catarinense

14 mar16:35

Jornada Catarinense da Mulher Advogada abre nesta quinta em Chapecó

Com a temática “Participação e valorização profissional”, Chapecó sedia nesta quinta e sexta-feira, dias 15 e 16, a IV Jornada Catarinense da Mulher Advogada. A promoção, da Seccional Catarinense da Ordem dos Advogados do Brasil e da Subseção de Chapecó da OAB, acontece, no Hotel Lang Palace, com a presença de profissionais de todo o Estado.

Na abertura da jornada, às 18h desta quinta-feira, haverá uma solenidade para assinalar os 40 anos de atuação da Ordem dos Advogados do Brasil em Chapecó, completados em 21 de fevereiro de 1972. O ato contará com as presenças do presidente da seccional catarinense da OAB, Paulo de Borba, do coordenador geral das comissões, Márcio Luiz Fogaça Vicari, do presidente da Caixa de Assistência dos Advogados, Diogo Nicolau Pítsica, do presidente da OAB de Chapecó, Ricardo Antonio Cavalli, e da presidente da Comissão local da Jornada Catarinense da Mulher Advogada, Patrícia Vasconcellos de Azevedo. Constará da solenidade, também, a outorga de troféu e diploma de advogado jubilado aos doutores José Carreia do Amorim, Marina Bassi e Vitório Dervanoski. Fará parte da programação uma homenagem as advogadas: Dulce Irene Finardi, Lourimar Therezinha Beal, Loiva Cecilia Dal Piva, Marina Bassi e Maria Aparecida dos Santos.

Renomados palestrantes abordarão os temas: Novas Perspectivas – Direito Processual Civil e da Família; a Lei Maria da Penha; Gênero, Direito e Saúde – Mulheres e o Exercício da Advocacia; Interface entre o Trabalho e as Relações de Gênero; Saúde da Mulher Trabalhadora; Cuidar do Ser: uma vivência onde estaremos sentindo, ouvindo, olhando, com um bem estar maior; e Assédio Moral.

Além dessas abordagens, outros momentos de integração e troca de experiências nos dois dias da jornada serão as mesas-redondas, para discutir o atual cenário das esferas políticas e sociais de administração da entidade, o exercício profissional e os desafios da profissão no século XXI.

Em avaliação, a coordenadora do evento em Chapecó e vice-presidente da OAB de Chapecó, Patrícia Vasconcellos de Azevedo, pontua a jornada como espaço para discutir a valorização profissional.

- A mulher já tem uma vitoriosa trajetória de conquistas profissionais e de inserção na sociedade e essa jornada ampliará a participação da mulher em instituições, na política e na atividade profissional e privada – acrescenta a coordenadora local do evento.

No encerramento do evento, às 17h30, será divulgada a Carta da IV Jornada Catarinense da Mulher Advogada.


Comente aqui
11 mar20:31

Chapecoense empata mais uma vez

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um empate por 3 a 3, deixou Camboriú e Chapecoense na parte de baixo da tabela no segundo turno. Enquanto o time do Oeste fez apenas três pontos em três jogos, o Camboriú fez apenas o primeiro ponto e namora com a zona de rebaixamento. A Chapecoense empatou a sexta partida seguida e o resultado deixa ameaçado o cargo do técnico Gilberto Pereira.

Jogando em casa, com técnico novo e buscando fugir da zona de rebaixamento o Camboriú procurou atacar mais desde o início. Mas não conseguia levar muito perigo. Aos 15 minutos Willian Feijó arriscou de fora da área e Nivaldo defendeu. Na sequência a Chapecoense teve duas chances de marcar. Numa delas Gustavo cobrou falta na trave. Na outra, Jean Carlos recebeu livre e desperdiçou.

Depois do susto o Camboriú retomou o domínio do jogo. Tiago Henrique obrigou Nivaldo a fazer boa defesa, mandando a bola para escanteio. Mas aos 28 minutos, na conclusão de Clênio, o goleiro da Chapecoense nada pôde fazer. A Chapecoense partiu em busca do empate mas sem muita eficiência. Willian arriscou um chute de longe mas desta vez foi Cairo fez boa defesa.

No segundo tempo a Chapecoense começou pressionando e na primeira cobrança de escanteio a zaga do Camboriú salvou em cima da linha. Aos oito minutos foi a vez de Leandrinho concluir com perigo, mas a bola foi para fora.

De tanto insistir, a Chapecoense chegou ao gol de empate. Aos 11 minutos, na cobrança de escanteio, o zagueiro Fabiano cabeceou forte para marcar seu quarto gol no campeonato.

No entanto ele nem teve muito tempo para comemorar. Dois minutos depois, aproveitando cobrança de escanteio, Clênio marcou o segundo dele e do Camboriú na partida.

Mas, se o Clênio marcou dois o zagueiro Fabiano não quis ficar atrás. Novamente em cobrança de escanteio e novamente de cabeça, ele empatou a partidas aos 24 minutos do segundo tempo.

Nicolas, que entrou no segundo tempo, teve a chance da virada mas não aproveitou. No final da partida a Chapecoense demonstrou mais força física. O estreante Leandrinho fez boa jogada e cruzou para Eliomar fazer 3 a 2, aos 38 minutos. Aos 44 minutos, em escanteio que a Chapecoense reclamou não ter ocorrido, Peixoto empatou.


FICHA TÉCNICA

CAMBORIÚ – 3

Cairo

Paulo Ricardo

Josiel

Peixoto

Rodolfo

Willian Feijó

Ramon

Edson Galvão (Mendes)

Geninho (Alex)

Clênio

Tiago Henrique


Técnico: Suca


CHAPECOENSE – 3


Nivaldo

Fabiano

Leonardo

Willian (Nicolas)

Gustavo

Diego Teles

Neném

Esquerdinha

Jean Carlos (Barbosa)

Eliomar

Leandrinho (Wanderson)


Técnico: Gilberto Pereira


Gols: Clênio (CB), aos 28 minutos do primeiro tempo e aos 13 minutos do segundo tempo. Fabiano (CH), aos 11 e aos 24 minutos do segundo tempo, Eliomar (CH), aos 38 minutos e Peixoto, aos 44 minutos da etapa final.


Arbitragem: Carlos Eduardo Vieira Arêas, auxiliado por Kléber Lúcio Gil e Anderson Moser.

Cartões amarelos: Leonardo (CH), Ramon (CB)

Local: Estádio Robertão, em Camboriú.

Comente aqui
09 mar14:36

Chapecoense viaja e fica uma semana fora

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Chapecoense viajou hoje às 13 horas, de ônibus, com destino a Balneário Camboriú. No domingo a equipe enfrenta o Camboriú, no estádio municipal Roberto García, em Camboriú, às 18h30.


Diogo Roque volta ao time na estreia da Copa do Brasil, já Fabiano deve jogar contra o Camboriú.


Na delegação foram 21 jogadores. Até o volante Diogo Roque e o zagueiro Souza, integram a delegação. O motivo é que o time não volta a Chapecó depois do confronto de domingo. A equipe fica no litoral e, na segunda-feira, embarca de avião para o Espírito Santo, onde estreia na quarta-feira pela Copa do Brasil, contra o São Mateus.

A equipe chega de volta em Chapecó só na madrugada de sexta-feira.

Comente aqui
08 mar16:58

FCF divulga escala de arbitragem para 3ª rodada do returno

A Federação Catarinense de Futebol sorteu, nesta quinta-feira, dia 8, a escala de arbitragem para a 3ª rodada do returno do Campeonato Catarinense.


Confira a escala completa:

10/03/2012 às 18h30min

Atlético-Ib X Avaí

Estádio: Hermann Aichinger

Árbitro: Ronan Marques da Rosa – CBF

Assistente: Josué Gilberto Lamim – CBF

Assistente: Juliano Fernandes da Silva – CBF



11/03/2012 às 16h

Marcílio Dias X Metropolitano

Estádio: Dr. Hercílio Luz, Itajaí

Árbitro: Jefferson Schmidt – CBF

Assistente: Angelo Rudmar Bechi – CBF

Assistente: Antônio Lourival da Luz



11/03/2012 às 16h

Figueirense X Joinville

Estádio: Orlando Scarpelli, Florianópolis

Árbitro: Braulio da Silva Machado

Assistente: Nadine Schramm Câmara Bastos – ASP-FIFA

Assistente: Helton Nunes – CBF



11/03/2012 às 18h30min

Brusque X Criciúma

Estádio: Augusto Bauer, Brusque

Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira

Assistente: Eder Alexandre

Assistente: Clair Dapper



11/03/2012 às 18h30min

Camboriú X Chapecoense

Estádio: Roberto Santos Garcia, Camboriú

Árbitro: Carlos Eduardo Vieira Areas – CBF

Assistente: Kleber Lúcio Gil – ASP-FIFA

Assistente: Anderson Moser


DIÁRIO CATARINENSE


Comente aqui
07 mar15:06

OAB de Chapecó completa 40 anos

Defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado democrático de direito, os direitos humanos e a justiça social e lutar pela boa aplicação das leis, pela rápida administração da justiça e pelo aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas. Esses são preceitos estabelecidos no Estatuto da Advocacia e da OAB, conforme lei 8.906/94, e que vêm sendo cumpridos pela Subseção da OAB em Chapecó nos seus 40 anos de existência.

