Ciências

31 ago17:15

Escola estadual de Chapecó sediou Feira de Ciências e Tecnologia

Estudantes de 11 escolas estaduais participaram nesta sexta-feira, (31), no ginásio de esportes da escola estadual Tancredo Neves, em Chapecó, da quarta edição da Feira Regional de Ciências e Tecnologia. A promoção foi da Gerência Regional de Educação da SDR Chapecó, em parceria com escolas dos nove municípios de abrangência da secretaria regional. Três trabalhos serão escolhidos para representar a Gered na Feira Estadual, que ocorrerá em Lages de 17 a 19 de outubro.

Os estudantes usaram toda a criatividade para apresentar soluções para o meio ambiente. Da escola estadual Valesca Parizotto, de Chapecó, saiu o projeto de reciclagem de óleo de cozinha.

-No início do projeto fizemos a coleta do material. Os estudantes traziam de casa e pudemos transformar o material em barras de sabão – disse o jovem Lucas Chaves, de 15 anos, acompanhado da colega Daili dos Santos, de 13 anos, que também apresentou o trabalho aos visitantes.

Os alunos da escola estadual Rudolfo Luzina, de Nova Erechim, montaram um trabalho juntamente com o professor de física, Evandro Cunha, para automatizar e facilitar o trabalho dos criadores de frango. Através de um programa de computador o trabalho braçal foi informatizado.

- O agricultor pode aquecer o aviário, manter a temperatura, subir as cortinas. É levar a tecnologia para o campo – disse o estudante Allan Kornell.

Com um trabalho artesanal os alunos da escola estadual Tancredo Neves mostraram como é possível gerar energia através do sol e do vento. Com uma maquete gigante, eles utilizaram um ventilador para simular uma torre aeólica.

- O vento faz girar a turbina que fornece energia para esta mini cidade – disse a estudante Andreza Partichelli.

A colega Patrícia Oliveira, do mesmo grupo, também explicava aos visitantes a importância destes tipos de energia. O ginásio da escola ficou tomado de maquetes e experimentos. Alunos da APAE também desenvolveram um trabalho relacionados a fontes de energia.

Alunos da Escola Estadual Luiza Santin, de Chapecó, montaram um sistema de automação em uma maquete, que possibilitava mudar a tabela do basquete ou a posição das arquibancadas de um ginásio de esportes com apenas dois comandos eletrônicos. Da EEB Lígia Remus, da comunidade de Alto da Serra em Chapecó, veio o projeto “Fazendo a nossa parte”, onde os alunos realizavam a reciclagem do papel durante a exposição. Participaram da feira regional, estudantes da partir do 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio.

- O que nos chamou a atenção foi a criatividade dos alunos e a qualidade dos trabalhos. O que eles desenvolveram em sala de aula com os professores está sendo muito bem apresentado na feira regional – elogiou a gerente regional de educação Ana Vedana.


Comente aqui
16 ago15:29

Tudo pronto para a 5ª Feira Regional de Ciências e Tecnologia

O município de Anchieta sedia nesta quinta, 16, e sexta-feira, 17, a 5ª Edição da Feira Regional de Ciências e Tecnologia. A atividade é promovida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Dionísio Cerqueira, por meio da gerência de Educação (Gered) e acontece na sede da escola de Educação Básica Osni Paulino da Silva (POPS).

De acordo com a integradora de Ensino Médio da SDR Dionísio Cerqueira, Simone Niedermaier, a atividade tem por objetivo proporcionar aos professores e alunos a cultura das Feiras de Ciências, incentivar a construção de atividades de iniciação científica frente à pesquisa inovadora nos diversos campos do conhecimento na educação básica, visando saberes científicos e tecnológicos. Os projetos serão avaliados por profissionais de diversas áreas da região.

- A Feira de Ciências envolve alunos do Ensino Fundamental, do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) dos municípios de São José do Cedro, Princesa, Dionísio Cerqueira, Anchieta, Palma Sola e Guarujá do Sul. Estão envolvidos no projeto 13 escolas estaduais, 66 expositores e 22 trabalhos nas mais diversas áreas – pontua Simone.

Os classificados vão representar a SDR Dionísio Cerqueira na Feira Estadual de Ciências e Tecnologia, que será realizada em Lages no mês de outubro. Serão três trabalhos classificados: um na modalidade Ensino Fundamental; um de Ensino Médio Regular e um de Ensino Médio Técnico e Profissional (EMIEP).


Feira das Profissões

Paralelamente também acontece a I edição da Feira das Profissões, que objetiva levar ao conhecimento dos alunos e da comunidade em geral diferentes profissões. Participam alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e EJA.

De acordo com a gerente de Educação, professora Nilza Suffredini, a Feira das Profissões tem a perspectiva de criar nos jovens o significado e a importância de uma formação superior.

- Ela acontece nos mesmos moldes da Feira de Ciências e serão apresentadas pesquisas relacionadas a diversas profissões. Os trabalhos foram realizados pelos alunos e professores. Também serão realizados testes vocacionais para alunos do Ensino Médio que estão as vésperas de prestar vestibular e ingressando no mercado de trabalho – disse Nilza.

As profissões que cada escola vai explanar com os alunos foram elencadas pela gerência de Educação da SDR. Foi realizado sorteio para saber qual escola falaria de determinada profissão. Serão abordados aspectos da arquitetura, odontologia, geologia, engenharia química, técnico em eletrônica, direito, jornalismo, entre outros. No total, serão apresentadas 24 profissões com 66 participantes/expositores.


