Consumo

11 set10:15

Estudo diz que tipo do copo influencia no consumo de cerveja

Se você quer começar uma dieta nesta semana, mas não consegue recusar aquele segundo copo de cerveja no jantar com as amigas, preste atenção neste estudo. De acordo com pesquisadores britânicos, o segredo para beber menos está no copo em que a cerveja é servida.

Segundo o estudo, publicado no jornal científico PLoS ONE, as pessoas tomam cerveja mais rápido e em maior quantidade quando o copo escolhido tem curvas. A tendência é de tomar 60% menos bebida em um copo reto.


Outras pesquisas


A pesquisa sobre copos de cerveja se junta a outras que mostram formas nada convencionais de comer ou beber menos. Outro estudo concluiu que o tamanho do prato influencia na quantidade de comida ingerida. De acordo com pesquisadores, colocar o almoço em um prato pequeno é uma excelente pedida. Servir-se em pratos grandes faz com que você sinta necessidade de preenchê-lo, mesmo que não esteja com fome para tanta comida colocada ali.


DONNA ZH



Comente aqui
21 jul10:30

Consumo de poucas calorias pode não ajudar na perda de peso

A dieta que apresenta melhor desempenho para o emagrecimento foi a de baixo consumo de carboidratos, mas alto nível de gorduras, conforme uma pesquisa divulgada em junho pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Muitas pessoas que perdem peso têm dificuldade em não recuperá-lo depois que a dieta acaba. Isso acontece, frequentemente, pela baixa motivação e comprometimento com a dieta e exercícios. Para piorar, o baixo consumo de calorias também torna mais difícil a queima das mesmas.

Portanto, uma equipe de pesquisadores coordenada pelos médicos Cara Ebbeling e David Ludwig avaliou os efeitos de diferentes dietas para a queima de calorias. A pesquisa foi feita com 21 adultos, entre 18 e 40 anos, que já haviam perdido peso inicialmente. Depois disso, três tipos diferentes de dieta foram aplicadas durante quatro semanas, respectivamente.

Os cardápios tinham o mesmo número calórico, mas variavam as proporções de carboidratos, gorduras e proteínas. A de baixa gordura era composta por 60% de carboidratos, 20% de gorduras e 20% de proteínas. A de baixo teor de açúcares previa a dieta de 40% de carboidratos, 40% de gorduras e 20% de proteínas. E a de nível muito baixo de carboidratos consumiria 10% de carboidratos, 60% de gorduras e 30% de proteínas.

A pesquisa apontou que os participantes queimaram o maior número de calorias durante a dieta que previa o consumo muito baixo de carboidratos. No entanto, notou-se também o aumento de fatores de risco para diabéticos e pessoas com risco cardíaco, além do aumento do cortisol, hormônio responsável pelo estresse. Já o baixo consumo de açúcares apresentou um resultado similar, porém sem comprometer a saúde.

— Além de não criar riscos para a saúde, a dieta de nível de açúcares é mais fácil de manter, já que não elimina grupos inteiros de alimentos — explica Cara.

BEM-ESTAR



Comente aqui
19 jun19:13

Consumo de sal aumenta no inverno

A tendência de maior consumo de sal nos dias mais frios, decorrente de refeições mais calóricas e condimentadas, pode afetar a saúde do sistema cardiovascular e, consequentemente, do rim. Embora os rins sejam órgãos fundamentais na eliminação do excesso de sódio ingerido, quando há comprometimento de suas funções a capacidade para filtrar e eliminar o excesso de sal fica limitada.

— No inverno, as pessoas consomem mais alimentos condimentados e calóricos e 75% do sódio que elas ingerem vêm dos alimentos processados e industrializados — afirma Daniel Rinaldi, presidente da SNB ( Sociedade Brasileira de Nefrologia).

O consumo excessivo de sal provoca a hipertensão, identificada como uma das principais desencadeadoras de doença renal crônica. O excesso de sal também aumenta os riscos da formação dos cálculos renais ou pedra nos rins.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo de sal não deve passar de cinco gramas diárias, mas no Brasil a média é de 12 gramas, mais que o dobro da quantidade recomendada. O governo federal assinou um termo de compromisso com as associações que representam os produtores de alimentos processados que estabelece um plano de redução gradual na quantidade de sódio presente nos alimentos industrializados.

— A meta é uma queda anual de 6,9% no consumo médio de sal — conta Rinaldi.


Recomendações da SBN para consumir menos sal:

- Leia o rótulo dos alimentos para verificar a quantidade de sódio. Os fabricantes são obrigados a informar, no rótulo do produto industrializado, o teor de sódio no alimento. Alguns alimentos processados concentram tanto sódio que uma única porção tem quantidade superior à recomendada para ingestão diária.

- Tire o saleiro da mesa. É recomendável salgar os alimentos na panela, durante o preparo, para ter controle da quantidade usada.

- Substitua o sal por condimentos e ervas. Há uma série de alimentos naturais que acentuam os sabores dos alimentos e podem substituir o sal, como salsinha, alecrim, orégano, pimenta-do-reino, louro, hortelã, páprica e outros.


VIDA E SAÚDE


Comente aqui
01 jun10:12

Consumo das famílias cresce 1,0% no primeiro trimestre

O consumo das famílias registrou alta de 1,0% no primeiro trimestre de 2012 ante o quarto trimestre de 2011, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado foi o melhor desde o último trimestre de 2010, quando houve alta de 1,9%. Na comparação com os três primeiros meses do ano passado, o consumo das famílias aumentou 2,5% no primeiro trimestre deste ano. O IBGE anunciou nesta sexta-feira os dados das Contas Nacionais Trimestrais.

