Corrupção

10 out19:17

Polícia Federal investiga suspeita de compra de votos

A Polícia Federal está investigando a suspeita de compra de votos na eleição municipal de Ipuaçu. Na terça-feira policiais cumpriram mandados de busca e apreensão na Prefeitura, Centro de Referencia em Assistência Social e na casa do prefeito reeleito, Denilso Casal (PSD). Foram recolhidos computadores, agendas e documentos.

De acordo com o delegado da Polícia Federal de Chapecó, Oscar Biffi, há fortes indícios de que eleitores tenham vendido o voto em troca de cestas básicas, gasolina e materiais de construção. Casal foi reeleito com 52% dos votos válidos. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Ipuaçu informou que o prefeito não vai se pronunciar sobre o assunto.

Comente aqui
07 nov18:41

Universidade inicia campanha de combate à corrupção

A corrupção existe sob diversas formas e níveis. Entretanto, a mais polêmica é a que permeia a Administração Pública, ou seja, a corrupção no meio político, pois significa, muitas vezes, que os eleitos pela sociedade como seus representantes desviam verbas públicas para atender interesses particulares quando deveriam utilizar em benefício da população. Com base neste conceito, o curso de Direito da Unoesc Chapecó desenvolveu projeto para que os acadêmicos da 10ª fase atuem com alunos do Ensino Médio, orientando e discutindo sobre o tema. As atividades iniciam nesta terça-feira, 8, e encerram na sexta-feira, 11.

Essa iniciativa faz parte da disciplina de Direito Financeiro, sob a coordenação da professora Caren Machado, e será aplicado em seis turmas da escola Bom Pastor e do colégio Exponencial. Para trabalhar com os alunos, os acadêmicos estudaram as formas de corrupção, que abrangem o âmbito público e o privado, e também os mecanismos de combate ao problema.

- A intenção é relacionar a disciplina de Direito Financeiro com o exercício da cidadania e fortalecimento da democracia participativa. Queremos que os estudantes de Direito se comprometam em participar ativamente dessas campanhas e, desta forma, incentivem outros alunos a discutirem e combaterem a corrupção- explica Caren.

O tema no Brasil tem gerado muita polêmica, prova disso foi a “Marcha contra a corrupção”, realizada em Brasília no dia 7 de setembro, onde mais de 25 mil manifestantes participaram. Ainda, no dia 19 de setembro, voluntários de uma ONG pediram uma “faxina política” no Congresso Nacional e fincaram 594 vassouras pintadas de verde e amarelo na praia de Copacabana/RJ. As vassouras representavam os atuais 513 deputados federais e os 81 senadores.

- Através do projeto, os alunos trabalharão amplamente na elaboração textual, pesquisa, exposição oral e em trabalho em equipe, pois a divulgação e o debate são fundamentais para que a corrupção seja combatida de todas as formas – avalia a professora.

O diretor da Unoesc Chapecó, professor Eliandro Gustavo Bortoluzzi, destaca o papel da Universidade na defesa dos interesses da sociedade, principalmente na conscientização crítica de estudantes. – O Projeto atingirá de forma indireta professores, acadêmicos e funcionários da instituição, das escolas participantes e das famílias desses alunos. É uma forma de estender o debate e conscientizar a população para o combate a corrupção – disse.



Comente aqui
21 out17:33

TJ mantém sentença e homem terá que cumprir pena por corrupção ativa em São Miguel do Oeste

Claudiomir Pagno deve cumprir pena de dois anos de reclusão, em regime aberto, e 10 dias-multa por corrupção ativa, além de um ano e quatro meses de reclusão e 13 dias-multa, por injúria. A sentença da comarca de São Miguel do Oeste foi mantida pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

O homem ofereceu R$ 1 mil a um policial para impedir que seu amigo recebesse um termo circunstanciado. Ao receber voz de prisão, Claudiomir começou a ofender o policial.

Ao apelar, Claudiomir negou que tenha oferecido dinheiro, já que só tinha R$ 78 no bolso. Ele disse, ainda, que foi agredido pelo policial.

Claudiomir ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).


DIÁRIO CATARINENSE

Comente aqui