Comente aqui
16 ago14:41

Sustentabilidade foi tema de Feira de Ciências e Tecnologia em escola de Chapecó

A escola estadual Tancredo Neves de Chapecó, realizou nesta semana, a Feira de Ciências e Tecnologia. O evento contou com a participação dos alunos das cinco turmas de 1ª série de Ensino Médio Integral; três turmas de 2ª série; 01 turma de 3ª série do Ensino Médio Regular; seis turmas de 7ª série; cinco turmas de 8ª série e duas turmas de Correção de Fluxo, do Ensino Fundamental. Esta foi a segunda feira realizada na escola neste ano. No primeiro semestre houve a feira do conhecimento, aberta à comunidade.

Nesta feira os trabalhos tiveram como tema central a “sustentabilidade. O assunto foi desenvolvido em todas as disciplinas com objetivo de demonstrar a produção de energia em todas as suas formas. Os trabalhos práticos e criativos foram julgados por convidados da rede municipal de ensino e da Gered. Além do conhecimento obtido nestes trabalhos, os alunos repassam as informações às pessoas que visitam a unidade escolar, o que lhe proporciona a capacidade de interagir com as pessoas. Afinal, os trabalhos são o resultado do que os estudantes aprenderam nos conteúdos.

Após a exposição foram premiados os trabalhos: Casa Sustentável, na categoria Ensino Fundamental, elaborado pelos alunos da 8ª série e Correção de Fluxo; e o trabalho Produção de Energia, elaborado pelos alunos da 2ª e 3ª séries na categoria Ensino Médio.

- A criatividade, o conhecimento despertado, o entusiasmo dos alunos fez com que a Escola como um todo se mobilizasse e participasse ativamente. Vimos também a alegria e orgulho dos pais com o trabalho dos filhos – comemorou a assessora Elisabete Dal Piva.

A escola estadual Tancredo Neves, fica localizada no Bairro Efapi, em Chapecó, possui 37 turmas e cerca de 1,2 mil alunos.


Comente aqui
04 nov17:21

Agrotóxicos e diversidade da fauna são temas de estudo em mestrado de Ciências Ambientais

O mestrado em Ciências Ambientais ministrado pela Unochapecó, entre outras pesquisas que são conduzidas, realiza estudos sobre dois temas diretamente relacionados ao meio rural. Um deles trata da situação dos resíduos de agrotóxicos em cursos d´água e a fauna aquática na bacia hidrográfica do rio Chapecó. Outro, analisa a diversidade e conservação da fauna.

A pesquisa sobre o uso de agrotóxicos, a cargo das professores Elaine Lucas Gonsales, Eliara Solange Muller e Gilza de Souza Franco e do professor Jacir Dal Magro, trata dos impactos negativos na qualidade da água, no solo e nos seres vivos como “um grave problema ambiental e social”. Sua finalidade está em avaliar a presença de agrotóxicos na água, sedimento e grupos da fauna aquática e semi aquática na bacia hidrográfica do rio Chapecó.

Amostras serão coletadas, a partir de janeiro, em 10 sítios amostrais em áreas de cultivo agrícola na região. – Os resultados poderão servir como subsídio para a criação de estratégias tecnológicas e adoção de alternativas agrícolas regionais mais sustentáveis, que amenizem os impactos nos ecossistemas naturais, tendo em vista que a adoção de melhores práticas é fundamental para a conservação da biodiversidade – indicam os pesquisadores.


Fauna e diversidade

Outro projeto do mestrado em Ciências Ambientais, que tem inscrições abertas até 10 de novembro (www.unochapeco.edu.br/cienciasambientais), enfoca a diversidade e conservação de fauna, com foco no Planalto de Santa Catarina. Como o Estado carece de informações básicas sobre a biodiversidade que abriga, objetiva subsidiar estratégias e ações de conservação e manejo da diversidade biológica. Para tanto, pretende identificar áreas com potencial importância para a conservação da fauna, levantar informações sobre grupos da fauna bioindicadores em algumas áreas e investigar as principais ameaças à conservação nas áreas.

O estudo será realizado em remanescentes de vegetação natural na região do Planalto. Primeiramente, serão identificados remanescentes com potencial importância para a conservação da fauna no planalto, por meio de imagens aéreas, e posteriormente serão realizadas amostragens de grupos da fauna considerados bioindicadores em quatro áreas.

Além da identificação de áreas importantes para a conservação da fauna na região, o conhecimento sobre a diversidade de macroinvertebrados aquáticos, anfíbios e aves ocorrentes será ampliado, bem como o conhecimento sobre as ameaças à sua conservação. Os resultados também poderão auxiliar os órgãos tomadores de decisões na definição de políticas públicas e ações prioritárias para a conservação e manejo da diversidade biológica, além de fomentar e identificar demandas para programas de educação ambiental desenvolvidos nas escolas e outros espaços de educação informal. O estudo, conforme os pesquisadores, pode contribuir com o aumento no interesse e na sensibilização das comunidades sobre os valores e a importância da conservação da biodiversidade.

Para fundamentar a pesquisa, já foram realizadas amostragens de campo em três locais, uma delas na remanescente de floresta ombrófila mista no município de Vargem Bonita, no Meio-oeste Catarinense. As outras ocorreram no Parque Estadual Fritz Plaumann, no município de Concórdia, única unidade de conservação de floresta estacional decidual em Santa Catarina, e em área remanescente de floresta ombrófila mista no município de Palma Sola.


Comente aqui