A comemoração das quatro décadas de atuação da Ordem dos Advogados em Chapecó ocorrerá na abertura da IV Jornada Catarinense da Mulher Advogada. Programado para os dias 15 e 16 de março em Chapecó, no Hotel Lang Palace, o evento é direcionado para profissionais da área jurídica, com palestras, mesa-redonda e troca de experiências. A promoção é da Seccional Catarinense da OAB e da Subseção de Chapecó, sob a coordenação da vice-presidente da OAB Chapecó, Patrícia Vasconcellos de Azevedo.

Em 21 de fevereiro de 1972, a Subseção de Chapecó, que tem sua base de representação em 20 municípios da região Oeste, foi fundada na sala de sessões do Tribunal do Júri da Comarca de Chapecó. Foram fundadores Darcy Langoski, Elmar Göhr, Ferdinando Damo, Guido Schwengber, Jayme José Migott, João Alberto Correa, João Valvite Paganella, Johanes Schlee, Laurindo Lunardi, Lélio José Schmitz, Milton Sander, Nelson Locatelli, Pedro De Toni, Raul Salvador e Roque Guido Giehl.

Dentro do dever de promover, com exclusividade, a representação, a defesa, a seleção e a disciplina dos advogados, a OAB de Chapecó tem tido como uma de suas bandeiras a fiscalização do exercício legal da profissão, destaca o presidente Ricardo Antonio Cavalli. O dirigente também defende a descentralização do serviço público, pois a maior parte da estrutura do poder, seja Executivo ou Judiciário, está centralizada nas capitais dos Estados. Por isso, a OAB tem insistido na descentralização e ampliação da estrutura estatal na região Oeste, reivindicando novas varas do Judiciário, cartórios, juízes, servidores, delegados e policiais militares, entre outros, para facilitar a atuação dos advogados e a vida das pessoas de modo geral.

- A advocacia é uma profissão que existe para ajudar as pessoas a dizer exatamente o que pensam e com isso consigam garantir os seus direitos e obtenham os serviços públicos de que necessitam e que por alguma razão injusta foram negados – define Cavalli.


Condução nos 40 anos

Os ex-presidentes da OAB/5a Subseção de Chapecó foram: Pedro De Toni; João Alberto Correa; Guido Schwengber; Genir José Destri, por duas gestões; Luiz Antônio Palaoro, por três gestões; Ferdinando Damo; José Correia de Amorim; Silvio Zmijevski; Waldir Waldemeri; Valdemar Capeletti; Reinaldo Mombelli; Paulo Antônio Barela; e Ortenilo Anzolin.


Representação da Subseção

A área de atuação da Subseção compreende os municípios de: Chapecó, Águas de Chapecó, Águas Frias, Caxambu do Sul, Cordilheira Alta, Coronel Freitas. Guatambu, Jardinópolis, Lageado Grande, Modelo, Nova Erechim, Nova Itaberaba, Pinhalzinho, Planalto Alegre, São Lourenço do Oeste, Serra Alta, Sul Brasil, União do Oeste, Xaxim e Saudades.


Comente aqui
07 mar09:16

Quebra-cabeça para não perder a cabeça

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Além de ter o cargo ameaçado após seis jogos sem vitória, o técnico da Chapecoense, Gilberto Pereira, tem um verdadeiro quebra-cabeça para montar o time que enfrenta domingo o Camboriú, fora de casa.

O motivo é que ele não poderá contar com oito jogadores. Três deles foram dispensados na segunda-feira, por baixo rendimento técnico: o lateral Gilberto Matuto, o atacante Tiago Cavalcanti e o meia Marcelinho. Três estão no departamento médico: os volantes Marcos Alexandre e Janderson e o zagueiro Rafael Lima. Dois estão suspensos: o volante Diogo Roque e o zagueiro Souza.

