Dengue

17 ago12:17

Sábado haverá campanha de prevenção contra a dengue em Chapecó

Jana Hoffmann | janaina.hoffmann@diario.com.br

A situação da dengue em Chapecó está preocupante. Por isso, será realizada neste sábado, dia 18, uma campanha de prevenção junto à população do bairro Santo Antônio, uma das áreas com maior número de infestação do mosquito, na região. Segundo Junir Lutinski, coordenador do setor de Vigilância Ambiental do município, a situação atualmente é de 363 focos, registrados em 29 bairros.

— No comparativo com mesmo período do ano passado, a área infestada mais que dobrou — ressaltou Lutinski.

Pela manhã, das 8h às 11h45min, cerca de 45 pessoas, entre funcionários municipais e estudantes da Unochapecó, irão de casa em casa para fazer a inspeção, identificação de criadouros do transmissor Aedes Aegypti, a eliminação e o tratamento. Ao mesmo tempo, a comunidade também receberá orientações de como prevenir a doença.

Segundo Lutinski, alguns fatores contribuíram para a proliferação do mosquito: o clima quente e seco durante verão e inverno, a falta de cuidados essenciais durante o abastecimento da água e a falta de preocupação da própria população.

O coordenador alerta para o envolvimento de todos nessa campanha e lembra que, em caso de dúvidas, as pessoas podem entrar em contato pelo telefone (49) 3319-1407, diretamente com a Vigilância Ambiental de Chapecó, para que possam ser atendidos prontamente.

Comente aqui
30 jun08:00

Força Tarefa contra a Dengue em Chapecó

Será realizado em Chapecó neste sábado, dia 30, duas atividades de prevenção à saúde.

A primeira é uma Força Tarefa contra a Dengue, das 8 horas às 11h45. Serão realizadas visitas domiciliares, orientações e eliminação de criadouros nos bairros Santo Antônio, Cristo Rei, Parque das Palmeiras, Jardim América, Universitário, São Cristóvão, Centro, Efapi, Eldorado e Passo dos Fortes.

A segunda ação envolve a Secretaria de Saúde e a Unochapecó, direcionada para a prevenção de zoonoses em geral, entre elas: dengue; Febre Amarela; acidentes com aranhas, escorpiões, e lacraias; Leishmaniose; Filariose linfática; Acidentes com Lonomia; Leptospirose e Hantavirose; Raiva.

Essa atividade acontece na Praça Coronel Bertaso e terá a presença de mascotes, apresentação de vídeos e exposição de painéis para orientação à população.


Comente aqui
03 mai16:50

Detectados nove focos do mosquito da Dengue em Pinhalzinho

Em 15 dias de vistorias os agentes de endemia de Pinhalzinho encontraram nove focos do mosquito da Dengue na cidade. A informação é da secretaria municipal da Saúde de Pinhalzinho Luana Donde Strada.

Nesta quinta-feira a bióloga Deisi Angelini, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado de SC (DIVE) esteve no município para acompanhar os trabalhos da equipe de saúde do município.

- Vamos continuar monitorando os focos em Pinhalazinho – disse a secretaria.


Comente aqui
23 mar15:35

Mutirão de Combate a Dengue em Chapecó

A Secretaria de Saúde em parceria com alunos de Biologia e Farmácia da Unochapecó, realizam na manhã deste sábado, dia 24 em Chapecó,um Mutirão de Combate a Dengue em diversos locais do município. A ação será concentrada nos bairros Presidente Médice, Maria Goretti, Centro e Jardim Itália.

Serão realizadas visitas domiciliares, orientação, eliminação e tratamento de criadouros. O clima do verão aliando calor e chuva, o acumulo de lixo em terrenos, casas e os entulhos, aliado a falta de cuidados das pessoas tem contribuído para o aparecimento de focos do mosquito Aedes Aegypti no município de Chapecó.


A dengue

De acordo com o Ministério da Saúde, a dengue é uma doença infecciosa febril aguda, transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. Os sintomas da dengue são febre alta durante vários dias seguidos, muitas vezes acima de 40º; dores de cabeça, nos olhos, músculos e juntas; manchas avermelhadas por todo corpo e, em alguns casos, sangramento da gengiva e do nariz; falta de apetite, ânimo e muita fraqueza. Se a pessoa apresentar algum desses sintomas deve procurar orientação médica.


Números em Chapecó

- Em 2008 foram 175 focos. Em 2009 foram 90. Em 2010 foram 232 e em 2011 foram 155 focos do mosquito.

- 35% das visitas não são concluídas porque as pessoas não estão nas suas residências.

- Em 2012, 60% dos focos estão associados com resíduos, especialmente ao lixo. 37% estão no comércio e 5% em pontos estratégicos.


Diversos programas de combate à dengue são realizados no município pela prefeitura desde 2008:

- Agentes Mirins contra a Dengue – são 215 agentes de 8 a 12 anos de escolas municipais e particulares. São cerca de 40 mil famílias atingidas por essa ação.

- Parcerias com igrejas, escolas, empresas e associações para a conscientização das pessoas.

