais do que falar em carregar o sangue da santa, sugere que as pessoas tenham fé no poder de intervenção da primeira santa que chegou menina da Itália e viveu em Santa Catarina.

Alexandre é filho de Manoel Benjamim, um dos irmãos de Paulina. É o único sobrinho da santa que está vivo. Mas encarregou-se de fazer circular o sangue da Vinsentainer mais famosa no mundo. Casado com Marta Maria, de quem está viúvo há 20 anos, teve 13 filhos.

Netos e bisnetos se espalham por diferentes cidades do Estado. Quando lhe perguntam diante da vitalidade e lucidez sobre não ter casado novamente, responde acreditar que na companhia da família prolonga a vida.

— Quero chegar aos 100 anos. Tomo vinho todos os dias e há 83 fumo cachimbo. E não deixo de rezar, nunca — conta.


O mesmo nome da santa

A resposta vem com orgulho sempre que alguém pergunta-lhe o nome: Amábile Visintainer. E respeitosamente segue a conversa caso seja feito algum questionamento se “esse não é o nome de batismo de uma santa?”

— Sim, tenho o nome e sobrenome da Santa Madre Paulina diz a adolescente de 13 anos, que frequenta o 7º ano e já fotografada como modelo.

Mas, diferente de Madre Paulina que foi fazer a vida religiosa em São Paulo, Amábile ainda está em Nova Trento por decisão dos pais que acharam muito cedo sua transferência para o mundo da moda.

Aluna aplicada e filha exemplar conforme a mãe, Rosângela Dallabrida Visentainer, Amábile tem fé em Madre Paulina. Mas não demonstra a mesma vocação.

— Penso em seguir a vida normal, um curso universitário e ter uma família. Acho bonito tudo o que ela fez, a sua obra, mas eu quero trabalhar com urbanismo e arquitetura — conta.

Amábile é filha única. O parto não foi difícil e a mãe agarrou-se na fé em Madre Paulina. A santa já era seu socorro quando, nos tempos de criança, os pais bebiam. Na hora do nascimento de Amábile não lhe faltou. Mas não foi fácil a homenagem.

Se no cartório não houve recusa de colocar nome e sobrenome, até por que o pai, Alfonso Piudessimo Visentainer, é sobrinho neto de Madre Paulina, na congregação a ideia não foi bem aceita: uma madre questionou o fato da menina ter o nome e sobrenome. Mas os pais estavam decididos: se fosse menina seria Amábile, se fosse um garoto seria batizado de Napoleão, mesmo nome do pai de Madre Paulina.

— Felizmente ela entendeu que eu tinha o direito, já que meu pai carregava o sangue da santa nas veias. Eu gosto muito das irmãzinhas e até dou aula de computação para uma delas — explica Amábile.

Os estudos são prioridades para a menina que apesar de gostar de fotografar e de moda, evita alguns comportamentos atuais:

— Não tenho namorado e ainda não fiquei com meninos. As pessoas acham estranho, mas eu penso em outras coisas para mim e um dia a hora chegará — diz.

Com 1,76 metro de altura e 52 quilos, Amábile diz que neste ano terá que refazer as fotos para a agência que já fotografou. Para ela, que não tem problema de peso, uma dificuldade foi posta: o tamanho do pé. O ideal é número 36, e ela calça 39.

Ficou chateada, mas diz que não vai “cortar o pé”.

Quando volta o assunto sobre o comportamento das meninas de sua idade, costuma dizer que tem personalidade forte para não se deixar influência. O mesmo se diz de Madre Paulina, a sua tia em sangue, e padroeira no nome.


DIÁRIO CATARINENSE

1 comentário