Além disso o volante Wanderson sentiu dores musculares e não participou do treinamento. Por isso o técnico Gilberto Pereira teve que utilizar no treinamento de ontem o lateral William como volante para poder completar o time. Até o zagueiro Dema, que não joga desde a Série C do ano passado, está cotado para voltar neste domingo.

Se está difícil montar o time titular, imagina o banco. Não há volante disponível e a solução será buscar jogadores oriundos da base.


Leandrinho é aguardado

Pelo menos no ataque ele terá mais opções para montar o quebra-cabeça. O atacante Eber, 30 anos, que estava na China, estará à disposição. Outra novidade provável é o meia-atacante Leandrinho. A direção fez um acerto verbal com o jogador, que rescindiu contrato com o Pelotas. Ele deve chegar hoje em Chapecó para assinar contrato. Leandrinho já atuou pelo Brusque e Metropolitano.

O diretor de futebol Cadu Gaúcho disse que o clube está atrás de mais reforços. Mas está difícil encontrar jogadores bons dentro do padrão salarial do clube. Ele afirmou que apesar de aumentar a carência do plantel as dispensas eram necessárias. –Tem coisas que a gente não pode protelar- disse. O técnico Gilberto Pereira afirmou que preferia ter mais jogadores do que diminuir o plantel. Resta a ele encontrar a melhor solução para tentar retomar o caminho das vitórias.



Comente aqui
05 mar10:45

Síndrome de empate na Chapecoense

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A síndrome da “empatite” tomou conta da Chapecoense que nos 2 a 2 de ontem contra o Brusque empatou a quinta partida seguida no campeonato. O time de Gilberto Pereira marcou passo contra o time do Vale, que tem a pior campanha nos dois turnos.

Enquanto a torcida da Chapecoense vaiava seu time no final da partida os jogadores de Joceli dos Santos se abraçavam na tentativa de conseguir uma reação no campeonato.

Depois de três jogos fora o time do Oeste voltava para sua casa. Mas parece que a interdição das cadeiras por falta de segurança na cobertura interferiu também no desempenho do time.

O cambaleante Brusque, que foi para Chapecó com a intenção clara de não perder, foi quem tomou a iniciativa. E começou a sonhar com a vitória aos três minutos, quando Rafinha cobrou falta para dentro da área e Heverton desviou de cabeça, abrindo o marcador.

O gol deixou a Chapecoense nervosa, que errava bastante. O time tentava concluir com Neném, Tiago Cavalcante e Esquerdinha, mas todos erravam o alvo. Aos 30 minutos o Brusque perdeu Jonatas, com luxação na clavícula. E Rafinha perdeu o segundo gol, numa boa saída de Nivaldo.

Foi então que Gilberto Pereira tentou mudar o quadro do jogo colocando Eliomar. E o jogador correspondeu, empatando a partida aos 35 minutos. Na comemoração, colocou a bola debaixo da camisa em homenagem à futura filha Sofia, que tem quatro meses de gestação.

No segundo tempo outro jogador que saiu do banco, Barbosa, ex-jogador de futsal, consegui colocar a Chapecoense em vantagem, aos 27 minutos. Parecia que a Chapecoense mais uma vez iria vencer o jogo, na marra, mesmo sem jogar bem.

Mas tantos erros não ficariam impunes. Aos 41 minutos, Rafinha novamente cobrou falta para dentro da área da Chapecoense e Marcelo Guerreiro empatou. Um ex-jogador da Chapecoense decretava o empate. O técnico Joceli dos Santos elogiou a atitude de seus jogadores e disse que seu time precisa reagir logo.

Na Chapecoense, o clima de vestiário era de lamentação. –Erramos muito- disse o técnico Gilberto Pereira, que foi muito criticado pela torcida. O presidente Sandro Pallaoro disse que estava envergonhado pela atuação do time. O atacante Jean Carlos disse que a derrota complicou a briga pelo título e que precisa buscar os três pontos no próximo jogo, contra o Camboriú. O time do Oeste é o terceiro na classificação geral, com 20 pontos. O Brusque tem cinco.




Comente aqui
01 mar09:52

Chapecoense chega no começo da tarde e treina às 16h

Depois do primeiro empate em 0 a 0 no Campeonato Catarinense, os jogadores da Chapecoense, que chegam no começo da tarde na cidade, treinam a partir das 16h. Os trabalhos acontecem na Arena Condá.