-  Mutirões e campanhas permanentes.

-  Campanhas publicitárias.

-  Hoje são 45 agentes de combate a endemias e 13 novos agentes foram chamados e estão em processo de contratação.

-  Inauguração do novo Ecoponto no bairro Presidente Médici. Atende 217 empresas ligadas ao ramo de pneus. Em 2011 o espaço recebeu 36 mil pneus.


2 comentários
22 mar11:50

Pneus são recolhidos em São Lourenço do Oeste

A Secretaria Municipal de Saúde e Vigilância Sanitária de São Lourenço do Oeste criaram um programa de recolhimento de pneus descartados. O objetivo maior é combater o mosquito da dengue e dar um destino correto aos pneus descartados no município.

Já foram recolhidos no município 37 pneus de caminhão, 244 pneus de carro, 21 pneus de moto, totalizando 307 pneus descartados. Os pneus descartados nos estabelecimentos comerciais estão sendo recolhidos pela prefeitura e serão destinados para o Ecoponto de Chapecó.

A Vigilância sanitária está intensificando campanhas de conscientização, para a população lourenciana dê o destino correto aos pneus velhos, entregando na borracharia mais próxima de suas residências. Além disso, o cuidado no quintal de casa e nas empresas precisa ser mantido, para que não haja aumento do número de focos nestes locais.


Comente aqui
19 mar07:58

Prefeitura de Chapecó intensifica campanha de conscientização contra a dengue

A Secretaria Municipal de Saúde, desenvolve em Chapecó uma intensa campanha de conscientização popular, para o combate aos focos de larva e mosquitos da dengue.

De acordo com o biólogo da Secretaria, Junir Lutinski, a melhor forma de combater o mosquito transmissor da dengue é a conscientização por parte de todos os moradores do município.

- A Prefeitura e a Secretaria de Saúde desenvolvem ações diárias para localizar e combater os focos, mas é preciso que toda a população faça sua parte, destruindo locais que podem se transformar em possíveis criadouros – explica.

Segundo levantamento da Secretaria os focos da larva e de mosquitos Aedes Aegypti já foram localizados em vários bairros de Chapecó, mas até o momento nenhum caso da doença foi confirmado.

- Temos agentes trabalhando em vários bairros, um exemplo é a região norte, onde aproximadamente 100 pessoas desenvolvem ações de combate aos focos e conscientizando a população – destaca.


Números

Conforme informações da Secretaria Municipal de Saúde, em 2011 foram registrados 155 focos em Chapecó. Neste ano, até dia 15 de março, já haviam sido localizados 164 focos.

- Estamos muito preocupados, porque em 75 dias, já superamos os números de 2011. Estamos trabalhando com muita determinação, mas notamos a necessidade de uma grande mobilização envolvendo toda a sociedade, para juntos extinguirmos locais que podem se tornar pontos de reprodução do mosquito – reforça Lutinski.


Comente aqui
12 mar15:35

São Miguel do Oeste na Luta contra a Dengue

A Dengue tem sido uma das maiores preocupações para a saúde da população Migueloestina, isso se explica devido ao fato de que janeiro à março deste ano, já foram registrados 32 focos da dengue, sendo 23 deles no Centro da cidade, outros três no Bairro Sagrado Coração de Jesus, dois no Bairro São Gotardo, um no Bairro Salete, um no Bairro Jardim Peperi, um no Bairro Agostini e um no Bairro Progresso. Em razão desses focos, a secretaria de Saúde tem intensificado as visitas nas residências. Nesta semana, um fato novo surgiu através de uma atitude pessoal para contribuir com esta causa em busca da prevenção do mosquito transmissor da dengue.

A secretaria de Saúde em parceria com a Constrounião vai disponibilizar areia a toda a população de São Miguel do Oeste para preenchimento dos vasos de flor que normalmente são atrativos para o surgimento do mosquito.

De acordo com a secretária de saúde, Beatriz Soares, essa é mais uma prevenção que esta sendo realizada em parceria para evitar mais casos do foco da dengue no município, – São atitudes como essa, que fazem toda a diferença. A areia estará disponível para toda a população, orientamos que cada pessoa traga uma vasilha para levar a areia até sua casa e realizar os procedimentos nos vasos de flores, prevenindo o acúmulo de água e consequentemente, o foco do mosquito – ressalta.

O gerente da Constrounião, Ronaldo Rothmann, acrescenta que a ideia é amenizar a situação da dengue no município realizando a prevenção em todos os bairros e centros.

A distribuição da areia, para toda a população, será na loja a partir do dia 15 de março.


Comente aqui
12 mar14:44

Secretaria da Saúde de Chapecó realizou Mutirão de Saúde

No sábado, dia 10, foi realizado em todos os Centros de Saúde da Família de Chapecó, um Mutirão de Saúde. Durante todo o dia foram realizados exames de Preventivo de Preventivo de Câncer Uterino, Mutirão de Preventivo de Saúde Bucal, e ainda, o Mutirão de Combate a Dengue.

De acordo com a secretária de Saúde de Chapecó, Jeane Carla Morh de Oliveira, durante os mutirões são atendidos cerca de 1500 pessoas. O objetivo dos mutirões realizados nos sábados é atender principalmente as pessoas que trabalham durante a semana e não conseguem realizar os exames nos horários de atendimentos dos Centros de Saúde dos bairros.

- São horários alternativos para que todos os chapecoenses tenham acesso aos serviços de saúde, pois trabalhamos com foco na prevenção das doenças e promoção da saúde – enfatizou.


Dengue

O clima do verão aliando calor e chuva, o acumulo de lixo em terrenos, casas e os entulhos, aliado a falta de cuidados das pessoas tem contribuído para o aparecimento de focos do mosquito Aedes Aegypti no município de Chapecó. No ano de 2011 foram registrados 155 focos do mosquito e em 2012, até o dia 09 de março já foram registrados 130 focos.

Também no sábado, dia 10, iniciou em Chapecó uma Força Tarefa contra a dengue. As Agentes Comunitárias de Saúde, as Agentes de Combate a Endemias e inúmeros outros profissionais da Secretaria de Saúde estarão nas ruas realizando visita, eliminação e tratamento de criadouros e repassando orientação à população.

Junir Lutisnski, biólogo da Secretaria Municipal de Saúde, explica que nas próximas duas semanas, entre os dias 12 e 23 de março, serão intensificados os trabalhos de combate aos focos da dengue em Chapecó. Ele comenta que a Força Tarefa terá como objetivo atender os bairros da região norte da cidade, aonde cresceu assustadoramente o número de focos mosquito. Segundo ele, 49% dos imóveis de Chapecó estão localizados nas áreas em que apresentaram maior número de focos, na região dos bairros São Cristovão, Cristo Rei, Passo dos Fortes, Santa Luzia, Bela Vista e Líder.


Unidades sentinelas contra a dengue

Nos Centros de Saúde da Família dos bairros Vila Real, Bela Vista, Norte e Oeste, estão funcionando as Unidades Sentinelas contra a dengue. Nesses locais, todos os pacientes que apresentarem sintomas de dengue: dor de cabeça, febre, sintomas de gripe, dor nas articulações e dor atrás dos olhos, serão encaminhados para exames.


Comente aqui
08 mar19:43

Três casos de dengue foram confirmados em São Miguel do Oeste

Sirli Freitas | sirli.freitas@diario.com.br

Três casos de dengue importada, ou seja, a doença foi contraída em outro estado, foram confirmados em São Miguel do Oeste, no Extremo Oeste Catarinense.

Segundo a secretaria de saúde do município, Beatriz Soares, as três pessoas da mesma família se mudaram no mês de fevereiro para a cidade, que tem 38 mil habitantes. Eles moravam em Guarantã do Norte, Mato Grosso. Dois dias depois que chegaram em São Miguel do Oeste procuraram o posto de saúde. Silvio, Tatiane e Géssica da Silva apresentavam sintomas típicos da doença e após a realização de exame de sangue os casos foram confirmados.

O pai, mãe e filha receberam tratamento e passam bem. Silvio disse que essa foi a terceira vez que contraiu a doença. – Já fiquei 20 dias internado, dessa vez foi mais leve – contou o marceneiro.

O trabalho de monitoramento e eliminação de focos e criadouros de mosquitos será intensificado na cidade. Foram instaladas 153 armadilhas pelo município e 11 agentes realizam visitas. – A preocupação maior é com as pessoas que armazenam água da chuva, devido a estiagem. – disse Célio Silva, supervisor do programa de combate a dengue.

São Miguel do Oeste é terceiro município do estado em número de focos, com 31 registros até o início de março. Joinville está em segundo com 36 e Chapecó em primeiro lugar com 106 focos, no mesmo período.



Casos importados confirmados no Estado

De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive)foram registrados, somente em 2012, 21 casos confirmados de dengue em Santa Catarina. Todos são importados. Segundo a Dive a procedência desses casos são estados como Acre, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo.

Desses casos 10 foram adquiridos por homens e 11 e por mulheres.



Casos confirmados em municípios catarinenses:

São Miguel do Oeste – 3

Florianópolis – 3

Joinville – 2

Pomerode – 2

São José – 2

Vargeão – 2

São José do Cedro – 1

Porto União – 1

Lages – 1

Caçador – 1

Caibi – 1

Descanso – 1

Itajaí – 1


Fonte: Dive


Comente aqui
08 mar12:48

Três casos de dengue foram confirmados em São Miguel do Oeste

Três casos de dengue foram confirmados em São Miguel do Oeste. Segundo a secretaria de saúde do município, Beatriz Soares, as três pessoas da mesma família se mudaram recentemente do Mato Grosso para a cidade. Após exame de sangue os casos foram confirmados. As três estão recebendo tratamento e segundo a secretária estão bem.

O trabalho de monitoramento e eliminação de focos e criadouros será intensificado na cidade. São Miguel do Oeste é o município do extremo-oeste que tem registrado o maior número de focos do mosquito. Até o momento, foram 29 registros.


Comente aqui