chapecoense

16 nov07:45

Athos pode ser bicampeão da Série C

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Enquanto curtia a manhã de descanso na quinta-feira, meia Athos recebeu a equipe do Diário Catarinense em seu apartamento, no centro de Chapecó. Ele falou da conquista do acesso para a Série B e da primeira partida da semifinal da Série C, sábado, contra o Oeste, às 19 horas, na Arena Condá.



Athos, com o filho Matheus e a esposa Camila, grávida de Emmanuel.



Athos já venceu a competição em 2006, pelo Criciúma. Agora quer o bicampeonato da Série C para incrementar o seu currículo e também para compartilhar essa emoção com os companheiros de clube. O jogador disse que o clima no vestiário é muito bom e que por isso não ficou magoado nos três jogos em que foi para o banco de reservas. Na época chegou a fechar a conta numa rede social devido aos xingamentos. Athos cresceu nos momentos decisivos. Fez um gol e deu o passe para outros três na vitória por 5 a 0 contra o Tupi, que valeu a classificação para a segunda fase. Na primeira partida da segunda fase, contra o Luverdense, deu o passe para o gol de Henrique.

Athos que está muito feliz por jogar na Chapecoense, pelo grupo que foi montado, além da boa adaptação da família à cidade. Sua mulher, Camila, está grávida de seis meses, de um menino, Emmanuel. E o outro filho, Matheus, de sete anos, que era um bebê quando o pai foi campeão da Série C pelo Criciúma, agora já disputa campeonatos de futsal em Chapecó. Athos disse que o crescimento da Chapecoense é fruto de um trabalho sério e honesto, que é reconhecido pelos jogadores que estão ou que passaram pelo clube.

Duas vezes por semana, Athos toca violão na Igreja Quadrangular. E brinca que é mais afinado em campo.


Confira a entrevista que o jogador concedeu.

Diário Catarinense: Você foi um dos destaques do time na conquista da vaga para a Série B, o que isso representa para ti e para o clube?

Athos: Sempre me envolvi com o time e procurei deixar minha marca nos clubes que passei. Foi assim no Paraná, no Criciúma e no Brasil de Pelotas, onde fui escolhido um dos melhores camisa 10 da história do clube. Na Chapecoense cheguei no meio do campeonato catarinense e fui escolhido o segundo melhor meia do campeonato. Tive outras propostas até mais vantajosas e resolvi ficar. Acho que a Chapecoense está colhendo o que semeou. Nos últimos anos sempre vem decidindo título. Tem uma diretoria séria que sempre paga seus compromissos dentro do mês. Aqui é uma família. E quanto a gente sai fala com o padeiro, o caixa do mercado. É um contato direto com a torcida. Na comemoração teve um senhor que me abraçou e soube que foi um dos fundadores da Chapecoense. Foi muito emocionante.


Diário Catarinense: Depois de conseguir o acesso para a Série B pelo Criciúma a pela Chapecoense como está encarando a possibilidade de se tornar bicampeão brasileiro da Série C?

Athos: É a oportunidade do meu segundo título brasileiro. E título brasileiro são poucos os que têm, independentemente se é da A, B, C ou D. A maioria do nosso grupo não tem esse título. E eu quero dar o meu melhor para ajudar meus companheiros. Eu sei o quanto é bom colocar uma faixa de campeão brasileiro no peito. Se for a Criciúma tá lá a minha foto com a faixa.


Diário Catarinense: Como a Chapecoense deve atuar nesse primeiro confronto da semifinal contra o Oeste?

Athos: Já no início da Série C eu disse que o Oeste era o adversário mais difícil contra quem nós tínhamos jogado, pois foi o único que jogou de igual para igual em Chapecó. Ganhamos o jogo por um a zero e depois perdemos por um a zero em São Paulo, o que mostra o equilíbrio entre os times. Eles têm um time muito bom. Vai ser um jogo muito difícil. Temos que manter a humildade e a marcação forte. Um a zero para nós é goleada.



