Consumidor

29 ago11:20

Código de Defesa do Consumidor é tema de workshop na CDL Chapecó

Como proceder quando há arrependimento na aquisição de determinado produto? Qual o prazo para devolução da mercadoria? A loja é obrigada a trocar itens vendidos? Para esclarecer essas e outras dúvidas a Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) promove nesta quarta-feira, 29, às 19h30, no auditório da entidade o workshop “Danos morais e Código de Defesa do Consumidor”, com o advogado Rodrigo Titericz.

De acordo com o presidente da CDL Chapecó, Gilberto João Badalotti, no workshop serão apresentadas situações rotineiras que podem comprometer as relações comerciais e gerar problemas jurídicos.

- As lojas devem deixar bem claro os procedimentos adotados, bem como o cidadão precisa conhecer seus direitos e deveres – complementa Badalotti.

O palestrante do workshop abordará as mais diversas questões ligadas à relação consumidor e lojista, fazendo a leitura sob o enfoque das decisões mais recentes dos tribunais pátrios.

O ingresso para associado custa R$ 5 e para não associados R$ 10. Mais informações pelo telefone 49 3319-4300 ou pelo e-mail eventos@cdlchapeco.com.br


Palestrante

Rodrigo Titericz é advogado e sócio da Titericz e Silva Advogados/Campos Advocacia Empresarial. Atua com ênfase em defesa de ações de dano moral, sendo ainda assessor jurídico do SPC e de grupos de discussão jurídica em nível nacional sobre bancos de dados de proteção de crédito.


Comente aqui
22 mai10:49

Puxado pelos serviços bancários, IPCA-15 tem alta de 0,51% em maio

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,51% em maio, após subir 0,43% em abril. O resultado, divulgado nesta segunda-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo AE Projeções, que esperavam inflação entre 0,45% e 0,63%, com mediana de 0,56%. Com o resultado anunciado nesta segunda-feira, o IPCA-15 tem taxa acumulada de 2,39% no ano e de 5,05% em 12 meses, até maio.

Tarifas de bancos tiveram alta de 1,66%, um dos destaques no índice de 0,51%. No IPCA fechado de abril, os serviços bancários já tinham subido 1,42%, contribuindo para a alta de 2,23% no grupo Despesas Pessoais no período. Em maio, o grupo Despesas Pessoais teve alta de 1,32%, a maior dentre o grupo que compõem o índice.

Além dos serviços bancários, do cigarro, dos remédios e do feijão carioca, destacaram-se também na inflação medida em maio pelo IPCA-15 os artigos de vestuário (0,97%), seguro de veículos (1,66%), telefonia celular (1,58%), mão de obra para pequenos reparos (1,51%), táxi (1,29%), taxa de água e esgoto (1,16%), gás de botijão (1,01%) e artigos de limpeza (0,99%).


AGÊNCIA ESTADO

Comente aqui
12 mar15:42

Seminário do Consumidor em Chapecó

“O direito do consumidor” e “Paradigmas e conceitos do novo varejo” serão temas de debate, durante o Seminário do Consumidor, nesta terça-feira, dia 13, às 19 horas, na Cantina do Cesec, em Chapecó. O evento reunirá os lojistas que fazem parte do Projeto de Revitalização dos Espaços Comerciais – desenvolvido pelo Sebrae e Fecomércio, coordenado pelo Sindicato do Comércio Varejista de Chapecó (SICOM), com a parceria da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Secretaria de Desenvolvimento Econômico do município e apoio da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC).

A primeira palestra “O direito do consumidor” será ministrada pelo advogado Rodrigo Titericz. O workshop apresentará o CDC na visão do judiciário. “A abordagem mostrará diversas questões envolvidas com a relação consumidor e lojista e faz uma leitura sob o enfoque das decisões mais recentes dos Tribunais Pátrios”, ressalta Titericz.

O palestrante é sócio da Titericz e Silva Advogados/Campos Advocacia Empresarial, atua com ênfase em ações de defesa de dano moral, é assessor jurídico do SPC e de grupos de discussão jurídica sobre bancos de dados de proteção de crédito.

A segunda palestra “Paradigmas e conceitos do novo varejo” será ministrada pela coordenadora de marketing e comunicação do Senac/SC, Valdirene Rosina Teixeira.

