Câmara

09 out09:20

O “Dino” da Câmara de Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Uma das cadeiras da Câmara de Vereadores de Chapecó tem um único dono desde 1988. Há 24 anos Delvino Dall Rosa é vereador do município e acaba de ser eleito para mais um mandato, o sétimo consecutivo. Isso que alguns de seus eleitores já morreram.

Por coincidência, o seu apelido, usado na campanha, é Dino. Não porque ele seja um dinossauro no legislativo chapecoense. O apelido vem de infância, quando ainda morava no interior de Chapecó e, de origem italiana, tinha dificuldade em se comunicar em português.

Aliás, é surpreendente o desempenho eleitoral de Dall Rosa, que foi agricultor, depois comerciante, mas nunca frequentou uma escola. Ele aprendeu a ler e escrever graças ao incentivo do padre Jandir Santin. Em dois meses frequentando o seminário, conseguiu o básico para se virar. Agora, já discute até com advogados as leis do legislativo.

– Aprendi muita coisa com a experiência- disse.

Dall Rosa acredita que, se tivesse estudado, poderia ter concorrido à prefeito ou deputado. Mas está contente com seu desempenho no legislativo, pois não perdeu nenhuma eleição. Dall Rosa disse que o segredo para esse desempenho são o grande número de amigos que tem e as pessoas que ajudou durante a sua trajetória.

Antes de ser vereador ele já ajudava os vizinhos no bairro Bela Vista a conseguir que a prefeitura aterrasse um terreno, consertasse um bueiro, arrumasse uma rua. Com isso foi ganhando a simpatia do eleitorado e aumentando sua base eleitoral. Na primeira eleição, visitava os eleitores de casa em casa e fez 556 votos. Agora, visitou os mais conhecidos e fez 1731 votos.

Como peemedebista histórico, recebe muitos votos dos partidários fiéis. Afirma que nunca votou fora do partido a não ser quando o PMDB não concorria nos segundos turnos. Lembra que no primeiro mandato, a Câmara de Chapecó tinha só um telefone e um banheiro, e não tinha gabinete.

Durante sua trajetória Dino disse que foi o autor dos projetos de criação dos bairros Cristo Rei, Alvorada e Eldorado. Neste mandato, pretende trabalhar no auxílio à saúde, creches e acessos nas propriedades do interior. Dino disse que já brincaram que ele devia dar espaço para outras lideranças. Mas ele reluta.

– Só vou sair quando tiver uma liderança forte no meu bairro para me substituir- afirmou.

Na política, esse é um Dino que está longe da extinção.



Comente aqui
18 set17:39

Vereadores instauram CPI para investigar denúncias de improbidade em São Carlos

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Foi aprovada, por unanimidade, na noite da segunda-feira, dia 17, na Câmara de Vereadores de São Carlos a instauração de uma CPI para investigar denúncias administrativas apresentadas contra o prefeito Elio Godoy. Os vereadores solicitaram também o afastamento do prefeito do cargo, que se manteve por meio de liminar.

Ainda no final da tarde da segunda o assessor jurídico da prefeitura, Valdir Ruver, encaminhou um mandado de segurança preventivo para a justiça.

No início da tarde desta terça-feira a juíza Lisandra Pinto de Souza da comarca de São Carlos, concedeu uma liminar garantindo a permanência do prefeito no cargo. Agora os vereadores têm um prazo de até 10 dias para recorrer da decisão. Dos nove vereadores, cinco votaram a favor do afastamento, três contra e o presidente da Câmara não votou.

A instauração da CPI foi aprovada por unanimidade e uma comissão de cinco vereadores vai investigar o caso. O comitê seria formado na reunião desta terça, mas foi cancelada. Os vereadores devem se reunir no dia 24 de setembro.

O prefeito será investigado após a divulgação de um vídeo gravado pelo empresário Sandro Willinghoefer, que mostraria o possível pagamento de propina. O advogado do empresário, Vilson Gerhard, disse que essa seria uma condição para que o contrato de prestação de serviços fosse mantido.

Já o assessor jurídico do prefeito, Valdir Ruver, alega que a gravação mostraria o recebimento da devolução da parcela de um empréstimo.

Segundo o promotor José Orlando Lara Dias, um procedimento foi instaurado para coletar provas, documentos e algumas pessoas ouvidas. Esse procedimento deve encerrar no dia 13 de outubro, que é o prazo máximo de 90 dias para a conclusão do procedimento.

- Pretendo concluir antes, mas não sei se será antes das eleições – disse o promotor.

Para identificar se houve crime ou não uma cópia da gravação e das documentações foram encaminhadas para o procurador geral de justiça em Florianópolis.


