Efapi

14 out17:40

Rodeio emociona e encanta

A voz do narrador César Paraná invade a noite turbinada por 50 mil watts de um potente sistema de som e provoca forte vibração nos 20 mil espectadores que lotam as arquibancadas, os camarotes e as áreas externas da arena do Rodeio Havan, uma das principais atrações da Efapi 2011.

O Rodeio Havan é uma produção da Companhia César Paraná e surpreendeu o público com uma programação que inclui novas apresentações e competições que prenderam a atenção dos visitantes do início ao fim do evento.

Na abertura, um show de luzes e homenagens aos cowboys que enfrentarão touros bravios e domarão cavalos em competições que seguem normas internacionais.

O prefeito de Chapecó José Cláudio Caramori, a primeira-dama Neyla Caramori, o presidente da CCO Luciano Buligon e o coordenador geral Marcio Ernani Sander participaram da abertura oficial do Rodeio, acompanhados do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merísio, e do coordenador de Agropecuária da feira e secretário municipal de agricultura, Ricardo Lunardi.

Patrocinado pela Havan, rede de lojas de departamentos, o Rodeio faz parte da programação da maior feira multissetorial do sul do Brasil pela terceira edição consecutiva. Neste ano, o evento iniciou na quinta-feira, 13 e encerra no domingo, 16.. São quatro dias de provas. As classificatórias ocorrem durante o dia e as provas finais à noite.

A arena multiuso foi ampliada para receber público superior a da última edição: passou de 15 mil para 20 mil lugares. Mesmo assim, muitas pessoas tiveram que procurar espaços alternativos para acompanhar pelo menos parte do show.

Durante o ato, o secretário João Rodrigues pediu a benção de Deus e de Nossa Senhora Aparecida ao público visitante e aos competidores. O prefeito Caramori abriu oficialmente o rodeio e entregou um lenço com a bandeira do município a César Paraná, que comandou o espetáculo.

O narrador apresentou parte da estrutura, formada por 105 competidores, 150 cavalos, 35 touros e 30 bois. O show de fogos também foi uma atração à parte. Paraná explica que neste ano a companhia inovou para trazer novas apresentações tanto na abertura quanto nos demais dias, tudo para agradar os visitantes da Efapi 2011. – A presença do campeão de Barretos em 2004, que hoje disputa rodeios mundiais e nos Estados Unidos, engrandece ainda mais a festa – disse Cesar.

Os competidores protagonizam as provas de laço, três-tambores e teen taning. Serão disputadas provas de laço em dupla, com 60 bois treinados para esta modalidade. Além disso, mais de 50 duplas de competidores buscarão classificação para o rodeio. Na modalidade de três tambores está prevista a participação de 150 competidores provenientes de Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

Para dar mais emoção ao espetáculo, a equipe utiliza touros e cavalos preparados especialmente para derrubar os peões. Entram em cena os “touros-máquinas” que pesam de 800 a 1.200 quilos ao lado de cavalos rebeldes e quase indomáveis, garantindo adrenalina da primeira até a última montaria.


Programação

Nesta sexta-feira, acontece a 2ª classificatória do Rodeio Havan, nas categorias Laço em Dupla e Três Tambores, a partir das 20 horas. Neste mesmo horário, no sábado, ocorrem as semi-finais do torneio. No domingo, último dia da Exposição-feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó, a final do Rodeio inicia mais cedo, às 17 horas.


Comente aqui
14 out16:19

Samba na Efapi

A noite de sexta-feira promete muita alegria para os apaixonados por samba. No mega palco, tem às 23h, apresentação de Zeca Pagodinho. No palco principal tem apresentação de grupos locais. Às 19h30 o Grupo Raiz do Samba sobe ao palco e às 20h30 eles animam os visitantes no stand do Grupo RBS, na Efapi 2011.


Raiz do Samba

O grupo foi criado em maio de 2009 por músicos e amigos apaixonados pelo Samba. Formado por Maurício (Cavaco e Voz), Geraldo (Pandeiro e Voz), Zeca (Tan tan), Getúlio (Pandeiro) e Guima (Rebolo), apresenta um trabalho diferenciado.


Comente aqui
14 out15:54

Viveiro Florestal na Efapi 2011

Tema recorrente na sociedade atual, o meio ambiente também ganha espaço na Efapi 2011. Diversos stands da feira trabalham a educação ambiental através de atividades educativas e orientações aos visitantes. Um desses locais é o Viveiro Florestal Universitário mantido pela Unochapecó e que, além de trabalhar com espécies e sementes nativas, atua com a separação de lixo e a produção de composto orgânico.

Um dos grandes desafios deste tempo é aprender a viver de maneira mais sustentável, reutilizando objetos que antes eram simplesmente descartados sem nenhum cuidado. A preocupação com o descarte correto dos materiais tem impulsionado ações como a coleta seletiva, realizada pelo Viveiro Universitário no campus da Unochapecó.

Através de lixeiras coloridas dispostas pelo campus e investimentos para a conscientização da comunidade acadêmica é possível ter maior controle sobre os materiais que são descartados no campi da universidade. Todo o lixo reciclável é encaminhado para as cooperativas de coleta e venda destes materiais, instaladas na região, e os resíduos orgânicos são levados para o Viveiro onde são utilizados para a produção de adubos, através de um sistema conhecido como compostagem.

O bolsista do Viveiro Universitário, Adriano Keller, explica que o processo de fabricação de substratos através da compostagem é simples e pode ser feita mesmo em pequenos espaços. A técnica consiste na montagem de um bloco de materiais orgânicos intercalados: camadas de folhas, galhos ou gramas e de lixo orgânico como cascas de frutas e resto de alimentos.

Os blocos produzidos podem conter várias camadas e levar até 120 dias para se decompor completamente, dependendo do calor incidente. Porém, antes de introduzir a técnica é necessário tomar alguns cuidados.

- Não é aconselhável utilizar restos de carne ou mesmo ossos de animais, pois o tempo de de composição é diferente dos resíduos de folhas ou frutas. É importante não montar a compostagem próximo a fontes de água ou rios, para que não haja nenhum tipo de problema com os mananciais – disse Adriano.

Depois de pronto, o substrato produzido na compostagem pode ser usada na horta, em fruteiras e mesmo nas flores, como complemento aos nutrientes existentes no solo.

Além de orientar sobre a correta montagem da compostagem, o Viveiro Universitário da Unochapecó está recolhendo os dejetos dos animais que estão alocados nos pavilhões da Efapi e levando para a universidade. Depois tudo o que for coletado será transformado em adubo para ser utilizado nas plantas produzidas pelo próprio Viveiro.


Comente aqui
14 out15:42

Mais de 150 toneladas de resíduos

Em seis dias da Exposição-Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó, Efapi 2011, mais de 150 toneladas de resíduos foram recolhidas do parque de exposições Tancredo de Almeida Neves. Todo o lixo orgânico e reciclável produzido durante a expo-feira terá destino adequado.

Uma equipe com 45 pessoas da Associação dos Trabalhadores no Serviço de Reciclagem (Astrarosc) está envolvida no controle e monitoramente dos resíduos. Na limpeza no local dos shows se concentram 35 colaboradores. O trabalho de recolhimento dos materiais no parque inicia às 6 horas e prossegue até as 5 horas do outro dia.

Até quarta-feira, dia 12, segundo levantamento da Fundação do Meio Ambiente de Chapecó (Fundema), 55 toneladas de resíduos de animais foram coletadas e enviadas para compostagem através do Viveiro da Unochapecó. Dos banheiros móveis foram recolhidos 58 mil litros de efluente sanitário e 24 toneladas de dejetos que foram encaminhados ao aterro da empresa Tucano.

Dos materiais classe dois (não recicláveis) somam 25 toneladas. Outras 14 toneladas de material reciclável foram retiradas do parque, sendo 3,5 toneladas de papelão misto, 4,2 toneladas de latinha, 1,2 toneladas de garrafas pet, 4,2 toneladas de plástico misto e 1,6 toneladas de copos plásticos.


Ampliação

Na edição passada, no período de cinco dias foram recolhidas 60 toneladas, sendo dez toneladas de material reciclável, 5 toneladas de lixo orgânico (restos de alimentos, papel higiênico, etc) e dos banheiros móveis foram recolhidos 15 mil litros de dejetos.


Comente aqui
14 out14:39

Tosquia de ovelhas é atração da Efapi

Como parte da programação da agropecuária na Exposição-feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Chapecó – Efapi 2011 está a demonstração de manejo da tosquia de ovinos. Este trabalho envolve o corte da lã de ovelhas e foi realizado na tarde da quarta-feira, dia 12, em três animais que participam da exposição da feira. A programação para quem desejar conhecer o manejo da tosquia de ovinos continua nesta sexta-feira, dia 14, às 17 horas, e no sábado dia 15, às 16 horas.

Há dez anos trabalhando com o corte de lã de ovelhas, o esquilador, pessoa responsável pela tosa do anima, Ivonaldo Antonio Piaia relata que o período ideal para a tosquia é de setembro a fevereiro, porque nesta época a ovelha não sofre com doenças como a pneumonia.

A tosquia é realizada anualmente, com a utilização de tesouras manuais ou elétricas.

A partir dos seis meses de idade a ovelha já pode passar pela tosa e todas as raças recebem este tratamento. A lã retirada das ovelhas é comprada por uma das principais empresas que industrializam o produto, a Paramount, do Uruguai. Piaia também destaca que cada animal gera em média 2,8 quilos de lã a cada tosa.

Segundo Piaia, na hora de tosquiar o animal é necessário ter alguns cuidados para não ferir a ovelha.

- Caso este problema venha a ocorrer, o ferimento deve ser tratado para que não ocasione infecções – disse.

A tosquia também deve ser feita com a lã da ovelha seca. Quando a lã esta molhada a tosquiadeira elétrica não consegue cortar a lã corretamente, causando perigo para o animal e para o tosquiador.


Comente aqui
14 out12:22

"Deixa vida me levar"

A maior feira multissetorial do sul do país prossegue até domingo, 16, com uma programação intensa em diversos setores da economia, além de atrações artísticas, culturais e shows nacionais. A feira conta com 650 expositores e oportunizará um volume de negócios estimado na ordem de 125 milhões de reais. Até quinta, 493 mil pessoas passaram pelo parque de Exposições Tancredo de Almeida Neves.

Nesta sexta-feira, a abertura do parque de exposições e dos pavilhões ocorre às 15 horas. No mesmo horário iniciam as atividades na 6a Mercoarte – Feira do Artesanato Chapecoense, no parque de Diversões Tupã, no Museu da Colonização de Chapecó, contação de histórias no coreto e intervenções itinerantes em todo o parque.

As apresentações no palco alternativo, em frente a praça de alimentação, começam às 15h e seguem até às 20 horas. Das 17h30 às 22 horas ocorrem os shows com artistas locais, no palco principal, com apresentação do DJ Rodrigo K, Discípulos de Honra, Profetas de Rua, Homem Pássaro e Bando, Raiz do Samba, Pagode Social e Grupo Doce Vício.

Às 20 horas ocorre o sorteio da Dupla Sena e Quina. Os pavilhões serão fechados às 22 horas e na sequência às 23 horas está previsto show com Zeca Pagodinho, no mega palco.


Programação Agropecuária

A programação agropecuária iniciou às 6 horas com a quarta ordenha do torneio leiteiro. Às 9 horas teve o julgamento dos animais jovens da raça Jersey. Das 10h às 20 horas acontece exposição e comercialização de animais e produtos da ovinocultura.

Às 14 horas inicia o julgamento dos animais jovens da raça Holandesa. Paralelamente acontece a prova classificatória da modalidade de três tambores válida para o Rodeio Havan e depois a prova classificatória da modalidade de laça em dupla, também válida para o rodeio.

Os pavilhões serão abertos às 15 horas. No mesmo horário ocorre a Tecnoagrofamiliar: Mostra de Produtos Coloniais, Mostra e Espaço Gastronômico da Piscicultura, Mostra de Pequenos Animais e Mostra Sociedade Oeste Catarinense de Ornitologia.

Às 16 horas tem apresentação de cães Border Collie no manejo de ovinos. Às 17 horas acontece demonstração do manejo da tosquia de ovinos e às 18 horas tem apresentação e demonstração de ordenha de ovinos. Às 20 horas ocorre o Rodeio Havan e na sequência às 21 horas está prevista a segunda classificatória para o rodeio nas categorias laço em dupla e três tambores.


Zeca Pagodinho pela primeira vez no Oeste

Considerado um dos maiores nomes do gênero samba e pagode, Zeca Pagodinho estará pela primeira vez no grande oeste catarinense para animar o público da Efapi.

Jessé Gomes da Silva Filho, Zeca Pagodinho, nasceu no Rio de Janeiro em 04 de fevereiro de 1959. Desde cedo trocava as salas de aula por uma boa roda de samba. Trabalhou como feirante, Office-boy, anotador de jogo do bicho e camelô.

A primeira gravação do artista foi em 1983, com o samba “Camarão que dorme a onda leva”, de sua autoria e de Arlindo Cruz, a partir do convite de sua madrinha Beth Carvalho. Em 2003, no auge da carreira, foi o primeiro artista de samba a gravar um especial de TV, CD e DVD pela MTV Brasil (tradicional reduto do pop-rock). O Acústico MTV, gravado no Rio, foi um de seus discos mais vendidos, rendendo uma segunda edição em 2006 (a primeira da história da MTV Brasil). O segundo acústico – batizado de Acústico MTV Zeca Pagodinho 2 – Gafieira, homenageou o samba de gafieira.

Em 2007, o cantor criou o selo ZecaPagodiscos, em parceria com o produtor musical Max Pierre, ex-diretor artístico da Universal Music no Brasil. O primeiro trabalho da parceria (lançado em conjunto com o selo Música Fabril, novo selo de Max, com distribuição da gravadora EMI) foi o CD e DVD Cidade do Samba, gravado no Rio de Janeiro, reunindo vários artistas brasileiros de diferentes estilos musicais, como Martinho da Vila, Jair Rodrigues, Cláudia Leite, Ivete Sangalo, Nando Reis, Erasmo Carlos, Gilberto Gil, entre outros.


Comente aqui
14 out10:14

Visitação espetacular

A meta de público será atingida dois dias antes do final da Efapi 2011. Na quinta-feira, dia 13, sétimo dia da maior feira multissetorial do sul do Brasil, 82 mil visitantes passaram pelo Parque de Exposições Tancredo Neves que permaneceu aberto por 10 horas.

Em sete dias, a Efapi contabiliza 493 mil pessoas, o que significa que 95% da meta de 520 mil visitantes, previsto até o final da feira, no domingo, 16, já foi atingida.

Um grande público ainda é esperado para sexta-feira, sábado e domingo, com os megashows de Zeca Pagodinho, Jorge & Mateus e Fernando & Sorocaba.

O público deve crescer ainda mais com o Rodeio Country, os eventos pecuários, a variada programação de eventos internos, a exposição industrial e comercial e a programação de shows nacionais. A esses fatores aliam-se outros que potencializam a visitação popular: idosos e crianças não pagam e estudantes pagam meia entrada, além de três dias de entrada livre.

- Tudo isso resultou nos recordes históricos de público desses 44 anos de realização da exposição-feira-festa – festejam os líderes da Efapi 2011, o prefeito José Caramori, o presidente da Comissão Central Organizadora (CCO) Luciano José Buligon e o coordenador geral Marcio Ernani Sander.

Milhares de pessoas ocupam todos os setores dos 210 metros quadrados do Parque e o entorno recebe diariamente de 5.500 até 12 mil automóveis, de acordo com aferição da Comissão de Transporte, Trânsito, Segurança e Estacionamento.


Público

Dia 7 – 68 mil

Dia 8 – 40 mil

Dia 9 – 105 mil

Dia 10 – 98 mil

Dia 11 – 51 mil

Dia 12 – 49 mil

Dia 13 – 82 mil

Tota: 493 mil visitantes


Comente aqui
13 out19:16

Um rio, peixes e pedras típicas

A palavra “Goio-En” é derivada da língua indígena tupi-guarani e significa “muita água” ou “o que vem do fundo do rio”. Nessa perspectiva, o Instituto Goio-En trouxe para a Exposição-Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó o Piso Interativo Midas Touch 3D.

O piso recria o fundo de um rio, com peixes e pedras típicas. Equipado com sensores que captam movimentos e processam imagens tridimensionais em tempo real, ao caminhar sobre a projeção formam-se ondas como quando atiramos uma pedra na água.

A ideia inicial era atrair crianças para fazer um trabalho de educação ambiental e conscientização, como crítica à matança de peixes e incentivo à preservação do meio ambiente. Não demorou e os adultos que passavam pelo estande se encantaram com a brincadeira. Segundo a assessora de comunicação do instituto, Daniela Zancanaro, cerca de 5 mil pessoas visitam o espaço Goio-En por noite.

Desde 2003, o Goio-En realiza estudo sobre os peixes do Rio Uruguai, educação ambiental e planejamento, através de projetos, ações e parcerias com entidades e com a comunidade. Entre os peixes estudados estão o Dourado, Surubim, Curimbatá, Pintado amarelo, Piracanjuba. Neste mês o instituto iniciou um trabalho em parceria com pescadores que moram na área de abrangência da Usina Foz de Chapecó. – São oito pontos de coleta de larvas e ovos de peixes, que posteriormente são repassados para o Goio-En – explica a técnica ambiental do instituto, Michele Cavalheiro.

O Instituto Goio-En trouxe o piso interativo para a feira com apoio da Usina Foz de Chapecó, Ministério da Pesca e Aquicultura e da Fundação Universitária de Desenvolvimento do Oeste (Fundeste).


Comente aqui
13 out16:55

SAC lança caderno na Efapi

Durante a 18ª Edição da Exposição-feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Chapecó a Rede de Comunicação de Santa Catarina apresentou, nesta semana, o caderno especial de 45 anos da Sociedade Amigos de Chapecó (SAC).

O lançamento foi realizado no estande da Aurora Alimentos e contou com a presença de autoridades chapecoenses. O caderno da SAC conta a história e a evolução da entidade, fundada em setembro de 1966. O objetivo da organização é incentivar a criação de sociedades beneficentes e desenvolver ações que visem o crescimento do município e melhorias nas condições de vida e no bem estar de seus moradores.

O presidente da SAC, Claudio Jorge Kracker, relembrou os presidentes da instituição e os sócios fundadores, rendeu agradecimentos ao passado e aos apoiadores. Kracker apresentou o projeto “Chapecó 2030”, promovido pela SAC desde 2009 e que envolve mais de 200 pessoas voluntárias na construção de uma proposta de planejamento em longo prazo para a cidade de Chapecó. Até junho do ano que vem estará pronto o caderno com dez áreas temáticas. “Estamos trabalhando para fazer uma Chapecó melhor”.

A SAC foi idealizadora da 1ª edição da Efapi em 1967. O coordenador da feira, Marcio Ernani Sander, enfatizou o importante papel do SAC na formatação do evento. – Os presidentes e sócios fundadores deixaram importantes contribuições para a feira. Graças a essas boas heranças Chapecó tem hoje essa feira multissetorial que é destaque no cenário nacional – disse Marcio.


Comente aqui
13 out14:30

Gado leiteiro é atração

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O bom momento do setor leiteiro, que deve crescer entre 12 a 14% neste ano no Oeste, está à mostra na Exposição Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Chapecó (Efapi). Na quarta-feira terminaram de chegar os 440 bovinos, sendo 362 das raças Jersey e Holandês e o restante das raças de corte Charolês, Tabapuã, Angus e Nelore.

A produtora Clédia Nyland trouxe 16 vacas para a exposição. No ano passado ela foi considera a melhor criadora e melhor expositora de Santa Catarina entre todas as feiras realizadas e, neste ano, novamente quer fazer bonito.

A conquista foi fruto da melhora no manejo e genética adquiridos após a filha, Nancy Cristine Leonardi, ter feito estágios nos Estados Unidos e Canadá. Com isso a produção média, que há 10 anos era de 15 litros por vaca, agora está em 27 litros.

O presidente do Núcleo dos Criadores de Bovinos da Região de Chapecó e membro da comissão agropecuária da Efapi, Enedi Zanchet, disse que a melhora na genética e o conseqüente aumento da produtividade foram alguns fatores que transformaram a região numa das principais bacias leiteiras do país.

Zanchet disse que, na década de 80, quando começou a trabalhar para a Companhia Integrada para o Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), a região produzia em torno de 30 mil litros por dia. Atualmente são cerca de 1,8 milhão de litros/dia. Isso fruto de investimentos na região. No final do mês passado a Piracanjuba inaugurou uma planta para 450 mil litros/dia em Maravilha. A Aurora também ampliou a unidade de Pinhalzinho. Outras empresas, como Batávia, Bom Gosto, Nestlé e Tirol, também recolhem leite na região.

Zanchet disse que houve a concentração da suinocultura e avicultura, além da substituição do fumo, levou muitas famílias a adotar a produção de leite, que atinge 70 mil famílias no Estado. O modelo fundiário da região, com mão de obra familiar, favoreceu a expansão.

A produção média de Santa Catarina, que era de 1,2 mil litros por vaca/ano na década de 80, saltou para 3,8 mil litros vaca/ano. Na Efapi de 1988, a recordista da raça holandesa produzia 50 litros num dia. Na edição anterior, atingiu 82 litros, um crescimento superior a 30%. O torneio leiteiro da Efapi começou ontem. Amanhã e sábado serão os julgamentos.

O presidente da Comissão Central Organizadora, Márcio Sander, destacou que houve um investimento de R$ 1,4 milhão em três novos pavilhões agropecuários, para dar conta do crescimento do setor. Atualmente a Efapi é a segunda maior feira do país na raça holandesa, com 194 animais. Perde apenas para Castro, no Paraná. A Efapi vai até domingo, no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó.



Comente aqui