Comente aqui
15 nov16:35

Definida arbitragem para a semifinal da Série C

A Confederação Brasileira de Futebol divulgou o trio de arbitragem que vai atuar no primeiro jogo da semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, entre Chapecoense e Oeste, sábado, às 19 horas, na Arena Condá.

O árbitro será o baiano Jaílson Macedo Freitas, auxiliado por Cleriston Clay Barreto Rios-SE e Fábio Rodrigo Rubinho-MT.

Comente aqui
15 nov09:29

Gilmar Dal Pozzo quer seguir no Verdão

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Com a conquista do acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro Gilmar Dal Pozzo entrou para a galeria dos treinadores vencedores da Chapecoense, onde recentemente figuraram Agenor Piccinin (campeão Catarinense de 2007) e Mauro Ovelha (campeão de 2011 e comandante do acesso da Série D para a Série C em 2009).

Natural de Quilombo-SC, onde morou até os dois anos antes de ir para o Rio Grande do Sul, Dal Pozzo tem estilo similar ao de Tite, técnico do Corinthians, com quem Dal Pozzo foi campeão Gaúcho de 2000. Na época, ele era goleiro. Atuou também como goleiro do Avaí. Entre 2004 e 2005.

Em 2008, iniciou a carreira de treinador, no Veranópolis. No mesmo ano venceu a Copa RS pelo Pelotas. Foi contratado pela Chapecoense na metade do returno da Série C, quando o time, então treinado por Itamar Schulle, perdeu para o Vila Nova e deixou a zona de classificação.

Dal Pozzo estreou com vitória por 4 a 0 contra seu ex-time, o Caxias. E seguiu vencendo em casa, com cinco vitórias em cinco jogos, todas por goleada. Só o desempenho fora que ainda não está bom, com três derrotas e um empate em quatro jogos. Mesmo assim garantiu a tão sonhada vaga na Série B.

Para o treinador a conquista é reflexo da qualidade do grupo, que adotou uma postura diferente após sua chegada. Ele mudou o posicionamento, reforçou a marcação e incutiu vibração num time que parecia desanimado.

O resultado é que atualmente o treinador já foi convidado para continuar no clube pela atual diretoria, embora ainda ocorra uma eleição no dia 28 de novembro. Para coroar o sucesso, resta agora buscar o título da Série C, o que representaria incluir a Chapecoense entre os times catarinenses com títulos nacionais.


Entrevista com Gilmar Dal Pozzo

Diário Catarinense: Você sendo natural de Quilombo, aqui do Oeste Catarinense, como é conquistar o acesso por um clube da região?

Dal Pozzo: Para mim é a sensação do dever cumprido. A minha família me ligou depois da conquista. Eles estavam muito felizes pois moraram muito tempo na região. Eu saí com dois anos daqui. Comemoramos muito. Mas agora já é hora de trabalhar. Sou irrequieto. Tenho obsessão por conquistas.

DC: Como você vai encarar o Oeste, que é um adversário que a Chapecoense já enfrentou duas vezes, com uma vitória e uma derrota?

Dal Pozzo: As duas equipes já se conhecem e dificilmente terão grandes mudanças. O Oeste tem um sistema diferente de jogar, que é um 3-6-1, que às vezes se transforma num 3-5-2. Tivemos muitas dificuldades contra eles. O que vai fazer a diferença é o foco, o nível de concentração e o nível de eficiência.

DC: A tentativa é novamente de abrir uma boa vantagem no primeiro jogo para administrar nos segundo, como fez com o Luverdense?

Dal Pozzo: A ideia sempre é apresentar um bom futebol. O importante é não tomar gol em casa nos 90 minutos. Uma a zero para nós já é goleada.

DC: Você pretende continuar no clube em 2013.

Dal Pozzo: Tenho uma vontade de continuar e a diretoria também. Mas essa eleição da diretoria não veio numa boa hora. Alguma coisa a gente está conversando. Mas isso não pode atrapalhar a nossa preparação para a semifinal. Não podemos tirar o foco.