Comente aqui
09 ago16:35

CDL Chapecó promove sábado Dia D

A procura por presentes para o Dia dos Pais, que será comemorada neste domingo, dia 12 de agosto, deve movimentar e incrementar as vendas no comércio de Chapecó. Para isso prepararam liquidações, promoções com descontos especiais e prazos esticados de pagamento para atrair os consumidores.

Para proporcionar a compra dos presentes aos “super-heróis”, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) promove neste sábado, dia 11, mais uma edição do “Dia D”, com horário livre de atendimento dos estabelecimentos comerciais.

Os itens mais procurados pelos filhos e esposas na hora de presentear os pais são roupas, calçados, perfumes, acessórios e eletroeletrônicos. Segundo o presidente da CDL Chapecó, Gilberto João Badalotti, o setor estima um incremento de 4,5% nas vendas.

- No ano passado as previsões foram superadas, porém para 2012 as expectativas são mais moderadas, principalmente porque as oscilações da temperatura na região interferiram no desempenho nas vendas – disse o presidente.

Para o presidente a estimativa de vendas se mantém acima da média estadual, que prevê ampliação de 4%.

A orientação do CDL, para evitar imprevistos, é que as compras sejam antecipadas.

O Dia dos Pais é a quarta melhor data comemorativa para o comércio, atrás somente do Natal, Dia das Mães e Dia dos Namorados.


Pesquisa

Levantamento encomendado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta a intenção de compra do consumidor brasileiro para o Dia dos Pais. Os dados revelam que 63% pretendem adquirir apenas um presente, 22% tem a intenção de comprar dois e apenas 8% mais do que três itens. Na relação dos homenageados estão pai, marido, filho, sogro, avô, irmão e genro.

A principal forma de pagamento dos presentes será em dinheiro (62%), seguida de cartão de crédito com parcelamento (18%) e à vista (13%).


Comente aqui
23 jul09:24

Eleição municipal tem 167 vagas de vereadores a mais em disputa

Natália Viana| natalia.viana@diario.com.br

Neste ano, os eleitores catarinenses vão eleger 167 vereadores a mais do que na última campanha municipal, há quatro anos.

A partir de 2013, o Estado terá 2.864 vereadores, 6,2% a mais do que o número atual. o total de novas vagas, 149 surgiram de projetos das próprias câmaras, após a aprovação da chamada PEC dos Vereadores pelo Congresso. As 18 restantes são relativas aos dois novos municípios catarinenses: Balneário Rincão e Pescaria Brava.

O levantamento foi feito pelo DC, com base nas informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Desde que a PEC dos Vereadores foi aprovada em 2009, os legislativos municipais começaram a elaborar projetos para aumentar o número de cadeiras. Para ser válida nestas eleições, a mudança teve que ser feita até o dia 30 de junho, último dia para as convenções municipais. Ao final do prazo, coube aos cartórios eleitorais checar o número de vagas válido em cada cidade. Em geral, a pesquisa foi feita nas leis orgânicas municipais, mas, nos casos de dúvidas, os juízes eleitorais contataram diretamente as câmaras.

Em Santa Catarina, 85 câmaras poderiam fazer a alteração, sendo que se todas tivessem aprovado projetos levando o número de vagas até o teto máximo, o Estado poderia ter mais 304 vereadores. O principal freio nesta mudança surgiu após a população de Jaraguá do Sul se posicionar contra o aumento e conseguir evitar a criação de novas vagas no município. O exemplo se espalhou pelo Estado e várias câmaras acabaram tendo dificuldades para levar a mudança adiante. Em São Joaquim, entidades encabeçaram um movimento que acabou com a apresentação de um projeto de iniciativa popular para revogar o aumento aprovado.

A pressão popular contribuiu para que 39 legislativos municipais mantivessem o mesmo número de parlamentares, entre eles algumas das maiores cidades, como Joinville, Blumenau e São José. Além disso, em nove câmaras o aumento ficou abaixo do teto máximo. Criciúma poderia ter até 21 parlamentares, mas fechou a conta em 17. Indaial e Laguna teriam o direito a 15, mas terão 13. Chapecó terá 21 vereadores.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
28 jun14:49

Social: Dornéles Dávi assume 4o Distrito de CDLs de Santa Catarina

O diretor da Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL), Dornéles Dávi, será empossado diretor do 4o Distrito de CDLs de Santa Catarina, nesta sexta-feira, dia 29, às 19 horas, durante reunião distrital.

O evento acontecena sede campestre da CDL Chapecó e é uma promoção da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC). Prestigiarão o evento autoridades, diretores e conselheiros da CDL Chapecó, bem como toda a diretoria da FCDL/SC e presidentes das CDLS que compõem o 4º Distrito (Águas Frias, Chapecó, Nova Erechim, Nova Itaberaba, Pinhalzinho e São Carlos).

