Campeonato

10 fev19:12

Ingressos para Chapecoense x Metropolitano estão à venda

Estão à venda os ingressos para Chapecoense x Metropolitano. O jogo será às 17h, do domingo, dia 12, na Arena Condá em Chapecó.


Valores

R$ 15 – estudantes, Aposentados e Crianças de 8 a 12 anos

R$ 30 – geral

R$ 40 – social

R$ 60 – cadeiras


Pontos de Venda

Palácio dos Esportes, Maidana Esportes e Posto de Marco.


No sábado, dia 11, será montada uma barraca em frente à Cansian, na Avenida Getúlio Vargas, para a comercialização dos ingressos. Ficará aberta das 8h30 às 17h.



Comente aqui
10 fev14:30

Chapecoense treina às 16h na Arena Condá

A Chapecoense treina nesta tarde a partir das 16h na Arena Condá.

A equipe comandada por Gilberto Pereira se prepara para a sétima rodada do Campeonato Catarinense. A Chapecoense perdeu a liderança com a vitória do Avaí, que chegou aos mesmos 15 pontos, mas ultrapassou o Verdão no saldo de gols.

Comente aqui
09 fev09:20

Chapecoense perde, mas segue na liderança

A Chapecoense sofreu a primeira derrota no Campeonato Catarinense. Mesmo assim o time segue na liderança da competição.


O jogo

Aos oito minutos, Ramon, em cobrança de falta, colocou a bola no meio da área. Bruno Rangel desviou com a cabeça e enganou Nivaldo: 1 a 0. Aos 18, Glaydson cruzou na cabeça de Bruno Rangel, que justificou o apelido de “Cruel” e ampliou.

Ainda antes do intervalo, a Chapecoense descontou. Neném cruzou a bola dentro da área do JEC e Rafael Lima, livre de marcação, cabeceou para o gol.

Na segunda etapa, o Tricolor voltou a cometer alguns erros de passes e a Chapecoense chegou a dar sinais de que empataria.

Aos 28 minutos, Lima foi derrubado dentro da área por Marcos Alexandre e o árbitro marcou pênalti. Lima bateu e marcou o terceiro.

Essa foi a primeira vitória do time do norte no Estadual e a primeira derrota da Chapecoense em 2012.

Agora a Chapecoense se prepara para o jogo de domingo, dia 12, contra o Metropolitano. A partida está marcada para às 17h na Arena Condá.


FICHA TÉCNICA

JOINVILLE

Ivan; Tiago Real, Pedro Paulo, Linno, Gilton, Glaydson, João Henrique (Aldair), Carlos Alberto (Fabiano Silva), Ramón (Tarcísio); Bruno Rangel, Lima.

Técnico: Argel Fucks


CHAPECOENSE

Nivaldo; Fabiano, Leonardo, Rafael Lima; Gilberto Matuto, Diogo Roque (Marcos Alexandre), Diego Teles, Marcelinho (Esquerdinha), Neném, Willian (João Paulo), Tiago Cavalcanti.

Técnico: Gilberto Pereira


Arbitragem: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por José Roberto Larroyd e Alex dos Santos.


Gols: Bruno Rangel (7´ e 17´ 1ºT), Lima (28´2ºT)

Rafael Lima (40´ 1ºT)


Cartões Amarelos: Carlos Alberto e Linno (Joinville)

Leonardo, João Paulo, Marcos Alexandre e Fabiano (Chapecoense)


Local: Arena Joinville – Joinville/SC


Comente aqui
08 fev12:41

Série C 2012 com novidades

Competição que inicia no dia 27 de maio, terá dois grupos com dez times. A Confederação Brasileira de Futebol vai bancar despesas das delegações em jogos fora de casa. Com isso a Chapecoense vai reduzir R$ 400 mil nas despesas.

A CBF anunciou na tarde desta terça-feira as mudanças na forma de disputa da Série C do Campeonato Brasileiro a partir deste ano. O sistema de disputa passa de quatro grupos de cinco equipes, como foi em 2011, para dois grupos de 10 times em cada. Além disso, não haverá partidas no meio de semana.

Com essa alteração será possível garantir um calendário anual para os clubes. A competição terá 18 rodadas na primeira fase. Os quatro melhores colocados de cada grupo se classificam para a fase mata-mata. Então os grupos se cruzam para fazer as quarta-de-final, semifinal e a decisão.

