Cerveja

30 nov12:50

Social: Clube da Cerveja em Concórdia

O Clube da Cerveja do Caitá Supermercados em parceria com a Cervejaria Bierland promoveu um evento sobre o mundo das cervejas. Na palestra de Paulo Bettiol, da Bierland, os participantes puderam conhecer um pouco mais da cerveja, desde a fabricação, características, sabores e aromas.


Juliano Zandonai e Paulo Bettiol.



Comente aqui
11 set10:15

Estudo diz que tipo do copo influencia no consumo de cerveja

Se você quer começar uma dieta nesta semana, mas não consegue recusar aquele segundo copo de cerveja no jantar com as amigas, preste atenção neste estudo. De acordo com pesquisadores britânicos, o segredo para beber menos está no copo em que a cerveja é servida.

Segundo o estudo, publicado no jornal científico PLoS ONE, as pessoas tomam cerveja mais rápido e em maior quantidade quando o copo escolhido tem curvas. A tendência é de tomar 60% menos bebida em um copo reto.


Outras pesquisas


A pesquisa sobre copos de cerveja se junta a outras que mostram formas nada convencionais de comer ou beber menos. Outro estudo concluiu que o tamanho do prato influencia na quantidade de comida ingerida. De acordo com pesquisadores, colocar o almoço em um prato pequeno é uma excelente pedida. Servir-se em pratos grandes faz com que você sinta necessidade de preenchê-lo, mesmo que não esteja com fome para tanta comida colocada ali.


DONNA ZH



Comente aqui
27 abr13:25

Cerveja não é a única vilã, mas contribui para aumentar a "barriga de chope"

Motivo de piada entre os homens que estão fora de forma, a “barriga de chope”, do ponto de vista médico, não tem nada de engraçado. Pelo contrário: ela pode ser o principal sintoma de uma doença séria, a obesidade visceral.

O cirurgião Luiz Vicente Berti, diretor do Centro de Cirurgia Obesidade e Metabólica, alerta para os riscos de um abdômen com circunferência acima da média.

— Além de mascarar doenças metabólicas, a gordura visceral tem taxa de mortalidade alta entre os homens, porque é o tipo de excesso de peso que oferece maior chance de problemas cardíacos — afirma Luiz Vicente Berti, diretor do Centro de Cirurgia Obesidade e Metabólica, que alerta para os riscos de um abdômen com circunferência acima da média.

Existe um nível de gordura visceral (que se acumula nas vísceras) que cumpre uma função importante de proteger os órgãos do aparelho digestivo, mas o problema se instala quando esse nível passa dos limites. A obesidade visceral é diagnosticada quando a gordura não está armazenada somente na região subcutânea, mas também nos órgãos internos, como estômago, intestino e fígado.

— Estatisticamente, há duas mulheres obesas para cada homem. No entanto, são eles as principais vítimas desse problema. Ao contrário delas, que acumulam gordura na região do quadril, os homens armazenam esses excessos diretamente na região abdominal — explica o cirurgião.

Fatores como má alimentação, comer fora de hora e consumir alimentos gordurosos em excesso são outros aspectos dos maus hábitos da vida moderna que também influenciam no desenvolvimento da obesidade visceral que, além de prejudicar a saúde, interfere no contorno corporal.

Pegue uma fita métrica

Para ficar no limite do saudável, o máximo de circunferência na região abdominal deve ser de 102cm para homens e 88cm para mulheres. Quem estiver acima deste limite deve procurar ajuda médica.


Como evitar

:: Conjugue exercícios aeróbios como ciclismo, caminhada ou corrida com musculação, que aumentam o gasto energético e evitam o acúmulo de gorduras, além de fortalecerem o corpo como um todo.


:: É imprescindível controlar a alimentação. Adote uma dieta com menos gordura, álcool, doces e mais proteínas, verduras, legumes e cereais integrais.


:: Fique longe de queijos e embutido gordurosos. Evite frituras e prefira carnes magras, como peixe e filé de frango. O álcool também deve ser ingerido com moderação.


VIDA E SAÚDE

Comente aqui
12 out09:43

Polícia apreende 1,6 mil garrafas de cerveja em Maravilha

Um caminhão acabou flagrado na noite de terça-feira em Maravilha, transportando 1,6 mil garrafas de cerveja que entraram ilegalmente no país, sem declaração fiscal. Segundo o motorista do veículo, a bebida da marca Budweiser foi comprada na Argentina e seria levada para Guaíba (RS).

Os agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordaram o caminhão bitrem carregado de sebo no posto da PRF. Informações repassadas pelo núcleo de inteligência da polícia apontavam que as caixas de cervejas foram colocadas na cabine do veículo num posto de combustíveis em Santo Antonio do Sudoeste (PR), na fronteira com a Argentina.

Por isso, há a suspeita de que o caminhoneiro foi paga para fazer o transporte. O motorista do caminhão, um homem de 28 anos, disse que era o dono das garrafas. Porém, no posto Santo Antonio, os agentes viram vários homens tirando a bebida de uma van e colocando na cabine do bitrem.

A carga foi encaminhada para a Receita Federal. O homem responderá a um termo circunstanciado pela sonegação fiscal.

DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui