Cidade

09 dez15:32

Nostalgia: Chapecó volta ser a cidade das Rosas

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

“Chapecó cidade das rosas, de Condá, Irê, Cachenerê…”. Quem mora na cidade e tem mais de 30 anos deve lembrar do trecho dessa música, que era apresentada por corais do município, no início da década de 90. Além do título de capital do Oeste, Chapecó era conhecida como “cidade das rosas’, pois as flores estavam presentes nos canteiros da Avenida Getúlio Vargas. Com o tempo elas saíram de cena, dando espaço para outras flores.

Com o objetivo de resgatar essa característica do passado, a Prefeitura de Chapecó resolveu plantar nos canteiros da principal avenida da cidade, 405 mudas de rosas. Essa etapa faz parte do Projeto de Revitalização dos canteiros centrais que iniciaram em abril do ano passado.

O plantio foi realizado pela Secretaria de Serviços Urbanos e proporcionam uma mistura de nostalgia em meio ao visual moderno da obra que deve ser inaugurada ainda no mês de dezembro.

Com a Revitalização a avenida recebeu um identidade única para os canteiros com padronização da pavimentação e mobiliário urbanos, renovação da arborização, paisagismo e outras melhorias para facilitar o fluxo de pessoas e de veículos. Os pontos de táxi também foram padronizados.

- Humanizamos o espaço priorizando as pessoas. A avenida deve ser uma via de destino final e não apenas de passagem para outras vias – disse o Prefeito José Caramori.

O investimento do município, financiado com recursos da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc) foi de R$ 2.750.071,44.


Comente aqui
14 ago18:01

Encerram nesta quarta-feira as inscrições para Maratona Fotográfica Cidade de Chapecó

Foram prorrogadas até esta quarta-feira, dia 15 de agosto, as inscrições para a 8ª Maratona Fotográfica – Cidade de Chapecó. O evento promovido pela Fundação Cultural e Escola de Artes, será realizado no domingo, dia 19.

De acordo com a Diretora da Escola de Artes, Neyla Caramori, a Maratona acontece das 9h às 21h, sendo 12 horas ininterruptas de fotografia, com um novo tema a ser fotografado a cada hora.

- O objetivo é fazer registros fotográficos da cidade de Chapecó sob vários olhares – destaca.

As inscrições devem ser feitas na Secretaria da Escola de Artes de Chapecó ao custo de R$ 30. Os inscritos receberão uma camiseta da Maratona.

Podem participar todos os interessados, independentemente de residir ou não em Chapecó. Os maratonistas menores de 14 anos deverão apresentar autorização dos pais ou responsáveis.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (49) 3322-3690.


Comente aqui
22 jul11:24

Museu Fritz Plaumann, em Seara, reúne a maior coleção de insetos da América Latina

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Sozinho, Fritz Plaumann, provocou uma pequena revolução. Ajudou a transformar Seara, município do Oeste de SC, na Terra das Borboletas. A coleção invejável tem 80 mil insetos — a maior da América Latina. No museu montado na casa construída em estilo alemão, 95% das espécies são da região do Alto Uruguai. Motivo suficiente para atrair curiosos de todos os cantos e despertar interesse de professores da Europa e professores japoneses.

Há 100 anos, nascia um homem que transformou Seara na Terra das Borboletas. Graças a Fritz Plaumann, milhares de alunos, professores da Europa, cientistas do Japão e também curiosos vão anualmente até o distrito de Nova Teutônia para ver o maior museu Entomológico da América Latina.

É até difícil acreditar que um único homem é o responsável por uma coleção de 80 mil insetos. Se ele coletasse apenas, identificasse e catalogasse um inseto por dia, levaria 219 anos para montar a coleção.

>> Confira a Galeria de fotos das borboletas

A missão foi ainda mais difícil: Plaumann começou tudo num ambiente inóspito, de mata virgem, que passou a ser desbravado no início do século 20. Isso sem apoio de órgãos governamentais ou centros de pesquisa. A rede elétrica só chegou em Nova Teutônia na década de 1970. O asfalto, só em março do ano passado.

O distrito onde está localizado o museu ainda guarda traços da arquitetura da colonização alemã. Ainda este em pé uma casa de 1925, construída um ano após a chegada da família Plaumann a Seara. Há ainda um antigo hotel que virou museu e guarda objetos das famílias de imigrantes. Lá, dá pra entender um pouco como era a realidade vivida pelo jovem cientista.