- Isso é melhor para as equipes conseguirem patrocínio, os jogadores se manterem empregados o ano inteiro, e para os torcedores acompanharem as partidas – explicou Reinaldo Bastos, diretor do Departamento de Desenvolvimento e Projetos, no site da CBF.

Outra boa novidade é que uma antiga reclamação dos clubes foi atendida, neste ano a CBF vai dar aporte financeiro para os clubes participantes. A entidade vai ser responsável pelo custeio de até 25 pessoas das delegações, bancando transporte, hospedagem, alimentação e todas as despesas relativas à arbitragem.

Para o presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, essa é uma ótima novidade. – Somente em 2011 tivemos um gasto de R$ 400 mil em viagens, alimentação e com arbitragem – contou. Com essa ajuda a diretoria vai poder investir o valor de outra maneira no clube.

Transmissão dos jogos

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, revelou que os clubes também receberão verba por conta dos direitos de transmissão das partidas.

- Teremos agora transmissão televisiva e um calendário anual para 60 equipes, o que vai gerar oportunidade de emprego para muita gente – disse Teixeira.

A Série C deste ano inicia no dia 27 de maio e o campeão será definido em meados de novembro.

Comente aqui
08 fev10:21

Chapecoense quer manter o embalo na competição

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um time embalado e que busca manter os 100% de aproveitamento e a liderança no Campeonato Catarinense. Essa é a Chapecoense que hoje enfrenta o Joinville, às 19h30, na Arena Joinville.

O time do Oeste tem 15 pontos na competição mas, em caso de derrota, pode ser alcançado pelo Avaí, que tem 12. Por isso o técnico Gilberto Pereira quer somar pontos. Mesmo com a arrancada fenomenal no Catarinense e a má colocação do Joinville na tabela, penúltimo colocado com dois pontos, ele prega muito respeito ao adversário. –Vai ser um jogo difícil- prevê.

Além de jogar em casa o Joinville conta com a estreia do técnico Argel Fucks. O meia Neném, que jogou em Joinville em 2010, sabe que não é fácil vencer o time do Norte em seu reduto. Também lembrou que Coelho tem aprontado pra cima da Chapecoense. No ano passado, na Série C, venceu os dois confrontos contra a Chapecoense. –Eles são uma pedra no sapato- lembrou Neném.

O zagueiro Rafael Lima, que faz sua estreia no time titular, também valoriza o adversário. –Eles tem 60 a 70% do grupo campeão da Série C do Brasileiro- lembrou. Lima era titular nos amistosos mas tinha ainda quatro jogos a cumprir de uma suspensão enquanto jogava pelo Hercílio Luz, na Segundona do Catarinense do ano passado.

Como a zaga vinha bem ele só voltou a ter uma chance pela suspensão de Souza, que levou o terceiro cartão amarelo contra o Figueirense. Lima pretende manter o bom desempenho do time. Ele afirmou que o diferencial da Chapecoense tem sido a união. –Quem está fora torce para quem está dentro- comentou.

Quem volta de suspensão é o lateral-esquerdo Willian. Ele entra no lugar de Esquerdinha. Pereira manteve Willian mesmo com o bom desempenho de Esquerdinha para não desvalorizar quem vinha jogando como titular.

No ataque ele tem uma dúvida. Ou jogam João Paulo e Tiago Cavalcanti, que marcaram gols contra o Figueirense, ou entra Marcelinho no lugar de um dos dois.

Confira o Minuto a Minuto da partida:




FICHA TÉCNICA


JOINVILLE

Ivan; Linno, Pedro Paulo, Carlos Alberto; Gilton, Tiago Real, Glaydson; Ramon, João, Lima e Bruno.

Técnico: Argel Fucks


CHAPECOENSE

Nivaldo; Fabiano,Leonardo, Rafael Lima; Gilberto Matuto, Diogo Roque, Diego Teles, Neném, Willian; Tiago Cavalcanti (Marcelinho) e João Paulo.

Técnico: Gilberto Pereira

Comente aqui
07 fev11:19

Escolinha para garimpar novos talentos

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A fase da Chapecoense é tão boa que até na escolinha do clube, inaugurada em dezembro, há lista de espera. Atualmente são 430 alunos e cerca de 50 esperando vaga. A boa fase do time tem ajudado.

–A cada vitória da Chapecoense há um procura de 10 a 12 crianças- calculou um dos responsáveis pelo projeto, o treinador Júlio César da Silva.

As inscrições são feitas na sede do clube. É cobrada uma mensalidade de R$ 50 mais R$ 30 pelo uniforme. Isso dá direito a entrar no gramado nos dias de jogos. João Pedro Barbosa, de oito anos, e Jascon Sachet, de nove anos, estiveram no jogo contra o Avaí. João entrou com Neném e Jacson com Nicolas.

–Foi legal entrar com os jogadores- disse Jascon, que pretende um dia adentrar ao estádio não como visitante ou torcedor, mas como jogador da Chapecoense.

João Pedro gostou de pisar no gramado. E já tem noção de posicionamento e orientação dos companheiros. Ele também pretende ser jogadro.

Muitos pais acompanham os treinamentos, que são duas vezes por semana. Paulo Ianoski, que tem o filho João Marcos na escolinha, disse que as vitórias da Chapecoense estimulam a participação.

–É um espelho- afirmou. Seu filho foi no jogo contra o Avaí e, contra o Figueirense, ficou ouvindo a partida pelo rádio.

-É uma geração que cresce gostando da Chapecoense- disse o treinador Júlio César, que jogou no clube de 1986 a 1990. Ele afirmou que o projeto é social e atende crianças e adolescentes de sete a 15 anos. Mas também pretende garimpar potenciais jogadores para o time profissional.

Do jeito que está a campanha do time a escolinha terá que aumentar o número de vagas para dar conta da demanda. O certo é que as camisetinhas verdes estão proliferando pela cidade.


Comente aqui
07 fev09:26

“O treinador é um complemento”

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Quando Gilberto Pereira chegou a Chapecó, substituindo o campeão Mauro Ovelha, que saiu devido a uma proposta do Avaí, havia um clima de desconfiança. Pereira tinha treinado o Palmeiras B e vários times do Paraná, como Londrina, Iraty e Coritiba. Numa lista com mais de dez nomes, foi um dos que se encaixou na proposta salarial e no perfil desejado pela Chapecoense.

O diretor de futebol Cadú Gaúcho, que foi treinado por Pereira em 2003, no Iraty, mesmo tendo sido colocado no banco foi quem avalizou a vinda do treinador. Já no primeiro jogo ele teve que enfrentar Mauro Ovelha, contra o Avaí. Conseguiu a vitória no sufoco. Mas a partir daí a Chapecoense foi empilhando uma vitória em cima da outra e Gilberto Pereira agora praticamente é unanimidade.

O treinador é paulista mas, como filho de uma mineira, prefere não cantar vitória antes do tempo. Nem quer receber os méritos pela boa campanha. Pereira curte o bom momento com a esposa Naila e o filho caçula Giovani, que ontem o acompanhou no treinamento realizado no Índio Condá. Antes, concedeu a seguinte entrevista ao Diário Catarinense.


Diário Catarinense: O que tem a Chapecoense de diferente para conseguir esse desempenho?

Gilberto Pereira: Tem muito mérito dos atletas que entenderam nossa filosofia de trabalho. Tivemos muita dificuldade no início pois tínhamos um grupo grande mas o elenco não era. Tem jogadores da base mas não é um projeto que me agrade. Montamos um time quase por ordem de chegada. Fomos vivendo cada momento, cada jogo. A equipe tem um grupo de jogadores vitoriosos, como Nivaldo, que é ídolo, o Neném e o Jean Carlos. Tem também o Diogo Roque e o Dema que foram campeões. No primeiro jogo tínhamos apenas o Nivaldo e o Neném no time. Mas os outros, como o Dema, ajudaram muito no vestiário. Eles nos orientaram como era o torcedor. Temos grandes líderes no nosso grupo. Outro diferencial é a preparação física. Chegamos ao final do jogo do Figueirense com atletas dando pique. Se tenho um jogador que corre consigo moldá-lo. É como uma mulher bonita. A roupa que ela vestir vai ficar bem.


DC: Tem também a parcela do treinador, não tem?

Pereira: Quem consegue reverter a situação são os atletas. O treinador é um complemento. O artista principal é o atleta.


