chapecoense

20 nov08:52

Efeito Rodrigo Gral na Chapecoense

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Rodrigo Gral, o atacante dos 500 gols, multiplicou a média de gols da Chapecoense nas partidas em que esteve em campo, passando de 0,5 para 2,7 por jogo. Infelizmente a Chapecoense não pode contar com o “efeito Gral” nas partidas das semifinais da Série C contra o Oeste.

O atacante, que se recupera de uma lesão muscular na parte posterior da coxa esquerda, não atuou nas duas últimas partidas e não poderá jogar na próxima sexta-feira, contra o Oeste, em Itápolis.

– Ele só volta para a final, se a Chapecoense passar pelo Oeste – previu o fisioterapeuta do clube, Guilherme Dias Carli.

Ele informou que o atacante teve uma lesão grau 2, com ruptura de algumas fibras musculares, o que prevê entre 14 e 21 dias parado. A lesão foi no dia 5 de novembro. O médico Carlos Mendonça até conseguiu acelerar o processo de recuperação, com aplicação de PRP (Plasma Rico em Plaquetas), que consiste na retirada do sangue do próprio jogador, seleção e aplicação das plaquetas no local da lesão.

Na segunda-feira, dia 19, Gral correu no gramado do Condá. Mas continua fazendo fisioterapia e reforço muscular, na academia. Na quinta ou sexta-feira deve ser liberado para o preparador físico Anderson Paixão.

A partir do dia 26 de novembro, poderia voltar a treinar com bola. Gral disse que está chateado por não poder participar das semifinais.

– A gente sofre mais fora – declarou. Mas ele segue treinando confiando que seus companheiros vão conseguir a vaga para a final.

Gral agradeceu a comissão técnica e os companheiros, que o ajudaram muito na Chapecoense. Ele acredita que o motivo do time fazer mais gols quando joga é que a marcação dos adversários tem uma preocupação maior com sua presença.

– Geralmente tem dois me marcando e meus companheiros, que são inteligentes, aproveitam o espaço- explicou.

O certo é que Gral faz a diferença no time da Chapecoense. Mas desta vez o time vai ter que se virar sem ele.

Caso a Chapecoense não chegue na final da Série C inicia na próxima semana a troca do gramado da Arena Condá. Na segunda-feira, o presidente Sandro Pallaoro esteve em Xanxerê, visitando o estádio municipal Josué Annoni. Outra opção seria o Domingos Machado de Lima, em Concórdia.


“Falei pro pessoal que o ano não vai terminarna sexta-feira;

quero estar com eles na final” Rodrigo Gral, atacante da Chapecoense


Com Gral

Jogos: 7

Vitórias: 5

Empates: 0

Derrotas: 2

Gols marcados: 19

Média de gols por jogo: 2,71


Sem Gral

Jogos: 14

Vitórias: 4

Empates: 5

Derrotas: 5

Gols marcados: 8

Média de gols por jogo: 0,57



Comente aqui
19 nov17:29

Blog Diário do Oeste: Hora de pintar de novo

Na sexta-feira, dia 16 de novembro, funcionários contratados pela Prefeitura pintaram nos tapumes da Arena Condá a frase: “Somos Chapecoenses – Rumo ao título”.

Confira a nota completa no Blog Diário do Oeste.

Comente aqui
19 nov11:51

Chapecoense futsal fica em quinto no Jasc

Após ficar em quinto lugar no Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), realizados em Caçador, a Chapecoense futsal inicia o planejamento para 2013.

Desde 2009, ano de fundação da equipe, essa será a primeira vez que o time participa de uma competição nacional, a Liga Sul. A classificação foi atingida com o título da Copa Santa Catarina 2012.

Segundo a Assessoria da Chapecoense futsal mudanças devem acontecer no time.

- Teremos uma reunião e depois vamos tomar as decisões – disse o presidente Diógenes Lang.


Comente aqui
19 nov11:28

Chapecoense pode usar estádio de Xanxerê para jogos do Catarinense

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Com a troca do gramado da Arena Condá confirmada, assim que a Chapecoense terminar sua participação na Série C, a diretoria da Chapecoense está em busca de estádios para a realização dos primeiros jogos do Campeonato Catarinense 2013. Nesta tarde o presidente Sandro Pallaoro visita o Estádio Municipal Josue Annoni em Xanxerê.

Pallaoro será recebido pelo atual prefeito de Xanxerê, Bruno Bortoluzzi e pelo prefeito eleito Ademir Gasparini.

- Estamos a disposição da Chapecoense e esperamos atender as necessidades do time e da federação – disse Bruno.