Cerca de 95% dos exemplares são do Alto Uruguai Catarinense. Ainda é fácil observar as borboletas que encantaram Fritz Plaumann fazendo voos imprevisíveis em volta do museu. Mas muitas espécies só podemser observadas dentro do casarão. Há mosaicos de cores e estampas que poderiam inspirar muitos estilistas.Há borboletas de dois centímetros a até 11 centímetros de envergadura.

Uma dos exemplares mais famosos é a Morpho anaxibia. O macho é todo azul mas a fêmea, para se tornar mais atraente, ganhou tons em preto e amarelo na borda das asas. Ela virou uma espécie de símbolo de Seara.

 

Símbolo espalhado por toda a cidade

Dentro do museu, ela parece imóvel e delicada. Mas ganhou o gigantismo e a robustez de concreto nas paradas de ônibus do município. Também transformou-se em metal nas placas indicativas das ruas. Há até lembrancinhas em crochê inspiradas no formoso inseto.

Tudo em Nova Teutônia lembra borboleta. Há esculturas em madeira, enfeites de plástico, adesivos e casulos. Até o túmulo de Fritz Plaumann, que fica próximo ao museu, tem uma borboleta em granito.

Os gregos acreditavam que, quando uma pessoa morria, seu espírito saía do corpo em forma de uma borboleta. Talvez por isso ela seja símbolo de renascimento. Assim foi com o trabalho de Fritz Plaumann. As borboletas sempre estiveram em Nova Teutônia. Mas se não fosse Fritz Plaumann, dificilmente as pessoas iriam até lá para vê-las.

Muito menos para observar besouros, percevejos, abelhas, vespas, formigas e até baratas. Plaumann reuniu um exército de insetos, de 17 mil espécies diferentes. Somente ele descobriu 1,5 mil espécies novas. E foi homenageado em 150 delas. Como o besouro Homelocerus plaumanni.

Plaumann deu a esses seres muitas vezes desprezados uma aura nobre, de ciência e até atração turística. Como homenagem, deu nome a um museu, a um parque ambiental em Concórdia e tem seu trabalho reconhecido mundialmente.

 


A guardiã das memórias

Uma senhora grisalha que gosta de servir café e biscoitos para as visitas é a guardiã de outra riqueza, tão atraente quantos os insetos no museu. Gisela Plaumann, filha adotiva do pesquisador, guarda tesouros: os materiais utilizados para montar o acervo de 80 mil espécies.

Gisela ainda mora na casa reformada e ampliada em 1954, quando Fritz Plaumann mudou-se para o local com a mulher Klara Anamaria Links. As paredes duplas de madeira em tom verde escuro com janelas vermelhas compõem um cenário com um quê europeu. Dá para imaginar Fritz Plaumann catalogando os insetos perto da janela e observando os morros cobertos de mato, que muitas vezes ficam encobertos pela neblina.

Nas inúmeras gavetas, há estoques de lâminas que nunca foram utilizadas. Há também linotipos com letras menores do que a cabeça de um alfinete, utilizados para catalogação.

Em armários de madeira maciça, estão as enciclopédias de entomologia, que serviram de base para a pesquisa. Em outro armário, que foi construído pelo próprio Plaumann, estão os químicos utilizados para deixar os animais incoscientes. Até o chapéu dele está pendurado na sala.

Gisela conta que, às vezes, acordava às 3h e preparava frango e outros alimentos para o lanche, nos dias de coleta. Depois, saía com o pesquisador e suas redes catar o insetos pela região, até voltar, no início da noite.

–Tem uma espécie de um besouro no museu que fui eu que encontrei!

 

Calor da chaminé ajudava a atrair os insetos

Com carinho, ela mostra os cômodos: calor da chaminé do fogão servia para secar os insetos; outra armadilha, com lâmpada, ajudava na coleta. Tem até um galpão construído para guardar tocos de madeira e atrair insetos para a pesquisa.