DC: Mas você tem sido feliz nas alterações e também manteve o João Paulo no time apesar do mau início, e que acabou sendo destaque contra o Figueirense.

Pereira: Acho que se forma o elenco dando confiança às pessoas.Também tenho deixado claro para quem está no banco que eles têm uma responsabilidade muito grande. Quem entra tem que melhorar ou deixar como está. Eu preciso fazer o jogador entender que vou precisar dele.


DC: Você tem um estilo de demonstrar as jogadas para os atletas e também parece estar aberto a outras opiniões.

Pereira: Eu digo que sou um escravo da comissão técnica. Meu trabalho depende muito do trabalho de toda a comissão. Cada um tem seu espaço. Eles me ajudam muito no trato com os atletas e com a administração do grupo. Na questão da repetição aprendi isso com o Leão, quando foi meu técnico no Coritiba, em 1989. O jogador necessita de repetição. Outro treinador que gosto é o Hélio dos Anjos. Ele usa muito a psicologia para trazer os jogadores para o seu lado.


DC: Você tem uma atitude de paizão dos jogadores?

Pereira: Eu dou liberdade a eles. Mas uma liberdade vigiada. Eles tem liberdade de falar mas sempre respeitando a hierarquia. Fora de campo eles não devem ser antissociais. Mas tem que ter cuidado. Não podem se exceder pois são pessoas públicas.


DC: Você parece ser tão tranquilo e nos jogos causou surpresa sua agitação.

Pereira: Nos jogos eu me transformo. Eu vivo demais a minha profissão. A gente não pode deixar de se emocionar. Não sei falar sem olhar nos olhos da pessoa.


DC: Como vai ser daqui pra frente já que todos vão querer derrubar o time 100%.

Pereira: Estamos na linha de tiro. Não somos insuperáveis. Cada partida vai ser uma guerra. Não somos melhores do que ninguém e não devemos nada para ninguém.


DC: A vitória contra o Figueirense foi a confirmação de que o time vai chegar nas finais?

Pereira: Tivemos uma evolução e uma boa atuação em boa parte do jogo. Mas em certos momentos fomos dominados. Aí entrou a superação dos atletas.


DC: Você pensa em reforços?

DC: Precisamos de mais um atleta para compor grupo do meio para frente.


DC: Como você avalia a disputa pelo título do turno, com o Avaí a três pontos?

Pereira: Não penso nisso. Não vamos nos jogar esse peso nas nossas costas. Nosso objetivo é somar pontos. Se vier o título, melhor. Mas não é nosso objetivo principal.


DC: Até onde pode chegar esse time da Chapecoense?

Pereira: Por enquanto vamos pensar só no jogo contra o Joinville. Apesar de não estarem bem na tabela é um grande time e vai ser um jogo muito difícil.



Comente aqui
06 fev09:18

Chapecoense vence Figueira e segue os 100%

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Quem vai segurar a Chapecoense em 2012? Não apareceu um candidato à altura ainda. O time do Oeste bateu o Figueirense por 3 a 1, chegou a 15 pontos em cinco jogos e manteve os 100% de aproveitamento no Campeonato Catarinense neste domingo. Com esse desempenho a equipe de Gilberto Pereira mantém a liderança, três pontos á frente do Avaí.

E a vitória praticamente foi definida nos 16 minutos iniciais, pela atuação de um jogador que vinha sendo contestado e até teve um atrito com um radialista na saída do jogo do Marcílio Dias, empurrando o microfone. O atacante João Paulo tinha passado em branco nos quatro jogos anteriores. Na sexta-feira ele pediu desculpas pelo ato. E ele fez as pazes com a torcida.

Aos 13 minutos a defesa do Figueirense saiu jogando errado. João Paulo recebeu dentro da área e tocou na saída de Wilson. Depois disso ele fez uma dancinha e recebeu o cumprimento dos companheiros.

Três minutos depois ele justificou a falta de modéstia. Na cobrança de falta, a zaga afastou mal. João Paulo tocou de cabeça para Tiago Cavalcanti completar para o gol e assinalar os 2 a 0.

A partir daí o Figueirense tentou descontar mas a pontaria dos jogadores alvinegros não era das melhores. Hélder e Luiz Fernando arriscaram de longe e a bola foi mais longe ainda. O goleador Aloísio até que tentou, mas era parado ora por Fabiano, ora por Souza, ora por Leonardo.

No início do segundo tempo, o técnico do Figueirense, Branco, colocou Roni e Franco Niell, tornando o time mais ofensivo. E em 11 minutos, Roni justificou a entrada, fazendo seu gol logo na estreia. Além de sofrer o gol a Chapecoense perdeu João Paulo, que sentiu cansaço. A Chapecoense se encolheu e o jogo foi dominado pelo Figueirense, que rondava a área mas não conseguia concluir.

Aloísio teve a chance de empatar aos 42 minutos do segundo tempo, mas cabeceou por cima. E a torcida da Chapecoense que gritou “Uh, é Aloísio” no início da partida em agradecimento aos gols do ano passado, repetiu o coro desta vez pelo gol que ele não fez.

Num contra-ataque, já nos descontos, Esquerdinha ampliou para 3 a 1. João Paulo, que não deu entrevistas no intervalo.

— Hoje estou feliz — disse o jogador, que justificou que nas partidas anteriores não fez gol mas teve participação tática importante.

O gol foi para o filho João Lucas, que nasceu no dia 2 de dezembro. Foi o primeiro que a torcida viu. Mas certamente não será o último que João Lucas vai presenciar.


Ficha técnica

CHAPECOENSE ( 3 )

Nivaldo; Fabiano, Leonardo, Souza; Gilberto Matuto, Diogo Roque (Marcos Alexandre), Diego Teles, Neném, Esquerdinha; João Paulo (Nicolas) e Tiago Cavalcanti (Marcelinho)

Técnico: Gilberto Pereira


FIGUEIRENSE ( 1 )

Wilson; Pablo (Franco Niell), João Paulo, Fred, Hélder; Ygor, Túlio (Leo), Doriva, Luiz Fernando (Roni); Aloísio e Júlio César.

Técnico: Branco


Gols: João Paulo (C), aos 13 minutos do primeiro tempo e Tiago Cavalcanti (C), aos 16 minutos do primeiro tempo. Roni (F), aos 11 minutos do segundo tempo e Esquerdinha (C), aos 47 do segundo tempo.

Arbitragem: Rodrigo D’Alonso Ferreira, auxiliado por Kleber Lucio Gil e Rosinei Hoffmann Scherer.

Cartões amarelos: Túlio e Doriva (F), Souza e Gilberto Matuto (C)

Local: Estádio Índio Condá.


Comente aqui
03 fev10:55

Federação divulga arbitragem para a 5ª rodada do Catarinense

A Federação Catarinense de Futebol (FCF) divulgou nesta quinta-feira, dia 2, a arbitragem para a 5ª rodada do Estadual. O sorteio foi realizada na sede da entidade em Camboriú.

A ARBITRAGEM

Sábado, dia 4, às 19h30min

Criciúma x Marcílio Dias
Local:
Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma
Árbitro: Braulio da Silva Machado
Assistentes: José Roberto Larroyd e Neuza Ines Back

Avaí x Camboriú
Local:
Estádio da Ressacada, em Florianópolis
Árbitro: Celio Amorim
Assistentes: Nadine Schramm Câmara Bastos e Eder Alexandre

Domingo, dia 5, às 17h

Chapecoense x Figueirense
Local:
Arena Índio Condá, em Chapecó
Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira
Assistentes: Kleber Lúcio Gil e Rosnei Hoffmann Scherer 

Brusque x Atlético-Ib
Local:
Estádio Augusto Bauer, em Brusque
Árbitro: Natanaã Everton da Silva
Assistentes: Eberval Lodetti e Carlos Felipe Schmidt

Domingo, dia 5, às 19h30min

Metropolitano x Joinville
Local:
Estádio do Sesi, em Blumenau
Árbitro: Paulo Henrique de Godoy Bezerra
Assistentes: Josué Gilberto Lamim e André Eduardo da silveira

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui
02 fev08:41

Chapecoense chega no começo da tarde e treina a partir das 16h

A líder do Campeonato Catarinense, com 12 pontos, chega em Chapecó no início da tarde no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso.

O time comandado por Gilberto Pereira se reapresenta e volta aos trabalhos a partir das 16h na Arena Condá.

A preparação agora é para a quinta rodada. No domingo, o Verdão recebe em casa o Figueirense, quinto colocado, com cinco pontos.

Comente aqui