A apresentação terá foco nas alterações do varejo mundial e no impacto nas demais economias globais. “O varejo brasileiro precisa se adaptar às novas tendências e quebrar paradigmas que, até hoje, impactam a forma de trabalho no segmento. Também discutiremos as tendências que nortearão o cenário varejista mundial”, salienta.

Responsável técnica pela missão internacional do Senac varejo, a palestrante é formada em Economia pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), é pós-graduada em Competitividade e Estratégias Empresariais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e em Gestão Educacional pelo Senac. Possui experiência na área comercial e de marketing em empresas de pequeno e médio porte.


Projeto de Revitalização dos Espaços Comerciais

Direcionado às lojas de variados segmentos do comércio varejista de rua e prestadores de serviços, o projeto consiste na revitalização do ambiente externo, identidade visual, iluminação e ornamentação, legislações, consultorias e cursos para os empresários, entre outros.

Em Chapecó, o programa está em fase adiantada em termos de planejamento e adesão das empresas. Participam do projeto lojistas da Avenida Getúlio Vargas, Nereu Ramos, Fernando Machado, Marechal Deodoro e Marechal Bormann.


Comente aqui
15 out10:14

Gasto médio do consumidor chapecoense supera expectativas no Dia das Crianças

Pesquisa divulgada pela Federação do Comércio de Santa Catarina (Fecomércio) confirma que o gasto médio do consumidor chapecoense foi 113%, maior do que o esperado no Dia das Crianças, assinalado no último dia 12 de outubro.

No mês de setembro, a Fecomércio realizou pesquisa de intenção de compras com os consumidores chapecoenses para levantar dados relativos à intenção de compras para o Dia das Crianças. Como de costume, após a data a Fecomércio realiza nova pesquisa para confirmar os dados, que são divulgados pelo Sindicato do Comércio da Região de Chapecó.

Outro dado apontado pela pesquisa foi o valor do gasto médio do chapecoense. Segundo a pesquisa de intenção de compras seria de R$ 96,91. Porém, confirmado pela pesquisa de resultado, o volume foi bastante superior, R$ 206,47. Em Chapecó 39% das vendas foram realizadas à vista, 3% a vista no cartão de débito e 10% à vista no cartão de crédito. A pesquisa mostra ainda que o setor de eletrônicos é o que mais impulsionou o volume de vendas. Neste segmento, o ticket médio alcançou a marca dos R$ 488,07.

Conforme a Divisão de Pesquisa e Estatística do Sicom, o resultado pode ser explicado pelo aumento do fluxo de pessoas vindas de municípios vizinhos em função da feira multisetorial – Efapi e ainda pela inauguração do primeiro shopping na região, eventos esses ocorridos nos dias que antecederam o Dia das Crianças, ampliando por sua vez a circulação de pessoas no comércio local.


Comente aqui
14 out11:27

Inadimplência do consumidor tem primeira queda após seis altas seguidas

A inadimplência do consumidor caiu 3% em setembro na comparação com o mês anterior, segundo o levantamento divulgado hoje pela empresa de consultoria Serasa Experian. É a primeira queda mensal após seis altas consecutivas. Em relação a setembro do ano passado, no entanto, houve alta de 23,3%.

De acordo com os economistas da Serasa, a queda foi puxada por todas as modalidades analisadas. As dívidas não bancárias (de cartões de crédito e com financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviço) registraram queda de 3,3%.

Os cheques sem fundos caíram 10,3%, as dívidas com bancos recuaram 0,9% e os títulos protestados, 13,9%. No acumulado do ano, o valor médio das dívidas não bancárias caiu 14,8% em relação ao do mesmo período do ano passado. Já os títulos protestados, os cheques sem fundo e as dívidas com os bancos não honradas apresentaram alta de 14,9%, 7,9% e 0,6%, respectivamente.

Segundo os economistas da Serasa, os principais motivos que fizeram a inadimplência cair em setembro na comparação com agosto foram a antecipação do décimo terceiro salário dos salário aos aposentados, a redução dos juros e a menor quantidade de dias úteis no mês, além da maior facilidade de negociação com os credores.


AGÊNCIA BRASIL

Comente aqui