Gisela conta que trabalhou como empregada na casa de Fritz Plaumann em 1924, aos 21 anos. Com seus pais biológicos já falecidos, foi adotada como filha. Como o pesquisador não teve herdeiros, ela é quem cuida de tudo, como sempre cuidou. E sente-se realizada por ter dedicado sua vida ao pesquisador, que carinhosamente chama de pai.

 

Vida dedicada à ciência

A imagem de Fritz Plaumann na maioria das fotografias do museu entomológico, mostram um senhor de idade, com óculos e bigode. Falecido em 1994, Fritz Plaumann dedicou toda a sua vida ao estudo dos insetos.

De acordo com uma das guias do museu, Elfride Freyer, ele era um senhor calmo. Sua filha adotiva Gisela, lembra que quando ele ia a uma festa de aniversário, ficava pouco mais de uma hora e depois ia para casa.

Quando não coletava e catalogava os insetos, arrumava alguma coisa na casa ou no jardim. Ele fez alguns móveis, instalação elétrica e até na cozinha ajudava.

Tinha como hobby tocar violino e harmônio. Quando chegou em Seara, em 1924, começou a trabalhar como agricultor. A partir de 1925 deu início às suas pesquisas. Deu aulas de português e alemão, até montar um pequeno comércio. Todo o dinheiro era revertido para a compra de equipamentos para a sua pesquisa.

Esse teria sido um dos motivos para a separação de sua esposa Klara, que voltou para a Alemanha. Nos finais de semana viajava para fazer fotos das famílias da região, também para angariar recursos. Plaumann mostra um certo desgosto com a burocracia brasileira, pois chegou a ser impedido de coletar insetos sob alegação que estava dizimando a fauna.

A mágoa está revelada num trecho do livro Diário de Fritz Plaumann, organizado por Mary Bortolanza Spessatto: “…tudo isso que fiz foi para o proveito do nosso Brasil, que tornou-se a minha segunda pátria e realizou-se sem que fosse necessário gastar um único cruzeiro dos cofres públicos. Creio que no Brasil não se encontra outra pessoa que fez o mesmo por conta própria e de único punho.”

O interesse pelos insetos começou no primário, na cidade de Preussich Eylau, cidade da Prússia Oriental, na Alemanhã, onde nasceu em 2 de maio de 1902. Lá ele catava os besouros e perguntava o que era para seu professor. Somente ao final de sua vida, teve o trabalho reconhecido, recebendo diversas honrarias, como o Mérito Universitário da UFSC e a Grã-Cruz de Mérito da Alemanha.

 

Como chegar

— Saíndo de Chapecó, ir pela SC-283 em direção à Seara, percorrendo cerca de 35 quilômetros até o trevo de acesso a Nova Teutônia, antes de chegar na cidade.

— Daí, são mais 10 quilômetros em estrada pavimentada até o museu. Quem vem do litoral pode ir até Xanxerê e pegar a SC-466, que passa por Xavantina, até a SC-283. Vira à direita e vai até o trevo de acesso à Nova Teutônia.

— Outra opção é ir por Concórdia, pegar a SC-283, passar a cidade de Seara e ir até o trevo de acesso de Nova Teutônia.

 

Horários de visita

— Segunda à quinta-feira, das 8h30min às 17h

— Sábado, das 9h às 16h

— Ingresso: R$ 3 (adulto) e R$ 2 (estudantes até o ensino fundamental)

— Telefone: (49) 3452-1191, Ramal 214

 

DIÁRIO CATARINENSE

1 comentário
01 jun14:55

Chapecó é destaque em Conferência Mundial

Os projetos sociais desenvolvidos em Chapecó destinados aos idosos são destaque na 11ª Conferência Global sobre o Envelhecimento, realizada em Praga – República Tcheca. O evento iniciou na segunda-feira, dia 28 e encerra nesta sexta-feira, dia 1º.

A apresentação dos projetos de Chapecó, tendo como carro-chefe a Cidade do Idoso, foi feita pela Primeira Dama e Presidente de Honra da Fundação de Ação Social de Chapecó, Neyla Caramori. Segundo Neyla, os exemplos de Chapecó ganharam grande repercussão no evento.

- Apresentamos uma experiência inovadora em relação ao que existe nos outros países, especialmente na Europa onde não há este foco no trabalho preventivo que visa a qualidade de vida. Depois da apresentação, nosso exemplo foi citado positivamente em vários debates – disse.