A visita está marcada para as 14 horas no estádio. Outra cidade que será visitada pela diretoria do clube é Concórdia.


Troca do gramado

A Prumo Construtora e Incorporadora, de Chapecó, irá fazer o trabalho de troca de gramado. O campo terá que ser nivelado e a grama, do tipo Bermuda, a mesma de estádios como o Olímpico e Beira Rio, será colocada em rolos.

O projeto de R$ 639 mil prevê sistema de drenagem e irrigação automática. A previsão é de que a troca leve 90 dias.


Comente aqui
19 nov10:12

Hora de derrubar o retrospecto negativo

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Depois de perder a invencibilidade em casa pela Série C do Campeonato Brasileiro, sábado, na derrota por 1 a 0 para o Oeste, resta à Chapecoense quebrar outro tabu, que é o retrospecto pífio fora de casa.

Em 10 jogos o time venceu apenas uma, ainda com Itamar Schulle, e conquistou seis pontos, 20% do total. Com Gilmar Dal Pozzo ainda não venceu fora.

Pois agora é o momento da Chapecoense surpreender, se quiser chegar na final da Série C do Campeonato Brasileiro.

– Temos que jogar bem e ser mais competentes – projetou Dal Pozzo, sobre o confronto de sexta-feira, às 19 horas, em Itápolis.

Ele afirmou que a partida em Chapecó foi apenas o primeiro tempo e que seu time jogou bem, apesar do placar negativo.

Os jogadores da Chapecoense não perderam a confiança.

– Dá para reverter – avaliou André Paulino.

Seu colega de zaga, Fabiano, também é otimista.

– O negócio é trabalhar e vamos em busca da classificação – explicou.

Nem o Oeste dá a classificação como certa. O técnico Luís Carlos Martins disse que sua equipe não atuou bem na primeira partida, apesar do bom resultado. O atacante Ricardo Oliveira, que marcou o gol, disse que o próprio Oeste surpreendeu o Fortaleza na casa do adversário e não pode permitir que a Chapecoense faça o mesmo.

– A Chapecoense tem condições de nos vencer e precisamos estar atentos – explicou.


O que faltou para a Chapecoense

1-Rodrigo Gral: O experiente atacante, que ficou fora devido a uma lesão muscular, era a referência do time na área. Ele fazia as tabelas, orientada e dava toques qualificados. Além disso causava intranquilidade na defesa adversária. Sem ele, os adversários ficam mais confiantes.


2- Competência nas finalizações: A Chapecoense criou quatro chances claras de gol mas errou na finalização. Athos mandou uma por cima e, na outra, demorou permitindo a saída do goleiro. Henrique até chutou bem, mas o goleiro fez boa defesa. Neném até tirou do goleiro, mas a bola foi no poste.


3-Atenção: Num jogo de semifinal não dá para dar a bobeira que a Chapecoense deu no lance do gol. O Oeste teve apenas uma chance e fez. Contra times de qualidade, numa decisão, não dá para errar.


O que a chapecoense precisa em São Paulo

1-Entrar com espírito de decisão: A Chapecoense tem que tentar repetir fora de casa as atuações que teve nos jogos anteriores no Índio Condá.


2-Aproveitar melhor as chances: Em São Paulo, a Chapecoense tem que melhorar seu aproveitamento, se quiser chegar na final.


3- Quebrar o tabu de não vencer fora com Dal Pozzo: O técnico da Chapecoense, que está com crédito pela classificação para a Série B, precisa quebrar um tabu de não ter vencido fora pelo Verdão.


Como fica

Empate ou vitória do Oeste: Oeste na final Vitória da Chapecoense por 1 a 0: Decisão nos pênaltis Vitória da Chapecoense por qualquer outro placar: Chapecoense na final


Comente aqui
17 nov21:53

Oeste foi mais competente

 

Venceu o mais competente. O Oeste praticamente teve só uma chance de gol e venceu a Chapecoense por 1 a 0, neste sábado, na Arena Condá.

A Chapecoense teve pelo menos quatro chances claras de gol e não conseguiu balançar a rede. Duas delas com Athos, no primeiro tempo. Numa delas chutou por cima e, na outra, foi bloqueado pelo goleiro Fernando Leal. Goleiro que praticamente fez um “milagre” no segundo tempo, num chute à queima-roupa de Henrique. Não esquecendo ainda a bola no poste de Neném.

Ao final da partida, jogadores e comissão técnica da Chapecoense reconheceram que o adversário foi mais competente.

-Eles foram eficientes, nós não- avaliou o meia Athos. –Não tivemos eficiência- repetiu Neném. O treinador Gilmar Dal Pozzo, foi na mesma linha. –Lá vamos ter que ser mais competentes- projetou, sobre o jogo da volta em São Paulo.

O treinador disse que sua equipe caiu um pouco no segundo tempo, mas fez uma boa partida. –Tivemos cinco ou seis chances- calculou. No entanto, segundo Dal Pozzo, faltou tranquilidade na hora da conclusão.

Comente aqui
17 nov21:45

Chapecoense perde em casa para o Oeste


Darci Debona| darci.debona@diario.com.br

A Chapecoense largou mal na semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, perdeu em casa para o Oeste, por 1 a 0, e agora terá que vencer o Oeste em Itápolis-SP, na próxima sexta-feira. Vitória por 1 a 0 leva para os pênaltis e, por 2 a 0, 2 a 1 ou 3 a 2 dá Chapecoense.

Além da comemoração da torcida pelo acesso à Série B o goleiro Nivaldo jogou com a camisa 206 que é o número de jogos que ele completou em seis anos e meio no clube. Mas depois disso ninguém do Verdão do Oeste teve o que comemorar.. A Chapecoense poderia ter marcado logo no primeiro minuto, quando Athos recebeu dentro da área mas chutou por cima.

O time da casa seguiu melhor mas tinha dificuldade em superar a defesa do time paulista. O Oeste concluiu pela primeira vez aos 17 minutos, numa cobrança de falta, que passou longe do goleiro Nivaldo.

Mas dois minutos depois o time paulista mostrou porque eliminou o Fortaleza no Ceará Ricardo Oliveira invadiu a área e tocou na saída do goleiro Nivaldo, para incredulidade dos quase seis mil torcedores da Chapecoense. E não tinha nenhum torcedor do Oeste no Índio Condá para comemorar.

Dois minutos depois Athos recebeu dentro da área e teve a chance de empatar, mas o goleiro Fernando Leal saiu bem e fez a defesa. Aos 30 minutos, Wanderson, o da Chapecoense, cobrou falta que passou próximo do poste esquerdo do goleiro.

O time catarinense insistia nos cruzamentos para a área, mas sem resultado. Aos 45 minutos lançou Neném dentro da área, livre, que desviou do goleiro, mas a bola bateu no poste direito. Não era o dia da Chapecoense.

Na volta do intervalo o técnico Gilmar Dal Pozzo pediu mais tranquilidade na conclusão e cuidado para não dar contra-ataques ao adversário.

A Chapecoense novamente iniciou pressionando mas a zaga do Oeste levou a melhor. Aos 21 minutos Henrique venceu a zaga, chutou forte e o goleiro Fernando Leal fez uma bela defesa. O Oeste se fechou e garantiu a vitória. Foi a primeira derrota da Chapecoense em casa na Série C. Resta à Chapecoense tentar agora sua segunda vitória fora.


FICHA TÉCNICA


CHAPECOENSE-0: Nivaldo, Fabiano, André Paulino, Rafael Lima e Gilton: Wanderson, Paulinho Dias (Galiardo), Athos (Eliomar) e Neném; Jô (Cristiano) e Henrique. Técnico: Gilmar Dal Pozzo


OESTE-1:Fernando Leal, Dedê, Eduardo (Everton), Dezinho e Piauí; Dionísio, Hudson, Ligger e Wanderson (Lele); Ricardo Oliveira (Alex Silva) e Jheimy. Técnico: Luís Carlos Martins


Gols: Ricardo Oliveira (O), aos 19 minutos do primeiro tempo.


Arbitragem: Jaílson Macedo Freitas-BA, auxiliado por Cleriston Clay Barreto Rios-SE e Fábio Rodrigo Rubinho-MT.

Cartões amarelos: Piauí, Fernando Leal, Ligger, Ricardo Oliveira, Dionísio, Everton e Dedé (O), Neném, Jô (C),


Local: Estádio Índio Condá, em Chapecó


Público: 5.998

Renda: R$ 66.060

Comente aqui
17 nov08:00

Chapecoense quer largar bem na semifinal da C

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Com aproveitamento de 86,6% nos jogos em casa, a Chapecoense aposta na Força da Arena Condá para largar bem na semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, neste sábado, às 19 horas, contra o Oeste.

Afinal, na Arena Condá a Chapecoense tem feito a diferença no campeonato. Se dependesse dos resultados longe de casa, onde fez apenas três gols em dez jogos, o time estaria na Série D e não na Série B.

A confiança é grande em Chapecó. Tanto que na sexta-feira, dia 16, funcionários contratados pela prefeitura pintaram a frase: “Somos Chapecoenses- Rumo ao Título”, nos tapumes da ala Oeste do estádio. Mesmo assim alguns integrantes do clube não gostaram e pediram para que a inscrição fosse apagada, para não “incentivar” o adversário.

Mas nos discursos o pensamento é um só.

- Vamos rumo ao título – disse o zagueiro André Paulino, embora depois alertasse que o jogo contra o Oeste deve ser muito difícil.

Mas ele sabe que a força da torcida pode ser decisiva. Rodrigo Gral não joga, mas convocou os torcedores pelas redes sociais. Henrique, que vai estar em campo, também destaca a importância do torcedor, que faz os jogadores se doarem em campo, esquecendo até o cansaço.

– É o algo a mais que cada jogador acaba fazendo durante a partida – explicou.

Para o técnico Gilmar Dal Pozzo, a Chapecoense resgatou o orgulho do torcedor e isso se refletiu num apoio maior das arquibancadas.

– A atuação do torcedor é determinante – explicou.

No entanto, o treinador disse que o time precisa também fazer sua parte dentro de campo. Neste jogo, ele avaliou que todos precisam de paciência pois, tão importante quanto fazer, é não tomar gol, já que o gol fora vale mais nos critérios de desempate.

– Um a zero é goleada – concluiu o meia Athos.


Campanha no Condá: 86,6% de aproveitamento

10 jogos

8 vitórias

2 empates

Nenhuma derrota

30 pontos disputados

26 pontos somados

21 gols marcados

4 gols sofridos


Campanha fora: 20% de aproveitamento

10 jogos

1 vitória

3 empates

6 derrotas

30 pontos disputados

6 pontos somados

3 gols marcados

9 gols sofridos


Ficha Técnica

CHAPECOENSE

Nivaldo

Fabiano

André Paulino

Rafael Lima

Gilton

Wanderson

Paulinho Dias

Athos

Neném

Henrique

Técnico: Gilmar Dal Pozzo



OESTE

Fernando Leal

Dedê

Eduardo

Dezinho

Piauí

Dionísio

Hudson

Liger

Samuel

Lelê

Jheimy

Técnico: Luís Carlos Martins


Arbitragem: Jaílson Macedo Freitas-BA, auxiliado por Cleriston Clay Barreto Rios-SE e Fábio Rodrigo Rubinho-MT.

Horário: 19h

Local: Arena Condá, em Chapecó

Ingressos: Ingressos: R$ 15 (estudantes, aposentados e menores entre 8 e 12 anos), R$ 30 (geral) R$ 40 (coberta) e R$ 50 (cadeiras). Pontos de venda antecipada: Palácio dos Esportes, Maidana Esportes, Posto de Marco, Sensação do Mate do Shopping Pátio Chapecó e na sede do clube.



Comente aqui
16 nov14:48

Rodrigo Gral convoca torcida para semifinal da Série C

O atacante Rodrigo Gral não estará em campo na primeira partida da semifinal da Série C, contra o Oeste, sábado, às 19h. Se recuperando de uma lesão na coxa esquerda, o jogador trabalha, agora, fora dos campos. O objetivo de Gral é convocar a torcida e ver a Arena Condá lotada.

Na tarde desta sexta-feira, o atacante usou seu perfil no Twitter (@graloficial) para chamar os torcedores:

“Amanhã começa a campanha rumo ao título da Série C. Vamos enfrentar o Oeste, às 19h, na Arena Condá. Quero ver todo mundo lá!!!”

Comente aqui
16 nov14:38

Banda de Chapecó lança primeiro videoclipe

A banda chapecoense “Santograau” lança no dia 19 de novembro o primeiro videoclipe da carreira. A música escolhida foi “Se você chorar”. O clipe poderá ser conferido no site da banda.

De acordo com o guitarrista, Fernando Baldissera, o vídeo marca uma nova fase.

- Queremos apresentar o hit já conhecido no sul, para todo Brasil – disse Fernando. O guitarrista disse ainda que essa será uma prévia do novo disco da banda em 2013.

As imagens foram captadas no show da festa STO Prive realizada em Chapecó. O roteiro e produção são de Juliano Cortuah e equipe.

Santograau é formada por Ricardo Avlis (vocalista), Cleber Souza (guitarra e vocal), Fernando Baldissera (violão e guitarra), Edinho Vidal (baixo) e Allan Vieira (bateria).


Comente aqui