Na foto Dorneles Dávi e a esposa Neizita.


Comente aqui
26 jun15:29

Documentário produzido no Oeste é selecionado em Concurso da TV Câmara

O documentário “Celibato no Campo”, produzido na região oeste de Santa Catarina, está entre os 42 selecionados para exibição na TV Câmara. A relação dos filmes foi divulgada pela Comissão Especial de Licitação responsável pelo 2º Concurso de Documentários da TV Câmara. Foram inscritos no concurso mais de 230 documentários de média-metragem. “Celibato no Campo” foi lançado no final de 2010 e tem sido exibido em mostras e circuitos alternativos. A produção do documentário é da Margot Produções, com direção de Cassemiro Vitorino e Ilka Goldschmidt.

O filme trata da migração de filhos de agricultores, especialmente moças que saem para estudar e dificilmente retornam às propriedades rurais, provocando um novo fenômeno social: o celibato masculino no campo. No documentário, agricultores contam suas histórias e falam dos motivos que contribuem para o predomínio de homens e idosos no meio rural. A narrativa do filme é constituída de depoimentos e situações do cotidiano dos agricultores em comunidades localizadas nos municípios de Seara, Formosa do Sul e Saudades.

O fio condutor das histórias é o casamento de dois jovens, um rapaz filho de agricultores e uma moça da cidade que aceita ir morar com o marido na casa dos pais, na comunidade de Barão do Triunfo, interior de Formosa do Sul. A intenção é mostrar que há pessoas dispostas a fazer o caminho inverso, se houver condições para isso. O documentário “Celibato no Campo” foi premiado no edital Prêmio Cinemateca Catarinense/Fundação Catarinense de Cultura de 2008.

A trilha sonora do filme foi originalmente composta pelos músicos Márcio Pazin e Carol Pereyr.


Comente aqui
30 abr15:19

Parlamento Jovem toma posse em Jupiá

Todos os participantes do processo eleitoral do Programa Parlamento Jovem, de Jupiá, receberam seus diplomas na tarde da sexta-feira, dia 27, na sede da Câmara Municipal de Vereadores. Pais e representantes das escolas também participaram do ato solene, além dos vereadores da Câmara adulta. Este é provavelmente o primeiro diploma que estes jovens estão recebendo em suas vidas, prova do interesse em contribuir com as questões sociais da comunidade em que vivem.

As nove vagas de vereadores foram divididas entre as duas únicas escolas da cidade, uma estadual e outra municipal. A posse ocorre nesta segunda-feira, às 19h30, também na Câmara Municipal.

Os eleitos: Lucas Fabris; Julia da Luz; Thais Ferronato; Wesley dos Santos Accorsi; Álvaro André Fatini; Jonas Chaves; Bruna Frezza Luz; Jocemara Massola e Fernando Macieski.


Comente aqui
16 abr09:17

Pressão popular freia a criação de novas vagas nas câmaras de Santa Catarina

Natália Viana |natalia.viana@diario.com.br

A reação popular vem freando a criação de novas vagas para vereadores em Santa Catarina. Dos 293 legislativos municipais, 85 têm o direito legal de reajustar o número de cadeiras, mas faltando pouco mais de dois meses para o final do prazo de alteração, apenas metade aprovou o aumento.

No final de outubro do ano passado, quando o Diário Catarinense fez o último levantamento entre os vereadores, 43 câmaras já haviam aprovado projetos aumentando o número de cadeiras, o que significava 142 parlamentares a mais. Seis meses depois, praticamente não houve alteração.

Agora, novamente 43 câmaras aprovaram a alteração, porque, se por um lado os vereadores de Içara votaram a favor do aumento de 10 para 11 cadeiras, os parlamentares de São Joaquim voltaram atrás e acataram um projeto de origem popular que derrubou as duas vagas que haviam sido criadas.

No município da Serra, os vereadores haviam aprovarado a criação de duas novas vagas na Câmara em fevereiro deste ano. A mudança pegou a população de surpresa, já que a decisão foi tomada sem um debate com a sociedade. Inspirada na iniciativa de Jaraguá do Sul, onde a comunidade se uniu e impediu o aumento do número de vereadores, a ONG Observatório Social coletou as assinaturas necessárias para apresentar um projeto de iniciativa popular que suspendia o aumento.

A pressão popular também pesou em Joinville, onde os parlamentares acabaram decidindo arquivar os dois projetos que tramitavam na casa. Uma das propostas previa que o número passasse de 19 para 25, enquanto a outra estabelecia 21 vagas. Mas com o desgaste frente a opinião pública, os vereadores não conseguiram chegar a um consenso. Itaiópolis, no Norte do Estado, é outro exemplo. Sete dos nove vereadores haviam apresentado projeto para aumentar para 11 vagas. A reação da comunidade não foi positiva e hoje deve ser lido em plenário um requerimento pedindo a retirada da proposta.

Em São Lourenço do Oeste, o projeto passando de nove para 11 cadeiras também foi arquivado. Em São Miguel do Oeste, os vereadores resolveram inovar. Nesta semana, eles vão contratar uma pesquisa de opinião para ouvir os moradores.

Os vereadores de São Francisco do Sul decidiram manter as cadeiras atuais. Para isso, já aprovaram em primeira votação um projeto fixando em nove vagas parlamentares, já que a lei orgânica do município ainda prevê 13 cadeiras, por não ter sido alterada após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de reduzir o número de vereadores em 2003.

No Sul do Estado, em Forquilhinha e em Morro da Fumaça, não há projetos em tramitação, mas a tendência é que o número de vagas seja mantido.

A polêmica começou em 2003, quando o TSE revisou o número de cadeiras e diversas câmaras tiveram o número de vereadores reduzido. Florianópolis, por exemplo, deixou de ter 21 parlamentares para ter os 16 atuais. Em 2009, o Congresso Nacional aprovou a chamada PEC dos Vereadores, que autorizou a criação de novas 7 mil vagas em todo o país.

A partir de então, as câmaras precisam alterar as leis orgânicas dos municípios para estabelecer um novo número de vagas. O prazo, segundo o TSE, é até as convenções municipais – dia 30 de junho.



Comente aqui
02 abr16:31

Preço da gasolina sobe em Chapecó

O preço da gasolina registrou alta de 0,11% em Chapecó no mês de março. A variação é apontada pelo curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, através do Projeto de Acompanhamento de Preços Regionais. O boletim que acompanha a evolução dos preços da gasolina comum no mercado de combustíveis em municípios de Santa Catarina passou a ser divulgado pela Unochapecó em fevereiro. Objetiva conscientizar o consumidor para que esteja atento às diferenças de custo que pode encontrar.

A pesquisa, que envolve 22 municípios e 385 postos de combustíveis, mostra que com a variação positiva da gasolina comum em março, Chapecó apresentou preço médio de revenda maior que o da capital, de R$ 2,770, enquanto em Florianópolis foi de R$ 2,769. Já o município catarinense que apresentou maior preço médio de revenda foi São Miguel do Oeste, cobrando R$ 2,878 por litro, e o menor preço médio foi registrado no município de Biguaçu, com R$ 2,597. Dos municípios pesquisados, somente sete apresentaram alta.

Conforme o coordenador da pesquisa, professor Guilherme de Oliveira, em março os municípios que apresentaram indícios de cartel no mercado da gasolina comum catarinense foram Jaraguá do Sul, com o coeficiente de variação de 0,00611, e Itajaí, com 0,00831, ambos com número de postos pesquisados relativamente grande.

A pesquisa é inédita em Santa Catarina, pois nenhum outro instituto ou universidade a realizam. O levantamento engloba os municípios de Araranguá, Balneário Camboriu, Biguaçu, Blumenau, Brusque, Caçador, Chapecó, Concórdia, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Lages, Laguna, Mafra, Palhoça, São José, São Miguel do Oeste, Tubarão, Videira e Xanxerê.

A pesquisa apresenta dados quanto ao número de postos pesquisados, preço médio de revenda da gasolina comum por litro, preço mínimo, preço máximo e desvio padrão médio entre os postos de combustíveis dos municípios catarinenses envolvidos no levantamento.


1 comentário
27 jan10:46

Prédio histórico será sede dos vereadores em São Carlos

Iniciaram em janeiro as obras de reforma do prédio histórico de São Carlos, antiga sede dos idosos Tia Lalá, na Avenida Santa Catarina. A construção de 364 metros quadrados servirá de sede à Câmara de Vereadores do município.

Segundo o prefeito Elio Godoy, devem ser investidos na obra R$ 222,5 mil que serão pagos com recursos próprios. – A sede própria era uma reivindicação antiga dos vereadores e optamos por este prédio que valoriza a história – disse.

O local receberá novo forro, piso, sanitários, além de uma reforma completa na instalação elétrica e maior acessibilidade, buscando manter as características da arquitetura original. – A nova Câmara de Vereadores terá um plenário para 107 pessoas, cinco salas de bancadas e ainda sala de reuniões, do presidente e também da imprensa – detalhou.

De acordo com o responsável pelos assuntos históricos no município, Alecssandro Scalcon, o prédio, que foi construído em 1935, é uma edificação em estilo “art déco”, cuja arquitetura usa a arte como decoração na própria construção. – Ele foi construído para servir como sede da antiga Sociedade União de Fumo de São Carlos. Em 1954 a associação terminou, e o prédio foi doado à paróquia São Carlos Borromeu – destacou.


Comente aqui