Comente aqui
14 nov10:59

Nivaldo faz história na Chapecoense

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Quem projetou a maquete de construção da Arena Condá bem que poderia ter reservado um espaço para uma estátua do goleiro Nivaldo. Ou a “impressão” de suas mãos numa calçada da fama.
Com a conquista do acesso para a Série B o goleiro consolida sua carreira como o maior vencedor da história da Chapecoense.

Dos quatro títulos estaduais do clube, Nivaldo estava em dois, sendo que, em 2007, foi escolhido o melhor goleiro do Catarinense. Na época até ganhou uma faixa da torcida com os dizeres: “Nivaldo Eterno”. Nem o torcedor, nem o goleiro, imaginavam que ele iria durar tanto no gol do Verdão. Nos dois acessos do clube, da Série D para a C e da C  para a B, ele era o titular.

E, aos 38 anos, é o goleiro menos vazado da Série C.  A Chapecoense levou apenas 13 gols em 20 jogos. Nivaldo tem média ainda melhor, de oito gols em 14 jogos. Ele começou a competição na reserva, devido a uma lesão. E ficou dois jogos fora devido a uma expulsão contra o Oeste, adversário na semifinal, por revidar uma agressão do atacante Serginho.

O goleiro quase parou de jogar em 2010, devido a uma série de lesões. Mas persistiu e voltou a jogar em grande estilo. Na primeira partida contra o Luverdense, em Chapecó, salvou o time logo no início da partida, num lance em que o atacante adversário entrou livre na área. Depois quase fez um milagre ao espalmar um chute que ia no ângulo.

O carisma do goleiro com a torcida é tão grande que o diretor de futebol Cadu Gaúcho até brinca: — O Nivaldo vai pra prefeito na próxima eleição. Nivaldo já completou mais de 200 jogos pela Chapecoense.  E ainda não decidiu quando vai parar. Seu sonho era levar a Chapecoense para a Série B antes de se aposentar. O que vier agora é lucro.

“Quero o título da Série C”
Confira a entrevista com o goleiro do Verdão

Diário Catarinense —  Você sempre dizia que antes de se aposentar gostaria de levar a Chapecoense para a Série B, como é realizar este sonho?
Nivaldo —
É muito bom. Ainda mais jogando. Em 2011 fui campeão estadual como reserva, mas o título valeu. Jogando tem outro sabor. Pude ajudar diretamente na conquista. Hoje uma Série B é muito bom. É bom para a cidade. Tem que parabenizar esse grupo, a diretoria, o torcedor que vem a campo. Mas, principalmente, o grupo. Quando estávamos mal chegaram a nos chamar de vagabundos. Ficamos mordidos por dentro. Esse acesso foi conquistado pelo brio dos jogadores.

DC — Você viveu a ascensão da Chapecoense, que estava quase fechando.
Nivaldo —
Quando cheguei, em 2006, o presidente me falou que talvez iria mudar o nome do time. Pensei em disputar a competição e “vazar” Mas aí fomos campeões depois de uma década sem chegar. Aí foi melhorando e eu fiquei.

DC — O que te fez ficar seis anos e meio no clube?
Nivaldo —
Com a conquista de 2007 o pessoal passou a gostar da gente. Me senti bem aqui. Mesmo em 2010, numa situação difícil, fiquei 90 dias sem receber, depois me pagaram, e nunca reclamei. Em 2009, quando tomei um frango na semifinal contra o Macaé, que nos tirou da final, estava só esperando acabar o jogo para receber vais de todo o estádio. Mas só uma meia dúzia vaiou. O restante me apoiou.

DC — Este foi o seu pior momento?
Nivaldo —
Os piores momentos foram nas lesões. Em 2010 tive uma lesão na quarta rodada do Catarinense e só voltei para a Série C. Em 2011 lesionei no primeiro jogo, contra o Avaí, e aí contrataram o Rodolpho e, quando voltei, o Rodolpho estava muito bem. Além disso quebrei um dedo. Só jóquei um jogo. Em 2012 estava em no estadual e tive uma lesão muscular no final do returno. Ia voltar para a Série C e fraturei uma costela. Mas depois voltei e agora estou me sentindo muito bem.

DC — Pensou em parar em algum momento?
Nivaldo —
Em 2010 fiquei três meses e meio parado e pensei em parar de jogar. Tive uma lesão na coxa e,  quando voltei, sentia uma lesão no quadril que não curava. Aí pensei, ou curava, ou parava. Acabei curando e voltei a jogar.

DC — Você conquistou o acesso para a Série B de 2012, agora, vai querer disputa-la, certo?
Nivaldo —
Essa resposta não vou te dar agora. Tem que ver o que vai dar a eleição no clube, quem vai ser o treinador.  O que eu quero agora é o título da Série C. Aí seria muito bom.

Comente aqui
13 nov18:12

Condá recebe melhorias

A Arena Condá está recebendo melhorias para a primeira partida da semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, entre Chapecoense e Oeste, que será disputada sábado, às 19 horas.

A grade da ala Sul, que estava danificada, está sendo trocada. Além disso está sendo feita a limpeza e pintura das arquibancadas. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, que é a administradora do estádio, 15 servidores do município estão trabalhando no local.

Um muro que foi danificado na troca da cobertura da ala Oeste, também está sendo refeito pela empresa responsável pela obra. Tudo para que o palco do jogo fique tão bonito quanto o desempenho do time na Série C.

Comente aqui
13 nov16:55

Torcedores já garantem ingresso para a semifinal

Darci Debona|darci.debona@diario.com.br

Iniciou hoje na tarde desta terça a venda de ingressos para o primeiro jogo da semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, entre Chapecoense e Oeste, que será disputado sábado, às 19 horas, na Arena Condá.

São seis mil ingressos que estão disponíveis em cinco pontos: Maidana Esportes, Palácio dos Esportes, Posto De Marco, loja Sensação do Mate do Shopping Pátio Chapecó e na sede do clube.

O movimento, por ser o primeiro dia de comercialização, ainda é fraco. Na sede da Chapecoense tinham sido vendidos apenas seis ingressos das 13h30 às 16h15, segundo a atendente, Samara Kappel.

– O pessoal deixa para a última hora – explicou.

Mesmo assim tem gente que quis garantir cedo um lugar na arquibancada do Condá. O mecânico Nei Augusto Minks, 23 anos, deu um pausa no trabalho e foi comprar três ingressos, para ele, o irmão e um amigo.

- Dá para conquistar o título – diz, confiante.

Para o torcedor era mais difícil conquistar a vaga na Série B. Ele acompanhou a decisão contra o Luverdense pelo telão montado pela RBS na Praça Coronel Bertaso, com transmissão da TV Com. Depois comemorou na avenida Getúlio Vargas. Minks espera nova comemoração em breve. Ele acompanha o clube desde 2003.

O movimento maior na Chapecoense é  sócios inadimplentes que buscam regularizar sua situação. Foram 15 atendimentos em três horas. A Chapecoense tem cerca de quatro mil sócios.

Os valores dos ingressos são: R$ 15 (estudantes, aposentados e menores entre 8 e 12 anos), R$ 30 (geral) R$ 40 (coberta) e R$ 50 (cadeiras).

Comente aqui
13 nov10:28

Chapecoense inicia preparação contra o Oeste

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Os jogadores da Chapecoense iniciaram nesta terça-feira os preparativos para a primeira partida da semifinal do Campeonato Brasileiro da Série C. O jogo contra o Oeste é neste sábado, dia 17 de novembro, às 19 horas na Arena Condá.

Após uma reunião, de 40 minutos no vestiário, os jogadores da Chapecoense treinaram no campo da Arena. Foi realizada corrida, trabalho na academia e trabalhos de posse de bola.

À tarde o treinamento será na areia, provavelmente no campo da Aurora. Os trabalhos estão marcados para as 15 horas.

Na quarta-feira os treinamentos também acontecem em dois períodos. Às 9h e às 15h na Arena.

Já na quinta-feira, os atletas tem folga durante o dia e treinam às 19h. A ideia da comissão técnica é trabalhar no mesmo horário do jogo.

Na sexta-feira o grupo folga pela manhã, realiza treino à tarde, após entra em concentração para a partida do sábado.

A exemplo do que aconteceu com o Luverdense o objetivo da Chapecoense é ganhar em casa com boa diferença de gols para jogar com vantagem a partida da volta em Itápolis.


Comente aqui
13 nov09:29

Chapecoense estreia dia 20 de janeiro no Campeonato Catarinense 2013

André Podiacki | andre.podiacki@rbsonline.com.br

Foi realizada na tarde desta segunda-feira, 12, a reunião do conselho técnico da Federação Catarinense de Futebol. Os 10 clubes da divisão especial discutiram detalhes do próximo Campeonato Catarinense, que começa no dia 20 de janeiro e encerra no dia 19 de maio de 2013.

A fórmula continua a mesma, pois ela não pode ser mudada por causa do estatuto do torcedor que só permite alterações depois de dois anos. Assim, os 10 clubes que vão disputar jogos em si em dois turnos. Os campeões de cada turno vão garantir vagas nas semifinais da competição, que serão completadas pelas duas equipes de melhor índice técnico. As semifinais e finais serão disputadas em jogos de ida e volta.

— Estamos divulgando a tabela dois meses antes do início do campeonato, isso é um avanço para nós. Todos podem se organizar — disse o presidente da FCF, Delfim de Pádua Peixoto Filho.

Confira abaixo a tabela do primeiro e segundo turno do Campeonato Catarinense. As datas e horários podem ser alterados a pedido dos clubes e da televisão que transmite os jogos.


Turno

1ª Rodada – 20 de janeiro – Todos os jogos às 17h

Joinville x Chapecoense

Guarani x Figueirense

Juventus x Metropolitano

Criciúma x Camboriú

Avaí x Atlético-Ib


2ª Rodada – 23 de janeiro – Todos os jogos às 20h30min

Chapecoense x Avaí

Atlético-Ib x Criciúma

Camboriú x Juventus

Metropolitano x Guarani

Figueirense x Joinville


3ª Rodada – 27 de janeiro – Todos os jogos às 17h

Figueirense x Chapecoense

Joinville x Metropolitano

Guarani x Camboriú

Juventus x Atlético-Ib

Criciúma x Avaí


4ª Rodada – 30 de janeiro – Todos os jogos às 20h30min

Chapecoense x Criciúma

Avaí x Juventus

Atlético-Ib x Guarani

Camboriú x Joinville

Metropolitano x Figueirense


5ª Rodada – 3 de fevereiro – Todos os jogos às 17h

Metropolitano x Chapecoense

Figueirense x Camboriú

Joinville x Atlético-Ib

Guarani x Avaí

Juventus x Criciúma


6ª Rodada – 6 de fevereiro – Todos os jogos às 20h30min

Chapecoense x Juventus

Criciúma x Guarani

Avaí x Joinville

Atlético-Ib x Figueirense

Camboriú x Metropolitano


7ª Rodada – 17 de fevereiro – Todos os jogos às 17h

Camboriú x Chapecoense

Metropolitano x Atlético-Ib

Figueirense x Avaí

Joinville x Criciúma

Guarani x Juventus


8ª rodada – 24 de fevereiro – Todos os jogos às 17h

Chapecoense x Guarani

Juventus x Joinville

Criciúma x Figueirense

Avaí x Metropolitano

Atlético-Ib x Camboriú


9ª Rodada – 3 de março – Todos os jogos às 17h

Atlético-Ib x Chapecoense

Camboriú x Avaí

Metropolitano x Criciúma

Figueirense x Juventus

Joinville x Guarani



RETURNO

1ª Rodada – 10 de março – Todos os jogos às 17h

Chapecoense x Joinville

Figueirense x Guarani

Metropolitano x Juventus

Camboriú x Criciúma

Atlético-Ib x Avaí


2ª Rodada – 17 de março – Todos os jogos às 17h

Avaí x Chapecoense

Criciúma x Atlético-Ib

Juventus x Camboriú

Guarani x Metropolitano

Joinville x Figueirense


3ª Rodada – 20 de março – Todos os jogos às 20h30min

Chapecoense x Figueirense

Metropolitano x Joinville

Camboriú x Guarani

Atlético-Ib x Juventus

Avaí x Criciúma


4ª Rodada – 24 de março – Todos os jogos às 17h

Criciúma x Chapecoense

Juventus x Avaí

Guarani x Atlético-Ib

Joinville x Camboriú

Figueirense x Metropolitano


5ª Rodada – 27 de março – Todos os jogos às 20h30min

Chapecoense x Metropolitano

Camboriú x Figueirense

Atlético-Ib x Joinville

Avaí x Guarani

Criciúma x Juventus


6ª Rodada – 31 de março – Todos os jogos às 17h

Juventus x Chapecoense

Guarani x Criciúma

Joinville x Avaí

Figueirense x Atlético-Ib

Metropolitano x Camboriú


7ª Rodada – 7 de abril – Todos os jogos às 17h

Chapecoense x Camboriú

Atlético-Ib x Metropolitano

Avaí x Figueirense

Criciúma x Joinville

Juventus x Guarani


8ª rodada – 14 de abril – Todos os jogos às 17h

Guarani x Chapecoense

Joinville x Juventus

Figueirense x Criciúma

Metropolitano x Avaí

Camboriú x Atlético-Ib


9ª Rodada – 21 de abril – Todos os jogos às 17h

Chapecoense x Atlético-Ib

Avaí x Camboriú

Criciúma x Metropolitano

Juventus x Figueirense

Guarani x Joinville


As semifinais serão disputadas nos dias 28 de abril (jogos de ida) e no dia 5 de maio (jogos de volta). Já as finais serão disputadas nos dias 12 e 19 de maio.


DIÁRIO CATARINENSE



Comente aqui
13 nov09:14

Inicia venda de ingressos para semifinal da C

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A venda de ingressos para o primeiro confronto da semifinal da Série C do Campeonato Brasileiro, entre Chapecoense e Oeste, inicia nesta terça-feira à tarde.

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou nesta segunda-feira que a partida será sábado, às 19 horas, no Índio Condá. O presidente Sandro Pallaoro esteve na reunião na Federação Catarinense de Futebol e já pegou os ingressos. Ele informou que os valores são os mesmos que foram praticados na partida contra o Luverdense.

O gerente de futebol do clube, Carlinhos Almeida, informou que serão disponibilizados seis mil ingressos. Com os quatro mil sócios a expectativa é de chegar a 10 mil torcedores. A Chapecoense não vai instalar câmera de vídeo, o que permitiria ampliar a capacidade além de 10 mil torcedores.

O grupo, que chegou no sábado em Chapecó, após a classificação para a Série B, se reapresenta às 19 horas de hoje. O jogo de volta contra o Oeste é no dia 23, às 19 horas, em Itápolis.


Chapecoense x Oeste

Quando: Sábado

Horário: 19h

Local: estádio Índio Condá

Ingressos: R$ 15 (estudantes, aposentados e menores entre 8 e 12 anos), R$ 30 (geral) R$ 40 (coberta) e R$ 50 (cadeiras).

Pontos de vendas: Palácio dos Esportes, Maidana Esportes, Posto de Marco, Sensação do Mate do Shopping Pátio Chapecó e na sede do clube.


Comente aqui
12 nov14:09

Definido horário das semifinais da Série C

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A CBF confirmou em seu site as datas das semifinais da Série C do Campeonato Brasileiro. O primeiro confronto entre Chapecoense e Oeste será às 19 horas de sábado, dia 17 de novembro, na Arena Condá. O jogo de volta é no dia 23, no estádio municipal dos Amaros, em Itápolis.

Na outra semifinal, Paysandu e Icasa se enfrentam na sexta-feira, dia 16, às 19 horas, em Paragominas-PA. O jogo de volta é no dia 22, às 19 horas, em Juazeiro do Norte-CE.



Comente aqui