Cantora

10 dez09:20

Blog da Atlântida: Rihanna quer ser mamãe

A popstar Rihanna pediu férias ao seu empresário para que ela, e o namorado, o cantor Chris Brown, possam planejar um bebê juntos.

Leia a nota completa no Blog da Atlântida Chapecó.


Comente aqui
03 ago08:43

Cantora chapecoense lança cd em Chapecó

[Atualizado 09h52]

A cantora chapecoense Anna Constante lança o primeiro cd, intitulado Força da Paixão, neste sábado, dia 4 em Chapecó. O show será às 23 horas no 14 Bis.

Anna iniciou a carreira de cantora aos 14 anos. Cinco anos depois começou a cantar em barzinhos e festas. Agora com 23 anos ela dá início a carreira musical com o lançamento do primeiro álbum.

- Agora estou preparada para enfrentar os palcos do Brasil – disse Anna.

O cd é composto por 12 faixas. As composições são de Camila Alves. Contatos pelo telefone 49 9982-7400.

>> Confira a AGENDA do clicRBS Chapecó


Comente aqui
19 jan09:38

Morte de Elis Regina completa 30 anos nesta quinta-feira

Jacqueline Iensen | jacqueline.iensen@diario.com.br

Elis Regina era uma mulher de excessos. Excessivamente talentosa, excessivamente sedutora, excessivamente temperamental. Tão intensa que logo após o anúncio de sua morte, às 12h do dia 19 de janeiro de 1982, em São Paulo, brotou nos muros acinzentados do país a frase Elis vive. Nesta quinta-feira faz 30 anos que a cantora partiu num rabo de foguete em consequência de uma overdose de álcool e cocaína. A inesperada notícia da morte da Pimentinha, aos 36 anos e no auge da carreira, comoveu o país.

>>> Confira a galeria de fotos

Elis era uma mulher de revelações. Até na sua morte. A intérprete de voz aveludada era tida pela crítica como uma cantora da elite, o que se mostrou um equívoco. Quando o carro de bombeiros cruzou a cidade de São Paulo com o corpo da cantora, rumo ao cemitério do Morumbi, milhares de pessoas foram às ruas se despedir da pequena de voz grande. Outras manifestações semelhantes só foram vistas no funeral de Carmen Miranda (1955), Orlando Silva (1978) e Ayrton Senna (1994).

— Elis tinha a voz limpa e com uma espetacular extensão de recursos. Ela tinha um emoção estúpida ao se apresentar— comenta a jornalista Regina Echeverria, que de tantas entrevistas se tornou amiga da cantora e escreveu Furacão Elis, livro que acaba de ter sua quarta edição revista e ampliada lançada pela editora Leya.

Dona de suas verdades, ela não se escondia, dava todo o dia a cara a tapa num período em que o Brasil estava aos pedaços, vitimado por uma ditadura militar.

Elis era cantora e não uma militante. A intérprete de O Bêbado e a Equilibrista, elevado à condição de hino contra a ditadura, não era engajada na luta pela democracia, tanto que foi parar no Cemitério dos Mortos Vivos, espaço criado pelo cartunista Henfil, no Pasquim, para enterrar os alienados e os defensores do imperialismo.

Elis era Elis. Suas interpretações não eram para ser ouvidas, mas degustadas com os ouvidos. Autodenominada camicase não mediu o risco para viver. Nem para morrer


Cronologia

17 de março de 1945 – nasceu no Hospital Beneficência Portuguesa, em Porto Alegre

anos 1950 – começou a cantar no programa Clube do Guri, na Rádio Farroupilha, apresentado por Ary Rego

1959 – assinou contratado com Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador da RBS, para ser atração no Programa Maurício Sobrinho, na Rádio Gaúcha

1960 – gravou seu primeiro compacto, pela Continental, aos 15 anos

1961 – gravou o primeiro LP, Viva a Brotolândia

1962 – gravou o segundo LP, Poema

1963 – gravou os discos Elis Regina e Bem do Amor, pela Columbia (CBS)

março de 1964 – mudou-se para o Rio de Janeiro

maio de 1965 – estreou no programa semanal Fino da Bossa, da Record, ao lado de Jair Rodrigues

7 de dezembro de 1967 – casou-se com o compositor e produtor Ronaldo Bôscoli, no Rio

1970 – nasceu seu primeiro filho, João Marcello

11 de maio de 1972 – ela e Ronaldo pediram o desquite

1974 – lançou Elis & Tom, gravado em Los Angeles em parceria com o maestro Tom Jobim

1975 – nasceu Pedro, seu filho com o músico e arranjador Cesar Camargo Mariano

1975 – lançou Falso Brilhante, considerado seu principal disco

1977 – nasceu Maria Rita, também sua filha com Cesar Camargo Mariano

1981 – separou-se de César Camargo Mariano e iniciou um romance com o advogado Samuel MacDowell

19 de janeiro de 1982 – morreu no Hospital das Clínicas, em São Paulo, aos 36 anos

Comente aqui