A equipe comandada por Gilberto Pereira se prepara para o segunda partida do returno. O jogo contra o Brusque é neste domingo, dia 4, às 16h, na Arena Condá.

Comente aqui
01 mar00:51

Chapecoense empata com Avaí fora de casa

Melissa Bulegon | melissa.bulegon@diario.com.br

Na primeira rodada do returno do Campeonato Catarinense, o Avaí entrou em campo nesta quarta-feira, dia 29, contra a Chapecoense, pressionado por uma vitória. Diante de seu torcedor, o Leão foi melhor e dominou o primeiro tempo, mas outra vez pecou nas finalizações e amargou o empate sem gols diante de um adversário direto.

Na etapa final, o Verdão do Oeste, até então discreto, foi mais ofensivo e chegou a equilibrar em alguns momentos, mas também tinha dificuldades no último toque. O gramado encharcado prejudicou a movimentação e a partida ficou truncada, com poucos lances de gol.

Leão domina

As duas equipes começaram a partida se estudando e com forte marcação. Com dificuldade em encontrar espaços, as chances de gol eram escassas eram em jogadas de bola parada.

Aos dois minutos, Matuto cobrou falta perigosa e Marcinho cortou. Aos cinco foi a vez do Avaí tentar. Pirão cobrou falta nas mãos de Nivaldo.

Aos 12, Cleber Santana arriscou na entrada da área. O chute passou perto da trave de Nivaldo. Três minutos depois, Matuto teve nova oportunidade em cobrança de bola parada, mas o juiz viu irregularidade na jogada da Chapecoense.

Aos 17, o técnico Gilberto foi obrigado a substituir o zagueiro Rafael Lima, machucado, pelo volante Diego Teles. O juiz Célio Amorim deu uma bronca em cima de Mauro Ovelha aos 19 minutos. O técnico reclamava na beira do gramado da demora na reposição de bola pela Chapecoense. Enquanto que o Avaí tocava a bola e criava jogadas, o Verdão do Oeste apostava nos contra-golpes, sem muito sucesso.


Impaciência fora de campo

Aos 21, Pirão cruzou na cabeça de Cleber Santana. O meia cabeceou para fora. Um minuto depois, Patric mandou uma bomba. A bola passou tirando tinta da trave.

A Chapecoense chegou novamente aos 24. Neném cobrou falta frontal na intermediária. A bola passou próxima à trave direita. Outra vez em bola parada, Neném cobrou escanteio e Wanderson cabeceou para fora.

Fora do gramado, o técnico Mauro Ovelha e a torcida avaiana mostravam impaciência com a equipe. Mesmo com mais posse de bola, o Leão pouco finalizava. O novo camisa 10, Cleber Santana, articulava as jogadas ofensivas, mas o time pecava no último toque.

Aos 33, Cleber Santana cobrou falta quase na risca da grande área. A bola passou perto da trave superior. Aos 34, Cleber Santana tentou o cruzamento pela direita e Nivaldo cortou para fora.

O Verdão só assustou novamente aos 40. Bruno saiu tocando errado dentro da grande área e a bola ficou com Matuto. O lateral chutou forte por cima do gol de Moretto. No minuto seguinte, Nivaldo se atrapalhou na defesa e Neilson tentou encobrir, mas o goleiro se recuperou no lance e ficou com a bola.

Aos 43, o Avaí assustou outra vez. Nivaldo defendeu a cabeçada de Neilson. Aos 44, Jean Carlos chutou forte depois de cobrança de falta e Moretto defendeu. Na sequência, Neilson arriscou de fora da área e a bola passou por cima da trave.

Sob um forte temporal, os times foram para o vestiário sem mexer no placar. A forte ventania provocou correria entre os torcedores e chegou a levantar parte da estrutura de uma das arquibancadas.


Gramado enxarcado

Os dois times voltaram sem alterações para o segundo tempo, que reiniciou atrasado por causa do temporal. Mas tiveram que enfrentar o gramado enxarcado por causa da chuva intensa que caiu na Ressacada.

A forte chuva dificultava as jogadas e a partida ficou mais truncada. A primeira chance clara de gol foi aos sete minutos. Pirão cobrou falta direto para o gol. A bola fez uma curva e quase enganou o goleiro.

Aos nove, o técnico Gilberto decidiu trocar o ataque. Tirou Tiago Cavalcanti e colocou Nicolas. Ao contrário da primeira etapa, a Chapecoense passou a ter uma postura mais ofensiva em campo, mas, assim como o Leão, errava no último passe.