De acordo com a Presidente de Honra da FASC, está foi a primeira vez que o Brasil esteve representado no evento. – A escolha dos representantes de Santa Catarina partiu da Assembleia Legislativa. Além do exemplo de Chapecó, foi apresentada também uma ação de Palhoça. A ideia agora é inserir permanentemente o Brasil nesta agenda – explicou.

A Conferência Global tem como objetivo discutir as políticas e práticas para um envelhecimento saudável e conscientizar sobre a importância de ações voltadas aos idosos. A apresentação destacou também iniciativas como o Projeto SUPERidade, a Universidade da Melhor Idade (UMIC), os Grupos de Convivência nos bairros, centro e interior do município e a excelência da Cidade do Idoso.


Comente aqui
29 mai16:21

São Lourenço do Oeste é uma Cidade Digital

Entrou no ar nessa segunda-feira, dia 28 de maio, mais uma importante ferramenta à disposição dos usuários, no site oficial do Governo Municipal.

Agora, o cidadão poderá acessar o link “Cidade Digital” e esclarecer as dúvidas sobre esse programa que coloca São Lourenço do Oeste, em destaque nacional sendo um dos poucos municípios do Brasil, em que o Governo Municipal garante a internet pública, gratuita e de qualidade para toda a população.

O Programa Cidade Digital foi criado e é mantido com recursos próprios do município. Nele já foram investidos mais de R$ 1 milhão em equipamentos que vão garantir a utilização deste serviço.

O programa Cidade Digital está liberado para três modalidades: Escola Digital, Empresa Digital e Cidadão Digital.


Comente aqui
24 mai14:55

Cidade do Idoso de Chapecó será exemplo em Conferência Global

As ações realizadas em Chapecó referentes à atenção ao idoso vão receber notoriedade internacional. O trabalho desenvolvido no município será apresentado na 11ª Conferência Global sobre o Envelhecimento, que acontece entre os dias 28 maio e 1º de junho em Praga, na República Tcheca. A apresentação será feita pela Primeira Dama de Chapecó e Presidente de Honra da Fundação de Ação Social de Chapecó, Neyla Caramori.

De acordo com a Primeira Dama, a escolha dos representantes de Santa Catarina partiu da Assembleia Legislativa. Além do exemplo de Chapecó, será apresentada também uma ação de Palhoça.

- É muito gratificante representar Santa Catarina em um evento internacional que trata sobre envelhecimento saudável e atenção com as pessoas da terceira idade – destaca Neyla.

O foco da apresentação serão as iniciativas de sucesso como o Projeto SUPERidade, a Universidade da Melhor Idade (UMIC), os Grupos de Convivência nos bairros, centro e interior do município e a excelência da Cidade do Idoso.


Terceira Idade

Conforme a Diretora Presidente da FASC, Belenite Frozza, atualmente são atendidos quase cinco mil idosos nos programas desenvolvidos pela Administração Municipal.

- O resultado desse investimento, além de garantir a satisfação dos idosos, agora será mostrado na Conferência Global para ser replicado em outros países – afirma.

A Conferência Global tem como objetivo discutir as políticas e práticas para um envelhecimento saudável e conscientizar sobre a importância de ações voltadas aos idosos.


Comente aqui
17 mai09:28

“Chapecó Cidade Limpa”

Vinte e um terrenos baldios limpos e roçados e 48 na lista de espera. Este é o primeiro balanço divulgado pela Secretaria de Serviços Urbanos de Chapecó depois da assinatura do contrato, em março, com a empresa Dacko Brasil Florestal Ltda – ME, responsável pela execução desses serviços.

A Prefeitura terceirizou essa tarefa para agilizar a limpeza de terrenos baldios no Município. A ação integra o “Programa Chapecó Cidade Limpa” e envolve as secretarias de Planejamento e de Serviços Urbanos. Contratada através de concorrência pública, a Dacko fará os serviços de limpeza de terrenos baldios e remoção de materiais.

Legislação específica (nº 5994, de 27 de abril de 2011) autoriza o Poder Executivo a executar o serviço quando o proprietário não o faz. Antes disso, a Prefeitura esgotará todas as possibilidades legais de notificá-lo. Nemésio Carlos da Silva, secretário de Planejamento, explica que os proprietários de imóveis baldios são obrigados a mantê-los roçados e limpos permanentemente.