O consumo do governo cresceu 1,5% no primeiro trimestre de 2012 ante o quarto trimestre de 2011. Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, a alta foi de 3,4%. Segundo o IBGE, a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) caiu 1,8% no primeiro trimestre deste ano em relação ao quarto trimestre do ano passado. Foi o pior resultado desde o primeiro trimestre de 2009, quando registrou queda de 12,8% ante o trimestre anterior. Na comparação com o primeiro trimestre de 2011, a FBCF recuou 2,1% no primeiro trimestre deste ano. A taxa de investimento (FBCF/PIB) no primeiro trimestre de 2012 ficou em 18,7%.


AGÊNCIA ESTADO



Comente aqui
28 mai12:19

Unidade da BRF em Concórdia faz transporte de água do Rio Rancho Grande

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

Desde a sexta-feira, dia 25 de maio, vinte carretas fazem o transporte de água para atender a unidade da Brasil Foods em Concórdia. Segundo o assessor de comunicação da BRF, Gilmar Monticelli, a água está sendo captada do Rio Rancho Grande e o transporte não tem prazo para terminar.

– Tudo vai depender das condições climáticas nos próximos dias – disse.

A unidade utiliza mais de 13 mil metros cúbicos de água e abate cerca de 280 mil frangos e 4 mil suínos por dia.

No estado, 147 municípios estão em situação de emergência devido a estiagem.


Comente aqui
06 mar15:22

Consumo das famílias teve menor taxa desde 2004, diz IBGE

O consumo das famílias cresceu 4,1% em 2011, no oitavo crescimento anual consecutivo. Apesar disso, houve uma redução no ritmo desse crescimento, que teve a menor taxa desde 2004 (3,8%). Em 2010, por exemplo, o consumo havido aumentado 6,9%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

— Há um crescimento de massa salarial de 4,8%. Você tem claramente políticas de renda que estão sustentando esse crescimento. No momento em que há uma queda da atividade econômica, você tem normalmente uma diminuição na renda e no consumo — disse o coordenador de Contas Nacionais do IBGE, Roberto Olinto.

O consumo do governo cresceu 1,9%, enquanto a formação bruta de capital fixo (investimento) teve uma expansão de 4,7%. No setor externo, as exportações aumentaram 4,5%, ao mesmo tempo em que as importações subiram 9,7%.

Segundo o IBGE, a demanda interna contribuiu com 3,4% para o crescimento de 2,7% do PIB em 2011, enquanto o setor externo teve uma influência negativa de 0,7%. Em 2010, quando o PIB cresceu 7,5%, a demanda interna respondeu por 10,3% e o setor externo, por uma contribuição negativa de 2,7%.

De acordo com dados divulgados hoje pelo IBGE, a taxa de investimento (investimento sobre o PIB) em 2011 chegou a 19,3% enquanto que a taxa de poupança ficou em 17,2%.


AGÊNCIA BRASIL


Comente aqui
19 out17:28

Exposição Objetos de Consumo

Foi aberta na noite da terça-feira, dia 18, a exposição “Objetos de Consumo”, do grupo SOS Terra, na Galeria Municipal de Arte Dalme Rauen. Fazem parte do grupo os artistas Enólia Maria Pereira, Eliane Fistarol, Ivandra Matiassi, Ingrid Antunes, Juceli Nardi, Mirian Tiecher Borges, Maria Salete Machado da Silva e Michele Marques.

De acordo com a Diretora Presidente da Fundação Cultural de Chapecó, Roselaine Vinhas, o coletivo SOS Terra – Arte em Ação, realiza a instalação “Objetos de Consumo” associando fotografias e assemblagens. O objetivo é tornar visível e questionável ao espectador uma das problemáticas mais preocupantes em relação ao meio ambiente: o volume de resíduos sólidos descartados diariamente, que tem em potencial a possibilidade de serem reutilizados, reaproveitados e reciclados.

- O trabalho da SOS Terra conclama a sociedade a refletir sobre o culto ao consumismo de objetos supérfluos, vazios de sentido e valor, para uma sociedade preocupada com o meio ambiente e o futuro da humanidade – disse Roselaine.

A exposição fica na Galeria até o dia 17 de novembro e pode ser visitada de segunda a sexta-feira das 13h às 19h. ‘Objetos de Consumo’ é mais uma das mostras previstas no calendário anual da Galeria Dalme Rauen, de acordo com edital específico.


Comente aqui
31 ago16:35

Apreendidas seis toneladas de alimentos impróprios para o consumo em Chapecó

Operação conjunta do Ministério Público de Santa Catarina, Polícia Militar, Cidasc, Conselho Regional de Medicina Veterinária, Vigilância Estadual e de Chapecó e Ministério da Agricultura resultou na apreensão de cerca de 6 toneladas de alimentos impróprios para o consumo. A ação, iniciada na terça-feira, 30, terminou nesta quarta-feira, em Chapecó.


De acordo com a Assessoria do MPSC, a operação tem como objetivo a proteção da saúde e do direito de informação dos consumidores. Além disso, a ação combate outros tipos de irregularidades, como fraudes às barreiras sanitárias e crimes contra a ordem tributária. As apreensões fazem parte do Programa de Proteção Jurídico Sanitária dos Consumidores de Produtos de Origem Animal, conduzido pelo MPSC.


Os produtos com prazo de validade vencido e sem indicação de procedência foram encontrados no mercado público, em quatro supermercados, duas casas de carne e dois restaurantes.  Os alimentos serão  incinerados.


A ação dirige-se a todos os envolvidos no processo,desde a produção, transporte, armazenamento e comercialização – mercados, abatedouros e açougues. Para o promotor de Justiça, Jackson Goldoni, a ação não visa prejudicar os pequenos produtores, do contrário, ainda preserva os interesses de todos aqueles que trabalham conforme as normas sanitárias.


2 comentários