O técnico Mauro Ovelha decidiu mexer no Avaí pela primeira vez. Cleverson entrou no lugar de Pirão. Com a mudança, Bruno foi deslocado para a lateral-esquerda.

Aos 19, em cobrança de falta de Cleber Santana na intermediária, a bola sobrou para Diogo Orlando. O chute saiu para fora.

Os treinadores decidiram dar novo gás à partida e mudaram novamente. No Avaí, Nunes substituiu Ronaldo Capixaba e na Chapecoense, Fabiano foi colocado na vaga de Matuto.

Na metade do segundo tempo, o Verdão do Oeste equilibrou o confronto e Ovelha fez a última troca: Gilmar, estreante, entrou no lugar de Neilson.

As duas equipes ficaram mais ofensivas, mas o estado do gramado dificultava as jogadas. Aos 40, Patric acertou a rede pelo lado de fora.

Aos 46, quase que Fabiano marcou de cabeça. Moretto defendeu. Na sequência, foi a vez do Avaí assustar. Patric tentou encobrir o goleiro, mas a bola saiu para fora e o juiz marcou impedimento.

Com os torcedores xingando o técnico Mauro Ovelha, o Avaí deixou o campo sem conseguir vencer há quatro jogos.


Ficha técnica

AVAÍ ( 0 )

Moretto; Leandro Silva, Renato Santos e Bruno; Patric, Marcinho Guerreiro, Diogo Orlando, Cleber Santana e Pirão (Cleverson); Neilson (Gilmar) e Ronaldo Capixaba (Nunes)

Técnico: Mauro Ovelha


CHAPECOENSE ( 0 )

Nivaldo; Rafael Lima (Diego Teles), Leonardo e Souza; Gilberto Matuto (Fabiano), Wanderson, Marcos Alexandre, Neném e Esquerdinha; Jean Carlos e Tiago Cavalcanti (Nicolas)

Técnico: Gilberto Pereira


Amarelos: Marcinho Guerreiro (A), Bruno (A), Souza (C), Marcos Alexandre (C)Arbitragem: Celio Amorim, auxiliado por Helton Nunes e Eberval Lodetti

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis

Público: 2.799

Renda: R$ 21.455


Comente aqui
29 fev15:37

Avaí x Chapecoense

Após três derrotas seguidas no Estadual, o Avaí, do técnico Mauro Ovelha, inicia o returno sob forte pressão. Às 19h30min, o Leão encara a Chapecoense e o único resultado que pode acalmar os ânimos na Ressacada é a vitória sobre o atual campeão do Catarinense. Já o técnico Gilberto Pereira busca a vitória e somar pontos.

Para este confronto, Ovelha promove novas mudanças na equipe. O zagueiro Rafael e o meia Robinho, que estão machucados, não jogam. Com isso, Cássio continuará na zaga e Marcinho Guerreiro ou Cleverson retornam ao meio-campo. Na lateral-direita, Arlan pode ocupar o lugar de Patric e, no gol, Aleks e Moretto disputam a condição de titular.

Vice-líder do turno, a Chapecoense quer somar, a partir de hoje, os 14 pontos que o técnico Gilberto Pereira julga necessários para chegar à semifinal do campeonato pelo índice técnico. Ele não poderá contar com o volante Diogo Roque, suspenso, e o lateral-direito Gustavo, que não joga por estar vinculado ao Avaí.

Em compensação, o zagueiro Fabiano, o volante Diego Teles e o atacante João Paulo, que cumpriram suspensão contra o Criciúma, ficam à disposição.


MINUTO A MINUTO

Acompanhe os lances da partida a partir das 19h30min


FICHA TÉCNICA

AVAÍ

Aleks (Moretto); Leandro Silva, Renato Santos e Bruno; Patric (Arlan), Marcinho Guerreiro (Cleverson), Diogo Orlando, Cleber Santana e Pirão; Neilson e Ronaldo Capixaba (Nunes)

Técnico: Mauro Ovelha


CHAPECOENSE

Nivaldo; Fabiano (Rafael Lima), Leonardo e Souza; Gilberto Matuto, Wanderson, Diego Teles, Neném e Esquerdinha; Jean Carlos e Tiago Cavalcanti

Técnico: Gilberto Pereira


Arbitragem: Celio Amorim, auxiliado por Helton Nunes e Eberval Lodetti

Horário: 19h30min

Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis

Comente aqui