- Depositar lixo e entulho não é permitido. Constatada pela Fiscalização de Obras e Posturas do Município a necessidade de limpeza ou roçada, o proprietário receberá intimação para que realize o serviço no prazo de 10 dias contados da data do recebimento da respectiva notificação – disse Nemésio.

Caso não venha a ser encontrado, o aviso seguirá por outros dois caminhos: Correios, no endereço do Cadastro Imobiliário Municipal, com Aviso de Recebimento (AR); ainda assim, caso não seja localizado, por Edital, publicado uma única vez no Órgão Oficial do Município. Nas duas situações terá o prazo de 10 dias para roçar e limpar o imóvel após receber o documento. Notificado, estará obrigado a informar à Gerência de Fiscalização de Obras e Posturas sobre realização do serviço.

- Serviços de roçada e limpeza eram executados pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos com a respectiva cobrança por metro quadrado mais aplicação de multas, previstas em Lei. A tarefa de roçada e limpeza, agora, será da empresa contratada, liberando servidores para outras funções – explica a secretária Margarete Zanini Farezin.

O volume de serviços será de cerca de 50 terrenos/mês e o Município pagará R$ 0,40 por metro quadrado conforme o contrato nº 119/2012, assinado pelo prefeito José Caramori em 19 de março.


Comente aqui
01 mai15:15

Projeto Cidade Digital em Formosa do Sul

A secretaria de Agricultura de Formosa do Sul está organizando o grupo de agricultores, que irá colaborar com a implantação do projeto Cidade Digital. Este projeto vai levar internet e telefone para todo o território do município.

Várias torres serão instaladas em pontos estratégicos do interior, para garantir a total cobertura do sinal. Para isso, um grupo de agricultores foi até Quilombo e encaminhou a documentação necessária para ceder as pequenas áreas de terá onde serão fixadas as antenas.

Segundo explica o secretário de Agricultura, Rinaldo Segalin, técnicos escolheram as propriedades para distribuição das antenas de acordo com a localização de cada uma.

O projeto Cidade Digital será executado por vários municípios do Consórcio Velho Coronel.


Comente aqui
23 mar15:35

Mutirão de Combate a Dengue em Chapecó

A Secretaria de Saúde em parceria com alunos de Biologia e Farmácia da Unochapecó, realizam na manhã deste sábado, dia 24 em Chapecó,um Mutirão de Combate a Dengue em diversos locais do município. A ação será concentrada nos bairros Presidente Médice, Maria Goretti, Centro e Jardim Itália.

Serão realizadas visitas domiciliares, orientação, eliminação e tratamento de criadouros. O clima do verão aliando calor e chuva, o acumulo de lixo em terrenos, casas e os entulhos, aliado a falta de cuidados das pessoas tem contribuído para o aparecimento de focos do mosquito Aedes Aegypti no município de Chapecó.


A dengue

De acordo com o Ministério da Saúde, a dengue é uma doença infecciosa febril aguda, transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. Os sintomas da dengue são febre alta durante vários dias seguidos, muitas vezes acima de 40º; dores de cabeça, nos olhos, músculos e juntas; manchas avermelhadas por todo corpo e, em alguns casos, sangramento da gengiva e do nariz; falta de apetite, ânimo e muita fraqueza. Se a pessoa apresentar algum desses sintomas deve procurar orientação médica.


Números em Chapecó

- Em 2008 foram 175 focos. Em 2009 foram 90. Em 2010 foram 232 e em 2011 foram 155 focos do mosquito.

- 35% das visitas não são concluídas porque as pessoas não estão nas suas residências.

- Em 2012, 60% dos focos estão associados com resíduos, especialmente ao lixo. 37% estão no comércio e 5% em pontos estratégicos.


Diversos programas de combate à dengue são realizados no município pela prefeitura desde 2008:

- Agentes Mirins contra a Dengue – são 215 agentes de 8 a 12 anos de escolas municipais e particulares. São cerca de 40 mil famílias atingidas por essa ação.

- Parcerias com igrejas, escolas, empresas e associações para a conscientização das pessoas.

-  Mutirões e campanhas permanentes.

-  Campanhas publicitárias.

-  Hoje são 45 agentes de combate a endemias e 13 novos agentes foram chamados e estão em processo de contratação.

-  Inauguração do novo Ecoponto no bairro Presidente Médici. Atende 217 empresas ligadas ao ramo de pneus. Em 2011 o espaço recebeu 36 mil pneus.


2 comentários
13 fev12:02

Chapecó em estado de alerta contra dengue

O clima de verão, com calor e chuva, aliado ao acúmulo de lixo e entulhos em terrenos e casas, mais a falta de conscientização de muitas pessoas, tem contribuído para o aparecimento de focos do mosquito Aedes aegypti, o transmissor da dengue. Em 2011 em Chapecó foram registrados 155 focos do mosquito. Até o dia 10 de fevereiro deste ano, foram 41 focos.

Jeane Mohr, secretária interina da saúde, José Caramori, prefeito de Chapecó e Max Zuffo, promotor do MP, durante coletiva na manhã da segunda-feira, dia 13.

De acordo com a Secretaria de Saúde a situação é preocupante. Apesar do trabalho das Agentes de Combate a Endemias e das campanhas educativas realizadas pela Administração Municipal desde 2008, a população não está contribuindo para a redução nos números de focos do mosquito.

- Em 2012 a situação está ainda mais complicada, pois no ano passado os focos eram encontrados em alguns bairros da cidade. Neste ano foram encontrados em todas as regiões da cidade, inclusive do mosquito adulto – ressalta a Secretária Interina Jeane Mohr.

A intenção da Prefeitura é mobilizar e conscientizar a comunidade sobre a importância da prevenção, alertando para os riscos que a dengue pode ocasionar.

– Temos a preocupação de manter a nossa cidade como uma área livre da dengue. Para isso desenvolvemos diversos programas de combate – disse o Prefeito José Caramori.

Em Chapecó foi implantado um novo Ecoponto de recolhimento de pneus e contratados novos agentes de saúde para a realização de visitas de monitoramento constantes às residências e estabelecimentos comerciais.


Números

• Neste ano de 2012 já foram encontrados 41 focos, 30 somente na última semana. Em 2011, neste mesmo período eram 42 focos.

• Em 2008 foram 175 focos. Em 2009, 90; 2010, 232; e em 2011, 155 focos.

• 35% das visitas não são concluídas porque as pessoas não estão nas suas residências.

• Em 2012, 60% dos focos estão associados com resíduos, especialmente o lixo. 37% estão no comércio e 5% em pontos estratégicos.

• Na última semana foram encontrados 6 focos no bairro Santa Luzia, também associados com resíduos, especialmente o lixo.

• Notificações até hoje: 18 empresas notificadas por pelo menos 3 vezes.

• Diversos programas de combate à dengue são realizados no município pela Prefeitura desde 2008, dentre eles:

1. Agentes Mirins contra a Dengue – Hoje são 215 agentes de 8 a 12 anos de escolas municipais e particulares. 40 mil famílias já foram atendidas pelos agentes.

2. Parcerias com igrejas, escolas, empresas e associações para a conscientização das pessoas.

3. Mutirões e companhas permanentes.

4. Companha publicitária duas vezes ao ano, de conscientização, desde 2008

5. Hoje são 45 agentes de combate a endemias e 13 novos agentes chamados e em processo de contratação.

6. Inauguração novo Ecoponto no bairro Presidente Médici. Atende 217 empresas ligadas ao ramo de pneus. Em 2011 recebeu 36 mil pneus e em janeiro de 2012, 4 mil.


A dengue

De acordo com o Ministério da Saúde, a dengue é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. Os sintomas da dengue são febre alta durante vários dias seguidos, muitas vezes acima de 40º; dores de cabeça, nos olhos, músculos e juntas; manchas avermelhadas por todo corpo e, em alguns casos, sangramento da gengiva e do nariz; falta de apetite, ânimo e muita fraqueza. Se a pessoa apresentar algum desses sintomas deve procurar orientação médica.


Evite a Dengue

Para evitar o mosquito transmissor da dengue é preciso manter a caixa d´água bem fechada; guardar garrafas vazias sempre de boca para baixo e em local coberto; não armazenar pneus em casa ao ar livre; não deixar água acumulada; encher de areia até a borda os pratos dos vasos de flores, etc.


1 comentário